terça-feira, 25 de novembro de 2014

Hemopa realiza programação especial para comemorar o Dia do Nacional do Doador de Sangue

Nesta terça-feira (25) a Fundação Hemopa promoverá uma programação especial em comemoração ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, das 7h30 às 16h. “Feliz de quem doa. Feliz de quem recebe. Doe sangue” é o tema da campanha, que espera centenas de doadores somente neste dia, para fazer 600 coletas. Para garantir mais conforto e agilidade no atendimento, a direção do hemocentro abrirá mais uma sala de coleta no espaço onde funciona o Ambulatório de Pacientes, com mais 14 cadeiras, duplicando o atendimento com 28 cadeiras. A estratégia de atendimento não vai interferir na assistência aos pacientes, que terão atendimento garantido no prédio Anexo I, das 7h30 às 17h.
A semana comemorativa começou no último dia 22 e terá ações até o dia 29. No primeiro dia houve 254 coletas. As doações efetivadas ao longo dos sete dias da campanha devem suprir o estoque de sangue do hemocentro, para atendimento da demanda transfusional de dezembro, quando normalmente há uma significativa redução no número de comparecimento de doadores em função do período festivo e das férias escolares.
Segundo a assistente social Juciara Farias, gerente de Captação de Doadores, a participação de voluntários no primeiro dia da campanha foi muito boa, mas precisa melhorar no decorrer da semana. “Agradecemos a todos que compareceram ao Hemopa neste final de semana. São voluntários que tiram umas horas de suas vidas para salvar vidas de outras pessoas que, provavelmente, nunca conhecerão. Isso é amor ao próximo. Nesta terça-feira estaremos de braços abertos para parabenizar você, doador de sangue”, disse Juciara Farias.
Doador de sangue há 18 anos, o agente de portaria Pierre da Silva Pinheiro, 41 anos, foi um dos voluntários que compareceram no sábado. Ele contou que pretende trazer a filha ao hemocentro, para que também se torne doadora. ‘’Minha filha vai completar 18 anos em janeiro, e vou trazê-la para salvar vidas comigo. Doar sangue salva vidas, é rápido, simples, não custa nada. Faz bem pro nosso coração ajudar quem precisa’’, afirmou.
Ana Cláudia Martins Serra, 31 anos, doou sangue pela primeira, no dia 22, para sua irmã, que passará por uma cirurgia. “Agora, vou doar sempre e incentivar outras pessoas’’, declarou. A campanha também está sendo realizada nos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá e Santarém, e nos Hemonúcleos de Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção e Capanema.
Demanda - O Hemopa abastece mais de 200 hospitais. Somente na capital são 90 instituições, com uma média diária de 300 solicitações transfusionais. A parceria com a rede hospitalar para sensibilizar parentes e amigos de usuários internados é importante para reforçar o estoque de sangue. Interessados em firmar parceria com o Hemopa, devem entrar em contato com a Gerência de Captação de Doadores (Gecad), por meio dos números 3224-5048/08002808118.
Na manhã desta segunda-feira (24) foi celebrada missa em ação de graças no auditório do Hemopa, pelo pároco da Capela de Lourdes, padre Silvio Marques. “Todos estão de parabéns pela doação que fazem diariamente no intuito de salvar outras vidas. Como a viúva do texto de Matheus, que doou o pouco que tinha em nome da fé e da esperança em Deus. Doar é dar vida por vida”, afirmou o padre.
A dona de casa Maria Leia Silva Santos, 33 anos, residente em Quatipuru, município do nordeste paraense, se emocionou durante a missa. Ela é mãe de Thiago Santos, 15 anos, que faz tratamento no Hemopa desde junho, quando foi diagnosticado com aplasia medular óssea (disfunção da medula óssea). Segundo a mãe, ele usa o Concentrado de Plaquetas tipo O Positivo, semanalmente. “A doação é muito importante para a vida de todos que precisam. Sem sangue, não somos nada”, disse Maria Leia, que pediu doadores para o filho no hospital do Exército.
Na terça-feira (25) a programação festiva começará nesta terça-feira as 12h, com  apresentação do Coral do Hemopa. Na sexta-feira (28) acontecerá o Encontro para Formação de Agentes Multiplicadores da Doação de Sangue, com técnicos dos Programas Saúde Família (PSF) e Agentes Comunitários de Saúde (Pacs). Um culto evangélico encerrará a programação no dia 29 (sábado).
O Hemopa funciona na Travessa Padre Eutíquio, 2109, com acesso pela Avenida Serzedelo Corrêa com Rua dos Caripunas, bairro Batista Campos. Alô Hemopa: 0800-2808118.

