quinta-feira, 28 de maio de 2009

Alô, Hemopa


A Fundação Hemopa já possui o seu 08002808118 para repasse de informações, enviar sugestões, fazer elogios ou críticas. O serviço está aberto a todos os usuários da instituição: funcionários, doadores, pacientes, fornecedores, entre outros, inclusive do interior do Estado. Ao acessar o serviço a tecla 1 para Ouvidoria. Na tecla 2 trata de informações sobre doação de sangue, cadastro de medula óssea e atendimento médico. A tecla 3 para outras informações.
O serviço é grátis e tem o objetivo de melhorar cada vez mais a qualidade do atendimento. Outras formas de acessar o serviço: Email: ouvidoria@hemopa.pa.gov.br. Site do Hemopa: hemopa@hemopa.pa.gov.br. Por carta ou presencial: Trav. Pe. Eutíquio, 2109-Batista Campos. CEP:66033-000. Ou ainda: (91) 32429100- R/218. Funcionamento do serviço: de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Novartis cumpre mais uma etapa de treinamento

Nesta quinta-feira, 28, às 17h, acontecerá mais uma etapa do Curso de Formação de Pesquisadores Clínicos, no auditório da Fundação Hemopa. O evento que está sendo promovido pela NOVARTIS em parceria com o hemocentro, tem o objetivo de prover ao centro de pesquisa completo treinamento sobre todos os processos que envolvam o desenvolvimento de estudo clinico no Brasil.

Estarão presentes representantes da empresa responsável pelo treinamento e de demais profissionais dos hospitais Ofir Loiola, Santa Casa, Gaspar Viana; do Laboratório Central (Lacen) e demais laboratórios.

Seja candidato à doação de medula óssea

Para ser candidato à doação de medula óssea e ajudar a aumentar as chances de quem precisa encontrar um doador compatível, basta ter vontade, idade entre 18 e 55 anos, estar bem de saúde e se dirigir ao Hemopa, no prédio em anexo, na Serzedelo Corrêa, de segunda a sexta-feira, de 8h às 13h. O candidato tira suas dúvidas sobre procedimento, faz o cadastro, coleta uma pequena quantidade de sangue (5ml), que será tipado por exame de histocompatibilidade (HLA), cujos resultados são enviados para o Redome, que fica no Instituto Nacional do Câncer (Inca), no Rio de Janeiro.
Maiores informações pelo fone: 32429100- R/325.

PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE TRANSPLANTE

O que é medula óssea?
É um tecido líquido que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecida popularmente por 'tutano'. Na medula óssea são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. Pelas hemácias, o oxigênio é transportado dos pulmões para as células de todo o nosso organismo e o gás carbônico é levado destas para os pulmões, a fim de ser expirado. Os leucócitos são os agentes mais importantes do sistema de defesa do nosso organismo, inclusive nos defende das infecções. As plaquetas compõem o sistema de coagulação do sangue.

Qual a diferença entre medula óssea e medula espinhal?
Enquanto a medula óssea, como descrito anteriormente, é um tecido líquido que ocupa a cavidade dos ossos, a medula espinhal é formada de tecido nervoso que ocupa o espaço dentro da coluna vertebral e tem como função transmitir os impulsos nervosos, a partir do cérebro, para todo o corpo.

Como é o transplante para o doador?
Antes da doação, o doador faz um exame clínico para confirmar o seu bom estado de saúde. A doação é feita em aproximadamente 90 minutos, em que são realizadas múltiplas punções, com agulhas, nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula. Retira-se um volume de medula do doador de, no máximo, 10%. Esta retirada não causa qualquer comprometimento à saúde. A medula também pode ser colhida pelo braço (sangue periférico) do doador através do procedimento de aférese que separa apenas as células necessárias ao transplante. Esse segundo está sendo mais comum.

Como é o transplante para o paciente?
Depois de se submeter a um tratamento que destrói a própria medula, o paciente recebe a medula sadia como se fosse uma transfusão de sangue. Para recuperação da medula, o paciente continua a receber tratamento, só que em regime ambulatorial.

