quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Campanha com mineradoras prevê mil doações de sangue

Teve início hoje, 30, e se estenderá até esta quinta-feira, a 11ª edição da campanha externa de doação voluntária de sangue da Fundação Hemopa em parceria com as empresas Albras e Alunorte. A meta é de mil coletas de bolsas de sangue de funcionários, familiares e pessoas das comunidades atendidas pelas empresas. Ao longo desses 10 anos, a parceria já resultou em 15.254 doações que correspondem ao atendimento transfusional de aproximadamente 61.016 pacientes adultos.

O saldo da ação estratégica representa significativo reforço para o estoque técnico de sangue, especialmente, no início de outubro, que dará mais tranqüilidade ao atendimento da demanda transfusional na semana que antecede o Círio de Nazaré, quando a cidade recebe milhares de turistas, o que inevitavelmente, aumenta a demanda de solicitações de transfusões na rede hospitalar da capital, que atualmente é composta por quase 90 hospitais.

Todos os anos as mineradoras superam a meta de coletas estabelecida pela organização da grande mobilização solidária que envolve, inclusive, funcionários terceirizados de Barcarena e outros municípios vizinhos.

Para a presidente do hemocentro, a médica Maria de Fátima Pombo Montoril, a realização de mais um ano de parceria com as duas mineradoras refletem a importância do trabalho entre as esferas pública e privada. “Precisamos desse tipo de apoio para melhorar cada vez mais o nosso atendimento”, comentou, adiantando que o Hemopa tem a grande responsabilidade de garantir não o atendimento com qualidade aos pacientes de 218 hospitais públicos e privados do Estado do Pará.

A campanha na Albras e Alunorte faz parte do Programa “Empresa Cidadã” que o hemocentro desenvolve para estimular o ato na área privada. Nas empresas, a realização da ação estratégica está inserida dentro do programa de Responsabilidade Social, que desde 1999, incentiva o exercício da cidadania corporativa.

Número de coletas em 10 anos de parceria:

Ano

Meta

Nº de Coletas

1999

500

778

2000

500

1308

2001

500

690

2002

1.000

1.509

2003

1.200

1.577

2004

1.200

1.647

2005

1.500

1951

2006

1.500

1.878

2007

1.500

1.968

2008

1.500

1.948

TOTAL


15.254

Quem pode doar sangue

Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade . Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado, evitando apenas a ingestão excessiva de gorduras.

O Hemopa funciona para coleta de sangue de segunda-feira a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. O hemocentro fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109. Mais informações: 08002808118 ou 32429100. Visite nosso site:www.hemopa.pa.gov.br

Hemopa parabeniza secretárias

A presidente da Fundação Hemopa, dra. Maria de Fátima Pombo Montoril e demais diretores e gerentes, parabeniza todas as secretárias da hemorrede pelo seu dia que é comemorado hoje, 30.
"Como não admirar e agradecer a essa profissional educada, simpática ainda consegue ser um exemplo de competência e eficiência?Nossos parabéns para cada uma de vocês que fazem parte de nossa instituição. Obrigada por sua colaboração e dedicação", ressaltou a médica.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário

A Assessoria Técnica e de Planejamento (ASTEP) da Fundação Hemopa, informa que em continuidade as visitas de acompanhamento das obras do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP), a equipe da Fundação do Câncer e da Ferraz Engenharia, estarão no hemocentro nos dias 30 /09 e 01/10. No primeiro dia, a visita será de acompanhamento das obras do BSCUP, e acontecerá de 14 às 18h. Já a visita do dia primeiro, será a “Reunião Ampliada com a Alta Administração”, que ocorrerá de 9 às 10h15, na sala do gabinete da Fundação. Além da reunião, no dia 1º de outubro acontecerá também, no auditório do hemocentro de 10h30 às 12h, o engenheiro Marzon Rebuzzi, que é gestor de projetos da Fundação do Câncer, apresentará o “O do Panorama Atual do Projeto de Ampliação de Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário e Armazenamento de Células Tronco – Rede Brasilcord”.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Tutorial Anemias and Policythemia

