terça-feira, 2 de setembro de 2014

Bicolores e Azulinos se unem pela causa da doação de sangue

As duas maiores torcidas de futebol do Pará voltam a se encontrar, mas desta vez fora do campo e por uma boa causa: a doação de sangue. De  22 a 27 de setembro acontece a terceira edição do “RE x PA da doação de sangue”, na sede da Fundação Hemopa, em Belém, e também com o apoio da unidade móvel do hemocentro. O confronto solidário organizado para promover a paz entre as torcidas e elevar o número de coletas no estado, contará com a parceria da Associação de Sócios do Clube do Remo (ASSOREMO) e da 'Sou Papão'. As duas campanhas anteriores somaram 1.108 coletas, que ajudaram cerca de 4.432 pacientes atendidos pelas rede pública e privada de saúde. A meta desta vez é de 750 doações.
A última mobilização, em fevereiro deste ano, reuniu centenas de torcedores e teve como saldo final a coleta de 626 bolsas de sangue, resultado considerado bastante animador pela gerente de Captação de Doadores do Hemopa, a assistente social Juciara Farias, que não economizou agradecimentos à iniciativa das duas torcidas. “É reconfortante perceber que a solidariedade ainda é capaz de unir mesmo rivais tradicionais, como remistas e bicolores, que deixam suas diferenças de lado para salvar vidas com a doação de sangue”, observou, apostando na superação da meta de doações nessa nova versão da campanha.
“’A diretoria dos dois clubes estão satisfeitas com os resultados alcançados e tem se empenhado em divulgar a causa. O bom deste jogo é que não há perdedores, ao contrário, todos saem ganhando’, diz André Anaisse, membro da ASSOREMO. Para Diego Cuimar, da 'Sou Papão', o objetivo maior da campanha é incentivar a população a doar sangue regularmente. “Pelos números obtidos anteriormente, a campanha provou ser um sucesso e a tendência é que alcancemos índices ainda melhores nesta nova edição. Sou doador habitual desde 2012 e sei como é importante despertar esse incentivo na população”, ressaltou.
O advogado André Luiz, 24, torcedor do Remo, participou das duas primeiras edições e já se programa para a terceira “Vou doar e contar um ponto para o Leão. Vamos atrás de mais uma vitória, só que desta vez pela vida. Esta é uma excelente maneira de promover a causa, porque restabelece o estoque de sangue e une torcedores que são rivais, mas não inimigos. Tenho certeza que meus amigos bicolores irão colaborar também’’.
A pequena Ana Luíza Palma Monteiro, 9, não é remista nem alvi-celeste, mas torce para que a campanha seja um sucesso. Portadora de anemia falciforme (doença hereditária que causa a má formação das hemácias), ela recebe tratamento no Hemopa desde os sete meses de vida. A mãe, Elisângela Palma Monteiro, 35, conta que a filha, com tipo de sangue O Positivo, recebia de três a quatro transfusões sanguíneas mensais até os três anos. Depois de retirar o baço – para otimizar o tratamento – a menina passou a receber apenas três transfusões ao ano. ‘’Sou torcedora do papão e acho incrível como a rivalidade entre Remo e Paysandu pode ser benéfica se trabalhada desta forma. Um precisa do outro, não somente no esporte, mas em todo lugar, o tempo todo. Essa é a lógica da sociedade. Somos seres humanos’’, destacou Elisângela, que sempre acompanha a filha durante o tratamento.
Juciara Farias orienta que o voluntário deve informar, no ato de seu cadastro, para qual clube torce para que o ponto da doação seja contabilizado no placar, que vai ser divulgado às 18h, do dia 27 de setembro.
Quem pode doar sangue: Qualquer pessoa com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos e peso acima de 50 kg. Menores de 18 anos só podem doar com autorização dos pais ou responsáveis. Necessário apresentar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, o doador precisa estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três.

