terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Ação solidária do Hemopa faz Natal de crianças carentes.

A III Campanha Solidária de arrecadação de alimentos e brinquedos novos para o Natal de pacientes atendidos pelo Hemopa, e crianças e famílias das comunidades do “Pantanal e Paraíso Verde”, também atendidas pela instituição, através da iniciativa de sua ação responsabilidade social, foi um sucesso com a doação de 1.409 itens de alimentos não perecíveis que possibilitou a distribuição de mais de 200 cestas básicas e 481 brinquedos, superando a meta prevista pela Assessoria de Gestão de Pessoas (AGESP) e Gerência do Serviço Social de Pacientes (GESES), que coordenaram a atividade, envolvendo todos os setores do Hemopa.
Pela área Administrativa, responsável pela coleta de brinquedos novos, o 1º lugar ficou com a Assessoria de Técnica (ASTEC); e o segundo lugar com a equipe da Assessoria de Imprensa (ASIMP).
Pela área Técnica, com doação de alimentos não perecíveis, o primeiro lugar ficou com a Gerência de Produção (GEPRO); e o 2º lugar com a equipe da Gerência de Hematologia (GEHEM). Os vencedores serão brindados com duas folgas negociadas com suas respectivas gerencias.
A presidente do órgão, dra. Fátima Montoril agradeceu a participação de todos e estimulou que a ação solidária perdure na instituição. “Essa gincana solidária tornou-se uma ação intrínseca na instituição. A receptividade é muito grande. Basta anunciar e as coisas acontecem com sucesso”, comentou a médica, estendendo os parabéns para a coordenação da gincana.
Bastante satisfeitas, as titulares da AGESP e GESES, a administradora Maria Celeste Lobo e a assistente social Marilda Brito, respectivamente, ressaltaram a importância dessa parceria para o êxito da atividade em benefício dos usuários dos serviços, e crianças carentes de comunidades atendidas pela instituição.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/.
Foto 1- Dra. Fátima entregando certificado para a titular da ASTEC, dra. Ângela Ferreira. Foto 2-.A diretora Técnica, dra. Silvia Teixeira, entregando Certificado para a equipe da GEPROD.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Trupe Realejo salva vidas, doando sangue.