Hemopa de Castanhal comemora aniversário e abre semana em homenagem ao doador de sangue

Nesta terça-feira, 25, o Hemocentro Regional de Castanhal (HRC) comemora o seu aniversário de 29 anos, juntamente com o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue. São duas datas de relevância. A primeira pela unidade representar o pioneirismo da regionalização dos serviços de hemoterapia e hematologia no Brasil e, a segunda, por ser um momento de agradecer e parabenizar milhares de voluntários que salvam vidas diariamente. A campanha “Feliz de quem doa. Feliz de quem recebe!" se estenderá até o dia 28, com a meta de 50 doações/dia.
Assim como no Hemocentro Coordenador, em Belém, a ação de Castanhal tem como objetivo homenagear todos os doadores que contribuem para garantir o abastecimento da rede hospitalar de 48 municípios da região nordeste, que corresponde a cerca de três mil leitos. O Hemocentro também é responsável pelo Hemonúcleo de Capanema e mais quatro Agências Transfusionais (AT).
O Hemopa de Castanhal tem uma média mensal de 470 coletas e 380 atendimentos transfusionais. Das doações efetivadas, 72% são do tipo espontâneas. Do universo das doações, 69% são do sexo masculino e o restante de mulheres. Os jovens são responsáveis por 40% das doações.
Há seis anos à frente da unidade, a médica Sandra Lobato compartilha com servidores, doadores, pacientes e a sociedade em geral o aniversário do Hemopa Castanhal, que foi o primeiro hemocentro regional do país. “Tenho muito orgulho de fazer gestão em uma instituição com credibilidade, segurança e qualidade nos seus produtos e serviços”, destacou, revelando que o principal desafio da gestão é manter estoque sempre ideal, garantir sangue de qualidade e a satisfação de funcionários, doadores e usuários, como também o respeito de toda população.
Segundo ela, a programação elaborada foi totalmente pensada para presentear antigos e novos doadores. A campanha terá início às 7h e se estenderá até às 17h, e contará com a realização de mobilização cultural em parceria com a classe artística local com a banda gospel “Puros de Coração”, Ery Holanda, Haroldo Reis, Beto e Leno, Banda Skema Miragem, Davi Gardini. A ação contará, ainda, com a distribuição de preservativos, camisetas, lanche especial. “Tudo isso para vocês, doadores de sangue”, observou Sandra Lobato, que conduz uma equipe composta por 68 funcionários altamente capacitados para atender aos usuários.
Ela aproveitou a oportunidade para agradecer a  população e em especial aos doadores de sangue que sempre atendem aos apelos da captação nas situações mais difíceis, quando cai o comparecimento de doadores. “A doação é um ato simples, mas que salva muitas vidas”.
De acordo com a responsável pelo serviço de Captação de Doadores do Hemopa Castanhal, a assistente social Katilene Abreu, a campanha está contando com a parceria de várias instituições, entre elas a Prefeitura Municipal, Igreja Batista Aliança, Programa Portal Castanhal, Mafrinorte, Tratta Comésticos, Pipocas Panteras, Flamboyant, Medical, Pingo Frio,além da imprensa local.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.

O Hemopa espera por você de 7h às 13h, na Rua Floriano Peixoto, Alameda Rita de Cássia, em frente ao Líder.Mais informações:08002808118.

domingo, 23 de novembro de 2014

Motociclistas abrem a programação comemorativa ao Dia Nacional do Doador de Sangue

