quinta-feira, 31 de maio de 2012

Oficinas vão capacitar 400 professores do ensino público e privado

A Fundação Hemopa prossegue com a realização de oficinas para “Formação de Multiplicadores”, destinadas para professores da rede de ensino público e privado do Estado, com o objetivo de promover a educação continuada para o corpo docente reafirmando a importância do papel social da escola. A atividade que faz do programa “Doador do Futuro”, começou dia oito de maio se estenderá até agosto deste ano, quando totalizará 10 oficinas com 20 instituições de ensino que corresponderá à capacitação de 400 professores. A atividade já capacitou 176 professores de Belém, Castanhal, Capanema e Abaetetuba.
Nos dias 08 e 10 de maio, a oficina foi realizada em Belém, no auditório do hemocentro coordenador e capacitou 76 docentes, que assistiram palestras das assistentes sociais Wânia Maia, Odileide Pinto, Nazaré Veríssimo e Juciara Farias. No dia 14, a oficina foi realizada em parceria com o Hemocentro Regional de Castanhal, que capacitou 23 professores, incluindo representantes dos municípios de Inhangapi e Santa Maria. O conteúdo foi ministrado pelas assistente sociais da Gerência de Captação de Doadores (Gecad), de Belém: Wânia Maia e Nazaré Veríssimo.
No dia 21, de 8h às 13h, a ação foi realizada no auditório do SEBRAE, em parceria com o Hemonúcleo de Capanema, envolvendo 35 professores representantes dos municípios que compõem a 14ª URE/SEDUC: Bonito, Capanema, Santarém Novo, Salinópolis, Nova Timboteua,
Santa Luzia do Pará, Peixe Boi, São João de Pirabas, Quatipuru, Ourém e Primavera. As palestras foram ministradas pelas assistentes sociais Maria Cláudia da Silva e Lilian Bouth, ambas de Belém; e pela assistente social do Hemopa Capanema Luzia Helena Progênio.
No dia 28 deste mês, a quarta oficina foi realizada em parceria com o Hemonúcleo de Abaetetuba. A ação foi desenvolvida no auditório da Associação Comercial e contou com a participação de 35 professores de escolas públicas do município. As palestras foram ministradas pelas assistentes sociais do Hemocentro coordenador Belém, Juciara Farias e Odileide Pinto; e pelo responsável técnico do Hemonúcleo, dr. Elias Serruya e pela assistente social daquela unidade, Marlea de Nazaré Dias Sobrinho.
As oficinas estão sendo desenvolvidas com recursos do Ministério da Saúde (MS), por meio do convênio nº 935, de 2006. A programação prossegue no dia 11 de junho, com atividade no Hemonúcleo de Redenção. Dia 18, em Tucuruí. Dia 25 em Marabá. O cronograma das ações tem continuidade no dia 20 de agosto, quando técnicos do Hemopa estarão em Altamira. Dia 27 em Santarém. A ação vai gerar relatório final e prestação de contas das atividades em setembro e outubro deste ano.
 Instituição interessadas em compor parceria com o Hemopa, entrar em contato com a Gecad, de 2ª a 6ª feira, de 8h às 18h; e aos sábados até às 17h, pelo fone: 32244850/32429100/R- 205.
Foto 1- Oficina realizada em Belém. Foto 2- Turma de professores em oficina de Capanema. Foto 3- Capacitação em Abaetetuba.

Campanha externa de doação de sangue em Bragança

Nesta sexta-feira, de 8h às 16h, a Fundação Hemopa estará realizando campanha externa de doação de sangue e cadastro de doadores de medula óssea na Agência Transfusional (AT) de Bragança, que funciona na Unidade de Saúde Ruth Bragança. A meta será de 300 coletas de sangue e 100 cadastros.
Subordinado ao Hemonúcleo de Capanema, a AT bragantina está sob a responsabilidade da enfermeira a Hélia Sônia , que aposta na superação do número de doações. “A população local vai aderir, mais uma vez, a nossa convocação. A quadra junina está chegando e precisamos reforçar o estoque técnico de sangue da hemorrede do Estado”, enfatizou.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudáveis e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto
Serviço: Maiores informações pelo fone: 08002808118.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Movimento Mundial sem Tabaco

Ações Hemopa


 No dia 01 de Junho será realizada a campanha de doação de sangue e cadastro de medula óssea em Bragança, na Unidade de Saúde Ruth Bragança, com previsão de 300 doadores, no horário de 07h as 17h.



