segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Hemopa faz campanha do Carnaval

No período de 22/02 a 03/03, o Hemopa realizará campanha de doação de sangue para garantir atendimento satisfatório da demanda transfusional do feriadão carnavalesco. A meta será de 300 coletas/dia. “Faça o carnaval ser mais alegre.Doe Vida.Doe Sangue”.É o tema da ação estratégica que se estenderá aos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá e Santarém; e nos Núcleos e Hemoterapia de Abaetetuba,Altamira, Tucuruí, Redenção de Capanema.A programação da campanha na sede, em Belém, contará com atrações artísticas, distribuição de camisetas e preservativos, panfletos,lanche especial e decoração típica da época.

20 anos do Programa "Barra Pesada"

O Hemopa foi convidado a participar da comemoração dos 20 anos do programa “Barra Pesada”, da Tv RBA, no dia 13/02, na Aldeia Amazônica, onde será realizado vasta programação com ofertas de serviços de cidadania e atrações musicais. A emissora produzirá chamadas divulgando a comemoração por toda sua programação da Tv e rádios do grupo de comunicação.
O Hemopa agradece!

SBT/ Belém promove parceria com Hemopa

No dia 19/02, o SBT/Belém promoverá pré lançamento da campanha do carnaval promovida pelo Hemopa de 22/02 a 03/03. A ação contará com a unidade da emissora na área frontal do hemocentro (estacionamento) para receber artistas, carnavalescos e pessoas que formam opinião positiva sobre o processo da doação de sangue e cadastro de doação de medula óssea. Fazendo parte da programação, no dia 18, a emissora fará chamadas ao vivo do prédio do Hemopa diretamente para o Jornal do SBT, convocando seus telespectadores para participarem da campanha solidária. A ação é de iniciativa da emissora local que desenvolve ações de responsabilidade social junto aos seus funcionários, familiares e população em geral. A meta será 250 coletas. A ação conta com apoio do SBT/SP, que dará suporte às produções de chamadas para a campanha duas semanas antes do pré lançamento da campanha do carnaval.
O Hemopa agradece!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Hemopa faz Campanha externa

No próximo dia 05, de 8h às 16h, a Fundação Hemopa estará com sua unidade móvel fazendo campanha externa de doação de sangue e formação de cadastro de doadores de medula óssea, em parceria com a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, situado na travessa das Mercês, entre as avenidas Almirante Barroso e 25 Setembro.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e peso acima de 50 quilos é um doador em potencial. É necessário portar documento de identidade original e com foto.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada três meses e a mulher a cada dois meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
Para fazer seu cadastro de doação de medula é muito simples: estar bem de saúde e ter entre 18 e 55 anos.
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, a assistente social Juciara Farias, destacou o resultado das ações estratégicas realizadas nos dias 26 e 27/01, em frente a Agência do Banco do Brasil (BB), que resultou em 207 comparecimentos, sendo que 111 no dia 26, e 96 no dia 27. O Hemopa agradece!

O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/.
Foto: campanha na unidade móvel de coleta do hemocentro.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Importância da doação de sangue

Se você parar para pensar muitas pessoas precisam de uma doação de sangue em qualquer canto do Brasil, mas infelizmente não são todos que a recebem quando necessário, pois não são todos que conhecem e percebem a importância da doação de sangue.
Apesar da organização Mundial de Saúde (OMS) determinar a necessidade variável entre 3% e 5% da população brasileira praticar esse ato solidário, as estatísticas apontam que apenas 1.8% da população é doadora de sangue habitual. No Pará esse índice é de 1.7%. Na Fundação Hemopa várias frentes de ações estratégicas são desenvolvidas para garantir atendimento satisfatório da demanda transfusional da rede pública e particular que corresponde à cerca de 218 hospitais, que significa cobertura transfusional de aproximadamente 95%.
Das ações realizadas em 2010, o Hemopa efetivou a captação de 114.560 doadores, sendo que 93.502 coletas e 146.208 atendimentos transfusionais. No mesmo período o hemocentro assegurou 20.993 atendimentos à pacientes portadores de doenças hematológicas.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 e peso acima de 50 quilos é um doador em potencial. É necessário portar documento de identidade original e com foto.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada três meses e a mulher a cada dois meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado. O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Planejamento deve formar 500 mil agentes públicos

