quarta-feira, 27 de julho de 2016

Hemopa aciona doadores e anuncia atendimento com horário excepcional

A campanha de doação de sangue do veraneio, promovida pela Fundação Hemopa desde o dia primeiro deste mês, vem ganhando a adesão da população, porém a média diária de comparecimento do voluntariado neste mês, que é de 175 doadores, ainda está abaixo da meta pretendida para o período, que era de 250 bolsas de sangue coletadas. O deslocamento de pessoas para as praias do estado é um dos fatores que contribuem para essa estatística.
Para atingir a meta de doações, a Gerência de Captação de Doadores do Hemopa intensificou ações em parceria com a sociedade civil. “A responsabilidade pela qualidade do serviço é de todos ”, observa a assistente social Juciara Farias, que coordena a Gecad. “Muitas pessoas estão de férias, mas a necessidade de quem precisa de sangue para sobreviver não cessa”, destaca.
A dona de casa Maria Reis da Cunha, 46, que é paciente do Hemopa, conta que nunca imaginou precisar de doações. “Fui diagnosticada com um mioma e por conta disso perco grande quantidade de sangue. Agora sei bem o que é precisar da solidariedade de todos”, diz.
A diarista Maria Decelia da Luz, 60, já é doadora há oito anos e sente-se privilegiada por ajudar a salvar vidas. Ela começou a doar sangue quando sua filha precisou de transfusão. “As pessoas precisam levar um susto para perceber o quanto é importante a doação de sangue”, conta.
Aos veranistas que pretendem deixar a capital rumo aos balneários, a dica do Hemopa é que deem uma paradinha na Unidade de Coleta Castanheira, situadada no térreo do Pórtico Metrópole, na BR-316, para exercer a solidariedade e doar sangue, como fez o autônomo José Luciano Brito, 30. “Durante as férias o número de acidentes tende a aumentar e a demanda por bolsas de sangue aumenta, daí a necessidade de manter o estoque técnico de sangue para atender a rede hospitalar”, reforça Juciara Farias.
Apesar da necessidade de elevar o número de coletas, a Fundação Hemopa será obrigada a funcionar em horário excepcional neste final de semana para coleta de sangue em virtude da adoção de um padrão internacional de identificação dos componentes sanguíneos, que exige a necessidade de implantação de um novo sistema informatizado, para o registro eletrônico de todas as atividades executadas no ciclo do sangue.
Por conta disso, neste sábado (22) o hemocentro funcionará para coleta de sangue de 7h30 as 12h. No sábado, 23, não haverá atendimento. Já no dia 25, o serviço funcionará de 13h as 18h. Todavia, a mudança no horário para coletas não vai interferir no atendimento transfusional e nem no atendimento aos pacientes.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde, idade entre 16 anos completos e 67 anos e peso acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, o doador deve estar bem alimentado. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas, Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três.
Serviço: O Hemopa espera por você na Travessa Padre Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 as 18h, e aos sábados, de 7h30 as 17h. Maiores informações pelo fone 0800 280 8118, de segunda a sábado, das 8h às 18h.