A semana comemorativa ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, iniciada na manhã deste sábado (22), na Praça Batista Campos, em Belém, e em frente à sede da Fundação Hemopa, próximo à praça, mobilizou centenas de pessoas, principalmente motociclistas, que participaram do Moto Passeio promovido pelo Pará Moto Clube (PMC). Até às 14h30, as equipes do Hemopa já haviam registrado 265 comparecimentos e a coleta de 223 bolsas de sangue, na sede do hemocentro, que tem a meta de conseguir 300 doações/dia.
O saldo de doações dos sete dias da campanha “Feliz de quem doa. Feliz de quem recebe. Doe sangue” vai suprir o estoque de sangue do Hemopa, garantindo o atendimento à demanda da rede hospitalar do Estado no mês de dezembro, período em que normalmente o número de coletas reduz em até 40%, em toda a hemorrede brasileira, em função das férias escolares e festas de fim de ano.
O secretário de Estado de Saúde Pública, Hélio Franco, agradeceu aos doadores pela solidariedade, que salva muitas vidas. “O doador tem imensa importância dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), e mesmo no setor privado, em especial para os hospitais de Pronto Socorro e Urgência e Emergência. Doar sangue é uma das coisas mais belas do ser humano: tirar parte do seu sangue para salvar outras pessoas. Em cada doação você salva muitas vidas. Então convidamos a população a aderir à campanha do Hemopa”, enfatizou o secretário. Ele reforçou a importância das doações de sangue, sobretudo em determinadas situações no Brasil, onde o índice de violência no trânsito é alto e resulta em números crescentes de pessoas acidentadas. Se não houver sangue suficiente para atender a essas pessoas, provavelmente elas não resistirão aos ferimentos.
Trajeto - Mais de 50 motociclistas do PMC aderiram à “bandeira da doação de sangue com mais prudência no trânsito”. Eles seguiram pela Travessa Padre Eutíquio, Travessa. Benjamin Constant, Avenida Governador José Malcher, Praça da República, Avenida Assis de Vasconcelos, Estação das Docas, Ver-o-Peso, Casa das 11 Janelas, Rua Dr. Assis, Praça do Arsenal, Portal da Amazônia e retornaram pela Rua dos Mundurucus até a Praça Batista Campos, onde aconteceram várias atividades comemorativas.
O médico Francisco Souza, membro do PMC, foi o idealizador do Moto Passeio para incentivar a doação, iniciativa que ganhou imediata adesão dos membros do clube. “Queremos chamar a atenção para a importância da doação voluntária de sangue, sobretudo entre os motociclistas, que acabam sendo os principais usuários dos serviços do Hemopa, devido ao elevado número de acidentes envolvendo esses condutores, o que acaba contribuindo para a elevação da necessidade transfusional na rede hospitalar”, ressaltou o médico, que é doador de sangue junto com a mulher e duas filhas.
O cobrador Francisco Vieira Neto, 31 anos, membro do Moto Clube Medievais da Amazônia (MCMA), é doador de sangue há três anos, e chama atenção para a consciência no trânsito que o motociclista deve ter. ‘’Precisamos ser responsáveis no trânsito porque temos que cuidar da nossa segurança e dos outros. Estamos sujeitos a nos envolver em acidentes, que são responsáveis por boa parte do aumento da demanda de transfusões de sangue. Doar sangue é fundamental para todos, e não só para quem sofre um acidente’’, frisou o motociclista.
Ação na praça - Paralelamente à campanha na sede do Hemopa, foi montado um estande na Praça Batista Campos. No local, técnicos do hemocentro deram informações e material educativo sobre a doação sangue e cadastro de doadores de medula óssea. “Aqui repassamos aos cidadãos todas as orientações necessárias, inclusive com encaminhamento das pessoas ao Hemopa para efetivação da doação de sangue. Entendemos que, de posse da informação, a comunidade exerce o controle social de suas ações e tem a possibilidade de participar ativamente da doação voluntária de sangue”, explicou Juciara Farias, titular da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa.
Integrantes do projeto “Anjos da Enfermagem”, que reúne acadêmicos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e da Escola Superior da Amazônia (Esamaz), e é ligado ao Conselho Nacional de Enfermagem, promoveram na praça uma campanha para doação de alimentos às crianças que fazem quimioterapia. Durante a orientação eles decidiram doar sangue na próxima terça-feira (25), Dia Nacional do Doador de Sangue. “Em nossas visitas aos pequenos paciente nos hospitais vemos a grande necessidade que existe. Então resolvemos participar da Semana do Doador, contribuindo com nossas doações. Incluiremos o tema em nossas próximas visitas”, afirmou a enfermeira Evelaine Pinheiro, coordenadora regional dos “Anjos da Enfermagem”.
Em comemoração ao Dia Nacional do Doador, na segunda-feira (24) às 09h, será celebrada uma missa em ação de graças, no auditório do Hemopa, e no dia 25, a partir das 12h, haverá a homenagem aos doadores, com apresentação do Coral do Hemopa. No dia 28 acontecerá o “Encontro para Formação de Agentes Multiplicadores da Doação de Sangue”, com técnicos dos Programas Saúde Família (PSF) e Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Um culto evangélico encerrará a programação no dia 29.
O Hemopa funciona na Travessa Padre Eutíquio, 2109, com acesso pela Avenida Serzedelo Corrêa com a Rua dos Caripunas, no bairro de Batista Campos. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Começa sábado semana comemorativa pelo Dia do Doador de Sangue