O grupo artístico musical e teatral ‘Trupe Realejo”, fãs e amigos, encerrou o ano de 2010 com ação solidária promovendo campanha de incentivo à doação de sangue em favor da jovem Catarina Campos, 16 anos, portadora da síndrome de “Budd-Chiari” , que é uma forma rara de doença hepática com hiper­tensão causada pela dificuldade de drenagem da rede venosa hepática, e em estado grave, a paciente está tomando cinco transfusões de plaquetas do tipo A Negativo, diariamente. A ação também vai colaborar para o aumento do número de doações que caiu em torno de 30%, desde o início deste mês, em função do período festivo da época.
Segundo a integrante da “Trupe Realejo”, a universitária Tayana Silva, 22 anos, a mobilização para ajudar a colega, que é chamada carinhosamente de “Cacá”, surgiu a partir do agravamento de seu estado de saúde que implicou na necessidade de receber várias transfusões por dia. “A Cacá tem sangue raro e isso dificulta ainda mais a captação de novos doadores”, comentou, revelando que a partir dessa condição o grupo criou a campanha ‘Ajude a Cacá”, que está mobilizando, especialmente, o segmento jovem.
Tayana Silva avisa ainda para aqueles que, por algum impedimento não puderem doar sangue, podem ajudar financeiramente com depósito na conta corrente:88.306.344-1/Agência:1846-5-Banco do Brasil, tendo em vista que a jovem precisa deslocar-se, em uma UTI do ar, para São Paulo, onde fará tratamento no Hospital da Escola de Medidina Paulistana. O custo da viagem está orçado em torno de R$ 35 mil.
A Gerência de Captação de Doadores do Hemopa parabeniza a iniciativa do Grupo ‘Trupe Realejo”, que ajudará não apenas a jovem Cacá, como também os demais pacientes da rede hospitalar pública e privada do estado, que precisam desse gesto solidário para sobreviver.
A assistente social Maria Cláudia Oliveira sinaliza que a baixa do estoque de sangue no Pará, em torno de 30%, e no Brasil nessa mesma faixa, reflete o conceito de cidadania da população. “Apesar da Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendar que a taxa de doação de sangue seja de 4% no Brasil, o índice não chega a 2%. No Pará esse patamar é de 1.7%. Isso precisa mudar rapidamente, devido ao aumento da expectativa de vida da população brasileira”, observou, exemplificando que na Europa, a cultura da doação voluntária é bem mais acentuada. Segundo ela, na Dinamarca, por exemplo, o índice de doação é de 7%.
Maria Cláudia, no entanto, ressalta a natureza solidária do brasileiro que atende apelos de campanhas estratégicas. Mas isso não é o suficiente. ‘Se todas as pessoas que atendem os critérios básicos da doação, efetivassem duas coletas por ano, a hemorrede brasileira não enfrentaria dificuldades com insuficiência de doadores”.
A assistente social enfatiza que nesta sexta-feira, 24, o hemocentro, ineditamente, funcionará para a coleta de sangue até às 13h. No sábado, 25, não funcionará para coleta. Mas, o atendimento transfusional é ininterrupto.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade é um doador em potencial.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada três meses e a mulher a cada dois meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/.
Síndrome Budd-Chiari
São várias as causas que podem ser responsabilizadas pela obstru­ção, cujo sítio anatômico pode variar desde as pequenas veias centrolobulares até oclusão da veia cava inferior (VCI) na sua desembocadura no átrio direito, passando pela possível oclusão das veias hepáticas menores, ou das veias hepáticas propriamente ditas. É ainda possível que a causa da obstrução este­ja no próprio átrio direito como nos casos de pseudomixoma atrial.Embora Síndrome de Budd-Chiari seja um termo mundialmente con­sagrado é ambíguo, pois não identifica claramente o sítio da lesão (intrahepático x VCI), sua característica morfológica (trombótica x não trombótica) ou sua causa. A maioria das obstruções de grandes veias hepáticas são trombóticas, já a obstrução isolada da VCI ou das pequenas veias hepáticas são de natureza não trombóticas.
Apesar da doença veno-oclusiva hepática poder ser considerada como parte da Síndrome de Budd-Chiari, por ser uma desordem proliferativa carac­terizada por estreitamento luminal concêntrico das vênulas terminais e dos sinusóides hepáticos, ela distingui-se das duas principais formas de Síndrome de Budd-Chiari: obstrução da VCI supra-hepática por estrutura membranosa e oclusão trombótica das veias hepáticas e/ou VCI supra-hepática. A doença veno-oclusiva ocorre mais freqüentemente em pacientes transplantados de medula óssea tratados com radioterapia e quimioterapia combinadas ou na­queles que usam alguns tipos de chá (‘bush teas”) estando, nestes casos, relacionada a toxicidade dos alcalóides pirrolizidínicos.
Mais informações sobre a jovem Cacá: www.ajudeacaca.wordpress.com ou http://www.truperealejo.blogspot.com/.
Fonte: Manual de Diagnóstico e Tratamento das Doenças Hepáticas – no paciente adulto e pediátrico, síntese do texto do Dr. Mário Kondo e Dra. Fátima Figueiredo.
Foto 1- "Trupe Realejo" e amigos no Hemopa, incentivando a doação de sangue. Foto: 2Thais Marcele fazendo a sua parte para garantir doação de sangue para Cacá.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Natal Paraiso Verde e Pantanal

No dia 18/12, o Hemopa, através doa AGESP/SASS, promoveu confraternização com as crianças das comunidades do “ Paraíso Verde e Pantanal”, que o hemocentro atende, por meio da iniciativa de responsabilidade social. A festa de Natal começou às 9h e se estendeu até às 11h30, com distribuição de 164 brinquedos novos, 30 cestas natalinas, lanche e atividades recreativas com a presença de palhaço.Ao final, cerca de 100 crianças foram beneficiadas.Foto: Equipe da AGESP com participantes da confraternização.

Monografias encerram curso de especialização

A presidente do Hemopa, dra. Mª de Fátima Montoril e a gerente do Hemocentro Regional de Castanhal, dra. Sandra Lobato, concluíram o último módulo do Curso de Especialização em Gestão de Hemocentro, no período de 13 a 15/12, em Recife. Elas defenderam monografias com temas relevantes para a hemorrede brasileira: “Gestão de Riscos em Hemoterapia”, pela dra. Fátima e ‘Hemoviliglância, pela dra. Sandra.
A produção do trabalho da dra. Fátima contou com a orientação dos drs. Divaldo AlmeidaSampaoio e Lacy Brito. A médica Sandra lobato contou com a orientação da dra. Paula Loureiro e Rubenilson Valois.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: www.hemopa.pa.gov.br ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com.
Foto: Dras Fátima e Sandra, obtiveram destaque na defesas de suas teses, em Recife.