 No dia 28/05, aconteceu a oficina do Doador do Futuro em Abaetetuba, no auditório da Associação Comercial. Participaram 35 professores de Escolas públicas do município. A palestra foi ministrada pelas assistentes sociais: Marlea, Juciara Farias, Odileide Pinto e Elias Serruya. Dentro da programação foi realizado o planejamento dos professores para atuarem como multiplicadores em cada escola.

Ações do Hemopa Castanhal


 O Hemocentro Regional de Castanhal (HRC) realizou na última quarta-feira, dia 23/05, a 2ª. Campanha de Vacinação. Na ocasião, foram vacinados 36 servidores do Hemocentro contra a Influenza (GRIPE).

 No último dia 26/05, o hemocentro de Castanhal, realizou na Escola Cordeiro de Farias, a campanha externa de doação de sangue do município de Mãe do Rio, que resultou em 186 doações de sangue e 74 novos cadastros de medula óssea.

 O Hemopa Castanhal aderiu ao Movimento Mundial sem Tabaco, que será realizado quinta-feira, dia 31/05, em parceria com a secretaria Municipal de Saúde de Castanhal e o 3º Centro Regional de Saúde/SESPA. A programação será realizada através de palestra, ministrada pela Coordenadora Municipal do programa de controle do Tabagismo, Edileuza Pantoja, e haverá distribuição de materiais educativos sobre o tema na Recepção de Doadores.


Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.

Serviço: O Hemopa CASTANHAL espera por você na TV. Floriano Peixoto, Alameda Rita de Cássia, Conj. Maria Alice, casa B-2 e B-3, CEP 68740-200; fone (91) 3721-2986 e 3721-4008. Funcionando para coleta de sangue de 2ª a 6ª feira, de 7h às 13h e para atendimento transfusional, 24h.

Maiores informações pelo fone: 08002808118.

terça-feira, 29 de maio de 2012

I Encontro de Enfermagem em Hematologia e Hemoterapia


Estão abertas as inscrições para o I Encontro de Enfermagem em Hematologia e Hemoterapia da Fundação Hemopa no período de 28/05 a 06/06. As inscrições serão realizadas pela Assessoria de Gestão de Pessoas (Agesp), em caráter presencial, onde o participante terá que comparecer a Fundação, preencher ficha de inscrição e deixar um kit de higiene como condição para participar do evento. As vagas serão limitadas e serão realizadas por ordem de chegar.

Hemopa Capanema recebe ouvidora da hemorrede

Nos dias 29 e 30/05, o Hemonúcleo de Capanema, que é subordinado ao Hemocentro Regional de Castanhal, estará recebendo a ouvidora da Fundação Hemopa para desenvolver ações e potencializar o Serviço de Ouvidoria da hemorrede estadual, com o objetivo de informar a população sobre a importância desse serviço para a melhoria do atendimento e agilidade dos processos interno e externo do hemocentro.

Segundo a responsável pela atividade no hemocentro, a socióloga Silvânia Assunção, a atividade vem sofrendo melhorias constantes para garantir a qualidade do atendimento aos seus usuários, contribuindo dessa forma para a democratização e transparência das ações e agilidade nas respostas aos anseios da sociedade. “Queremos ouvir os usuários para saber se estamos atendendo satisfatoriamente as suas demandas”, ressaltou, explicando que o Serviço de Ouvidoria, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, não é só para reclamar. São várias as considerações: elogios, sugestões, reclamações, esclarecimento de dúvida etc.

São vários os canais de comunicação que o Hemopa disponibiliza à população usuária dos serviços de hemoterapia e hematologia, entre eles, o presencial, por formulário, on line, email e 08002808118.De acordo com ela, o Hemopa é o único órgão do Estado que possui esse serviço on line, por meio de seu site que proporciona contato em tempo em real com o usuário. Se a demanda for encaminhada para resolução de processos, o interessado receberá o número do registro que possibilita o acompanhamento da consideração.

Dos atendimentos efetuados este ano, 739 foram por meio do 0800; 36 por email; e 221 on line; 41 de forma presencial e 38 por formulários, somando um total de 1.075 considerações. As intervenções em Capanema, segundo ela, ainda é bem tímida. Em 2011 foram apenas seis registros. Até maio deste ano, houve oito considerações feitas pelos usuários daquela localidade, o que reflete claramente o desconhecimento do serviço.