Neste sábado (22), a partir das 9h, a Fundação Hemopa lança a semana comemorativa ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, na Praça da Batista Campos, onde haverá estandes com técnicos para repassar informações, distribuir material educativo e promover atividades lúdicas e recreativas para sensibilizar a população a aderir à campanha, que se estenderá até o dia 29. O ponto alto da programação do sábado será o Moto Passeio, em parceria com Pará Moto Clube, que percorrerá as principais avenidas do centro da cidade. A meta diária da campanha “Feliz de quem doa. Feliz de quem recebe. Doe sangue” será de 300 doações.
Comemorado em toda hemorrede brasileira, o Dia nacional do Doador Voluntário de Sangue, comemorado no próximo dia 25, é um momento de confraternização e agradecimento aos milhares de voluntários que salvam vidas anonimamente. No Brasil, 1,9% da população doa sangue regularmente. No Pará, 2,2% da população são doadores regulares. O índice é bom, mas precisa melhorar e chegar à média de 3% a 5%, como preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Hemopa, em 2013, 93 mil pessoas doaram sangue em todo Estado, o que resultou em 125 mil atendimentos transfusionais.
Este ano, os festejos darão ênfase a duas importantes conquistas da gestão do hemocentro. Uma delas é a Acreditação nacional e internacional concedida pela Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) e pela American Association of Blood Banks (AABB), que elevou o Hemopa ao ranking dos melhores serviços de hemoterapia e hematologia do mundo.
Outra importante iniciativa é a descentralização da coleta de sangue da sede do hemocentro, com a inauguração da Estação de Coleta Hemopa Castanheira, dia 10 de dezembro, em espaço adaptado no Pórtico Metrópole, em parceria com a direção do shopping Castanheira e Prefeitura de Belém. O mais novo serviço terá a capacidade de coletar cerca de 120 doações por dia e atender cerca de 700 mil pessoas da Região Metropolitana de Belém (RMB).
Para a presidente do Hemopa, Luciana Maradei, o ano de 2014 ficará marcado por importantes avanços e vitórias na melhoria dos serviços. “Vamos brindar os nossos doadores e usuários com a certificação da qualidade de nossos processos e a facilidade de acesso para milhares de voluntários com a inauguração da Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, que vai ajudar a suprir o estoque do hemocentro”, destaca ela, que aposta na superação da meta do número de coletas nesses sete dias de campanha.
Iniciativa – Parte dos quase 100 mil doadores anuais do hemocentro, o servidor público Antônio José Baidaes Resque, 30, doou sangue esta semana, espontaneamente. Ele faz parte de um segmento responsável por 72% das coletas efetivadas no Pará. Portador do tipo sanguíneo A positivo, ele salva vidas há um ano. ‘’Sempre tive vontade de doar sangue, e quando tive a oportunidade, aproveitei. É muito simples e ajuda até quatro pessoas. Doo e incentivo meus amigos e familiares a doarem sangue também’’, afirmou.
Da outro lado da ponta dos serviços prestados pelo Hemopa, está a jovem paciente Lorena Conceição da Silva, 17, que é portadora de anemia falciforme (doença hereditária caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue), que precisa receber transfusões sanguíneas, em média, três vezes por mês, do tipo A Positivo. Durante a transfusão, ela estava acompanhada do irmão Vagner Conceição da Silva, 27. Ambos moram no município de Concórdia do Pará. ‘’Minha irmã não estuda porque se sente fraca. Sente dores. A vida dela é normal, na medida do possível. É um pouco limitada. As doações de sangue são muito importantes para ela. Ela não viveria sem os doadores’’, frisa Vagner.
No dia 25, a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, diz que a expectativa é receber cerca de 700 voluntários. Para garantir a eficácia do atendimento, o hemocentro vai dispor de mais uma sala de coleta de sangue, que será montada na área de ambulatório. A capacidade de coleta vai dobrar de 14 para 28 cadeiras, podendo coletar até 700 doações, num único dia.