Coral do Hemopa participa de amostra

No dia 17/12, o Coral de vozes da Fundação Hemopa destacou-se durante “I Amostra de Corais Natalinos da Fundação Santa Casa”. O evento foi realizado no auditório do hospital e contou ainda com a participação dos corais dos Correios, da Igreja Assembléia de Deus e do Hospital de Clínicas “Gaspar Viana”.

Convocação Sindicato dos Médicos do Estado do Pará

A diretoria Colegiada do Sindicato dos Médicos do Estado do Pará, publicou edital de convocação n° 190657, no Diário Oficial, para todos os seus associados para participarem de uma Assembléia geral extraordinária, que será realizada no dia 28 deste mês, às 19h na sede da entidade, localizada na Rua Boaventura da Silva, 999, no bairro de Nazaré, em Belém-Pa, para apreciação e votação do valor das contribuições regulares dos médicos para o exercício do ano de dois mil e onze:I- Contribuição Social; II- Contribuição Confederativa

Doença de Gaucher:Tratamento especializado, melhor qualidade de vida

Com maior predominância na população judaica ashkennazi, a doença de Gaucher tem origem genética relacionada com o metabolismo dos lipídios. Ela possui cerca de 700 pacientes diagnosticados no Brasil. No Pará são 15 cadastrados e em tratamento na Fundação Hemopa. A doença é causada por uma deficiência na enzima glucocerebrosidase, que leva à acumulação do seu substrato. As pessoas devem ficar atentas porque os sinais e sintomas variam de indivíduo para indivíduo.
Segundo a gerente de Hematologia Clínica, a médica Saide Trindade, as principais características observadas são um aumento do fígado, baço, anemia, diminuição do número de plaquetas e doenças ósseas. “Ela Afeta um em cada 50.000 a 100.000 indivíduos”, explicou, enfatizando que a doença é herdada de uma forma autossômica recessiva.
A doença pode ser classificada em três formas: A tipo 1- denominada de neuropática que afeta crianças e adultos, cuja idade de início dos sinais e sintomas é muito variável. A tipo 2- surge na forma neuropática aguda, que normalmente afeta lactentes com idade entre quatro e cinco meses, comprometendo cérebro, baço, fígado e pulmão. O tipo 3- é uma forma neuropática crônica da doença, que atinge crianças e adolescentes, geralmente no pré-escolar.
De acordo com a médica, em 1991, surgiu um tratamento de reposição enzimática a partir da extração de enzimas de placenta humana. Mas, apenas em 1994 a enzima passou a ser produzida de forma sintética por técnica de DNA recombinante, o que permitiu sua maior distribuição.
Esta terapia atua diminuindo a formação dos lipídios, prevenindo assim o acúmulo dos mesmos. A terapia de redução de substrato está sendo utilizada em alguns países como opção na manutenção de pacientes com Doença de Gaucher tipo 1, sendo que estudos clínicos estão sendo feitos para a aplicação desta terapia na doença de Gaucher tipo 3.
A Fundação Hemopa oferece tratamento especializado com equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, dentistas, assistentes sociais, psicólogos, fisiatras e fisioterapeutas. O tratamento aos pacientes inclui disponibilidade do medicamento para reposição enzimática que atua na redução da formação dos lipídios, garantindo assim, bem estar e melhor qualidade de vida.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: www.hemopa.pa.gov.br ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

ANIVERSARIANTES DA SEMANA– 20 à 27 de DEZEMBRO


Sede: Belém: Marcilene Lima (20), Ângela Maria de melo (21), Marcio Augusto Souza (22), Silvia Regina Castro (23), Rosangela do Socorro Pena (23), Feliciano Mendes (23), Rosilene dos Santos (25), Roger de Lima (26), João Carlos da Silva (26), Marlene Oliveira (27).Santarém: Áureo dos Santos (21).