Acontecerá no período de 1 a 3 de outubro, no Hotel Crowne Plaza o “Tutorial Anemias and Policythemia”, que debaterá os seguintes temas: fundamentos diagnóstico das anemias;diagnóstico e tratamento das anemias imuno-hemolíticas; transplante de células hematopoéticas para tratamento das anemias; tratamento transfusional das anemias; sobrecarga e quelação de ferro ; complicações pulmonares e neurológicas das doenças falciformes; diagnósticos e tratamento dos defeitos de membrana eritrocitária; anemias por distúrbios do metabolismo do ferro; fundamentos do diagnóstico das poliglobulias.

Palestras sobre doação de sangue

A Fundação Hemopa, através da Gerência de Captação de Doadores (GECAD), realizará palestra sobre estímulo à doação de sangue, no dia 03 de outubro, às 8h30, na Escola Estadual José Bonifácil. A atividde tem o objetivo de formar agentes multiplicadores, no horário de 8h e 30 min.

Campeonato da Fundação

O “3º Campeonato Interno de Futsal” da Fundação Hemopa começará no dia 02 de outubro, e acontecerá na “Arena Bategol”. No dia ocorrerão duas disputas, a primeira será entre o setor Administrativo X GETRA ás 19h; a segunda disputa será ás 19:30, entre as equipes dos terceirizados e a segurança.

Sucesso na implantação do SISPAT no Hemopa

A Fundação Hemopa concluiu a migração do sistema de controle patrimonial próprio, para o sistema corporativo do Estado (SISPAT) com sucesso, proporcionando uma maior integração com os órgãos da hemorrede e demais órgãos do governo do Estado. O trabalho desenvolvido no Hemopa pelos servidores José Ubirajara, Marcelo Maia e Pedro Paulo da equipe de Patrimônio será a base do “Inventário Patrimonial 2009” a ser realizado a partir de Outubro.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Futuros enfermeiros participam de palestra

O professor Dja Santos, que profere a disciplina fisiologia e embriologia humana, na Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ), trouxe ao Centro de Hemoterapia e Hematologia do Estado do Pará - Fundação Hemopa, seus alunos do 2º semestre do curso de enfermagem, para participarem de aulas prática e teórica sobre o ciclo do sangue e sua importância. Fazendo parte da programação da visita administrada pela equipe da Gerência de Captação de Doadores do Hemopa, os alunos participaram de palestras sobre a doação voluntária de sangue e cadastramento de medula óssea, realizaram o hemotur, onde puderam conhecer as instalações do hemocentro, também, conheceram o ciclo que o sangue percorre desde da doação voluntária até a transfusão. Além disso, os alunos que apresentavam todos os requisitos para doação de sangue, realizaram este ato solidário e foram além, cadastraram-se no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME). Esta visita ao hemocentro ocorre a um ano, e acarreta a presença de em torno de 50 alunos por semestre. Segundo o professor Dja, esta atividade já faz parte de seu calendário, pois desde que começou a realizá-la ele tornou-se um doador voluntário de sangue. A atividade também faz parte da ação de responsabilidade social que a ESAMAZ procura promover em seus alunos. Para o professor, a sensação de realizar esta atividade e principalmente a doação de sangue, é sensação de dever cumprido com a humanidade, com esse gesto ele afirmar ter certeza que fez algo de bom para alguém. Ele aproveitou a oportunidade e deixou uma mensagem a seus colegas de profissão: “- Faça um gesto de amor, doe vida, que os profissionais da área de saúde e não só desta área, mas de todas, sejam mais sensíveis para com o sofrimento do próximo”.
Uma das futuras enfermeiras, a estudante de 22 anos, Mariana Silveira, foi uma dos alunos que doaram sangue e se cadastram no REDOME, para ela que doou pela primeira vez, a sensação foi de estar salvando uma vida, a estudante afirma que esta visita ao hemocentro serviu principalmente para conscientizar a todos sobre a importância destes atos solidários que são a doação de sangue e o cadastramento de medula óssea, ela também aproveitou a oportunidade para deixar uma mensagem a todos os que não são doadores de sangue e nem cadastrados no REDOME: “- venha doar, se cadastrar, pois com esses atos, temos certeza de que estamos salvando a vida de outras pessoas, assim como um dia alguém próximo poderá precisar, agora existem outras pessoas precisando de sua ajuda também”.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Seminário ANAMT-Região Norte