No dia 24, às 9h, será celebrada missa em ação de graças, no auditório do hemocentro, e no dia 25, a partir do meio-dia, haverá a homenagem aos doadores com apresentação do Coral do Hemopa e parabéns com bolo comemorativo. No dia 28, ocorre o Encontro para Formação de Agentes Multiplicadores da Doação de Sangue, com técnicos dos Programas Saúde Família (PSF) e Agentes Comunitários de Saúde (Pacs). Um culto evangélico encerra a programação, no dia 29. O Hemopa funciona na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, com acesso pela Avenida Serzedelo Corrêa com Rua dos Caripunas, em Batista Campos. Alô Hemopa: 0800-2808118.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Hemopa promove campanha externa de doação com apoio da Polícia Civil

Uma ação de cidadania marcará a última campanha externa de doação voluntária de sangue e cadastro de doadores de medula óssea no mês de novembro, que a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) realizará em parceria com a Polícia Civil nesta quinta-feira (20), das 8 às 15 h, no auditório A, Bloco C, da Delegacia Geral, localizada na Avenida Magalhães Barata. A meta da ação é alcançar a coleta de 100 bolsas de hemocomponentes.
“Vamos trabalhar serviços de cidadania essenciais para a comunidade em um único evento, com a coleta de sangue e emissão do Registro Geral (RG)”, informa a assistente social Nilvete Smith, da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa. Quem for tirar o RG será encaminhado à doação de sangue. “Fizemos uma sensibilização prévia, com servidores e instituições próximas à Delegacia. O RG é o documento mais importante quando se pensa em ser um doador”, frisou social Nilvete Smith.
Luiz Júnior, assessor de Relações Interinstitucionais da Polícia Civil, disse que a ideia da parceria surgiu após um pedido do hemocentro para que a Polícia Civil participasse da programação da Semana do Doador, que será realizada de 22 a 29 de novembro. “Aceitamos na hora e propusemos que uma campanha externa também fosse realizada no prédio da Delegacia com nossos servidores, dos quais muitos são doadores de sangue. Esse é um benefício para todos”, disse ele.
A jovem Luana Santos da Silva, 19 anos, fez sua primeira doação para ajudar a mãe de uma amiga, com diagnóstico de leucemia. Ela conta que tinha um pouco de medo da agulha, mas que a experiência foi tranquila e rápida. “A importância da doação está principalmente em ajudar, não só quem precisa, mas todos. Precisamos ter a real consciência de quem necessita e se pudermos ser úteis, nos sentir privilegiados”, declara a estudante do curso técnico em Enfermagem, garantindo que vai se tornar uma doadora de repetição.
Desde o dia 1° de novembro as campanhas externas passaram pelo Centro Educacional de Icoaraci, Avenida Presidente Vargas (em frente ao Banco do Brasil), sede da concessionária de energia Celpa, Escola Madre Celeste e Escola Jaderlândia, facilitando o acesso dos doadores ao serviço oferecido pelo Hemopa, que até o último dia 13 registrou 598 comparecimentos, com 431 coletas.
O calendário de campanhas externas prossegue no mês de dezembro, a partir do dia 06, na Escola Ana Telles, localizada na Avenida Nações Unidas, em Benevides, das 8h às 15h; nos dias 11 e 12, na Escola Tereza D’Ávila, na Rua Decouville, 951, em Marituba, das 8h às 15h, e nos dias 19 e 20, na Escola Ruth dos Santos Almeida, no Conjunto Maguari, Avenida Principal, Alameda 16, das 8h às 15h.
Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Menores de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.
Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.

Serviço: O Hemopa está situado na Travessa Padre Eutíquio, 2109, bairro Batista Campos. Funciona para coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. E.mail: captacao@hemopa.pa.gov.br. Alô Hemopa: 0800 280 8118. O calendário das próximas campanhas está disponível no site www.hemopa.pa.gov.br.