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Especialização em Enfermagem

O Hospital Ophir Loyola, em parceria com a Universidade Estadual do Pará (UEPA), publica edital de realização do processo seletivo para preenchimento de vagas para os cursos de especialização em Enfermagem-Modalidade Residência em regime de tempo integral e dedicação exclusiva.Os interessados podem fazer as inscrições até o dia 01/01/2011. A primeira etapa, prova escrita, será realizada no Campus IV da UEPA. O candidato classificado deverá apresentar-se no período de 14 a 17/02/2011, para efetuar sua matricula.Mais informações: 33421320.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

“Ophir Loiola” faz cadastro para doação de medula óssea

Até às 11h de hoje, a campanha de incentivo à formação de cadastro de doação de medula óssea que o Hemopa está promovendo em parceria com o Hospital Ofir Loiola, já registrou 45 novas inscrições ao serviço de Registro de Doadores de medula Óssea (Redome), disponibilizado pelo hemocentro desde 2002 e que até mês passado, inscreveu 53.845 pessoas. A campanha prossegue até às 16h desta segunda-feira. A meta é de 150 cadastros.
A campanha do “Ophir Loyola” faz parte da programação de campanhas externas que o Hemopa vem desenvolvendo desde o dia 02/12, e se estenderá até o dia 29 deste mês, para reforçar estoque técnico de sangue e aumentar o número de candidatos à doação de medula óssea, garantindo atendimento da demanda da rede hospitalar do Estado, que corresponde a 28 hospitais públicos e privados.
Em dezembro, a hemorrede brasileira enfrenta dificuldades com a insuficiência do número de doadores, em função da natureza festiva do período. No Pará não é diferente. Para reverter o quadro e garantir atendimento satisfatório dos usuários dos serviços, o Hemopa elaborou campanhas externas em parcerias com várias instituições. Nos dias 15 e 16, haverá ação no Hospital de Santa Casa, com coleta de sangue e medula, de 8h às 18h. No dia 17, na Escola Estadual “Ruth Almeida”, com coleta de sangue medula óssea, até às 16h. Nos dias 21 e 22, e 28 e 29, na Agência do Banco do Brasil, da Pres. Vargas, com coleta de sangue até às 15h.
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, a assistente social Juciara Farias, agradece não apenas o corpo funcional do Ophir Loyola, como também todos as pessoas que participam da ação estratégica. “São iniciativas com essas que melhoram cada vez mais nosso atendimento”, enfatizou, apostando na superação de meta de 150 cadastros. A ação naquele hospital tem o apoio dos estudantes da Escola Salesiana do Trabalho, que estão fazendo a abordagem das pessoas para o cadastro.
Quem pode doar sangue: Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
Quem pode doar medula óssea: Qualquer pessoa saudável com idade entre 18 e 55 anos é um doador em potencial. Basta ir ao hemocentro mais próximo de onde você mora e cadastre-se. Há duas formas de coleta de medula óssea: pode-se retirá-la dos ossos da bacia ou da corrente sanguínea do doador. A retirada do liquido dos ossos da bacia é a mais comum, é feita em centro cirúrgico e com anestesia. Fazem-se múltiplas punções com agulhas nos ossos e se aspira 10% da medula. O material é colocado em bolsas e injetado na veia do paciente.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/
Foto 1- Equipe de captação de doadores em ação. Foto 2- doadores atendem apelo da campanha e salvam dias.
Crédito Fotos: ASCOM/Ophir Loiola/Manoel Estevão

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Campanhas externas reforçam estoque de sangue