A Associação Nacional de Medicina do Trabalho e a Sociedade de Medicina do Trabalho realizarão no período de 24 a 26 de setembro, o “Seminário ANAMT - Região Norte”, com o objetivo de atualizar os conhecimentos técnicos científicos relativos á saúdeb do trabalhador e orientar ações e procedimentos para os médicos em relação aos impactos das mudanças da legislação thabalhsita e previdenciária. O evento ocorrerá no auditório do Conselho Regional de Medicina (CRM).

Palestras sobre doação de sangue

A Gerência de Captação de Doadores (GECAD), através da Fundação Hemopa, realizará palestras sobre doação de sangue no dia 26 na sede da Cruz Vermelha, com o objetivo de formar multiplicadores, no horário de 9 às 12h. No mesmo dia também será realizada palestra em um stand, na Escola Superior Madre Celeste (ESMAC), no horário de 8 às 14h. A palestra sobre doação de sangue na ESMAC fará parte da programação do “Dia da Responsabilidade Social”.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Hemopa debate sobre os avanços do transplante de medula óssea

Nesta quinta e sexta-feira, 17 e 18, o Governo do Estado, através da Fundação Hemopa, realizará o “II Workshop Interdisciplinar de Transplante de Medula Óssea”, no Teatro do Sesi, na Almirante Barroso, 2540. O evento tem o objetivo de formar, divulgar e atualizar a área científica e de educação continuada com abordagens de temas atuais e de relevância para profissionais que atuam com transplantes de medula óssea.

Como uma das maiores referências no norte do Brasil, o hemocentro investe no avanço tecnológico, serviços de diagnósticos e a implantação de procedimentos especiais de suporte aos transplantes e de cadastramento de doadores voluntários no Registro Nacional de Medula Óssea/ REDOME.

O Workshop também despertará interesse para os avanços das discussões, visando a implantação do Centro de Transplante de Medula Óssea (TMO) no Estado, para a implantação e funcionamento do Banco de Sangue de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP), do HEMOPA, que tem financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A ação é integrada a Rede Nacional Pública de Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário – Brasilcord.

O evento contatará com a presença de médicos renomados e responsáveis pelos serviços de TMO do Instituto Nacional do Câncer (CEMO/INCA), da Escola Paulista de Medicina - Hospital São Paulo (UNIFESP); da Secretária de Saúde do Estado (SESPA), do diretor-presidente do Hospital Ophir Loyola (HOL) e Hospital do Câncer de Belém, entre outros.

O Workshop será realizado num momento em há a imperativa necessidade da implantação de um serviço de TMO no Norte do Brasil; dos avanços tecnológicos estabelecidos no Estado do Pará, como a implantação dos laboratórios de HLA, Imunofenotipagem, Citogenética e Biologia Molecular, e do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP); da oferta do serviço de cadastramento de doadores de medula óssea que oferece suporte para a coleta e diagnóstico de pacientes, e captação de doadores de medula; da aprovação do pré-projeto para a Implantação do serviço de TMO do HOL, pelo Conselho Estadual de Saúde (CEP); e das necessidades do Ministério da Saúde (MS) em aumentar o número de leitos para este tipo de transplante no Brasil.