Serviço: O Hemopa funciona na Travessa Padre Eutíquio, 2109. Alô Hemopa: 0800 280 8118.

domingo, 31 de agosto de 2014

Campanha em Icoaraci e caravana de Tomé-Açu movimentam doações no Hemopa



O último sábado (30) foi mais um dia de mobilização na Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). Isso porque a sede do hemocentro registrou o comparecimento de 225 doadores voluntários, grande parte oriunda da caravana solidária de Tomé-Açu, no nordeste do Pará. Marcando o encerramento das campanhas externas de agosto, 340 voluntários compareceram durante três dias, na Escola Estadual de Ensino Médio e Fundamental Avertano Rocha, em Icoaraci.

Aluno do segundo ano do ensino médio, Johnny Herbert Nunes dos Santos, 17 anos, fez sua primeira doação, autorizado pela mãe. Ele contou que sempre teve vontade de doar. “Considero esta uma boa estratégia do Hemopa para despertar a solidariedade nas pessoas. Esse é um gesto que vai entrar para minha história de vida e sei que vai ajudar outras pessoas. Nós jovens podemos fazer a diferença na sociedade, praticando esses pequenos gestos de amor ao próximo. Vou me tornar um doador regular”, disse.
O vendedor Jean Santana Silva, 27, também foi à escola fazer mais doação, dessa vez para uma amiga que está internada com leucemia. Doador voluntário de sangue desde os 18 anos, ele tem orgulho de já ter ajudado muitos conhecidos e desconhecidos. “Procuro ajudar da melhor maneira possível. Conhecendo ou não as pessoas, sei que estou salvando vidas, e pretendo fazer isso até quando Deus permitir”, declarou.

“Para mim é muito importante ajudar alguém, mesmo sem saber quem”, disse a recepcionista Melissa da Silva Santana, 27 anos, de Tomé-Açu, que, junto com outros voluntários, participou da caravana da solidariedade organizada pela mãe da estudante Luana Portilho, em tratamento há um ano e seis meses contra leucemia. “Viemos para ajudar não só a Luana, mas outras pessoas também. Doamos sangue e fizemos cadastro de medula óssea”, informou.
O farmacêutico Saulo Coelho Assis Ribeiro, 37 anos, do bairro Umarizal, em Belém, já é um doador habitual desde 1998. Desde então, já fez 34 doações. “Minha primeira doação foi para um sobrinho que precisava de sangue. Vi a mobilização pela Luana e resolvi doar, pois já estava no tempo também. Sei da importância desse ato e posso salvar até quatro vidas”, estimou, lembrando que em algum lugar tem sempre alguém precisando de uma doação.
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, informou que o segmento da educação, pelo projeto “Doador de Sangue do Futuro”, trabalha o tema doação de sangue de forma transversal nos conteúdos programáticos. “Essas ações envolvem professores, alunos, comunidade e pais de alunos com a doação de sangue e o cadastro de medula óssea, formando e mantendo doadores conscientes futuramente”, explicou, reforçando que, para o Hemopa cumprir sua missão, depende decisivamente de ações de mobilização social em todos os segmentos.
Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsável legal) e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum – o doador, aliás, deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses.
Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
O Hemopa funciona para coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Contatos pelo e-mail captacao@hemopa.pa.gov.br e no Alô Hemopa (0800-2808118). O calendário das próximas campanhas está disponível no site www.hemopa.pa.gov.br.