Com a proximidade das festas de Natal e final de ano, a Fundação Hemopa intensifica ações estratégicas com realização de campanhas externas de coleta de sangue, visando a manutenção do estoque técnico de sangue para atendimento satisfatório da demanda transfusional de dezembro, quando a hemorrede brasileira enfrenta dificuldades com a insuficiência do número de doadores voluntários. No Pará não é diferente.
Para reverter o quadro, o Hemopa programou diversas campanhas externas em parceria com diversas instituições públicas e privadas em vários pontos estratégicos da cidade. No dia 04, foi a vez de ação na Loja By Express, na Trav. Pe. Eutíquio, 1262, que rendeu 128 inscrições para Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME) e 48 voluntários da doação de sangue.
Nos dias 6 e 7, houve mobilização no Hospital de Clínicas “Gaspar Viana” , com 252 comparecimentos para doação de sangue. No dia 08, o Hemopa participou de estande com orientação e distribuição de material educativo em comemoração ao Dia da Justiça e Cidadania, na Praça Batista Campos, de 8h às 17h, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça. No dia 09, de 8h às 19h, foi realizada campanha no Hospital Metropolitano com 50 doações de sangue e 13 cadastros para doação de medula óssea. Na próxima segunda-feira,13, de 8h às 16h, campanha para formação de cadastro de doadores de medula óssea no Hospital Ophir Loiola.
Atualmente mais de 1,7 milhão de pessoas estão inscritas no Redome. Desse total, 53.845 foram cadastrados no Hemopa. No país 1,2 mil pacientes precisam encontrar doador de medula compatível não aparentado. Somente no Pará, pouco mais de 150 pacientes esperam na fila. Devido à grande miscigenação da população brasileira, até agora, apenas dois doadores paraenses fizeram transplante de medula: o motorista Marcelo Silva e a médica Tháis Braga Silva. No entanto, mais 15 candidatos à doação de medula óssea podem efetivar o transplante a qualquer momento. Os dados foram enviados ao Instituto Nacional do Câncer (INCA), que fica no Rio de Janeiro, para providenciar o procedimento.
Quem pode doar sangue: Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
Quem pode doar medula óssea: Qualquer pessoa saudável com idade entre 18 e 55 anos é um doador em potencial. Basta ir ao hemocentro mais próximo de onde você mora e cadastre-se. Há duas formas de coleta de medula óssea: pode-se retirá-la dos ossos da bacia ou da corrente sanguínea do doador. A retirada do liquido dos ossos da bacia é a mais comum, é feita em centro cirúrgico e com anestesia. Fazem-se múltiplas punções com agulhas nos ossos e se aspira 10% da medula. O material é colocado em bolsas e injetado na veia do paciente.O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/.
Foto 1- Captação de doadores em campanhas externas em pontos estratégicos da cidade. Foto 2- Doações reforçam estoque de sangue para dezembro. Foto 3- Unidades móveis também fazem cadastro para doação de medula óssea.

Boas Festas!

Servidores e familiares lotaram o auditório na tarde de ontem, 09, durante celebração de culto ecumênico que a Fundação Hemopa realizou para confraternizar com seus servidores.
O padre Zezinho da paróquia de Nossa Senhora da Conceição e o pastor Antônio Martins, da Igreja Adventista do 7º Dia, conduziram a reunião fraterna, que teve o acompanhamento do Coral de vozes do Hemopa, composto por servidores da instituição.Logo após, foi servido ceia natalina aos participantes, na sala de estar, no terceiro andar.
O comentário inicial do rito foi feito pela diretora Técnica, dra. Silvia Teixeira, que destacou a importância do Natal que significa reflexão amor, fraternidade e esperança no sagrado convívio dos familiares e amigos.Durante a celebração foram lidos trechos de preces em favor de familiares, colegas de trabalho e outros entes queridos.
Seguiram as leituras feitas pelo diretor Administrativo e Financeiro, o administrador Gilmar Rocha; a titular do Núcleo da Qualidade, a socióloga Ligia Garcia; a auxiliar técnica, Esnita Simplicio e a presidente do Hemopa, dra. Mª de Fátima Montoril que dedicou a prece em favor do restabelecimento da saúde do ex-presidente da instituição dr. João Carlos Saraiva.
Em sua mensagem final, a médica enfatizou as inúmeras conquistas, realizações e momen tos de alegria, mas também de provações, “Agradecemos a todos os funcionários por um ano de trabalho, cooperação, confiança e dedicação.Desejamos que este Natal seja o início da construção de um caminho de amor, alegria e de esperança. Feliz Natal e Ano Novo”, desejou Fátima Montoril em nome da direção do Hemopa.Em seguida, todos participaram da ceia natalina.
Foto 1-. Direção e demais funcionários num momento de oração e fé.Foto 2- Coral do Hemopa acompanhou a celebração.