O Ministério do Planejamento (MP) irá coordenar, a partir do próximo ano, um projeto para qualificar com formação em nível médio ou superior de escolaridade cerca de 500 mil agentes públicos, até 2016, com o objetivo de capacitá-los a operar projetos e programas governamentais.A medida atende às finalidades de modernizar a gestão pública, promover a capacitação inicial e continuada da força de trabalho no setor público e intensificar a cooperação do Governo Federal com Estados e Municípios. As ações serão desenvolvidas pelo Instituto Federal do Paraná (IFPR) e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap), cabendo à Secretaria de Gestão (Seges/MP) a supervisão da iniciativa.Para estruturação do curso, foi assinado um Termo de Cooperação Técnica entre o MP, o IFPR e a Enap. A expectativa é de que o edital para recepção das manifestações de interesse encaminhadas pelos órgãos e entidades beneficiárias, seja publicado até o final de janeiro. A assinatura do termo foi realizada na manhã desta segunda-feira, na sede do IFPR, em Curitiba. O ministro Paulo Bernardo, a presidente da Enap Helena Kerr do Amaral e o reitor do IFPR Alípio Santos Leal Neto, participam do ato.Profissionalização da máquinaO curso de tecnologia em Gestão Pública deverá propiciar formação sobre todo o ciclo de gestão da Administração Pública e faz parte de uma estratégia maior de formação de capacidades e profissionalização que envolverá não somente a qualificação, mas também o oferecimento de ferramentas e metodologias de gestão aos entes federados.Para a implementação dessa estratégia, a Seges contará com o apoio dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFES) e das escolas de governo, que atuarão como centros de recursos, apoiando não só a disseminação dos cursos profissionalizantes em gestão pública em amplitude nacional, mas também sendo referência em formação e desenvolvimento de ferramentas de gestão.Podem ser tecnólogos em Gestão Pública membros, dirigentes, gestores, técnicos e auxiliares dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário de todas as esferas de governo. Além destes, integrantes da administração direta e indireta que sejam estatutários, celetistas ou comissionados e, ainda, os representantes dos conselhos gestores de políticas públicas de setores como saúde, alimentação escolar, assistência social, dentre outros.Agentes municipais serão os primeirosNos dois primeiros anos, 80% das vagas previstas serão reservadas para a esfera municipal em locais onde ainda existe maior carência de formação de alto nível em gestão pública. Nesse período, serão abertas 30 mil vagas, distribuídas nos municípios com público alvo constituído majoritariamente de agentes municipais com nível médio de escolaridade. A previsão é de que o projeto alcance a meta global de 500 mil agentes públicos capacitados até 2016.O curso utilizará a metodologia apropriada para educação de adultos, com a tecnologia de educação a distância para a capacitação profissional dos agentes públicos, aproveitando a experiência do IFPR e da Enap na oferta de cursos profissionalizantes e também a estrutura da Secretaria de Gestão, que tem programas de apoio à gestão nos Estados e Municípios.Graduação em dois anosO curso superior de tecnologia em Gestão Pública é uma graduação em nível tecnológico, com, no mínimo, 1.920 horas/aula, distribuídas em 24 meses, ofertado na modalidade de EaD, incluindo videoaulas. A metodologia de ensino prevê encontros semanais, nos quais os alunos dirigem-se aos polos de apoio presencial (unidades mantidas por municípios ou governos estaduais) e assistem a transmissão ao vivo das aulas. Além disso, existem atividades nas quais os alunos desenvolvem a sua capacidade de análise por meio de exercícios, estudos, trabalhos individuais e em grupo. Todo o curso é apoiado por material didático impresso e em mídia eletrônica disponível na internet.Com o objetivo de dar ao agente público uma visão ampla de todos os aspectos da Administração Pública, o curso desenvolverá os seguintes temas: Gestão Aplicada ao Setor Público; Gestão Participativa e Compartilhada; Associativismo e Cooperativismo; Ética Profissional; Contabilidade Pública; Comunicação Oficial; Gestão de Compras Públicas; Mecanismos de Transferências Voluntárias e Prestação de Contas; Marketing Público; Organização do Estado; Planejamento e Desenvolvimento Urbano; Direito Público; Gestão da Informação; Gestão das Relações Humanas; Gestão de Políticas Públicas; Gestão de Recursos Humanos; Gestão de Projetos; Gestão Ambiental; Gestão do Patrimônio e Logística; Gestão de Serviços e Obras Públicas; Saneamento; Relações Institucionais.Recursos e origem do projetoO curso será financiado com recursos do Programa de Fortalecimento da Capacidade de Gestão Pública, podendo-se destacar o apoio do Programa de Modernização do Sistema de Controle Externo dos Estados e Municípios Brasileiros (Promoex); do Programa Nacional de Apoio à Modernização da Gestão e do Planejamento dos Estados e do Distrito Federal (Pnage), bem como por outras fontes orçamentárias e de cooperação técnica internacional.A iniciativa do MP nasceu a partir de estudos de experiências compartilhadas no âmbito do Pnage e do Promoex e dos diagnósticos e trabalhos desenvolvidos no Projeto Brasil Municípios.Foi inspirada no êxito de uma solução apresentada pela Escola de Governo da Secretaria de Estado de Administração e Previdência do Estado do Paraná.