Hemopa leva Cozinha Brasil aos servidores

Uma iniciativa de um grupo de amigos de trabalho da Fundação Hemopa vem rendendo bons frutos, através do projeto Saúde Mais, que trouxe ao hemocentro, nos dias 12 e 13, a “Cozinha Brasil”, do Sesi em parceria com o Correios, que ofereceu aulas para reaproveitamento de alimentos, reunindo dezenas de servidores do hemocentro na área de estacionamento do prédio.
A idéia teve origem a partir de um grupo de whastapp que sensibilizou alguns colegas de trabalho para melhorar o hábito alimentar, visando incentivar a alimentação saudável e estipularam oito meses para  a obtenção de bons resultados.
Dentro do cronograma de ação proposto pelo grupo, uma vez ao mês, será realizada ação relacionada a melhor qualidade na alimentação, melhor qualidade de vida e neste mês, os servidores contaram com o apoio dos Correios para viabilizar o curso do SESI: Cozinha Brasil.
Durante o breve curso os servidores tiveram oportunidade de aprimorar e melhorar seus conhecimentos, com aulas sobre alimentos e cozimentos. A servidora pública Adriana Pimenta, farmacêutica bioquímica, 45 anos, aprovou a iniciativa. “Achei a  iniciativa maravilhosa, ao trazer este projeto do SESI. É muito importante o reaproveitamento de todos os alimentos. Em tempos de crise, é necessário fazer contenções”.
A outra servidora que se sentiu beneficiada com o curso, foi a agente administrativa Alice Abdon, 25. Segundo ela, fomentar esse tipo de discussão e preocupação pela qualidade de vida do servidor, traz benefícios de ponta a ponta. “Um servidor com saúde é cada vez mais presente no trabalho, tem mais produtividade, onde reflete no atendimento da população”, observou.
O projeto Saúde Mais dará continuidade com o trabalho de conscientização do hábito alimentar mais saudável, estimulando cada vez mais o servidor a participar de cursos, atividades e palestras.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Alunos da UFPA participam da campanha de julho para reforçar estoque de sangue


“É um privilegio poder contribuir de forma tão direta, fazendo a nossa parte, doando sangue”, declarou Márcia Nuzane, estudante do curso de Medicina da Universidade Federal do Pará (UFPA). Ela integrou um grupo de universitários que esteve na sede da Fundação Hemopa, em Belém, na tarde de terça-feira (5), para colaborar com a campanha “Neste verão pegue a onda da solidariedade. Doe sangue e volte sempre”, que começou no dia 1º e se estenderá até 30 de julho. O objetivo é reforçar o estoque de sangue e garantir atendimento transfusional no veraneio.
Nesse período do ano, o hemocentro paraense costuma registrar significativa queda no número de comparecimento de doadores, que pode chegar a 30%, em função das férias escolares, quando parte da população deixa a cidade.
Márcia Nuzane, 25 anos, já é doadora de sangue. Desta vez, ela doou junto com os colegas que visitaram a sede do Hemopa e assistiram a palestras sobre a importância da doação de sangue para salvar vidas, ministrada por técnicas da Gerência de Captação de Doadores (Gecad). Após conhecerem as dependências da instituição, alguns alunos fizeram a doação.
"É um sentimento de felicidade duplicado, não só como cidadã, mas como futura médica, que certamente vou vivenciar essa necessidade durante minha profissão”, disse a universitária.
Ação social - Nesta sexta sexta-feira (8), a sede da Fundação Hemopa receberá outro grupo de doadores, do @Futebol zueiroPA - amigos que fazem parte do perfil do facebook papachibé. Atualmente, eles participam de uma competição de futebol com cinco jogos, e umas das ações sociais é a doação de sangue. O grupo deve fazer entre 15 e 20 doações.
De acordo com a assistente social Lilian Bouth, a campanha do veraneio tem o desafio de manter uma média de 200 coletas/dia. Na próxima segunda-feira (11), a Gecad fará o levantamento de número de comparecimentos e coletas. Este ano, a campanha é destinada ao público jovem (de 16 a 29 anos), que atualmente é responsável por mais de 40% das coletas efetuadas no Pará.
Lilian Bouth enfatizou o fortalecimento da parceria com a rede hospitalar paraense, que hoje é composta por mais de 200 instituições de saúde. Por isso, os acompanhantes de pacientes internados e a comunidade do entorno dos hospitais são incentivados a doar.
Ela ressaltou que a Fundação Hemopa mantém ainda o serviço “Caravana Solidária”, um micro-ônibus oferecido pelo hemocentro para transportar pequenos grupos de doadores voluntários, no máximo 30 pessoas por viagem. Os interessados devem marcar a coleta de sangue na Gecad, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17 h, e aos sábados das 7h30 às 17 h, pelo telefone (91) 3224-5048.
A campanha de julho é realizada em Belém na sede do Hemopa e na Unidade de Coleta Castanheira; nos hemocentros regionais de Castanhal, Marabá e Santarém, e nos hemonúcleos de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema.
Critérios - Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, Bairro Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, KM-01). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800-2808118).