De uma forma geral, Silvânia Assunção destacou a necessidade de divulgação do acesso on line. “É uma manifestação em tempo real que oferece também número de protocolo para acompanhamento. É uma forma de contato semelhante ao mundialmente conhecimento MSN”, comentou. A próxima visita será no Hemonúcleo de Abaetetuba, dias 05 e 06 de junho. A ouvidoria infirmou que essas duas unidades obtém o menor número de registros de sobre os serviços oferecidos na hemorrede do Estado.

O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109. Mais informações; 08002808118 ou 32429100.



Torcedores do Remo e do Paysandu emplacaram gols pela vida

Foi uma goleada de solidariedade o campeonato paraense de doação de sangue entre Remo e Paysandu nos dias 23, 24 e 25 deste mês, que rendeu um placar de 477 doações de sangue, sendo que 252 coletas dos remistas e 225 dos bicolores. Essas doações vão possibilitar que o hemocentro atenda cerca de 1.908 pacientes.

Segundo a diretora Técnica do hemocentro, dra. Socorro Ferreira, o campeonato acabou, mas as doações precisam continuar. “Foi um belo campeonato de vitoriosos. Agradecemos a iniciativa e as doações dos torcedores remistas e bicolores que mostraram o sangue bom que corre nas veias de todos eles”, destacou a médica, informando que as doações podem continuar sendo feitas pelos códigos 798 do Remo e 799 do Paysandu.

No último dia campanha, sábado passado (26), o hemocentro foi tomado pelos torcedores que se uniram em um só propósito, numa clara demonstração da solidariedade aflorada da população paraense, que movimentou as redes sociais com o tema : “O Remo é Meu & Sou Papão”. A mobilização envolveu jornalistas esportivos, torcedores, simpatizantes e a sociedade em geral.

A adesão à campanha reforçou o estoque técnico de sangue do hemocentro que no início deste mês sofreu com a redução de mais de 50% no número de comparecimentos de voluntários, interferindo drasticamente no atendimento transfusional da rede hospitalar. A dedicação dos torcedores de ambos os times emocionou pacientes e profissionais do hemocentro. “É muito reconfortante ver duas torcidas, adversárias em campo, juntas num mesmo objetivo: salvar vidas, comentou a ouvidora do Hemopa, a socióloga Silvânia Assunção.

Durante a campanha, a sede do hemocentro foi visitada por jornalistas, pessoas que formam opinião positiva sobre a doação e jogadores, entre eles,o o atacante e ídolo do “Papão”, Zé Augusto; e o goleiro do “Leão”, Adriano, mais conhecido como “paredão azulino”. Coordenado a movimentação pelo Remos, André Anaisse, da equipe de marketing do clube; e Diego Cuimar. “Espero que todos possam ajudar. Independente de torcidas, o importante é cada um fazer sua parte”, incentivou Zé Augusto. Da mesma forma, Adriano estimula a doação de sangue na Nação azulina. “Vamos fazer marcação acirrada para erguer a taça da solidariedade”, aposta o goleiro.

Para finalizar Socorro Ferreira adiantou que no período de 16 a 23 deste mês, será realizada campanha de incentivo a doação de sangue referente à Quadra Junina. “Todos estão convidados a participar”.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.



segunda-feira, 28 de maio de 2012

Torcedores doam sangue e salvam vidas


Da RedaçãoAgência Pará de Notícias

  