Hemopa expande hemorrede em Santarém

Na manhã de terça-feira, dia 7 de dezembro de 2010, o município de Novo Progresso obteve mais uma importante conquista que marca uma nova era na saúde pública. O Governo do Estado, através do Hemopa, inaugurou a Agência Transfusional no Hospital Municipal, em parceria com a Prefeitura Municipal. A nova unidade vai atender a localidade e cidades da adjacência. A mão de obra qualificada foi treinada pela auxiliar da hemoterapia no Hemocentro do Estado do Pará (Hemopa) de Belém, Ana Cleide foi para Novo Progresso e treinou a equipe que vai trabalhar na Agência Transfusional. São seis os profissionais, um médico, o Dr. Marcio Schelles de Lima, que vai coordenar a equipe, 2 bioquímicos, e 3 técnicos de laboratório. O treinamento e capacitação dura dez dias.A secretária Municipal de Saúde, Célia Florentino ,disse que a implantação da AT de Novo Progresso significa uma conquista histórica, a realização de um sonho antigo e que custou muita luta e muita fé em Deus. Para a chefe do gabinete na prefeitura, Gisela Brigman , que no ato representou a prefeita Madalena Hoffmann, afirmou que o executivo municipal nunca mediu esforços para proporcionar melhorias na saúde pública e para qualificar o pessoal. Ela citou outras conquistas como; semi UTI e Postos de Saúde da Família, que já salvaram muitas vidas.O administrador do Hemocentro Regional de Santarém, Joaquim Augusto Aquino de Azevedo, ao qual Novo Progresso pertence, parabenizou os esforços do executivo Progressense pela dedicação em prol da saúde pública e elogiou todo o corpo técnico do Hospital Municipal.O Dr. Márcio Schelles de Lima, disse que agora com a agência transfusional o município de Novo progresso, poderá atender o paciente na hora em que precisar. “Sinto-me feliz pela conquista que só trás benefício para toda a população”.
Foto- O administrador do Hemocentro Regional de Santarém, Joaquim Evilásio (paletó) com profissionais que aturão na nova AT de Novo Progresso.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Movimento incentiva doação de sangue e medula

A velha e batida frase "são nos momentos difíceis que vemos quem é realmente nosso amigo" se encaixa perfeitamente na vida do publicitário Diego Marcondes, 26 anos. Em agosto deste ano, ele passou duas semanas gripado e foi ao médico. Para sua surpresa, o diagnóstico: leucemia. A partir daí viu sua vida mudar completamente e, ao invés de se desesperar, criou o projeto Tamújuntoemisturado, um movimento que incentiva a doação de sangue e medula óssea para combater o câncer.
Logo que saiu o laudo médico, Marcondes foi encaminhado para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Copa D'Or, o que o afastou fisicamente da maioria das pessoas que faziam parte da sua vida e de seu dia a dia. Foi da parceria com o também publicitário e amigo - praticamente irmão - Eduardo Garretano, 36 anos, que surgiu a idéia de criar algo que mudasse vidas. "Recebia mensagens solidárias de familiares e amigos e sempre na assinatura alguém escrevia 'Tamo junto'. Foi assim que surgiu o nome do projeto", conta Diego.
A primeira coisa que veio à cabeça do publicitário foi que ele precisaria de doações de sangue por, pelo menos, cinco meses e toda a ajuda possível seria necessária. Uma forma dinâmica encontrada por ele foi criar um perfil no Facebook para dar notícias para quem não pudesse visitá-lo e, de quebra, divulgar ações do Tamújuntoemisturado, que depois virou o site Irmãos de Sangue.
No mundo virtual, em cinco dias de existência o grupo já contava com 400 pessoas. Hoje, mais de três meses depois, essa corrente pelo bem já alcança mais de mil.Uma das preocupações de Diego era repor o banco de sangue do Hematologistas Associados, entidade que abastece boa parte dos hospitais particulares da cidade. A conta, segundo Marcondes, é que uma bolsa de sangue pode ajudar até três pessoas. "De fato, o que era para me amparar beneficiou cerca de 300 pessoas. Do fundo do coração, fico muito feliz com isso", vibra.
TESTE: Você é solidária?
Com o sucesso do site, novas ideias surgiram - e os parceiros que surgiram foram essenciais. A empresa de impressão digital Color Office contribuiu na confecção de adesivos automotivos, a Paladupla fez as camisetas do movimento e, para tornar tudo mais palpável, a confecção carioca Maetê se disponibilizou seu espaço para vender o kit, com ambos os produtos. "Nossa intenção foi usar o poder que temos de divulgação para abrir um canal com os clientes e pessoas que queriam ajudar. Ainda restam alguns kits e a intenção é criar uma linha exclusiva mais para frente", sonha Marcela Lacerda, uma das proprietárias da loja. Todo o valor arrecadado é revertido para a Associação de Apoio à Criança com Neoplasia (AACN-RJ)/Casa Ronald McDonald.
Ao longo do tratamento, Diego foi aprendendo mais sobre a doença, mais comum em crianças. No site do Irmãos de Sangue é possível conhecer a batalha das pequenas Sophia Guimarães e Isabela Capistrano que travaram uma guerra contra a leucemia mas, hoje, passam bem.
Ele começa agora a reta final do tratamento, o quarto e último ciclo de quimioterapia. "Ao longo do tempo fui vendo que não era por mim. O que fica é uma mensagem positiva, de que nada é tão ruim que não se possa ajudar o próximo", compartilha. A mais recente beneficiária do movimento é a psicóloga Fabiana Tasca, 39 anos, e há cerca de um mês lutando contra leucemia no Quinta D'or.Há quase duas semanas do Natal, o balanço que o publicitário faz é que não há certezas, apenas esperanças. "Quero sair antes do Natal, voltar a trabalhar, a minha vida. Se eu puder ajudar alguém pelo caminho, serei mais feliz ainda", descreve. Simples, não?
Irmãos de Sangue
por Mariana Moura 07/12/2010 Movimento que incentiva doação de sangue e medula tem ajudado a salvar muitas vidas