Segundo o coordenador do Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEPES), da Fundação Hemopa, Dr. Lacyr Brito Júnior, mesmo após trinta anos depois do primeiro transplante de medula óssea (TMO) no Brasil, profissionais da área ainda apontam a falta de leitos, e de mais serviço de transplante de medula óssea, principalmente nas regiões norte e nordeste, como os principais problemas encontrado por pacientes que precisam desse tipo de tratamento.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) cerca de mil pacientes em todo o país, fora a demanda reprimida das regiões norte (leucemias 3,72 em homens e 2,93 em mulheres por 100.000 habitantes de casos novos por ano) e nordeste, esperam por um transplante de medula óssea que, na maioria das vezes, só poderá ser feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em função da especificidade, alto custo, exigências legais que envolvem o TMO, além do número insuficiente de leitos. “Há necessidade de ampliação da infraestrutura e equipe especializada, que garanta a retaguarda e superação das múltiplas complicações em que o paciente está sujeito, tendo em vista que o seu sistema de defesa, contra infecções, normalmente fica reduzido durante um determinado período pós transplantes, que leva cerca de 100 dias”, explicou Lacyr Jr.

Atualmente, são realizado uma média de 1,5 mil transplantes de medula (autólogo, alogênico ou singênico) por ano, no Brasil. Desses, 60% são feitos com células do próprio paciente (TMO autólogo). Os demais transplantes (TMO alogênicos) necessitam das células de um doador, aparentado ou não aparentado, o que torna a recuperação pós TMO mais delicada, devido a necessidade da compatibilidade genética (HLA compatíveis) entre o organismo do receptor e do doador, para que ocorra a “pega” do transplante e se acomode um novo sistema imunohematológico no organismo do receptor.

Segundo o dr. Lacyr Jr, hoje cerca de em 95% dos transplantes de medula óssea são financiados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Estes recursos, porém, não garantem a manutenção total destes procedimentos em hospitais públicos, em função das exigências de instalações de um serviço de TMO incluem filtro de ar (HEPA) capaz de absorver 99% das impurezas, leito de transplante individual, UTI, Hospital-Dia, transporte próprio para pacientes, Casa de Apoio e equipe multidisciplinar formada por médicos, enfermeiros, dentistas, assistentes sociais, farmacêuticos, biomédicos, terapeutas ocupacionais e nutricionistas. “Isso pode gerar interrupção dos serviços de TMO por falta de insumos, equipamentos, funcionários e recursos para a manutenção predial. Incompatível com esta atividade. Sendo necessário, cada vez mais, buscar outras formas de financiamentos através da iniciativa privada “, observou ele.

Outra dificuldade que ele aponta para a efetivação do transplante de medula óssea é o processo de doação de medula com a procura de doador compatível, no caso dos transplantes alogênicos. visto que existem três fontes de células tronco hematopoéticas utilizadas no TMO que são: medula óssea autótologa (células do próprio receptor); alogênica, obtida de um doador compatível aparentado ou não aparentado, com idade entre 18 e 45 anos e boa saúde; e de sangue de cordão umbilical e placentário. A opção por uma delas varia de acordo com cada caso. ” Felizmente, o número de doadores para transplantes alogênicos tem auentado significativamente, principalmente nos últimos 5 anos. Onde estimasse que hoje já existam cerca de 13 milhões de doadores em todo o mundo.Desse total, cerca de um milhão são brasileiros”, revelou.

Outra medida importante para aumentar as chances de encontrar doador compatível é a ampliação dos serviços de coleta de células tronco de sangue do cordão umbilical, e o avanço das pesquisas com estas células, como fonte de obtenção de células hematopoéticas para o transplante de medula. Até o final do primeiro semestre de 2010, a Fundação Hemopa deve inaugurar o seu Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP), único na região norte. A obra conta com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Sócio Econômico (BNDES).

Temário do workshop

“Organização administrativa de um serviço de Transplante Medula Óssea (TMO)”, “Criopreservação de Células Tronco no Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário: Princípios, Técnicas e Normas”, “HLA. O que devemos saber para captação do doador não aparentado”, “Acompanhamento Médico no Transplantados de Medula Óssea”, “Implantação de um Serviço de Transplante de Medula Óssea”, “Captação de Células Progenitoras de Cordão Umbilical e Placentário”, “Doença do Enxerto X Hospedeiro e TMO. Quando trocamos de doença?”, “A importância da Enfermagem para o Transplante de Medula Óssea”, “Equipe Multidisciplinar e a Casa de Apoio ao Transplante de Medula Óssea”, “Aférese e o Transplante de Medula Óssea”, “A importância do serviço de Odontologia para o Transplante de Medula Óssea”.Os interessados devem fazer suas inscrições no período de 18/08 a 12/09. O Workshop tem a coordenação do Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEPES) da Fundação Hemopa, que está sob a coordenação do dr. Lacy Cardoso de Brito Júnior. Maiores informações: 32429100 R- 361, de segunda a sexta-feira, de 8h às 14h.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Hemopa promove concurso de pintura