terça-feira, 28 de junho de 2016

Hospital Regional em Paragominas fortalece a campanha Junho Vermelho

O Hospital Regional Público do Leste, em Paragominas, nordeste paraense, aderiu ao movimento nacional “Junho Vermelho”, coordenado no estado pelo Hemopa. Além de adotar a iluminação da fachada na cor da campanha, o HRPL vem desenvolvendo ações educativas junto aos colaboradores, usuários e acompanhantes para elevar o número de doações de sangue hospitalar

Com o tema “HRPL - Unido pela causa da doação de sangue”, a campanha teve início dia 13 e se estenderá até o final deste mês. No entanto, as ações com mini palestras e distribuição de material educativo, com a montagem de painel na área da recepção mostrando a importância da participação de todos no processo da doação voluntária de sangue, terão continuidade.

A campanha está sendo coordenada pelo Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), que aproveita datas comemorativas e outras ocasiões para levar a mensagem da doação de sangue aos usuários do Hospital Regional de Paragominas. As abordagens são feitas na recepção e triagem enquanto os pacientes aguardam por consultas e exames. Os colaboradores do HRPL também dão a sua contribuição. “Estamos fazendo a nossa parte para contribuir com a manutenção do estoque de sangue da Fundação Hemopa, que tem a imensa responsabilidade de abastecer todos os hospitais do estado, inclusive o nosso. É uma parceria que não pode parar”, observou o diretor de Enfermagem, Clóvis Guse.


Como em Paragominas não existe posto de coleta de sangue, durante as abordagens os potenciais doadores são orientados a buscarem as unidades mais próximas dos municípios onde residem. Na região do nordeste, por exemplo, a doação pode ser feita nos municípios de Castanhal e Redenção. “Ou ainda, sugerimos àqueles que tem viagens agendadas para Belém que procurem a sede do Hemopa ou na unidade de Coleta do Castanheira.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Grupos se mobilizam e doam sangue no Hemopa neste sábado

                                   
A Fundação Hemopa recebeu neste sábado (25) grupos da sociedade civil que se organizaram em caravanas para doar sangue. Segundo a gerente de Captação de Doadores, Juciara Farias, as parcerias são fundamentais para que se cumpra a missão de atender a rede hospitalar do Estado. Somente em Belém, o hemocentro atende a média de 95 hospitais.
Para a gerente, é necessário tratar do tema de forma permanente, por isso as ações de conscientização em prol da doação de sangue incluem palestras, formação de multiplicadores, campanhas internas e mobilização social, entre outras estratégias fundamentais que contribuem para que um candidato em potencial possa fazer a doação de sangue de maneira consciente e voluntária.
“Essa é a primeira vez que fazemos uma ação conjunta com todos os nove clubes federados, seis masculinos e três femininos. A mobilização foi muito bem acolhida pelos atletas, que vestiram a camisa desta causa e fizeram a doação”, disse o vice-presidente da Federação Paraense de Futebol Americano, Otávio Maués, 32.
Um dos atletas e presidente do time de futebol americano Outland Soldiers, Hélio Silva, 32, é doador há cinco anos. Para ele, o ato contribui com a doação de sangue e a prática da responsabilidade social. “Queremos despertar o interesse para esta causa, cada vez mais, para que as pessoas possam se tornar doadores habituais e salvar vidas”, afirmou.
Doadora de primeira viajem, Hérica do Vale, 31, moradora de Quatro Bocas, em Tomé-Açu, no nordeste paraense, foi com a caravana que saiu da cidade com cerca de 40 voluntários. O grupo, que faz um trabalho de auxílio a pacientes e familiares de pessoas com câncer, organizou a mobilização para garantir a doação de sangue regularmente.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.

A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800-2808118).

