quarta-feira, 25 de março de 2015

Hemopa enfrenta queda no comparecimento de doadores

O intenso período de chuvas do inverno amazônico é um dos principais fatores para a queda no número de comparecimentos de doadores às unidades de captação do Hemocentro do Pará. Na última terça-feira, 24, a sede do Hemopa, em Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa Castanheira registraram, juntas, 213 comparecimentos voluntários e a coleta de 156 bolsas de hemocomponentes. A média é considerada baixa. De acordo com a titular da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa, Juciara Farias, o movimento ideal para as duas unidades de coleta de sangue da fundação na capital seria de 340 comparecimentos/dia.
“O Hemopa faz um apelo à toda a sociedade no sentido de colaborar com a doação voluntária de sangue. Essa é uma responsabilidade compartilhada, que contribui decisivamente para a melhoria da saúde pública”, ressalta, informando que a fundação atende pacientes de 218 hospitais públicos e privados no Estado.
Doadora voluntária há mais de dois anos, Márcia Cristina Santos da Costa, 32, não se deixou deter pela chuva e fez sua parte. Doou sangue para ajudar uma amiga que passará por cirurgia. “A primeira vez que doei, vim estimulada por amigos. Venci os medos e vi que não era nada do que imaginava. Foi muito tranqüilo. A importância está em ajudar o próximo. Se cada um criasse consciência disso, não passaríamos por problemas”, pondera a jovem analista de sistemas, portadora de tipo sanguíneo O Positivo.
Ações estratégicas são implementadas diariamente pela Gecad. É nesse contexto que se insere a parceria com o Circo Moscow, que realizará nesta quinta-feira, 26, uma campanha de incentivo à doação voluntária de sangue, a partir de 9h, no estacionamento da sede do hemocentro. O circo fará apresentações especiais de palhaços, contorcionistas, laços, chicotes, percha e malabares. E ainda presenteará os voluntários que doarem sangue neste dia com um par de ingressos cortesia para uma sessão em qualquer data e horário. Os doadores que comparecem à Estação de Coleta Hemopa Castanheira também receberão ingresso.
“Queremos que a campanha seja um grande sucesso, repetindo o êxito que tivemos em Fortaleza (CE), quando demos 600 ingressos aos doadores. Essa é uma ação de responsabilidade social que já realizamos em muitos lugares, dentro e fora do Brasil”, diz Edilson Ribeiro, gerente do Circo Moscow.
Quem pode doar sangue: Candidatos com boa saúde, peso acima de 50 kg e na faixa etária de 16 anos completos a 69 anos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três meses. É fundamental estar bem alimentado.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, nº 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa Castanheira fica no térreo do Pórtico Metrópole, na passarela que dá acesso ao Castanheira Shopping Center, no KM 01 da Rodovia BR-316, funcionando das 7h30 às 18h, de segunda a sexta-feira, e das 7h30 às 17h, aos sábados. Mais informações Alô Hemopa: 0800 280 8118

Hemopa capacita profissionais de agências transfusionais do Estado

Profissionais de 12 Agências Transfusionais (ATs) de hospitais públicos de Belém, Ananindeua, Marituba, Breves, Tailândia, Tucuruí, Parauapebas e Redenção participam, até o próximo dia 26, do Workshop Utilização de Ferramentas da Qualidade, promovido pelo Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). A programação, aberta hoje, 24, busca promover a melhoria contínua do trabalho, cooperação e integração entre serviços hemoterápicos, com vistas à maior segurança da atividade tranfusional no Estado. A formação acontece de 8h as 17h, na sede do hemocentro.
Inserida no Programa Nacional de Qualificação da Hemorrede (PNQH), da Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados (CGSH), a atividade coloca o hemocentro paraense mais uma vez como pioneiro, ao trabalhar com profissionais que atuam na ponta. Ana Suely Saraiva, presidente do Hemopa, defende que a capacitação dos profissionais de ATs vem reforçar as ferramentas de gestão pela qualidade que a fundação implementa no exercício do seu papel de gestor da Política Estadual do Sangue. “Os profissionais que atuam em uma AT são elos muito críticos na cadeia doador - paciente. As atividades desempenhadas por eles refletem diretamente na segurança e qualidade do ato transfusional”, informa. 
Servidoras da AT do Hospital Ophir Loyola, a médica hematologista Ana Maria Almeida Souza e a enfermeira Leonice Assunção de Carvalho aprovaram a iniciativa do Hemopa. “Isso nos ajuda a rever nossos procedimentos e nos faz ficar alertas com relação aos padrões dos serviços que oferecemos”, afirma Ana Maria, com 37 anos de trabalho, e para quem uma AT é um dos muitos setores essenciais num hospital. Já Leonice destaca a troca de experiências com outros colegas. “Conhecemos a realidade de cada um e dessa forma podemos contribuir para o trabalho uns dos outros”.
Ligia Garcia, titular do Núcleo da Qualidade (NQ) do Hemopa e uma das facilitadoras do workshop, destaca que a importância da atividade está justamente em treinar e capacitar os servidores das ATs. “O Hemopa, na qualidade de responsável pela Política Estadual do Sangue e pela qualidade do hemocomponente que é distribuído aos pacientes, deve acompanhar a gestão dos procedimentos. Nossa intenção é que essas unidades alcancem o mesmo nível de excelência do Hemopa, que coordena a hemorrede estadual”.
Durante esta terça-feira, médicos, biólogos, enfermeiros, farmacêuticos bioquímicos, biomédicos, técnicos em Hemoterapia, Enfermagem e Patologia conheceram o Programa Nacional de Qualificação da Hemorrede e a missão do Hemopa; o controle de qualidade em imuno-hematologia; a rotina dos exames de bancada; a Portaria n° 2.712 e a Garantia da Qualidade – requisito legal de gestão.