"Ser criança é...".É o tema do 1º Concurso de Pintura que a Fundação Hemopa promoverá no dia 14 de outubro, de 8h às 14h. O evento que será em alusão ao Dia da Criança, contará também com apresentação da "Caravana da leitura do Centur".
Poderão participar do concurso pacientes da Fundação HEMOPA, na faixa etária de 04 a 12 anos. Os interessados poderão inscrever-se na Gerência de Serviço Social-(GESES), no período de 16 a 30 de setembro, sendo vedada qualquer inscrição após esse período.
Os participantes deverão inscrever-se em uma das seguintes categorias:
Categoria A- participantes com idade entre 04 e 06 anos;
Categoria B- participantes com idade entre 07 e 09 anos;
Categoria C- participantes com idade entre 10 e 12 anos.
Serão disponibilizadas 06 vagas para cada categoria, totalizando 18 participantes.

Título de Especialista

A Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (SBHH), informa que estarão abertas, no período de 10/09 a 10/10, as inscrições dos cursos para obtenção do Título de Especialista em Hematologia e Hemoterapia e para obtenção do Certificado de Área de Atuação em Transplante de Medula Óssea, a serem realizados em 10/11, no HEMOSC-Centro de Hemoterapia e Hematologia de Santa Catarina.


Maiores informações no site da instituição: http://www.sbhh.com.br/

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Hemopa promove workshop de transplante de medula

O pequeno Vinicius Torres Ramos é um garoto de sete anos e que há quatro luta contra uma doença grave:Leucemia Linfóide Aguda (LLA), que quando o tratamento com medicamentos não corresponde, a cura para a doença tem indicação de transplante de medula óssea.Ele é um dos 150 pacientes que aguarda na fila por um transplante de medula óssea no Pará, que nos dias 17 e 18 deste mês, sediará o “II Workshop Interdisciplinar de Transplante de Medula Óssea”, no Teatro do Sesi, na Almirante Barroso, 2540. O evento que será promovido pelo Governo do Estado, através da Fundação Hemopa, tem o objetivo de formar, divulgar e atualizar a área científica e de educação continuada com abordagens de temas atuais e de relevância para profissionais que atuam com transplantes de medula óssea.
Como uma das maiores referências no norte do Brasil, o hemocentro investe no avanço tecnológico, serviços de diagnósticos e a implantação de procedimentos especiais de suporte aos transplantes e de cadastramento de doadores voluntários no Registro Nacional de Medula Óssea/ REDOME.
O Workshop também despertará interesse para os avanços das discussões, visando a implantação do Centro de Transplante de Medula Óssea (TMO) no Estado, para a implantação e funcionamento do Banco de Sangue de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP), do HEMOPA, que tem financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A ação é integrada a Rede Nacional Pública de Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário – Brasilcord.
E é nesse contexto de debates que a mãe do menino Vinicius Ramos, Michele da Costa, 28 anos, aproveitará a oportunidade para saber mais sobre o tema, além de sensibilizar e captar eventuais doadores de medula óssea. Residente no município de Castanhal (120 km de Belém) sua família, com apoio de amigos e instituições parceiras mobilizam a cidade e já conseguiram cerca de 5 mil novos cadastros, que aumentam não apenas as chances de seu filho, mas também de outros pacientes de encontrar doadores compatíveis fora da família. “Também estamos fazendo campanha para arrecadação de dinheiro para arcar com as despesas com o pós transplante, caso encontre um doador compatível”, revelou, informando que os interessados em ajudar podem fazer depósito no Banco Itaú-AG-1136 C/P:30344-1.Ou manter contato pelo fone:99198695/81413384
Temário do workshop :
“Organização administrativa de um serviço de Transplante Medula Óssea (TMO)”, “Criopreservação de Células Tronco no Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário: Princípios, Técnicas e Normas”, “HLA. O que devemos saber para captação do doador não aparentado”, “Acompanhamento Médico no Transplantados de Medula Óssea”, “Implantação de um Serviço de Transplante de Medula Óssea”, “Captação de Células Progenitoras de Cordão Umbilical e Placentário”, “Doença do Enxerto X Hospedeiro e TMO. Quando trocamos de doença?”, “A importância da Enfermagem para o Transplante de Medula Óssea”, “Equipe Multidisciplinar e a Casa de Apoio ao Transplante de Medula Óssea”, “Aférese e o Transplante de Medula Óssea”, “A importância do serviço de Odontologia para o Transplante de Medula Óssea”.Os interessados devem fazer suas inscrições no período de 18/08 a 12/09. O Workshop tem a coordenação do Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEPES) da Fundação Hemopa, que está sob a coordenação do dr. Lacy Cardoso de Brito Júnior. Maiores informações: 32429100 R- 361, de segunda a sexta-feira, de 8h às 14h.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Hemopa abre dia todo para coleta neste sábado