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Hemopa expande atendimentos transfusionais

O Governo do Estado, através da Fundação Hemopa inaugurou mais duas Agências Transfusionais (AT) nos municípios de Monte Alegre e Novo Progresso, nos dias 6 e 7, respectivamente. Dessa forma, a hemorrede paraense passou a ser composta por 47 unidades, sendo que somente este ano foram inauguradas sete, cumprindo o Plano Plurianual do Governo.Até final deste mês está prevista inauguração das unidades de Ourilândia do Norte e Porto de Moz.
Durante a solenidade de inauguração da AT de Monte Alegre, o hemocentro foi representado pela gerente de Interiorização, a Farmacêutica Bioquímica Hilda Rego.Na cerimônia do dia 07, que entregou a unidade de Novo Progresso, o Hemopa foi representado pelo administrador do Hemocentro Regional de Santarém, o administrador Joaquim Azevedo.
De 2007 a 2009, foram inauguradas AT´s nos municípios de Tome Açu, Santana do Araguaia, além de mais seis AT´s em Hospitais Regionais de Santarém, Altamira e Redenção, atendendo programa de expansão da hemorede,
A AT realiza transfusões sob a retaguarda de uma unidade de maior complexidade, que pode ser Núcleo de Hemoterapia, Hemocentro Regional ou Hemocentro Coordenador, mediante contrato de fornecimento de sangue e componentes.
Entre as atribuições, a unidade realiza transfusões com exames imunohematológicos do receptor, prova de compatibilidade. Transfusão de sangue e hemocomponentes autólogos e homólogos, de acordo com as normas vigentes.O Hemopa espera por você na Trav. Pe.Eutíquio, 2109.Mais informações: 08002808118.

Boas Festas!!!

A Equipe da Fundação Hemopa deseja Boas Festas para todos os usuários do serviços prestrados pelo hemocentro.
Salve vidas, doando sangue. A vida agradece!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Hemopa faz Natal mais solidário

Uma grande mobilização solidária está movendo funcionários da Fundação Hemopa em favor da “III Gincana da Solidariedade”, que arrecadará brinquedos novos e alimentos não perecíveis que serão doados aos usuários dos serviços de saúde do hemocentro e crianças das comunidades “Paraíso Verde “ e “Pantanal”, que são atendidas pelo órgão, através da sua iniciativa de responsabilidade social. A arrecadação será feita até o dia 22 de dezembro. A meta é de distribuir 500 presentes e 150 cestas básicas.O evento tem o objetivo de fortalecer sentimentos de amor e união entre os colegas de trabalho.
Este ano, a gincana será realizada pela Gerência de Serviço Social (GESES) em parceria com o Serviço de Atendimento à Saúde do Servidor (SASS). De acordo com a titular da GESES, a assistente social Marilda Brito, a gincana consiste numa saudável disputa entre as Diretorias Técnica e Administrativa, sendo que a primeira será responsável pela arrecadação de alimentos e a segunda pela doação de brinquedos novos. A contagem dos itens doados serão proporcionais ao número de funcionários de cada setor. As assessorias e diretorias serão contadas com unidades gerenciais.Serão aceitos brinquedos no valor igual ou superior a R$ 4,00, para atender a faixa etária de zero a quatro anos, de ambos os sexos.
As mesmas regras cabem à Diretoria Técnica que deverá arrecadar quilo e/ou litro de alimentos, entre eles: feijão, arroz, café, açúcar, leite, biscoito salgado, óleo, margarina e macarrão.
Este ano, o primeiro lugar será premiado com emissão de Certificado e duas folgas para cada servidor do setor, em data negociada com a respectiva gerência, e o 2º lugar receberá o Certificado e uma folga.
Ano passado, a edição da II Gincana arrecadou 1.133 brinquedos novos e distribuiu 50 cestas básicas de alimentos não perecíves. O primeiro lugar da Diretoria Técnica ficou com a Gerência de Hematologia, que doou brinquedos, e pela Diretoria Administrativa, a Assessoria de Imprensa com a maior arrecadação de alimentos.
Para garantir a lisura do processo, os organizadores da gincana não participarão da disputa.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Futuro enfermeiros da UEPA visitam Hemopa