Torcedores do Remo e Paysandu jogaram no mesmo time durante quatro dias e quem ganhou foi a solidariedade. Para ajudar a reestabelecer o banco de sangue do Hemopa, que teve a maior baixa de estoque do ano, as torcidas dos dois times fizeram uma disputa saudável para descobrir qual atraía mais doadores. A campanha deu tão certo que o número de doadores subiu de uma média de 100 para 350 por dia, ultrapassando a média de períodos normais de coleta, que é de 250 por dia.
A torcida organizada Terror Bicolor chegou ao Hemopa com um ônibus lotado de torcedores prontos para doar sangue. Entre eles estava Adriane dos Santos, que sempre teve vontade de ser doadora, embora o medo a impedisse. A convocação para fazer parte do time do Papão foi o incentivo que estava faltando. “Não posso negar uma chamada do Paysandu, ainda mais em um clássico como esse. Gostei muito de ter participado da campanha e recomendo a todos doar sangue”, disse.
Por amor ao clube, Adla de Souza também resolveu enfrentar o medo de agulha e contribuir para que o Remo fosse o campeão nas doações. “O meu amor pelo Leão é tão forte que enfrentei meu trauma com agulhas. No fim das contas nem doeu como eu imaginava e a sensação de saber que estou ajudando alguém é indescritível”, disse a integrante do Azulindas, torcida organizada composta por 241 pessoas.
A estudante May Gemaque, também integrante do Azulindas, acredita que a campanha ajuda ao próximo e fortalece o respeito e a amizade entre as torcidas rivais. “Essa chamada é uma forma da gente se encontrar fora do campo, se reconhecer como parceiros de uma mesma causa, mantendo uma competição saudável para ajudar o outro”, avaliou.
O remista Luís Brasil Júnior deixou de consumir bebida alcoólica na própria festa de aniversário, que aconteceu na noite anterior, só para estar apto a doar sangue e contabilizar pontos para o Clube do Remo. “Eu sou doador. Não fiquei triste de não beber no meu aniversário, pois tem muita gente precisando de sangue. Se além de doar eu puder contribuir para meu time, a satisfação é em dobro”, frisou.
O Paysandu só fica em segundo plano na vida de Marcos Maia quando o assunto é ser solidário. Ajudar quem precisa de sangue para sobreviver é mais importante do que qualquer outro motivo. “Sempre que posso, doo sangue. É lógico que o Papão é um incentivo a mais para eu estar aqui, mas viria só para ajudar a manter o estoque de sangue”, afirmou.
Segundo a diretora técnica do Hemopa, Socorro Ferreira, por causa da baixa no estoque, a fundação deixou de atender a 40% da demanda, mas com o apoio das duas maiores torcidas do Norte do Brasil, o banco de sangue está conseguindo se estabilizar. “Foi muito boa essa iniciativa das torcidas. Numa hora dessas a gente vê que as pessoas deixam o futebol em segundo plano em nome do exercício da cidadania e do amor ao próximo”, comentou.
Nesta primeira disputa o Remo ganhou do Paysandu com a diferença de 27 doadores no placar final, mas o Hemopa vai continuar contabilizando os torcedores que quiserem contribuir com a campanha. Quem estiver interessado em compor parceria para o desenvolvimento de campanhas com o Hemopa, pode entrar em contato pelo telefone 3224-5048.
Serviço: Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará. Travessa Padre Eutíquio, 2.109, Batista Campos. Telefones: (91) 3225-2404 e 3242-6905/9100. Site: www.hemopa.pa.gov.br. Email: gabinete.hemopa@hotmail.com / ro.bcosta@yahoo.com.br.

Texto:
Dani Filgueiras - Secom
Fone: 81185849 / 81185849
Email: danifilgueiras@agenciapara.com.br

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Remo e Paysandu juntos na doação de sangue

 Uma onda de solidariedade está movimentando as torcidas dos dois maiores clubes de futebol do Pará: Remo e Paysandu que estão jogando no time da Fundação Hemopa, com a realização de campanha “O Remo é Meu & Sou Papão”, para bater um bolão de solidariedade, doando sangue nos dias 23, 24, 25 e 26 deste mês. Nesses dois dias de clássico pela vida, o placar é 101 doações para o Remo e 95 coletas efetivadas por torcedores do Payssandu.
A mobilização que está sendo estimulada principalmente pelas redes sociais, por jornalistas esportivos e pelas torcidas, tem o objetivo de restaurar o estoque de sangue da hemorrede estadual que deixou de atender cerca de 40% das solicitações transfusionais, em função da drástica evasão de doadores enfrentada semana passada. A mesma situação ocorre na hemorrede brasileira. No Pará, o hemocentro vem contando com o importante apoio da mídia local e com a solidariedade da população, que vem lotando a sede do Hemopa, assegurando uma média diária de 300 coletas, quando esse quantitativo oscilava, no início do mês, entre 200 e 250 doações/dia. No auge da crise caiu para 100 doações que interferiu no atendimento da rede hospitalar.
Doando pela segunda vez, a estudante de medicina, Amanda Lobato Potiguar, 19, soube da campanha de doação entre Remo e Paysandu, pelas redes sociais, e decidiu doar sangue, para ajudar as pessoas. “A gente sai daqui se sentindo melhor, por ter ajudado alguém, mesmo que eu não conheça”, disse, apostando em mais uma vitória do Remo sobre o “Papão”. Raimundo Damasceno, 57, balconista, já é doador assíduo do Hemopa. “É sempre bom ajudar as pessoas, não custa nada”, comentou, enfatizando que desta vez, veio doar por um motivo muito especial: ajudar o Paysandu a dá uma ”lavada de doações” em cima do Remo.
Na quinta-feira (24), estiveram presente na sede do hemlocentro, o atacante e ídolo do “Papão”, Zé Augusto; e o goleiro do “Leão”, Adriano, mais conhecido como “paredão azulino”, que apoiaram a campanha de doação de sangue, promovida pelos grupos de torcedores O Remo é Meu, cujo responsável é André Anaisse, da equipe de marketing do clube do Remo; e o grupo Sou Papão, organizado pelo torcedor do Paysandu, Diego Cuimar. “Espero que todos possam ajudar. Independente de torcidas, o importante é cada um fazer sua parte”, incentivou Zé Augusto. Da mesma forma, Adriano estimula a doação de sangue na Nação azulina. “Vamos fazer marcação acirrada para erguer a taça da solidariedade”, aposta o goleiro.
Segundo o assessor de Marketing do clube do Remo, André Anaisse, na manhã deste sábado (26), duas das maiores torcidas do azulinas doarão sangue. Da mesma forma, torcedores bicolores prometem presença em massa, também neste sábado, para vencer o placar desse campeonato.
Para a gerente de Captação de Doadores, assistente social Juciara Farias, o paraense está provando, mais uma vez, sua paixão não só pelo Futebol, mais pela vida. Ela informou que instituições e entidades interessadas em compor parceria para desenvolvimento de campanhas, podem entrar em contato pelo fone 32245048, de 2ª a 6ª-feira, de 7h30 às 18h; e aos sábados até às 17h.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Hemopa Castanhal potencializa serviço de Ouvidoria