Gincana solidária do Hemopa arrecada alimentos e brinquedos

A Gerência de Serviço Social de Pacientes da Fundação Hemopa promove a VII Gincana da Solidariedade, para arrecadação de brinquedos novos e alimentos não perecíveis, que serão doados durante festa de confraternização para centenas de pacientes carentes atendidos pelo hemocentro. A meta é arrecadar 800 brinquedos e produtos para compor 250 cestas básicas.
Os interessados em participar da campanha podem deixar as contribuições até o dia 19 de dezembro, na sala da gerência, no andar térreo do Hemopa, de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h. A mobilização envolverá funcionários das áreas técnica, responsável pela doação de alimentos não perecíveis, e administrativa, que vão coletar brinquedos.
Segundo a responsável pela Gerência de Serviço Social de Pacientes do Hemopa, Cristina Santos, as doações devem crescer. “Estamos aguardando maior interação dos servidores. Mesmo assim, a área técnica está bastante otimista para o resultado final da campanha, que ao longo desses anos sempre atendeu as expectativas”, comenta, ressaltando que participam da confraternização crianças atendidas e as famílias, que também são contempladas com cestas básicas.
As equipes vitoriosas da última gincana foram da Gerência de Produção e da Ouvidoria. Segundo Cristina Santos, quando a meta é superada, algumas cestas são montadas e distribuídas para pacientes que não receberam primeiramente na festa de Natal. “A mesma estratégia é com os brinquedos, inclusive renovamos o acervo da Brinquedoteca do hemocentro’’, explica, lembrando que, em 2012, a campanha armazenou brinquedos que foram distribuídos no Dia das Crianças de 2013. Ano passado, com os donativos arrecadados durante a gincana foi possível produzir 128 cestas básicas e distribuir 495 brinquedos.
Serviço: O ambulatório de pacientes fica na sede da Fundação Hemopa, na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa 0800-2808118 e no site www.hemopa.pa.gov.br.