Especialistas em Hemoterapia fazem defesa de trabalho

A presidente da Fundação Hemopa, dra. Luciana Maradei recepcionou e parabenizou os 27 novos especialistas que fizeram apresentação do trabalho de conclusão do I Curso de Especialização em Hemoterapia, na manhã hoje, 25, no auditório do hemocentro. O curso que foi promovido em parceria com a Universidade Estadual do Pará (UEPA) contou com recursos de convênio com o Ministério da Saúde (MS)/Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados (CGSH).
“Agradecemos ainda a parceria e empenho da UEPA.Tenho certeza que o curso será um importante incentivo para a produção de futuros trabalhos de pesquisa no Hemopa”, destacou a médica, relembrando a realização do curso de especialização foi idealizado por volta de 2002.
Ao representar a UEPA, a coordenadora geral do curso, a dra. Virginia Van Den Berg, agradeceu a confiança nela e na instituição da qual estava representando. “Parabenizo pelo esforço e pelo êxito de cada um de vocês.Esse curso é apenas o início de outros cursos que serão ofertados pela UEPA, inclusive, de Mestrado e Doutorado”.A apresentação dos trabalhos se estende até às 18h.As atividades serão reiniciadas de 8h às 18h de amanhã, 26.
A especialização teve início em dezembro de 2009 e sua conclusão em dezembro de 2010.Durante o período foram ministrados os seguintes módulos: Metodologia Científica I e II; Captação e Triagem Clínica para Seleção de Doadores; Testes de Triagem e Diagnóstico de Doenças Transmitidas pelo Sangue; Coleta de Sangue Convencional e Seletiva de Doadores; Processamento e Controle de Qualidade; Imunohematologia I e II;; Medicina Transfusional; Hemovigilância e Tecnovigilância; Gestão em Hemoterapia; Atendimento ao Paciente Hematológico.Relação dos novos especialistas: Gisele Maria Cardoso; Letícia Nobre; Rosilene Ilma Freitas; Ruth Pantoja; Joaceli Pantoja; Merian Cruz; Fernando Augusto Monteiro; Andréa Lobão; Carlos Rodrigues Jr; Ednilson do Carmo; Elias Serruya; Márcia Maria de Abreu; Sergio Antonio dos Santos; Luciana Sales; Patrícia Cristina Moreira; Rubenilson Valois; Hilda Cristina Rego; Kleber Farias da Silva; Sebastião Gomes; Silvia Helena Teixeira; Ilka da Silva; Kati Seixas; Luciana Leal; Danielle de Castro; Elen Luce Elmescany; Marluce Gonçalves; Igor Teles Macedo.Foto 1- A apresentação dos trabalhos se estemderá até o dia 22.Foto 2- A presidente do Hemopa, Luciana Maradei (blusa listra) parabenizou todos os nos 27 especialistas em Hemoterapia.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Pagamento do funcionalismo público

Começa dia 27 deste mês o pagamento dos salários do funcionalismo público estadual. O primeiro grupo a receber é o dos pensionistas, das categorias civil e militar. Dia 28, é a vez dos inativos (civis) e dos servidores que recebem pensões especiais da Secretaria Estadual de Administração (Sead). O cronograma segue até o dia 2 de fevereiro.
27/01 - Pensionistas (civil e militar)28/01 - Inativos (civis) e pensões especiais (Sead)31/01 - Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Consultoria, Defensoria Pública, Gabinete da Vice-Governadoria, NGPR, Procuradoria Geral do Estado, Segov, Sepe, Spaq, Seir, Sedect, Sead, Sefa, Sepof, Sagri, Sema, Secult, Sedurb, Seel, Seicom, Sejudh, Seop, Sespa, Seter, Sedes, Setran, Secom01/02 - Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Segup, Adepará, Arcon, Asipag, Ceasa, Cohab, Centro de Perícias Renato Chaves, EGPA, Emater, FCG, FCPTN, FCV, Funcap, Funtelpa, Fapespa, Hospital de Clínicas, Hospital Ophir Loyola, Hemopa, IAP, Imep, Iterpa, Paratur, Prodepa, Santa Casa, Susipe, Uepa, Ideflor, Idesp e Loterpa02/02 – Seduc.

SBT/Belém faz campanha solidária com Hemopa

A Fundação Hemopa firmou outra importante parceria para realização de campanha de doação sangue e formação de cadastro de doação de medula óssea com a empresa de comunicação SBT/Belém, que já destina atenção com a divulgação das ações estratégicas do hemocentro. A data e a programação estão sendo definidas entre as duas instituições.A reunião para tratar do assunto deu-se na manhã de ontem, 19, com a administradora do SBT Belém, a supervidora de Finanças, a administradora Érika Nogueira que estava acompanhada de Vanessa Almeida e Juliana Negrão, responsáveis pelo marketing e assessoria de imprensa do SBT/SP, respectivamente. Pelo Hemopa, estavam presentes a médica Ilka da Silva Rosa, a gerente da Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias; e a assessora de imprensa do hemocentro, a jornalista Vera Rojas.
A campanha envolverá funcionários, familiares e comunidade em geral que será acionada pela emissora, através de chamadas nas programações da Tv. Juciara Farias aposta no sucesso da campanha que deverá sofrer adesão de telespectadores do SBT/Belém. "Essa ação dará substancial reforço para estoque de sangue do hemocentro para atendimento da demanda do carnaval", disse, comentando que a campanha de doação do período carnavalesco será de 22/02 a 03/03, na sede do Hemopa e unidades no interior do Estado.

O Hemopa espera por você na Trav. Pe.Eutíquio, 2109.Mais inofmrações: 08002808118.Visite no site: http://www.hemopa.pa.gov.br/.