Hemopa recebe neste sábado mais de 100 doadores de sangue de Tomé-Açu

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) recebe o apoio da sociedade civil organizada para abastecer o estoque técnico do banco de sangue. Neste sábado (30), de 7h30 às 17h, a técnica de enfermagem Rosilda Portilho, 34, e mais 110 moradores de Tomé-Açu, no nordeste do Estado, farão doação voluntária de sangue e o cadastro de doadores de medula óssea.
Tocada pela situação da filha Luana Portilho, 14, diagnosticada com leucemia e internada há mais de um mês, Rosilda decidiu mobilizar parentes. “A campanha ganhou uma grande proporção na cidade e nas redes sociais. Recebi o apoio da prefeitura, que nos conseguiu dois ônibus, e de muitos moradores também. É bom saber que minha filha é querida e que, no meu município, existem pessoas solidárias”, diz a doadora.
Estimulada por uma amiga de sua terra natal, que faz campanha por um enteado de 6 anos com leucemia, a empresária cearense Manoela Carneiro Gonçalves de Freitas, 34, moradora do Parque Verde, esteve nesta sexta-feira (29) na sede do hemocentro para doar sangue e fazer o cadastro de doadores de medula óssea. “Sempre tenho o intuito de ajudar, sou sensível à causa. É tão pouco o que você pode fazer para ajudar a salvar a vida de uma pessoa”, ponderou.
“A participação de familiares e amigos de pacientes nesse processo é determinante para transformar uma situação, que aparentemente pode ser individual, em uma corrente solidária. Sempre há, a todo o momento, alguém precisando de sangue”, reforçou a titular da Gerência de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, lembrando que iniciativas como a da família de Luana movem vários voluntários e reforçam o papel dos estabelecimentos de saúde.
Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsável legal) e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum – o doador, aliás, deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses.
Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto. O Hemopa funciona para coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Contatos pelo e-mail captacao@hemopa.pa.gov.br e no Alô Hemopa (0800-2808118). O calendário das próximas campanhas está disponível no site www.hemopa.pa.gov.br.


Hemopa finaliza campanhas externas de agosto e convoca para setembro

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) contabilizou 947 comparecimentos e a coleta de 800 bolsas de sangue nas campanhas externas até esta sexta-feira, 29. Ainda serão contabilizados nesta parcial os dados da campanha que será realizada neste sábado, 30, na Escola Avertano Rocha, em Icoaraci, de 8h às 15h, para finalizar a contagem do mês de setembro.
O calendário de setembro será intensificado com parceiros de outros municípios, como a Albras, em Barcarena, de 29 de setembro a 3 de outubro, e na Agência Transfusional de Bragança, dia 12, de 8h às 17h.
João Elias do Rosário de Sousa, 30, doou sangue pela primeira vez após assistir na tevê uma convocação de doadores. ‘’Hoje, faço minha primeira doação de sangue e outras virão. Vou aproveitar as campanhas externas também, porque nem sempre poderei vir aqui [no Hemopa]. Elas facilitam muito a doação de sangue’’, explica João.
“Agradecemos aos voluntários por este ato que salva vidas. Precisamos manter esta média para o mês de setembro, de 800 coletas e 900 comparecimentos por mês somente com as campanhas externas’’, diz Juciara Farias, titular da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa.
Qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsável legal) e pese acima de 50 quilos pode doar sangue. É necessário portar documento de identidade original e com foto e não precisa estar em jejum – ao contrário, deve estar bem alimentado.
O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três. Menores de 16 a 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou representante legal. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço:
O Hemopa funciona para coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. E-mail: captacao@hemopa.pa.gov.br. Alô Hemopa: 0800 280 8118. O calendário das próximas campanhas está disponível no site www.hemopa.pa.gov.br.

sábado, 23 de agosto de 2014

Empresa promove reforço no estoque de sangue do Hemopa


Cerca de 50 funcionários da empresa de instalações e manutenções elétricas, Dínamo, vieram a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), na manhã deste sábado, 23, doar sangue em mais uma parceria entre as duas instituições. Esta é a segunda campanha de doações de sangue da empresa este ano na Fundação. A ação faz parte do cronograma de responsabilidade social e qualidade de vida da Dínamo, que dará suporte ao estoque de sangue do hemocentro que sofre baixa de 30%.


Desde a primeira edição, as ações realizadas pela empresa já contabilizar
am mais de 200 doações, o que poderia possibilitar até mais de 600 pacientes atendidos.