Atenção à primeira infância será discutida no Pará em evento do Unicef

Na semana em que se comemora a criação da Declaração dos Direitos da Criança e os 25 anos da Convenção dos Direitos da Criança, o Pará sediará, nos dias 18, 19 e 20 de novembro, no Hangar Centro de Feiras e Convenções da Amazônia, a II Mostra Internacional do Bebê, promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), paralelamente à III Semana Estadual do Bebê, também realizada no Hangar, com o apoio do Governo do Pará. A capital paraense ainda receberá, como parte da agenda do Unicef, de 17 a 21 deste mês, a III Semana do Bebê de Belém, com programação alusiva à primeira infância realizada em escolas, unidades de Saúde, Centro de Referência da Assistência Social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) da rede municipal.
A ministra interina do Ministério da Saúde, Ana Paula Soter; o representante do Unicef no Brasil, Gary Stahl; a coordenadora nacional do Programa de Sobrevivência e Desenvolvimento Infantil do Unicef, Cristina Albuquerque; o governador Simão Jatene e o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, são algumas das autoridades confirmadas para a abertura oficial da Mostra Internacional. A programação dos três dias, que será realizada das 8h às 18h, já conta com 609 pessoas inscritas, das quais 470 são paraenses. Dezoito Estados serão representados oficialmente e 128 municípios de todo o território nacional também já confirmaram presença, dos quais 61 são do Pará.
Para Fábio Atanásio, coordenador do Escritório do Unicef no Pará, realizar a II Mostra Internacional, a III Semana Estadual e a III Semana do Bebê de Belém na Região Norte demonstra que o Pará assumiu diante do mundo o papel de protagonista no respeito à atenção à primeira infância. “O Estado do Pará entrou na disputa com outros Estados para sediar estes eventos e apresentou a melhor proposta. Isso demonstra um compromisso assumido com assuntos que pautam a primeira infância, e que estão sendo discutidos em todo o planeta. Vejo na parceria entre governo, municípios e demais regiões, uma oportunidade fantástica de apresentar propostas de políticas públicas como um todo, em nível local, nacional e internacional”, garante o coordenador.
O evento, que recebe apoio do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Programa Pro Paz, Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Fundação Santa Casa de Misericórdia, Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves e Instituto de Artes do Pará (IAP) reunirá autoridades, representantes das áreas de saúde, assistência e educação, gestores municipais e técnicos de áreas envolvidas com a promoção, proteção e garantia dos direitos de crianças.
Convenção
A II Mostra Internacional das Semanas dos Bebês lembrará os 25 anos da Convenção dos Direitos da Criança, e durante a solenidade de abertura o Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE), Prefeitura Municipal de Belém, Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região e o Governo do Estado do Pará assinarão termos de compromisso com a primeira infância, a exemplo do projeto “Cartão Vermelho contra o Trabalho Infantil”, articulado entre Governo do Pará e TRT.
Uma vasta agenda integra a programação da Mostra, com debates, palestras, oficinas e exibição de filmes. O renascimento e humanização do parto, suplementação alimentar, baú de leitura, a importância da estimulação na 1ª infância, a música e a criança, o plano municipal da primeira infância, brinquedos e brincadeiras na creche e na pré-escola, teatro para bebês, a experiência do Banco de Leite do Pará, a importância da assistência social, educação, saúde e a primeira infância serão assuntos abordados no encontro.
Outro destaque da programação será a apresentação das experiências de 12 municípios brasileiros que já realizam a Semana do Bebê, e das experiências internacionais de países como Portugal e Argentina. Estas experiências foram selecionadas, entre centenas, como referências de sucesso. Além destas, e por serem diferenciadas, também serão apresentadas as experiências da Semana do Bebê Indígena Ticuna e da Semana do Bebê da Fasepa (Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará), uma experiência com jovens em privação de liberdade, e da Semana do Bebê de Sobral (CE).
Dados do Unicef apontam que, desde 2010, ano de sua criação, pouco mais de 1,8 milhão de crianças de 0 a 4 anos já foram beneficiadas com as atividades desenvolvidas a partir das semanas. Contudo, o Fundo afirma que o total de crianças beneficiadas é maior, pois considera que a primeira infância inclui crianças de 0 a 6 anos.
Até hoje, o Brasil já realizou 554 Semanas do Bebê nos Estados do Pará (21) Alagoas (14), Amapá (4), Amazonas (2), Bahia (18), Ceará (138), Espírito Santo (18), Goiás (2), Maranhão (42), Mato Grosso (11), Minas Gerais (4), Paraíba (21), Paraná (1) Pernambuco (47), Piauí (66), Rio de Janeiro (3), Rio Grande do Norte (107), Rio Grande do Sul (13), Rondônia (2), São Paulo (8) e Tocantins (12). Cerca de 41 novas edições estão previstas ainda para este ano, em diferentes municípios da Federação.
A Semana do Bebê é uma estratégia de mobilização social apoiada pelo Unicef, e tem como objetivo tornar o direito à sobrevivência e ao desenvolvimento de crianças de 0 a 6 anos, prioridade na agenda dos municípios brasileiros. A ideia é incentivar os municípios a realizarem, durante uma semana, uma grande mobilização em favor da primeira infância. Cada um deles definirá a data e as atividades a serem realizadas, como oficinas, cursos, palestras e atividades artísticas e culturais.
O Comitê dos Direitos da Criança, em seu Comentário Geral nº 7, que define as diretrizes de atenção infantil, defende que os seis primeiros anos de vida - com recomendação para que os países estendam até os oito anos -, são fundamentais para o desenvolvimento integral de meninas e meninos. Nesta fase da vida, a criança desenvolve grande parte do potencial cognitivo que terá quando adulto. Por isso, representa uma janela de oportunidades. A atenção integral nessa faixa etária tem impacto decisivo nos processos de aprendizagem e de construção de relações sociais, fatores que influenciarão a vida afetiva, profissional e social.