Hospital Geral de Tailândia estimula doação de sangue



Engajado no movimento Junho Vermelho, pela doação voluntária de sangue no Pará, o Hospital Geral de Tailândia (HGT), localizado na mesorregião do nordeste paraense, realiza campanha em parceria com a Fundação Hemopa, visando elevar o número de coletas de sangue na hemorrede estadual, além de possuir sua própria Agência Transfusional, o que agiliza o atendimento de seus usuários.
A ação, que começou no dia 14, em comemoração ao Dia Mundial do Doador de Sangue, não tem data para encerrar, tendo em vista a constante demanda transfusional de pacientes internados na rede hospitalar, que é composta por mais de 200 hospitais.
Com uma média mensal de mais de 40 transfusões/mês, o HGT intensifica ações educativas, através do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) do hospital, que é responsável pelas atividades de conscientização de colaboradores, usuários, acompanhantes e visitantes, por meio de palestras diárias, distribuição de material educativo e cartazes, esclarecendo dúvidas e estimulando o ato solidário na unidade de coleta de sangue mais próxima.
De acordo com o diretor Executivo do HGT, no caso de Tailândia, o local mais próximo é o Hemonúcleo de Abaetetuba, que está a cerca de 150 km do hospital. “As pessoas também podem aproveitar uma visita a Belém para doar sangue na sede do hemocentro ou na Unidade de Coleta Castanheira, ambas na capital paraense”, pontuou.
O farmacêutico Rodrigo Sâmeque Silva de Sousa, do HGT, também ministra palestras sobre as ações de conscientização à doação de sangue no hospital. “São muitas as dúvidas dos colaboradores e usuários. A interação é dinâmica e motivadora”, disse sobre a satisfação em colaborar com a promoção da doação de sangue.
O movimento Junho Vermelho é uma campanha nacional, realizada pelo “Movimento Eu Dou Sangue pelo Brasil”, para conscientizar cidadãos sobre a importância da doação de sangue, à qual a Fundação Hemopa aderiu e incentiva a participação de instituições públicas e privadas.
Com 52 leitos, o HGT oferece assistência de média complexidade e dispõe de apoio diagnóstico com radiologia, ultrassonografia, endoscopia, mamografia, eletrocardiografia, laboratório de análises clínicas e Agência Transfusional (AT) dentro do hospital para atendimento ágil da demanda.
Serviço:

O Hospital Geral de Tailândia fica na Avenida Florianópolis, s/n, no Bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752-3121.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Campanha Junho Vermelho reforça estoque de sangue do Hemopa

Um grupo de 30 voluntários do Projovem Urbano, do Ministério da Educação (MEC), esteve nesta quinta-feira (23) no Hemopa para se candidatar à doação voluntária de sangue, dentro da campanha Junho Vermelho. A coordenadora pedagógica do projeto, Francisca da Silva, que doou sangue pela primeira vez na ação, disse que a experiência foi muito proveitosa.

No Pará o projeto do MEC existe desde 2001 e busca elevar a escolaridade de jovens com idade entre 18 e 29 anos, que saibam ler e escrever e não tenham concluído o ensino fundamental, por meio da Educação de Jovens e Adultos integrada à qualificação profissional e ao desenvolvimento de ações comunitárias.

A autônoma Kelgemar Azevedo, 27, moradora de Ananindeua, que está no projeto há um ano, fez nesta quinta a segunda doação. “Na primeira vez eu estava muito ansiosa e com medo, mas agora sei que é um procedimento simples. Estou feliz em ajudar”. O aluno Marcos Cavalcante também fez questão de retornar ao Hemopa. “Fui convidado novamente e vim porque considero importante essa atitude, que deve ser um hábito constante”.
Image description

O assistente social da Gerência de Captação do Hemopa, Ryan Kleber, disse que ações como esta são importante reforço no estoque e se somam a outras parcerias que apoiam a campanha Junho Vermelho, que inclui a iluminação das fachadas de prédios e monumentos públicos na cor vermelha, objetivando elevar o número de doações de sangue.


Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800-2808118).