Bloco leva solidariedade para a avenida

“Doe, doe, doe. Que maravilha é você doar.Esse povão que se encontra na avenida, doando sangue vai salvar milhões de vida”.É o refrão do samba enredo do Grêmio Recreativo Cultural Carnavalesco Bloco “Sapo Muiraquitã”, que levará a solidariedade de salvar vidas para o desfile oficial dos blocos do Grupo A da prefeitura de Belém, neste carnaval. Há 12 anos, a agremiação escolhe temas de incentivo à responsablidade social.
O bloco deve levar cerca de 800 brincantes à Aldeia Amazônica, onde desfilarão alas com as mais diversas abordagens sobre doação de sangue, de medula óssea e de outros órgãos como coração, córnea e fígado. Em reunião com a gerência de Captação de Doadores (GECAD) e Assessoria de Imprensa do hemopa, o vice presidente do bloco, Francisco Pereira, mais conhecido como “Pereira PP” e o compositor Pedrinho da Silva, o objetivo da agremiação é incentivar ato solidário nos foliões e a população e geral. ‘Usamos o carnaval, a arte e a criatividade para sensibilizar as pessoas”, comentaram.
Segundo Francico PP outra marca registrada do ‘Sapo Muiraquitã” é a reutilização da maior parte das fantasias, tendo em vista a comunidade carente. “Costumamos aproveitar a maior parte das fantasias como camisetas e outros acessórios”, admitiu, revelando ainda a necessidade de evitar desperdícios dos recursos públicos com temas que não agregam nada à sociedade. Para ele, a associação de iniciativas de preservação socioambientais é fundamental para o crescimento das pessoas. “Podemos nos divertir, educando ou incentivando ações de responsabilidade social”, observou Pedrinho Silva.
Para a gerente da GECAD, a assistente social Juciara Farias, a parceria irá contribuir decisivamente para a formação de novos doadores de sangue, medula e de outros órgãos. A ação complementará a campanha de doação de sangue referente ao carnaval que o hemocentro desenvolverá de 22/02 a 03/03. Ela enfatizou que os foliões que passarem o carnaval fora de Belém, poderão doar sangue ou fazer cadastro de para doação de medula
óssea onde houver unidade do Hemopa no interior paraense, entre eles, nos municípios de Castanhal, Santarém, Marabá, Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema.
Segundo Francisco PP o samba enredo “Se dar dói. Doar não dói”, já está sendo veiculado nas rádios da cidade e com grande repercussão.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e peso acima de 50 quilos ´[e um doador em potencial. É necessário portar documento de identidade original e com foto.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada três meses e a mulher a cada dois meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/.
Fot0 1-grupo de dirigentes, compositores e carnavalescos do 'Sapo Muiraquitã". Arte da campanha do carnaval do Hemopa.


Parceria HEMOPA 2011 e Bloco Sapo Muiraquitã
Tema: “Se dar dói. Doar não dói”.
Compositores: Pedrinho da Silva, Pereira P.P. e Manelito
Interprete: Ademar Carneiro

Samba enredo
Doe, doe, doe...
Que maravilha é você doar. REFRÃO
Esse povão que se encontra na avenida.
Doando sangue vai salvar milhões de vidas.

Se dar dói, doar não dói...
Venha ajudar a quem precisa.
Vá no Hemopa coletar.
Que só assim, você salva muitas vidas.
Doe seu sangue, com muito amor.
Seu coração vibra de felicidade.
Quem nunca doou vai doar.
E muitas vidas você vai salvar; (vamos doar).

Doe, doe, doe...
Que maravilha é você doar. REFRÃO
Esse povão que se encontra na avenida.
Doando sangue vai salvar milhões de vidas.

Foi o Caveira que iniciou...ôôô
A balada da responsa.
Muiraquitã vem incentivar.
Como é lindo, você doar.
Doe seu fígado e seu coração!
As suas córneas, os seus rins e seus pulmões
Medula óssea também vai doar.
E com certeza, muitas vidas salvará...(vamos doar)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Presidente no Hemopa no "Sem Censura"