A Fundação Hemopa recebeu nesta manhã, 01/12, a turma do 4º semestre do curso de Enfermagem da Universidade Estadual do Pará (UEPA). Os universitários foram recepcionados pela gerente de Captação de Doadores do hemocentro, a assistente social Juciara Farias.
O grupo assistiu palestra sobre a importância da participação da sociedade no processo da doação voluntária de sangue e cadastro de doação de medula óssea. Logo em seguida, os estudante fizeram um "Hemotur" pelas instalações do órgão, para conhecer o passo-a-passo do ciclo do sangue, desde a captação do doador até a distribuição do produto para a hemorrede do Estado.
Ao final, alguns deles optaram pela doação voluntária de sangue e outros para inscrição no Registro Nacional de Doadsores de Medula Óssea (REDOME), que é o serviço que o Hemopa presta aos usuários desde 2002.
O grupo esteve acompanhado dos professores Kátia Melo e Edson Corrêa, que também faz parte do quadro funcional desta instituição.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade é um doador em potencial.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada três meses e a mulher a cada dois meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
Para cadastro de doação da medula óssea basta ter vontade, idade entre 18 e 55 anos, estar bem de saúde.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/
Foto: Prof.Corrêa (ponta esq) com alunos do curso de Enfermagem da UEPA

CUT mobiliza doadores

Em janeiro de 2011, de 24 a 29, a Fundação Hemopa iniciará seu calendário de ações estratégicas com mobilização em parceria com Central Única dos Trabalhadores/PA (CUT/PA), ao promover campanha de doação de sangue e cadastro de doação de medula óssea com aproximadamente 40 entidades filiadas, na Região Metropolitana de Belém. A meta será de 200 coletas que serão efetivadas na sede do hemocentro, em Belém.
A CUT/PA está sob a presidência de Miriam Oliveira de Andrade e a secretária de Saúde da entidade, Jurena Mª do Amparo coordenará a campanha junto ao hemocentro.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade é um doador em potencial.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado. O Homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Para torna-se um candidato à doação de medula óssea é muito fácil: basta estar bem de saúde e tem entre 18 e 55 anos.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/

Encarando a aposentadoria

O ambiente calmo e bucólico do Hotel fazenda Santa Rosa, no município de Vigia, foi escolhido para receber os 13 servidores, nos dias 6 e 7/11. Eles fazem parte do Programa de Preparação para a Aposentadoria do Hemopa, coordenado pelo Serviço de Atendimento a Saúde do Servidor (SASS). Durante daquele final de semana, os participantes desfrutaram de várias atividades, entre elas prevenção de saúde, lazer, cultura e integração.Acompanhados pelas técnicas do SASS, a assistente social Lurdes Almeida, a enfermeira Regina Martinho e a médica Patrícia arruda, os funcionários vivenciaram momentos de relaxamento com banho de piscina, hidroginástica, passeio a cavalo, karaokê, al´me de cardápio variado de comidas caseiras e saudáveis.Através de atividades de interpessoal, eles puderam conhecer um pouco mais sobre os aspectos relacionados à saúde durante o processo de envelhecimento, por meio da dinâmica “Rodas de conversas”, onde foram abordados temas como a menopausa, andropausa, prevenção de doenças crônico degenerativas, hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias e outros assuntos relacionados à maturidade.
O Hemopa espera por você na Trav. Padre Eutíquio, 2109.Mais informações: 08002808118. Doe sangue e faça seu cadastro para doação de medula óssea.