Mais informações: site do INCA: www.inca.gov.br

terça-feira, 26 de maio de 2009

Hemopa combate tabagismo

A Fundação Hemopa antecipou comemorações alusiva ao Dia Mundial Sem Tabaco, que é comemorado dia 31/05. A ação obteve parceria com a Sespa, na manhã desta terça-feira, 26, de 08h às 13h, com distribuição de material educativo e encaminhamentos para as unidades de referência.
A atividade faz do Projeto Sala de Espera, da Coordenadoria de Atendimento Ambulatorial do Hemocentro, através do Serviço Social de Pacientes. A ação foi promovida para funcionários, pacientes, familiares e ususários.

Hemopa prepara campanha junina


A Fundação Hemopa desenvolverá nova e importante ação estratrégica no período de 15 a 20 de junho, com a campanha de incentivo à doação de sangue referente a quadra junina. "Pular fogueira, pode. Soltar balões, não pode. Doar sangue, deve". É tema da mobilização que visa o reforço de estoque técnico de sangue do hemocentro, que tem a responsabilidade de abastecer a rede hospitar pública e privada, que somente na capital, corresponde a cerca de 85 casas de saúde. A ação será realizada também nos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá e Santarém; e nos Núcleos de Hemoterapia de Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção e Capanema, cujas datas estão sendo definidas, tendo em vista que cada unidade tem suas peculiaridades. Mas todas acontecerão no mês de junho.
A Fundação Hemopa espera por você na Trav. Padre Eutíquio, 2109. Mais informações : 32429100.
Horário de funcionamento para coleta de sangue: De segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h. Aos sábados de 7h30 às 12h30.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Redome nas lojas Marisa

A Fundação Hemopa firmou mais uma importante parceria para desenvolvimento de campanha externa para cadastramento de doadores de medula óssea, que foi realizada nesta terça-feira, 26, nas Lojas Marisa, sendo que de 8h às 10h, na Avenida João Alfredo, e de 10h às 12h, na loja da Avenida Portugal, que resultou em 60 novos cadastrados, superando a meta de 50. Após passar por exames de histocompabilidade, as informações das amostraas do sangue coletado, serão enviadas ao Registro Nacional de Doadores (Redome), que fica no Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Rio de Janeiro, onde pacientes consultam em busca de doador compatível.De 2002 até 2009, o Hemopa já enviou 31.229 cadastros ao Redome. O Hemopa agradece!

Quem estiver interessado em ajudar ou desenvolver campanha externa em sua empresa ou instituição, basta comparecer no prédio em anexo do Hemopa, na Travessa Padre Eutíquio, 2109, entrada pela Serzedelo Corrêa, de segunda a sexta-feira, de 8h às 13h.

Para ser um candidato à doação de medula óssea basta ter vontade, idade entre 18 e 55 e estar bem de saúde.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Atualização cadastral de doadores

A Fundação Hemopa convoca antigos e novos doadores de sangue do tipo negativo para atualização de dados e revitalização do Clube de Doadores Raros, respectivamente. O clube tem o objetivo de dar suporte ao atendimento transfusional do órgão.

Atualmente são 2.500 associados. Mas, a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, ressalta a necessidade de elevar o número de inscritos em, pelo menos, 50%, tendo em vista que muitos deles estão com dados cadastrais desatualizados o que dificulta o acionamento, normalmente feito por telefone. “Estamos com duas necessidades básicas para melhorar ainda mais o serviço: conquistar novos doadores e atualização as informações pessoais dos associados”

O sangue é classificado em grupos sanguineos pela presença ou ausência de um antígeno na superfície da hemácia. Os grupos mais importantes são o ABO e Rh (+ ou -). A incidência destes grupos varia de acordo com a raça, pois trata-se de um fator hereditário. No Pará, percentualmente, sua ocorrência na população é de aproximadamente:

Tipo de Sangue

%

O + (POSITIVO)

- 55%

O- (NEGATIVO)

- 4%

B+ (POSITIVO)

– 8%

B- (NEGATIVO)

1%

A+ (POSITIVO )

27%

A- (NEGATIVO)

2,5%

AB+ (POSITIVO)

2%

AB- (NEGATIVO)

0,5%

Atualização dados cadastrais de doadores de sangue

A Fundação Hemopa solicita aos doadores de sangue que compareçam no hemocentro para atualização de seus dados cadastrais, visando maior efetividade no acionamento dos mesmos, garantindo assim mais segurança e agilidade no atendimento transfusional, tendo em vista que mais de 50% dos doadores acionados, por telefone, não atendem a chamada por erro no número ou mudança de endereço. Para atualizar o seu cadastro, comparecer ao Hemopa de segunda à sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados, de 7h30 às 12h30, ou ligar para o número 08002808118.