Neste sábado, 05, a Fundação Hemopa funcionará, ineditamente, de 7h30 às 18h, para formar estoque técnico de sangue e garantir atendimento da demanda transfusional do feriadão, tendo em vista que a coleta não será efetivada no feriado de segunda-,feira, 7 de setembro, por causa da evasão de boa parte da população para fora da cidade. A meta é de 300 doações.
A ação é uma iniciativa preventiva para assegurar atendimento satisfatório das solicitações de transfusões da rede hospitalar que, normalmente, eleva em torno de 10% em período de feriado prolongado, em função de excessos cometidos.Outro objetivo é resgatar a média diária de 250 de candidatos à doação de sangue, que ultimamente sofreu uma redução de aproximadamente 20% por causa do aumento de casos de gripe, cuja situação acontece em todos hemocentros brasileiros. Não Pará não foi diferente.
Para a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, a assistente social Juciara Farias, é imperativa a necessidade de elevar o número de coletas no hemocentro para garantir a qualidade do atendimento. “Contamos com apoio da imprensa e outras instituições parceiras para atingir nosso objetivo de sensibilizar todas as pessoas potencialmente doadoras a comparecer no hemocentro para efetivar a doação de sangue em favor de milhares de pacientes nos leitos da rede hospitalar do Estado, que atualmente é composta por mais de 200 estabelecimentos de saúde”, informou.
Juciara Farias sugere que cada doador leve um parente ou amigo para doar também. “Temos que multiplicar essa solidariedade. Fazer campanha boca a boca em favor da vida. Muitas pessoas dependem de uma transfusão para melhorar sua qualidade de vida ou até mesmo para sobreviver”, ressaltou, explicando que apenas uma bolsa de sangue pode salvar quatro pacientes adultos ou até oito crianças. “Vejam que um simples gesto de estender o braço e doar sangue pode fazer na vida de muitos pacientes”, comentou.
Para doar sangue é muito fácil: Basta estar saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado. O Homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109, acesso pela Serzedelo Correa com Caripunas. Maiores informações pelo fone: 08002808118. Visite nosso site>www.hemopa.pa.gov.br ou acesse nosso BLOG: http://fundacaohemopa.blogspot.com/. Ou página do Orkut:Fundação Hemopa .