Nos dias 23 e 24/05, o Hemocentro Regional de Castanhal (HRC) estará recebendo a ouvidora da Fundação Hemopa para desenvolver ações e potencializar o Serviço de Ouvidoria da hemorrede estadual, com o objetivo de informar a população da região do Salgado sobre a importância desse serviço para a melhoria do atendimento e agilidade dos processos interno e externo do hemocentro.
São vários os canais de comunicação que o Hemopa disponibiliza à população usuária dos serviços de hemoterapia e hematologia, entre eles, o presencial, por formulário, on line, email e 08002808118.
Segundo a responsável pela atividade no hemocentro, a socióloga Silvânia Assunção, a atividade vem sofrendo melhorias constantes para garantir a qualidade do atendimento aos seus usuários, contribuindo dessa forma para a democratização e transparência das ações e agilidade nas respostas aos anseios da sociedade. “Queremos ouvir os usuários para saber se estamos atendendo satisfatoriamente as suas demandas. Com isso, vamos melhorar cada vez mais nosso atendimento e atenção à sociedade”, ressaltou, explicando que o Serviço de Ouvidoria, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, não é só para reclamar. São várias as considerações: elogios, sugestões, reclamações, esclarecimento de dúvida etc.
De acordo com ela, o Hemopa é o único órgão do Estado que possui esse serviço on line, por meio de seu site que proporciona contato em tempo em real com o usuário. Se a demanda for encaminhada para resolução de processos, o interessado receberá o número do registro que possibilita o acompanhamento da consideração.
Dos atendimentos efetuados este ano, 739 foram por meio do 0800; 36 por email; e 221 on line; 41 d forma presencial e 38 por formulários, somando um total de 1.075 considerações. As intervenções em Castanhal, segundo ela, ainda é bem tímida: 18 apenas este ano, demonstrando claramente o desconhecimento do serviço por parte dos usuários.
De uma forma geral,Silvânia Assunção destacou a necessidade de divulgação do acesso on line. “É uma manifestação em tempo real que oferece também número de protocolo para acompanhamento. É uma forma de contato semelhante ao mundialmente conhecimento MSN”, comentou. A próxima visista será no Hemonúcleo de Capanema nos dias 28 e 29 deste mês.
O Hemopa espera por você na travessa Pe. Eutíquio, 2109. Mais informações; 08002808118 ou 32429100.

Profissionais da odontologia doam sangue



As doações voluntárias de sangue, realizadas na sede da Fundação Hemopa, receberão reforço com a parceria do Sindicato dos Odontologistas do Pará, que vai desenvolver campanha contínua até o dia até o dia 25 de outubro, em comemoração ao dia da categoria.

A parceria foi proposta pelo presidente sindical, Armando dourado, em reunião com a diretora Técnica do Hemopa, Dra. Socorro Ferreira, nesta manhã de terça-feira (22). A ação vai envolver os quase 5 mil dentistas do Pará, bem como estudante e familiares. Dourado também convidará representantes da Associação Brasileira de Odontologia/Pa, e Conselho Regional da categoria para aderir á mobilização para aumentar o número de coletas na hemorrede estadual.