A presidente da Fundação Hemopa, dra. Luciana Maradei será uma das entrevistadas no programa “Sem Censura”, da Tv Cultura, hoje, 19, de 13h30 às 15h. Ela abordará a importância dos serviços prestados pelo hemocentro e suas metas de gestão.
Responsável pela coordenação da Política Estadual de Sangue do Pará, a Fundação Hemopa abastece 218 hospitais conveniados com o Sistema Único de Saúde (SUS), entre eles, grandes emergências, maternidades e UTI´s, que c corresponde a cobertura transfusional de aproximadamente 95%. Hoje a hemorrede paraense é composta por 48 unidades, sendo que 3 Hemocentros Regionais (Marabá, Santarém e Castanhal), 5 Núcleos de Hemoterapia (Abaetetuba, Altamira,Tucuruí, Redenção e Capanema, além de mais 40 Agências Transfusionais (AT´s) na capital e interior do Estado.
O hemocentro tem uma média diária de 250 doações de sangue e cerca de 300 atendimentos transfusionais. Somente ano passado, o hemocentro coletou 91.290 bolsas de sangue e atendeu 142. 875 transfusões da rede hospitalar. Atualmente, a população doadora voluntária de sangue no Brasil é de 1.9%. No Pará é de 1.7%. O que ainda é baixo, levando-se em consideração que a Organização Mundial de Saúde (OMS) determina que 3% a 5% da população pratique esse ato solidário.
Atualmente, a população doadora voluntária de sangue no Brasil é de 1.9%. No Pará é de 1.7%. O que ainda é baixo, levando-se em consideração que a Organização Mundial de Saúde (OMS) determina que 3% a 5% da população pratique esse ato solidário.
Entre os fatores para o crescimento esperado da demanda por sangue no país estão o aumento de 58,3% dos transplantes (de 2003 a 2009), o crescimento da expectativa de vida da população, o uso cada vez maior de sangue como suporte terapêutico em doenças hematológicas. No Pará, vivenciamos ainda a realidade da expansão da hemorrede que no período de 2007 a 2010, foram implantadas mais 14 AT´s, elevando naturalmente o número de transfusões para 12%, ano passado.
Para reforçar o estoque, a Gerência de Captação de Doadores (GECAD) intensificou campanhas externas de doação de sangue com as duas unidades móveis que resultou, em 2010, 136 ações em pontos estratégicos da capital que resultou em 10.493 doações de sangue, que equivalem a dois meses de coletas efetivas na sede do hemocentro.
O Hemopa não apenas coleta, processa, armazena e distribui o sangue para a rede hospitalar do Estado, o órgão disponibiliza serviços de atendimento médico para pacientes portadores de doenças hematológicas, através de equipe multidisciplinar com biomédicos, farmacêuticos bioquímicos, odontólogos , fisioterapeutas, fisiatras, enfermeiras, assistentes sociais, psicólogos e pedagogos, que somente em 2010, efetivou 20.993 atendimento de pacientes entre adultos e crianças. No mesmo período foram realizados 91.835 exames laboratoriais de apoio diagnóstico.
Oferecido desde 2002, o hemocentro possui serviço de cadastramento de candidatos à doação de medula óssea, por meio do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), cuja sede fica no Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Rio de Janeiro.A lista é consultada por pacientes que aguardam por transplante de medula. Até 2010, o Hemopa já enviou 56.334 inscrições ao Redome, das quais 20.725 somente ano passado. No Pará, cerca de 150 pacientes aguardam por um doador compatível de medula óssea.
No Brasil, mais de 1,5 milhão de pessoas estão insctitas no Redome. Uma média anual de 1.200 transplantes de medula óssea são realizados no Brasil.
O hemocentro também dá suporte ao Programa de Transplantes de Órgão do Governo do Estado com realização de exames pré transplantes para confirmar compatibilidade tecidual entre receptores e doadores. Esse apoio será estendido ao Programa de Transplante de Medula Óssea, que deverá funcionar no Hospital Ophir Loyola.
Para finalizar, informamos que o Hemopa tem a missão de Coordenar a HEMORREDE do Estado do Pará, prestar assistência de qualidade em hemoterapia e hematologia e disseminar conhecimentos na área do sangue.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/.
Fotos 1- A médica Luciana Maradei.Foto 2-Doadores salvam vidas, anonimamente.Foto 3- O sangue coletado passa por sorologia com tecnologia de ponta.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Urbanitários doam sangue

No período de 24 a 29 deste mês, o Sindicatos dos Urbanitários do Pará promoverá campanha de doação de sangue e formação de cadastro de doação de medula óssea em parceria com a Fundação Hemopa. A ação tem o objetivo de estimular o hábito solidário nos trabalhadores dos 153 sindicatos de trabalhadores urbanos e rurais filiados a Central Única dos Trabalhadores do Pará (CUT/Pa). A meta será de 60 coletas de 50 cadastros de medula.
Antecedendo a campanha, no dia 20, técnicas da Gerência de Captação de Doadores (GECAD) do hemocentro, ministrarão palestra sobre a importância da sociedade no processo da doação de sangue para sensibilizar o maior número de pessoas que serão estimuladas a sensibilizar familiares e amigos a aderirem a ação estratégica.
Em reunião nesta manhã, 13, na GECAD, com a presidente dos “Urbanitários”, Miriam Andrade com a assessora de Imprensa, a publicitária Laís Côrtes, juntamente com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Acará, Jurema Amparo, foram acertados os detalhes da primeira acão estratégica de 2011. “Apostamos que esta campanha sirva de exemplo para outras entidades de classe para que possamos colaborar cada vez mais com a melhoria da saúde pública em nosso estado”, disse Jurema Amparo, que revelou a prática de capacitação dos filiados em ações de responsabilidade social.
A titular da GECAD, a assistente social Juciara Farias, agradeceu a mais nova parceria e informa ainda que instituições interessadas em firmar parceria para desenvolvimento de campanhas externas devem entrar em contato com o setor de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h, pelo fone: 3224.5048 ou 32429100 R- 205.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade é um doador em potencial.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada três meses e a mulher a cada dois meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Chuvas intensas impedem doação de sangue