O eletricista João Paulo Ferreira da Silva, 30, portador do tipo sanguíneo B positivo, doou sangue pela terceira vez, todas as doações em campanhas da Dínamo ‘’Me tornei doador quando entrei na empresa. Desenvolvi esta consciência lá. Doar sangue é simples e, quem pode, deveria. Salva vidas’’, diz o doador que explica que a vontade de doar sangue já existia antes de ser funcionário da parceira do Hemopa ‘’Sou de Itaituba e nunca consegui doar sangue lá. Quando vim para Belém, doar foi uma das primeiras coisas que fiz’’.

Walber Silva Novais trabalha há três meses como técnico em segurança do trabalho na empresa e coordenou os amigos de trabalho durante as doações “É um ato importante e que faz bem para todos. Eu mesmo já doei uma vez e pretendo voltar se for possível. Entre os nossos funcionários a ideia é bem aceita. Desse grupo a maioria já é doador. Esperamos colaborar para que a situação mude”, diz.

‘’As parcerias que o Hemopa tem são vitais. São empresas, faculdades, igrejas, clubes e outras instituições da sociedade. Para quem não tem tempo de vir ao hemocentro durante a semana, o sábado é uma ótima pedida’’, fala Rosicleide Teodózio, assistente social da gerência de captação de doadores do Hemopa.

Qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos pode doar sangue. É necessário portar documento de identidade original e com foto e não precisa estar em jejum – ao contrário, deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Menores de 16 a 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou representante legal. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.

Serviço: o Hemopa funciona para coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. E-mail: captacao@hemopa.pa.gov.br. Alô Hemopa: 0800 280 8118. O calendário das próximas campanhas está disponível no site www.hemopa.pa.gov.br.

Funcionários de empresa se unem para doar sangue no Hemopa


Neste sábado (23), a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) recebe a parceira Dínamo, que trabalha com instalação e manutenção de rede elétrica, para o reforço do estoque estratégico de sangue, que sofre queda de 30%. Um grupo de 50 doadores voluntários, funcionários da empresa, localizada no bairro Tapanã, em Belém, vai dar sua contribuição, de 7h30 às 17h. É a segunda ação de doação de sangue que a Dínamo organiza com o Hemopa esse ano, sempre com expressiva participação dos colaboradores.
Walber Silva Novais trabalha há três meses como técnico em segurança do trabalho na empresa e diz que a doação faz parte das atividades do cronograma de responsabilidade social e qualidade de vida. “É um ato importante e que faz bem para todos. Eu mesmo já doei uma vez e pretendo voltar se for possível. Entre os nossos funcionários a ideia é bem aceita. Desse grupo a maioria já é doador. Esperamos colaborar para que a situação mude”, diz.
Ciente do momento pelo qual o hemocentro passa e atendendo aos chamados, a vendedora Deusamir Lima de Oliveira, 37, moradora de Icoaraci, fez sua primeira doação de sangue. Ela está com o pai hospitalizado, precisando de uma bolsa de sangue do tipo A Negativo. Tocada pela situação dele e de outros pacientes, conseguiu mobilizar mais de 30 doadores voluntários.
“Sempre tive vontade de doar, mas não conseguia por estar abaixo do peso. Fiz campanha no quartel da Guarda Municipal de Belém, entre amigos e parentes. Onde encontro alguém falo sobre a doação de sangue. No hospital vejo os pacientes e penso que preciso ajudar de alguma forma. A doação de sangue é uma grande demonstração de amor”, frisa a vendedora, acompanhada do marido e do pastor da igreja da qual faz parte, que também doaram sangue.
Segundo a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, a ampliação dos serviços de saúde, a criação de novos leitos no Estado, bem como o aumento no número de acidentes, fazem aumentar a necessidade por hemocomponentes. “Para que possamos atender essa demanda, contamos com a responsabilidade e solidariedade de todos. Só passamos a existir enquanto organização quando temos doadores estendendo o braço aqui, por isso a participação do corpo clínico dos hospitais, no estímulo à doação de parentes e amigos de pacientes, é importante”, destaca.
A gerente lembra ainda que as pessoas também podem doar em qualquer uma das unidades da hemorrede paraense, situadas em Castanhal, Marabá, Santarém, Altamira, Capanema, Redenção, Tucuruí e Abaetetuba. Em Belém, o candidato à doação deve se dirigir à Fundação Hemopa, na Travessa Padre Eutíquio, bairro Batista Campos, fazer uma ficha cadastral e passar na triagem clínica. Se for considerado apto, pode fazer a sua doação imediatamente.
Qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos pode doar sangue. É necessário portar documento de identidade original e com foto e não precisa estar em jejum – ao contrário, deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Menores de 16 a 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou representante legal. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: o Hemopa funciona para coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. E-mail: captacao@hemopa.pa.gov.br. Alô Hemopa: 0800 280 8118. O calendário das próximas campanhas está disponível no site www.hemopa.pa.gov.br.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Hemopa divulga balanço de doações de sangue no feriadão