Segundo a médica Socorro Ferreira, a categoria receberá um código para a sua doação de sangue. “Assim poderemos ter idéia do andamento da campanha”, comentou agradecendo a iniciativa solidária do sindicato, ressaltando a Gerência de Captação de Doadores (Gecad) vai desenvolver ações educativas como palestras e distribuição de material educativo junto ao sindicato dos odontologistas. “Vamos programar as ações juntamente com a direção sindical para envolver e sensibilizar a categoria”, adiantou.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.
Foto: Esq/dir: Diretorta Técnica do Hemopa, dra. Socorro Ferreira, Gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias e o presidente do Sindicato dos Odontólogos, Armando Dourado.



1º campanha de vacinação de 2012


O Serviço de Atendimento à Saúde do Servidor (SASS), informa que nos dias 23 e 24/05, estará sendo realizando a vacinação contra Influenza A, para todos os servidores do Hemopa, na sala da Gerencia de Almoxarifado (Gerap) no 2º andar, de 09h às 12h e das 14h as 16. Observação: Levar a carteira de vacinação.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Capanema forma multiplicadores na rede de ensino

A Fundação Hemopa, através da Gerência de Captação de Doadores (Gecad), dará prosseguimento a “Oficina de Multiplicadores”, nesta segunda-feira (21), de 8h às 13h, no auditório do SEBRAE, em parceria com o Hemonúcleo de Capanema, onde serão caácitados 40 professores e técnicos da rede de ensino pública e privada representantes dos municípios que compõem a 14ª URE/SEDUC: Bonito, Capanema, Santarém Novo, Salinópolis, Nova Timboteua, Santa Luzia do Pará, Peixe Boi, São João de Pirabas, Quatipuru, Ourém e Primavera. A ação tem o objetivo com o objetivo de promover educação continuada para o corpo docente, reafirmando a importância do papel social da escola .
A atividade que vai percorrer todas as unidades da hemorrede para capacitar cerca de 400 professores com a realização de 10 oficinas , conta com apoio do Ministério da Saúde (MS) que repassou recursos, através do convênio nº 935, de 2006.

A atividade se estenderá para as unidades da hemorrede, cujas ações serão desenvolvidas até agosto deste ano. O programa prevê a capacitação de 400 docentes em 10 oficinas.
A primeira etapa da oficina foi realizada na segunda-feira passada (8) contou com a participação de 50 professores, que soma um total de 76 agentes multiplicadores que repassarão para a sala de aula a importância da doação voluntária de sangue e de medula. De acordo com o cronograma de visitas, no dia 28, o Hemonúcleo de Abaetetuba será a próxima unidade da hemorrede a desenvolver o programa de capacitação com professores daquela localidade.
O Hemopa Capanema espera por vocês na Rod. Br 308, Km zero, S/N, Bairro São cristóvão. informações (91) 3462-2329/2744.mais informações:08002808118.

Estoque de sangue é restabelecido, mas doações precisam continuar




População atende apelo de doações de sangue da Fundação Hemopa e restaura estoque estratégico para atendimento satisfatório da rede hospitalar do Estado, que é composto por 218 casas de saúde. Na semana passada foi registrado maior redução do número de bolsas de sangue do ano: de 700 caiu para 100 unidades, que provocou a priorização dos atendimentos de urgência e emergência, além do adiamento de cirurgias eletivas (sem risco de morte). No entanto, na sexta-feira passada (18) houve registro de 494 comparecimentos e no sábado (19) 432 voluntários atenderam a convocação feita pelos meios de comunicação. O total de comparecimentos resultou em 784 coletas, que vão atender aproximadamente 3.136 pacientes adultos.
Apesar de estar bastante satisfeita com atual saldo de coletas, a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias destacou a necessidade da população continuar doando sangue. “Se todas as pessoas potencialmente doadoras agendassem duas doações de sangue ao ano não haveria insuficiência de sangue na hemorrede brasileira”, revelou, comentando que o tema foi matéria de destaque em um telejornal no sábado passado (19), que mostrou estoque de sangue em baixa no Hemocentro do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Porto Alegre e em outras grandes capitais.
Juciara Farias é enfática ao afirmar que a insuficiência do estoque nos hemocentros brasileiros não é problema de gestão. “É uma questão de comportamento. A população tem que criar o hábito da doação voluntária e freqüente. Não basta doar uma única vez. Todos os dias milhares de pacientes no Brasil padecem com a falta de sangue. Esse ato solidário tem que se tornar um hábito, um exercício de cidadania”, ressaltou, contando na fidelização de doadores.
A regularização do banco de sangue do Hemopa teve o imprescindível apoio dos meios de comunicação do local. “A imprensa tem importante papel de responsabilidade social no incentivo à doação de sangue e outras situações de utilidade pública”, disse a assistente social agradecendo todos que colaboração para o hemocentro elevar o número de coletas, cujo beneficiado é população usuária dos serviços.
Ela ainda destacou a importância da parceria com a rede hospitalar para aumentar o número de doações de sangue de reposição, que ainda é muito baixo: 19%, quando ideal seria de pelo menos 50%. A abordagem do corpo clínico junto aos familiares e amigos é de fundamental importância. “Todos nós somos responsáveis pela manutenção do estoque de sangue que ainda não tem substituto. O produto só existe no ser humano, que precisa exercitar a solidariedade continuamente”.


Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118

sexta-feira, 18 de maio de 2012

População atende apelo de doação e restaura estoque de sangue

Um dia após a grave crise no estoque de sangue, a Fundação Hemopa comemora nesta sexta-feira (18), o comparecimento de 450 voluntários, até as 14h de hoje, que vai restaurar atendimento transfusional da demanda da rede hospitalar que sofreu redução de mais de 50% do número de comparecimentos, e que exigiu a priorização no atendimento de pacientes de urgência e emergência, além de transferir cirurgias eletivas (sem risco de morte). A baixa do número de coletas foi provocada por um conjunto de situações, entre elas, greve dos rodoviários, período de intensas chuvas e casos de resfriados em boa parte da população.

A evasão de doadores provocou a suspensão do atendimento de 40% das solicitações de transfusão dos hospitais, ontem. Mas hoje, com a presença maciça de antigos e novos doadores, incentivados com o apoio dos meios de comunicação, o banco de sangue está sendo regularizado.
  
O pequeno Oziel Gusmão, 9 anos, portador de Anemia Falciforme, é um exemplo da dependência da solidariedade de terceiros. “Todos os dias agradeço a Deus todos por essas pessoas bondosas que doam seu sangue para salvar o próximo. Que nunca falte saúde para eles”, ressaltou a mãe do paciente, dona Juliana Gusmão, que não escondeu sua grande preocupação com a evasão de doadores na sede do hemocentro, onde seu filho é recebe tratamento especializado desde bebê.Atendendo o apelo público, a advogada Daniela Costa, 21 anos, efetuou sua primeira doação hoje. “Já tinha aquela vontade. Acho que faltava um impulso e quando ouvi a chamada na televisão, não pensei duas vezes”, revelou. Da mesma forma, o estudante do ensino Médio, AGlailso Reis Brito, 19 anos, realizou sua primeira doação hoje. “desde ontem (17) estava ouvindo e vendo matéria chamando doadores. Aproveitei meu tempo livre para salvar vidas. Gostei da experiência e vou doar sempre que puder”, garantiu ele.
A presidente do Hemopa, dra. Luciana Maradei agradece os doadores que responderam ao chamado para regularizar o quantitativo de bolsas de sangue, como também ao senso de responsabilidade social dos meios de comunicação do estado, contribuindo decisivamente para a retomada do atendimento transfusional, especialmente daqueles pacientes internados em UTI´s dos hospitais conveniados com o Sistema Único de Saúde (SUS). “É com grande alívio que temos nossa convocação atendida. O paraense provou, mais uma vez, sua solidariedade à flor da pele. A vida agradece”.
A gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias informa que instituições e ou entidade interessadas em compor parceria para desenvolvimento de campanhas podem entrar em contato pelo fone 32245048, de 2ª a 6ª-feira, de 7h30 às 18h; e aos sábados até às 17h.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118