O período chuvoso e as férias escolares são os principais fatores responsáveis pela redução de aproximadamente 20% do número de comparecimentos de doadores voluntários de sangue na sede da Fundação Hemopa, neste mês. Medidas estão sendo executadas para reverter o quadro, entre elas, intensificação de campanhas externas e a revitalização da parceria com a rede hospitalar, cujo corpo técnico deve alertar familiares de pacientes para a necessidade de reposição do sangue consumido.
Diante da situação, a gerente de Captação de Doadores (GECAD) do hemocentro, a assistente social Juciara Farias convoca antigos e novos doadores de sangue, especialmente, os dos tipos O Negativo, B Negativo e AB Negativo. Ela destacou ainda que em 2010, o número de transfusões aumentou em 12%, além da expansão da hemorrede com a inauguração de mais 14 Agências Transfusionais AT´s). “Isso tudo contribui para o aumento da demanda.Por isso, contamos com a solidariedade de todos que podem salvar vidas, doando sangue”, ressaltou, informando que a programação da campanha referente ao carnaval, que deverá ser desenvolvida de 22/02 a 03/03, já está sendo finalizada. A meta será de 300 coletas/dia.
Para Juciara Farias, a parceria entre hemocentro e os hospitais é fator determinante para a melhoria dos serviços. “O médico tem um grande poder de convencimento junto ao paciente e familiar. Ele pode mostrar a importância da participação de todos no processo da doação de sangue”, observou, informando que a campanha do carnaval, este ano,deverá focar para o público feminino, tendo em vista que a terça-feira gorda, cairá no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher.
Sobre a campanha do carnaval Juciara Farias disse que será desenvolvida simultaneamente nos Hemocentros regionais de Santarém, Castanhal e Marabá; e nos Núcleos de Hemoterapia de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema. Portanto, quem deslocar-se da capital para o interior do Estado, pode efetuar sua doação de sangue onde houver unidade do Hemopa.
A campanha será desenvolvida simultaneamente nos Hemocentros regionais de Santarém, Castanhal e Marabá; e nos Núcleos de Hemoterapia de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema. Portanto, quem deslocar-se da capital para o interior do Estado, pode efetuar sua doação de sangue onde houver unidade do Hemopa.
Segundo a assistente social, o Hemopa tem uma média diária de 250 coletas e cerca de 300 atendimentos transfusionais, quando o ideal seria equilíbrio entre demanda e oferta para formação de estoque técnico de sangue. As campanhas externas, ano passado, foram responsáveis por 10.492 doações voluntárias de sangue.
A gerente da GECAD informa ainda que instituições interessadas em firmar parceria para desenvolvimento de campanhas externas devem entrar em contato com o setor de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h, pelo fone: 3224.5048 ou 32429100 R- 205.
Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e portar documento de identidade é um doador em potencial.Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis,Doença da Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada três meses e a mulher a cada dois meses. Para doar sangue não é preciso estar em jejum. O doador deve estar bem alimentado.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109.Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 12h30. Maiores informações pelo fone: 08002808118 ou pelo site: http://www.hemopa.pa.gov.br/ ou pelo blog: http://fundacaohemopa.blogspot.com/eduzem coleta de sangue

Luciana Maradei assume o Hemopa

O secretário de Estado de Saúde Pública do Pará, dr. Hélio Franco empossou a nova presidente da Fundação Hemopa, dra. Luciana Maradei, que recebeu o cargo de sua antecessora, dra. Fátima Montoril, na manhã desta terça-feira, 11, às 9h, no auditório do hemocentro que ficou lotado de funcionários para acompanhar a cerimônia.Na ocasião, Luciana Maradei apresentou sua equipe de governo.
Hélio Franco não escondeu a satisfação de presenciar o repasse de cargo da ex presidente para a atual gestora da instituição. “Isso mostra a cultura de trabalho ao longo do tempo”, comentou, ressaltando que ao ser convocado para titular da Sespa, ele julga como fundamental a harmonia na Política Pública de Saúde para disponibilizar serviços de qualidade e atendimento satisfatório à demanda, tendo em vista que dos 7 milhões de habitantes no Estado, mais de dois milhões vivem com apenas de R$4,00 por dia.Hélio Franco defende a descentralização da saúde para que ela chegue em todos os municípios.Para tanto, o médico reforça a importância de gestão do Estado, com a participação e o comprometimento dos servidores para manutenção da qualidade do atendimento, assim como ocorre no Hemopa.
Fátima Montoril agradeceu aos funcionários pelo apoio e compromisso pela qualidade dos serviços.Ela desejou sucesso também à nova gestão da SESPA e de todo Governo do Estado.
A médica Luciana Maradei falou da satisfação de estar sendo muito bem recebida pelos servidores. “Retorno para este cargo sabendo das dificuldades econômicas e estruturais do Estado do Pará que certamente interferem em todas as organizações do governo. São muitos os desafios a cada retorno”, comentou, enfatizando que está em fase de composição de sua nova diretoria.
A médica aposta em uma gestão participativa para que todos possam contribuir e oferecer tratamento digno e respeitoso ao usuário cidadão.Ela adiantou que só poderá estabelecer metas de gestão, após diagnóstico situacional do hemocentro. “Só então poderemos fazer uma análise crítica para estabelecer metas e ajudar o secretário no resgate da dignidade da saúde pública no Estado”. O foco de sua gestão estará voltado para a busca da responsabilidade social no sentido coletivo para mostrar que a saúde pública dá certo. “Queremos promover a vida. Nos prometemos isso”, concluiu a nova presidente do Hemopa.
Foto 1-.Auditório lotado de funcionários que prestigiaram a solenidade de posse com o secretário de Saúde, Hélio Franco. Foto 2- Dra. Luciana Maradei agradece a recepção de todos e promete apoio irrestrito ao secretário de saúde.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Hemopa tem nova presidência