O movimento de candidatos à doação de sangue, na sede da Fundação Hemopa, no final de semana prolongado, 15 e 16, foi bastante satisfatório, com um saldo total de 379 comparecimentos e 325 bolsas coletadas, que deverão atender cerca de 1.300 pacientes, esta semana. O estoque de sangue do hemocentro será reforçado nesta terça-feira, 19, com campanha externa na Unidade de Saúde do Paar, na Travessa Castanhal s/n - Ananindeua, de 8h às 15h. A meta é de 100 doações.
Na quarta-feira, 20, a ação será realizada na área frontal do Castanheira Shopping, na BR-316, de 10h às 19h. No dia 23, será realizada campanha em parceria com a direção da Escola Ana Telles, Av. Nações Unidas - Benevides, de 8h às 15h. A assistente social Lilian Bouth agradeceu a todos os voluntários do final de semana que possibilitaram ao hemocentro começar a semana com reforço no estoque de sangue. “As coletas foram de extrema importância. Isso vai viabilizar o atendimento de aproximadamente 1.300 pessoas. Muito obrigada”, destacou, reafirmando a importância do doador regular de sangue, afinal, todos os dias há milhares de pacientes necessitando de transfusão de sangue.
No entanto, ela alerta que o número de comparecimentos está aumentando, mas precisa melhorar ainda mais. Nesta segunda-feira, por exemplo, a maior necessidade da demanda transfusional foi para os tipos O Positivo e O Negativo. Estamos convocando doadores com essas tipagens”, informou.
Monyelle Gester, 24, com tipo sanguíneo A Positivo, salva vidas com suas doações de sangue há um ano, sempre espontaneamente. “A doação não custa nada e não importa para quem seja. O importante é sempre ajudar”, afirmou a universitária do curso de Design de Moda e publicitária, que vivenciou a necessidade de captação de doadores quando um tio e a avó precisaram de transfusão de sangue.
Ela esteve na sede da Fundação Hemopa, doando sangue nesta segunda-feira, 18, acompanhada do namorado, o empresário Mitsuru Yamada Neto, 35, que realizou sua segunda coleta. “A doação de sangue é uma responsabilidade social necessária. Cada um deveria fazer a sua parte”, comentou, relembrando que dias atrás recebeu uma mensagem pelo WathsApp, de incentivo à doação, enviada pela avó de uma amiga. “Aproveitei a oportunidade com a minha namorada para realizar minha segunda coleta de sangue espontaneamente”.
Quem pode doar sangue:
Qualquer pessoa com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado. Para cadastro de doadores de medula óssea: estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: O Hemopa funciona na Tv. Padre Eutíquio, 2109. Alô Hemopa: 08002808118