Mudança no horário de coleta de sangue

A Fundação Hemopa informa que desde o dia 16/05, o funcionamento para coleta de sangue, aos sábados passou de 7h30 às 18h, para 7h30 às 12h30. A mudança atenderá maior qualidade no atendimento.
Ressaltamos que de segunda a sexta-feira o serviço continuará funcionando normalmente, de 7h30 às 18h.

Os perigos da sobrecarga de ferro


Nesta sexta-feira, 22, de 9h às 11h, a Fundação Hemopa estará promovendo programação alusiva ao Dia Mundial das Hemoglobinopatias, que são doenças genéticas decorrentes de anormalidades na estrutura ou na produção da hemoglobina, presente nos glóbulos vermelhos e responsável pelo transporte do oxigênio para os tecidos. A direção do hemocentro aproveitará a oportunidade para informar aos seus usuários sobre a sobrecarga de ferro e suas conseqüências em pacientes com doença falciforme, talassemia e outras anemias graves, que precisam constantemente submeter-se a transfusões de sangue, o que acarreta no acúmulo de ferro em órgãos vitais, como coração, rins e fígado. O Dia das Hemoglobinopatias é comemorado mundialmente no dia 08 de maio. No entanto, cada hemocentro promove suas ações de acordo com sua realidade. No Hemopa, o evento será realizado na sala de transfusão pediátrica e contará com a presença do personagem “Binder” (representado por um leãozinho que é um quelante imaginário que protege as crianças da sobrecarga de ferro, caçando e removendo a substância do organismo), além de distribuição de vasto material educativo.
Atualmente, dos 11.641 pacientes ativos atendidos pelo hemocentro, 458 são portadores de anemia falciforme e 104 de talassemia. Eles dispõem de tratamento especializado com equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, odontólogos, pedagogos, assistentes sócias, fisiatras e fisioterapeutas. A Fundação ainda dispõe de associação de técnicas de acupuntura e de mulligan ao tratamento convencional das doenças, o que vem surtindo excelente resultado.
O menino Pedro Paulo Lima Mendonça, 6 anos, portador de anemia falciforme, é paciente do Hemopa desde os seis meses de idade, e já sabe a importância do tratamento especializado. No ambulatório nesta manhã, 21, ele estava acompanhado de sua avó, Maria Deoneia Carvalho, 60 anos, que agradece a atenção recebida pelo neto. “Aqui todos os pacientes têm excelente tratamento. Não sei o que seria do meu neto sem o Hemopa. Aqui ele tem médicos, as transfusões e alguns medicamentos” afirmou, revelando que Pedro Paulo vem ao hemocentro a cada 3 meses para fazer transfusão.
Segundo a coordenadora de Atendimento Ambulatorial Dra. Iê Bentes, o impacto do ferro em excesso no organismo provoca doenças graves. “Mesmo com esse cenário, a sobrecarga de ferro ainda é um assunto quase desconhecido para grande parte da população brasileira”, comentou a médica, ressaltando que é usada atualmente a medicação deferoxamina para quelação deste excesso de ferro.
Sobre as ações sociais e educativas, voltadas aos pacientes, ela destacou o projeto “Criando e se Recriando”, que promove oficinas com atividades artesanais de pintura, bordado, cerâmica, bijuterias, embalagens de presente, entre outras. Segundo ela, por causa das doenças, muitos pacientes não conseguem concluir o ensino médio ou não ingressam no mercado de trabalho. “É uma forma do hemocentro contribuir para o aumento da renda familiar, além de elevar a autoestima do paciente”, explicou.