A hematologista e hemoterapêuta, dra. Luciana Maria Cunha Maradei Pereira é a nova presidente da Fundação Hemopa.Servidora de carreira do hemocentro, ela voltou para o cargo que ocupou de 1990/ 1994/ 1995/2002.O governador Simão Jatene confirmou ontem, 4, o nome da médica juntamente com os demais titulares de órgãos da administração direta e indireta.A publicação de sua nomeação está no Diário Oficial do Estado do Pará (IOEPA), nº 31827, de 06/01/2011.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

MS faz balanço de gestão

Temporão faz balanço em despedida do Ministério No último discurso antes de deixar a pasta, ex-ministro aponta avanços na redução da mortalidade infantil, ampliação do Saúde da Família e no acesso a medicamentos O ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão transmitiu o cargo nesta segunda-feira (3) ao médico e infectologista Alexandre Padilha. Quase quatro anos à frente da pasta, Temporão destacou avanços no Programa Saúde da Família, Brasil Sorridente e no acesso a medicamentos, principalmente por meio da iniciativa Farmácia Popular do Brasil, e comemorou, sobretudo, o reforço no planejamento de políticas de saúde por meio do Mais Saúde – o PAC do setor. “A necessidade imposta pela urgência na saúde não pode nos levar à simplificação ou ao velho modelo de programas e políticas desconexas e fragmentadas a pautar as políticas de saúde”, afirmou José Gomes Temporão. Segundo ele, a saúde pública brasileira, já vista como referência mundial na política de combate a Aids, nas campanhas de vacinação e realização de transplante de órgãos, agora ganha destaque pela abrangência e resultados em áreas diversas. “Gostaria de ser lembrado como um ministro que conduziu uma abrangente política de fortalecimento do SUS.” Temporão citou avanços em indicadores importantes para o Brasil, como a redução da mortalidade infantil e materna, e ações estratégicas, como a estruturação de rede de atenção á urgências e emergências, por meio da criação de Unidades de Pronto Atendimento e ampliação do SAMU/192, além da realização da maior campanha de vacinação do país em 2010 para o enfrentamento da pandemia de H1N1. Mas, segundo ele, apesar dos avanços, o Brasil ainda tem um longo caminho na consolidação do sistema público de saúde. FUTURO – Entre os desafios futuros, segundo o ex-ministro, está o subfinanciamento do SUS, agravado com o fim da CPMF, e a necessidade de mudar o modelo de gestão. “Será preciso combater o corporativismo que defende modelos obsoletos de gestão, além de rever a legislação de compras públicas e os mecanismos de remuneração dos profissionais de saúde”, disse. A dependência tecnológica brasileira, a ampliação dos gastos com pesquisas e inovação também foram citadas pelo ministro como pontos fundamentais para se avançar no país, além de embates com a indústria de cigarro, bebidas e de alimentos. “Um importante projeto de lei que tramita no Senado, o da lei que proíbe o fumo em ambientes coletivos não avança”, afirmou questionando a influência da indústria do fumo. Mas, apesar dos desafios, Temporão mostrou-se otimista e confiante com o novo governo. “Estou seguro de que o ministro Padilha e a equipe que o acompanhará têm todas as condições de enfrentar esta lide” afirmou. José Gomes Temporão assumiu o Ministério da Saúde em março de 2007, depois de ocupar o cargo de Secretário de Atenção à Saúde da pasta desde julho de 2005. Antes disso, foi diretor do Instituto Nacional de Câncer no Rio de Janeiro (INCA), subsecretário de Saúde da Prefeitura do Rio de janeiro e Presidente do Instituto Vital Brazil do Governo do Rio de Janeiro.

Hemofílicos podem levar uma vida normal

Pessoas com hemofilia podem levar uma vida normal, se tratadas corretamenteEm tempos de grandes conquistas científicas, do desenvolvimento de medicamentos biotecnológicos e de novos tipos de cirurgia é lamentável constatar que a maioria dos pacientes com hemofilia ainda padece por atrofias articulares e dificuldades de locomoção, em decorrência da falta de tratamento. Mesmo porque existe tratamento para a hemofilia.A hemofilia é uma doença originada de mutações genéticas no cromossomo X e que acomete quase que exclusivamente indivíduos do sexo masculino, atingindo um em cada dez mil. A mutação ocasiona a deficiência ou ausência de uma proteína que ajuda na coagulação do sangue. Os dois tipos mais comuns são a hemofilia A (por deficiência do fator VIII) e a B (por deficiência do fator IX). Outro importante problema que afeta a coagulação é a doença de von Willebrand, também tratada com a reposição da proteína deficiente, o fator von Willebrand.Os sintomas da hemofilia geralmente aparecem no primeiro ano de vida, quando a criança começa a engatinhar. São frequentes as manchas roxas, hematomas e principalmente sangramentos dentro das articulações. O diagnóstico é feito com a avaliação clínica em conjunto com exames laboratoriais especializados. O histórico familiar também é avaliado, por se tratar de um problema hereditário, embora um terço dos casos aconteça por mutações genéticas novas na família.No Brasil, com oito mil cadastrados, as pessoas com hemofilia ainda enfrentam uma péssima qualidade de vida, pela falta de acesso ao tratamento. Em países como o Canadá, França, Inglaterra, Alemanha ou mesmo a Argentina, a Colômbia e a Venezuela, a realidade é outra. Logo que se tem o diagnóstico, nos primeiros anos de vida, é oferecido um tratamento preventivo, a profilaxia, que é a reposição do fator de coagulação deficiente. Em vez de utilizar o fator só depois de ocorrido um sangramento, ele é aplicado regularmente de duas a três vezes por semana, como forma de prevenir os sangramentos.Um fato em geral desconhecido é que a hemofilia causa dor e incapacidade física. A maioria dos hemofílicos é sujeita diariamente a dor causada pelas hemorragias dentro das juntas, que levam a uma espécie de reumatismo, a artropatia hemofílica. Essa complicação, que começa na infância e acomete cerca de 80% dos pacientes poderia ser evitada. A profilaxia com fatores de coagulação é o tratamento recomendado para a prevenção da artropatia, tanto pela Federação Mundial de Hemofilia, como pela Organização Mundial da Saúde. Sua implantação é um dos principais objetivos da Federação Brasileira de Hemofilia (FBH).No próximo dia 17 de abril será lembrado o Dia Mundial da Hemofilia, quando ocorrerão manifestações que visam alertar as autoridades para a importância do tratamento adequado. O tema deste ano, de acordo com a Federação Mundial da Hemofilia (WHF), é “Tratamento para todos e as muitas faces dos problemas de coagulação”. No Brasil a FBH, alinhada com a WFH, realizará vários eventos, com o objetivo de chamar a atenção para as falhas do tratamento no país.Como médica que acompanha o dia a dia de crianças e adultos com hemofilia, e convivendo com esse problema em casa, sinto-me na obrigação de reivindicar pelo melhor tratamento para todos. Quem tem hemofilia pode levar uma vida normal, desde que tenha acesso a diagnóstico e tratamento corretos.
Fonte:Dra. Sylvia Thomas é Hematologista, Vice-Presidente Médica da Federação Brasileira de Hemofilia