Na quarta-feira e quinta-feira os participantes ainda verão Padronização dos Documentos da Qualidade; Método de Análise e Solução de Problemas – MASP/Gestão de Não Conformidades; Ferramentas da Qualidade; Oficinas para Elaboração dos Planos de Ação e apresentações dos Planos de Ação produzidos pelas equipes formadas.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Hemopa recebe apoio do Projeto Vida por Vidas na doação de sangue

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia de Pará (Hemopa), em parceria com os jovens integrantes do Projeto Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7º Dia, realizará neste sábado (21), campanha de doação de sangue e cadastro de doadores de medula óssea, na sede do hemocentro e na Rodovia Mário Covas, 398 (esquina com a entrada do Jiboia Branca), no Coqueiro, em Ananindeua, de 7h30 às 17h e de 8h às 15h, respectivamente. As ações fazem parte das comemorações pelo Dia Global do Jovem Adventista e têm como meta coletar 170 bolsas de hemocomponentes.
Lilian Bouth, assistente social da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa, explica que a congregação religiosa é uma antiga incentivadora e multiplicadora da doação voluntária de sangue. “É muito bom contar com o duradouro apoio da igreja. Sempre que possível, eles estão presentes nas nossas campanhas estratégicas e nós também nos inserimos no calendário de atividades deles, como agora”, ressalta.
De acordo com Dilma Soares, coordenadora geral do projeto no Pará e Amapá, o Vida por Vidas reúne mais de 7 mil jovens voluntários entre 16 e 35 anos e objetiva conseguir 3 mil doações de sangue em 2015. “Além de envolvermos os jovens membros da igreja, nossa intenção também é levar o tema da doação de sangue e cadastro de medula óssea para toda a comunidade, como vai acontecer no Coqueiro”, afirma a coordenadora, ela própria uma doadora de sangue, medula e órgãos. “É um gesto de fundamental importância. Como cristãos devemos dar esse exemplo de amor ao próximo”.
Paralelo à atividade em Ananindeua, as igrejas adventistas de nove bairros de Belém programaram uma ação global, com ofertas de vários serviços à comunidade, na Praça Batista Campos, como conta Breno Damasceno, coordenador do evento. “400 pessoas irão trabalhar para oferecermos consultas médicas, jurídicas, atendimento psicológico e espiritual, aferição de pressão arterial e glicemia. Também já sensibilizamos mais de 70 voluntários que serão encaminhados ao Hemopa para realizarem a doação de sangue e o cadastro de medula óssea. Esperamos contribuir com a causa”, informa.
Criado em 2005, o projeto Vida por Vidas já foi alvo de premiação, em 2006, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), com a adesão de mais de 300 mil voluntários no planeta.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Para fazer o cadastro de doação de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e apresentar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.

Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280-8118.

Hemopa traz alegria do circo aos doadores

Palhaços do Circo Moscow
A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) em parceria com o Circo Moscow, que está em cartaz em Belém no Parque de Exposições do Entrocamento, promoverão campanha de incentivo a doação de sangue na próxima quinta-feira, 26, de 9h às 18h, no hemocentro coordenador e na estação de coleta Hemopa - Castanheira, localizada no térreo da passarela Pórtico Metrópole, BR 316. O circo presenteará os voluntários que doarem sangue neste dia com um ingresso de cortesia para um sessão em qualquer data e horário. Além disso, apresentações especiais de palhaços, contorcionistas, laços e chicotes, persha e malabares serão feitas para os doadores de sangue.