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Campanhas Externas

A Fundação Hemopa, através da Gerência de Captação de Doadores (GECAD) está intensificando suas ações com realização de campanhas externas em parceria com instituições parceiras. No dia 02, quarta-feira, foi promovida campanha para doação de sangue e cadastramento de doadores de medula óssea no pátio do Detran, de 8h às 14h.
Hoje, dia 03, a ação prossegue, mas somente com cadastramento de doadores de medula óssea, mantendo mesmo horário. Paralelamente, o Hemopa ainda promove campanha externa em parceria com o Hospital Ofir Loiola, de 8h às 14h. No dia, será no pátio do supermercado Formosa da Cidade Nova, de 8h ás 18h.
Critérios para doação de sangue:
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado. O Homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Cadastramento de doadores de medula óssea
Para cadastro de medula é muito fácil: basta ter vontade, idade entre 18 e 55 anos, estar bem de saúde. O candidato tira suas dúvidas sobre procedimento, faz o cadastro, coleta uma pequena quantidade de sangue (5ml), que será tipado por exame de histocompatibilidade (HLA), cujos resultados são enviados para o Redome, que fica no Instituto Nacional do Câncer (Inca), no Rio de Janeiro.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118. Visite nosso BLOG: http://fundacaohemopa.blogspot.com/. Ou página do Orkut:Fundação Hemopa .
Foto: Campanha extrna com o BASA

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Ouvidora do Hemopa faz palestra na Defensoria

Os funcionários da Defensoria Pública do Estado assistirão palestra sobre o serviço de Ouvidoria, nesta quinta-feira, às 10h, no auditório da instituição. A palestra será ministrada pela socióloga Silvânia Assunção, responsável pelo referido serviço na Fundação Hemopa.
Segundo ela, a Ouvidoria é um canal de comunicação entre o usuário cidadão e o órgão, visando a melhoria contínua do atendimento. "Por meio deste serviço, você pode sugerir, elogiar, solicitar informações ou fazer críticas", explicou, enfatizando que no Hemopa o serviço registra, conduz internamente, responde e/ou soluciona as manifestações dos usuários com resposta clara e objetiva.
O serviço pode e deve ser utilizado por todas as pessoas que tem algum tipo de relacionamento com o hemocentro: funcionários, doadores, pacientes, fornecedores e comunidade em geral.As manifestações também podem ser feitas pelo 08002808118. O serviço é gratuito e contempla todas as unidades da hemorrede. Além da presencial, outras formas de acesso: email: ouvidoria@pa.gov.br
Por Formulário: Disponíveis em locais estratégicos do Hemocentro: Área de lanche dos doadores de sangue e recepção de pacientes (térreo). Nos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá e Santarém; e nos Núcleos de Hemoterapia de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema. Esses endereços estão disponíveis na área da HEMORREDE do nosso site:www.hemopa.pa.gov, além de correspondência para o endereço do hemocentro: Trav. Pe. Eutíquio, 2109.Cep:66033-000.Bairo-Batista Campos.

Desfile escolar destaca doação de sangue

O “Pelotão da Vida”, da Fundação Hemopa está novamente do Desfile Escolar deste ano. Nesta terça-feira, dia 02, houve desfile com a Escola de Ensino Fundamental e Médio “Izabel Amazonas”, em Ananindeua. No dia 03, a participação será nas escolas de Ensino Fundamental e Médio “Palmira Gabriel” , no Conjunto Maguari, e na “Avertano Rocha” no Distrito de Icoaraci; no Instituto Educacional “Paraíso Infantil”, no bairro do Tapanã. No dia 05/09, desfilará a Escola de Ensino Fundamental e Médio “Jarbas Passarinho”.
A atividade faz parte do Programa Doador do Futuro e é uma importante oportunidade para estimular a doação voluntária de sangue, especialmente, entre o segmento jovem. Esse trabalho educativo visa levar às escolas de ensino fundamental e médio, informações precisas e corretas sobre o ato de doar sangue, contribuindo para a formação de uma nova cultura em relação à doação voluntária de sangue
O “Pelotão da Vida” será estendido no desfile escolar dos Hemocentros Regionais de Castanhal, Santarém e Marabá. Se sua instituição tiver o interesse em participar desse programa, entrar em contato pelo telefone: (91) 3224-5048/ 32429100- R-205/243 ou pelo e-mail: juciarafarias@hemopa.pa.gov.br