Essa é uma iniciativa realizada anualmente há 14 anos no município de Canela (RS) e, em 2010, com o apoio do Unicef, a experiência foi sistematizada e apresentada na publicação “Como realizar a Semana do Bebê em seu município”.  A partir dessa metodologia, a Semana do Bebê também passou a ser divulgada para outras regiões do País.
Ações do Pará ganham destaque
O Governo do Pará tem atuado de maneira direta no atendimento às necessidades da primeira infância, por meio das secretarias que apoiam a II Mostra Internacional do Bebê, a III Semana Estadual do Bebê e a III Semana Municipal do Bebê, com ações que vão desde o enfrentamento ao acolhimento de crianças. Entre as ações principais destacam-se a assistência hematológica, o apoio a transplantes e o Banco de Sangue Umbilical, da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), e as atividades de enfrentamento à violência sexual desenvolvidas pelo Pro Paz Integrado (PPI), que desde 2004 oferece acolhimento médico, psicossocial, pericial e de defesa social às pessoas vitimizadas, de forma integrada com a Polícia Civil.
Entre os projetos também se destacam o Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD), o Ambulatório Fora de Especialidade Terapêutica Oncológico (Afeto) e o Hospital Dia do Hospital Ophir Loyola; o calendário de vacinas; a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil; a Triagem Neonatal (teste do pezinho); a Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância Neonatal (AIDPI) e a Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), desenvolvidos pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).
A Secretaria de Estado de Direitos Humanos (Sejudh), em parceria com cartórios paraenses, tem garantido a redução no déficit de documentos de registro civil de nascimento. A Sejudh criou unidades interligadas com os cartórios, em formato de polos, para garantir que as crianças já saiam dos estabelecimentos de saúde com a Certidão de Nascimento. Outra medida que tem alcançado bons resultados é o Espaço de Acolhimento Provisório Infantil (Eapi), criado pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), que recebe crianças de 0 a 6 anos em situação de risco pessoal e social, ou que tiveram seus direitos violados e necessitaram de afastamento de suas famílias, de forma provisória ou definitiva.
Projetos como a Unidade Materno-infantil (UMI), desenvolvido pela Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), a primeira do norte do País destinada ao acolhimento de detentas grávidas, terá destaque, como experiência de sucesso durante a mostra. A UMI realiza atendimento pré-natal e garante o período de aleitamento materno aos bebês. O espaço dispõe de 14 leitos, e resulta de um convênio firmado com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). A Unidade faz parte do Programa de Políticas Públicas às Mulheres Encarceradas, do Governo do Estado. O atendimento às internas e aos bebês é garantido nas 24 horas, e conta com ambulância para emergências.
Para Keli Havila, custodiada na UMI, mãe de um menino de um mês de vida, seria muito triste engravidar, carregar uma criança por nove meses e depois se separar dela. Keli diz estar feliz por contar com o projeto da Susipe. “Está sendo maravilhoso, pois antes do projeto não tínhamos a oportunidade de ficar com os nossos filhos, e agora podemos amamentar e ver o crescimento deles. Isso é muito importante para cada uma de nós, que estamos reclusas, mas somos mães. Além do mais, hoje em dia eu tenho mais responsabilidade, já que tenho um filho ao meu lado”, ressalta.
Recentemente, como parte da II Mostra Internacional das Semanas do Bebê, 10 internas - oito mães com bebês e duas grávidas custodiadas na UMI – receberam a visita do oficial de projetos do Unicef no Pará, Antônio Carlos Cabral. Segundo ele, de todas as visitas técnicas feitas em presídios pelo Brasil, o projeto passou a ser considerado pelo Unicef uma referência de experiência inovadora. “O Pará é um dos poucos Estados que têm um espaço adequado para essas mulheres e seus filhos, e isso precisa ser mostrado ao País e ao mundo. Mesmo encarceradas, estas mães estão com seus filhos de até um ano, num momento fundamental para a criança, que precisa de carinho, cuidado e acolhimento nessa primeira fase da vida”, reiterou Cabral.
Acolhimento ao recém-nascido
A Santa Casa do Pará oferece assistência à primeira infância por meio do Método Canguru, certificado pelo Ministério da Saúde como referência estadual. Direcionado ao atendimento ao recém-nascido de baixo peso, o programa funciona em três etapas: pré-natal, internação do recém-nascido na Unidade de Tratamento Intensivo - UTI neonatal e Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), e o acompanhamento da criança e da família no ambulatório, até o bebê atingir o peso mínimo de 2,5 kg, mantendo-se a abordagem biopsicossocial.
Para Francisca Tatiana Silva, 32 anos, que já participou do Método Canguru, o nome do programa diz tudo: Santa Casa. “Aqui, o atendimento é ótimo. Tudo com atenção e rapidez. Meu bebê nasceu prematuro, de baixo peso, e os profissionais daqui me deram a assistência necessária para que ele conseguisse superar este momento da vida", relata. 
Para Jacione Silva, 34 anos, que também recebeu acolhimento por meio do método, todo o processo da Santa Casa trabalha o amor como um elo que interliga as famílias e os recém-nascidos. "Essa experiência tem me permitido passar mais amor praela, porque estou sempre junto, observando todos os detalhes. Já consigo perceber ela evoluindo melhor, embora ainda tenha dificuldade em pegar a mama", explica.
Além do Método Canguru, a Fundação Santa Casa, que desde setembro de 2013 ganhou reforço de nova estrutura do Governo do Pará, por meio da Unidade Materno-infantil Dr. Almir Gabriel, também oferece maternidade e acolhimento obstétrico, Banco de Leite Humano, Ambulatório Prematuro, Ambulatório de Pediatria, Programa de Assistência Integral às Vítimas de Escalpelamento (Paives) e o Centro de Terapia Renal Substitutiva Pediátrico. Fernanda Lobato, terapeuta ocupacional da Santa Casa, conta que o foco principal é o paciente, mas acaba se estendendo para os acompanhantes e familiares. “O tratamento lúdico colhe resultados significativos. A elevação da autoestima do paciente e, consequentemente, da família, contribuem para resultados mais expressivos", garante ela.

Serviço:
Abertura oficial da Semana do Bebê, nesta terça-feira, 18, às 9h, no Hangar.

Nil Muniz
Pro Paz