‘’O Circo Moscow procurar se envolver em causas sociais nas cidades por onde passa. Geralmente promovemos campanhas de incentivo a doação de sangue e auxilio ao atendimento de crianças com câncer’’, conta Jaison Jankee, diretor do circo.

O envolvimento do Circo Moscow com causas sociais nasceu em 1984, após um dos integrantes da equipe circense sofrer um acidente automobilístico enquanto a caravana mudava de cidade. ‘’Nosso companheiro precisou de muitas doações de sangue e nós o salvamos. Nos mobilizamos e fomos ao hemocentro mais próximo. Neste dia percebemos a importância deste ato e abraçamos esta causa. Já fizemos campanha de incentivo a doação de sangue até na Argentina, quando nos apresentamos em Bueno Aires, em 1998’’, conta, Jaison.

Os doadores serão presenteados com ingressos e apresentações
Para Cida Salgado, assistente social da gerência de captação de doadores do Hemopa, a parceria com o Circo Moscow é oportuna porque lembra o dia 27 de março, Dia do Circo, e abastece o banco de sangue do hemocentro em um período em que as doações tendem a diminuir por causa do período chuvoso. ‘’Durante o inverno amazônico as doações de sangue diminuem porque a locomoção ao hemocentro é dificultada, então estímulos como este são sempre bem vindas’’, explica Cida. Durante o inverno amazônico as doações no Hemopa costumam cair, em média, 30%.

Quem pode doar sangue:
Candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.

Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, funciona de segunda-feira à sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280-8118.


quarta-feira, 18 de março de 2015

Hemopa leva o Projeto Doador de Sangue do Futuro à Ananindeua

Responsável pelo encaminhamento de 2700 candidatos à doação voluntária de sangue em 2014, o Programa Doador de Sangue do Futuro da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), será apresentado nesta quinta-feira (19), a 150 gestores de escolas participantes do Programa Saúde na Escola (PSE), da Prefeitura de Ananindeua, às 9h, no auditório da Secretaria da Educação daquele município.
Segundo a titular da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa, Juciara Farias, o hemocentro foi convidado pela prefeitura para agregar as atividades do Doador do Futuro ao PSE. “Estaremos presentes em vários eventos da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria Municipal de Educação ao longo desse ano. Já temos um calendário fechado até o mês de novembro. Essa é uma parceria importante para toda a comunidade de Ananindeua”, comemora a técnica.
O programa é um trabalho educativo desenvolvido Gecad desde 2004 e visa levar à escolas de ensino fundamental e médio, públicas e particulares, informações precisas e corretas sobre o ato de doar sangue, contribuindo para a formação de uma nova cultura em relação à doação voluntária de sangue.
Somente ano passado o programa do Hemopa envolveu 1775 alunos de 60 escolas da Região Metropolitana de Belém (RMB), em 86 atividades, como palestras, campanhas internas e externas, stands em eventos, orientações individuais e hemotur. Docentes, familiares e comunidades do entorno dos centros educacionais, também foram beneficiados com as informações repassadas pelas assistentes sociais da Gecad.
Juciara Farias diz que o Hemopa percorre as escolas levando o tema da doação como assunto a ser inserido no plano pedagógico dos professores. “A programação se dá de maneira contínua. Atendendo as solicitações escolares, propondo a renovação do trabalho e indo à escolas onde ainda não houve atuação do programa”. A assistente social adianta que este ano, em parceria com o Ministério da Saúde, pelo Programa Nacional de Doação Voluntária de Sangue, será lançado um novo material educativo estratégico para o trabalho principalmente com crianças do ensino fundamental.
A escola que tiver interesse em participar do Programa Doador de Sangue do Futuro, pode entrar em contato coma Gecad pelos telefones: (91) 3224-5048/ 32429100 - R-205/243 ou pelo e-mail:  captacao@hemopa.pa.gov.br.
Captação Hospitalar – Também nesta quinta-feira (19), a Fundação Hemopa participa da semana que comemora o aniversário do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), onde técnicas da Gecad estarão com um stand e farão palestras sobre doação voluntária de sangue e cadastro de doadores de medula óssea, para o corpo clínico do hospital e parentes de pacientes. A atividade está inserida no contexto da captação hospitalar, que visa conscientizar sobre a importância da doação nas unidades de saúde.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda-feira à sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.
Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, funciona de segunda-feira à sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280-8118.

terça-feira, 17 de março de 2015

Alunos da UEPA visitam a Fundação Hemopa

Turma do 6° semestre de enfermagem da UEPA
A turma do 6° período do curso de enfermagem da Universidade do Estado Pará (UEPA), composta por 24 alunos, fez uma visita técnica ao Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Pará ( Hemopa), na manha desta terça-feira, 17, para assistir palestras sobre o ciclo do sangue e
captação de doadores, além de participar do ‘’hemotour’’, que é uma apresentação do setores do hemocentro.