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Relatório de gestão 2007 a 2010

É com satisfação e com a certeza do dever cumprido que apresento o relatório de gestão do exercício de 2010. Ao fazê-lo , porém , ressalto algumas conquistas que são decorrentes do período de gestão 2007/2010.
Gerenciar esta Fundação foi um grande desafio, pois foram necessárias implantação, implementação e redirecionamento de ações pertinentes à Política de Sangue e Hemoderivados, para diversificar e aumentar os serviços prestados à sociedade . Por outro lado, também foi necessário intensificar e efetivar ações voltadas para a Política de Gestão , no sentido de direcionar as atividades desta Instituição aos princípios do modelo de Gestão Pública , preconizados pelo GESPÚBLICA.
Durante este período, inauguramos o primeiro Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário - BSCUP do Norte, com ele nascendo uma nova esperança de vida, pois aumentam as chances de encontrar doadores para o Transplante de Medula Óssea de 35 para 95%; implantamos 15 Agências Transfusionais, perfazendo uma cobertura transfusional de 96% no Estado; realizamos o primeiro Curso de Especialização em Hemoterapia para 33 servidores; informatizamos e interfaceamos todas as nove unidades da hemorrede do Estado; ampliamos em 185% a realização de exames pré-indicados para transplante. Elevamos o índice de satisfação do servidor, de 76% para 80% em um ano, apurado na avaliação de Clima Institucional do referido período, bem como, o cumprimento de 95% dos objetivos e metas propostas no Planejamento Estratégico Institucional 2008-2011.
Registre-se também, como feito importante nesta gestão, a valorização atribuída às Políticas de Gestão com foco na Sociedade, Qualidade dos Serviços, Pessoas e Processos Técnicos (risco, manutenção de equipamentos, programa de gerenciamento de resíduos sólidos etc.), conferindo-se ênfase absoluta ao interesse coletivo e comum, em favor das populações mais necessitadas. Todas estas realizações conferiram a Instituição um aumento da credibilidade, segurança e qualidade dos serviços
Conquistamos o reconhecimento da gestão com a Certificação da Hemorrede, pelas normas da Organização Nacional de Acreditação-ONA/Ciclo 2009, como única Hemorrede Pública no País a conquistar tal referência. No programa Estadual de Qualidade,PEQ-PA fomos reconhecidos com a Faixa Prata/Ciclos 2007, 2008 e 2009, conquistamos de maneira inédita a Faixa Ouro do PEQ-PA/ Ciclo 2010. No Programa de Qualidade e Gestão do Governo Federal (PQGF), o HEMOPA conquistou o prêmio PRATA/Ciclo 2010, participando ao lado de mais 34 instituições brasileiras. Participamos do Programa Nacional de Qualificação da Hemorrede (PNQH), do Ministério da Saúde (MS), obtendo a classificação de 2º (segundo) melhor Hemocentro do Brasil.
Estas são algumas das ações realizadas que demonstram a eficiência na administração pública e o fortalecimento do Sistema Público de Saúde no Estado do Pará.
Agradeço o apoio efetivo do Governo do Estado, da Secretaria de Saúde e demais colaboradores que, aliados à vontade de todos os profissionais desta Instituição, garantiram estes resultados.
Aqui faço um agradecimento especial aos voluntários na Captação de Doadores e aos nossos Doadores de Sangue e Medula Óssea que nos ajudaram a cumprir com o nosso dever e a nossa missão.

Maria de Fátima Pombo Montoril
Presidente da Fundação HEMOPA