Para a professora e enfermeira estomaterapeuta, Regina Ribeiro Cunha, trazer os alunos de cursos da área da saúde ao Hemopa é fundamental para que conheçam o ciclo do sangue e a importância das doações voluntárias. ‘’Trago meus alunos ao Hemopa há mais de 10 anos e acredito que isso faça diferença na carreira deles. As transfusões de sangue estão em grande parte dos procedimentos médicos e entendê-las é importante para que se reconheça sua importância’’, explica a docente.

Monique Cardoso e Regina Cunha
‘’Visitar o Hemopa abre nossa mente para sermos captadores de doadores também, e não só compreender como funciona o ciclo do sangue. Para que alguém receba uma transfusão, alguém precisa doar sangue. Conscientizar as pessoas sobre isso é fundamental’’, afirma a acadêmica de enfermagem Monique July Ribeiro Cardoso, 20. Monique é estagiaria na Unidade Básica Programa Saúde da Familia (PSF) do Parque Verde e conta que alguns usuários do serviço desconhecem informações básicas sobre a doação de sangue e outras questões de saúde. ‘’Agora, além de atendermos a comunidade, podemos esclarecer dúvidas sobre este assunto’’, completa Monique.

Segundo Juciara Farias, titular da gerência de captação de doadores do Hemopa, as visitas técnicas aproximam estudantes, agentes de saúde e potenciais doadores das rotinas do hemocentro, possibilitando que se tornem agentes multiplicadores da doação de sangue. ‘’Formar multiplicadores é possibilitar que eles próprios identifiquem, dentro das áreas onde atuam, possíveis doadores ou até mesmo pessoas que estejam precisando de sangue’’, diz Juciara.

Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.

Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Trav. Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280-8118.


quinta-feira, 12 de março de 2015

Hemopa assume ancoragem do Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) foi reconduzida, na manhã desta terça-feira, 11, à ancoragem do Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização - GesPública, para o quinquênio 2015/2020. A atribuição foi repassada pela  titular da Superintendência de Administração do Ministério da Fazenda no Estado do Pará (Samf/Pa), Iane Maria Hermes Marques, à  presidente do Hemopa, Ana Suely Leite Saraiva. A solenidade de transmissão reuniu autoridades estaduais, representantes de instituições adesas ao programa e servidores no auditório do hemocentro.
O GesPública tem como principais características o fato de ser um programa essencialmente público – orientado ao cidadão e respeitando os princípios constitucionais da impessoalidade, da legalidade, da moralidade, da publicidade e da eficiência –, de ser contemporâneo – alinhado ao estado-da-arte da gestão –, de estar voltado para a disposição de resultados para a sociedade – com impactos na melhoria da qualidade de vida e na geração do bem comum – e de ser federativo – com aplicação a toda a administração pública, em todos os poderes e esferas do governo.
“Passam a ser desafios nossos o compromisso e a responsabilidade de promover continuamente, e cada vez mais, o modelo do GesPública, focando na eficiência, nas boas práticas e transparência na administração pública”, observou Ana Suely, ressaltando que o hemocentro fornecerá todo o apoio institucional e material necessários à instalação e manutenção das ações do programa, especialmente no que diz respeito à mobilização para maior articulação entre os órgãos adesos. “Será um movimento coletivo e sincronizado, visando a promoção da melhoria contínua da gestão pública”.
Para a coordenadora Regional do GesPública, a socióloga Ligia Garcia, que também é titular do Núcleo de Qualidade (NQ) do Hemopa, o hemocentro tem como principais metas disseminar os princípios da nova gestão pública junto às organizações, promover a melhoria sistêmica da gestão e contribuir com a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos. “Ao assumir a ancoragem do GesPública, o Hemopa assume o compromisso pela estrutura e funcionamento do Núcleo e a articulação política no Estado e na região, tornando-se responsável perante o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão pelo bom desempenho das atividades”, ressaltou.
Ligia Garcia destacou, especialmente, o apoio, a colaboração e o empenho do doutor Alfredo Corrêa (in memorian), a quem ela definiu como o grande articulador e entusiasta do GesPública no Pará. Presente ao evento como representante do governador Simão Jatene, o secretário adjunto de Gestão de Políticas de Saúde, doutor José Miguel, parabenizou o Hemopa pela ancoragem do programa nacional e destacou que os usuários dos serviços públicos serão os principais beneficiados.

O GesPública iniciou sua atuação no Pará em 2003, tendo pela primeira vez como organização âncora o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª. Região (2003–2007), seguido pela Fundação Hemopa (2007–2009) e, por último, a Superintendência de Administração do Ministério da Fazenda – SAMF/PA (de 2009 até o momento).