Oficina revisa mapa estratégico da instituição

Alinhar a gestão organizacional da Fundação Hemopa com as diretrizes do Governo do Estado foi um dos objetivos da “Oficina para revisão do Mapa Estratégico da Fundação Hemopa”, realizada nos dias 14 e 15 deste mês, de 8h às 18h, no Centro de Capacitação da Universidade Federal do Pará (UFPA), que reuniu 29 servidores num processo participativo e com adesão de representantes de todos os setores da instituição.Segundo a titular do Núcleo da Qualidade (NQ), a socióloga Ligia Garcia, durante os dois esse grupo de funcionários ficou totalmente comprometido com o realinhamento dos programas, projetos e ações da instituição a partir das macro-orientações do Governo do Estado, em consonância com o Plano Plurianual 2012/2015 (PPA)- PACTO PELO PARÁ, com adoção do Modelo de Gestão de Resultados .
A oficina foi desenvolvida em 16 horas de intensas atividades com desenvolvimento de trabalhos e conceitos essenciais para o entendimento de gestão com a integração, conceitos fundamentais da administração pública para a elaboração de planejamento na referida esfera, abordagem da metodologia de planejamento utilizando o Balanced Scorecad- BSC, revisão das estratégias e adequação ao PPA 2012/2015, análise de cenários (MATRIZ Swot), gerenciamento estratégico, entre outras ações.
O desdobramento se dará com a consolidação do produto gerado na oficina com a validação, elaboração de plano de ação, seus objetivos, aperfiçoamento de indicadores e metas. A ação culminará com a internalização do novo mapa estratégico, missão, visão e valores.




Profissionais de contabilidade doam sangue

Na manhã desta sexta-feira (18) o Conselho Regional de Contabilidade realiza campanha de doação de sangue na sede da Fundação Hemopa para colaborar com o hemocentro no restabelecimento das doações voluntárias de sangue, que sofreu redução no comparecimento de doadores nesta semana que atingiu mais de 50%, prejudicando o atendimento da demanda transfusional da rede hospitalar.
A categoria se mobilizou em torno da campanha “Contabilidade forte e sociedade saudável”, incentivando profissionais, estudantes, familiares e amigos para aderir ao movimento solidário para aumentar o número de coletas e suprir banco de sangue do Hemopa.
Segundo o vice-presidente e responsável pelo setor de Desenvolvimento Profissional do CRC/Pa, o contador Marcos Aurélio do Ó, a entidade possui quatro mil associados e ele aposta que, pelo menos 10% participe dessa campanha alusiva ao Dia Nacional do Contabilista, comemorado dia 25 de abril. Ele se tornou doador há anos ao atender sua mãe que precisava de transfusão. “Mobilizei familiares e amigos. A partir daí me tornei um doador assíduo”, afirmou.
Seu colega e também doador de sangue, o conselheiro Francisco Cavalcante Veras filho, disse que sua entidade tem compromisso social . “Temos uma longa parceria com o Hemopa e estamos aqui para fortalecer esse relacionamento com essa campanha anual e apoio em eventual crise de estoque de sangue. Podem contar com o CRC/Pa”, destacou.
A gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias parabeniza e agradece a parceria que vai potencializar o as doações. “Convidamos outras entidades de classe para somar nessa luta em prol da vida e do voluntariado”, sugeriu, informando que instituições interessadas devem entrar em contato pelo fone (91) 32245048/32429100- R- 205.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118


quinta-feira, 17 de maio de 2012

Falta de sangue pode comprometer atendimento transfusional


A Fundação Hemopa convoca doadores com urgência para restaurar estoque técnico de sangue que caiu de 700 bolsas para apenas 100 unidades nesta manhã de quinta-feira (17), que vai interferir no atendimento transfusional da rede hospitalar, exigindo a priorização no atendimento de pacientes de urgência e emergência, além de transferir eventuais cirurgias eletivas (sem risco de morte), considerando que com a redução do estoque, a oferta do sangue raro (tipo Negativo) também é prejudicada, especialmente os tipos A e O Negativos.
Segundo a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, alguns fatores vem contribuindo para evasão gradativa dos voluntários, entre elas, a greve dos rodoviários, intenso período chuvoso, especialmente pela parte da tarde, resfriados. No entanto, ela ressalta que este é o momento crucial para a mobilização da sociedade, visando a regularização do atendimento da rede hospitalar do estado, que atualmente é composta por mais de 200 hospitais Somente na capital são 85. Isso significa centenas de pacientes que necessitam da transfusão para sobreviver. Ela também enfatiza a necessidade do fortalecimento da parceria com o corpo clinico dos hospitais para incentivar a reposição do sangue recebido pelos pacientes. “A colaboração de familiares e amigos é de fundamental importância para reverter a situação crítica”, comentou, revelando que o índice de reposição de sangue dos hospitais é de apenas 19%, quando o ideal seria de, pelo menos, 50%.
Outra vertente de parceria, lembra Juciara Farias, é a intervenção das empresas privadas que possuem número suficiente de funcionários para a inclusão no “Programa de Empresa Cidadã” para o desenvolvimento de campanhas interna ou externa. O hemocentro também disponibiliza os sábados para a coleta de sangue, oportunizando aqueles que nos dias úteis por motivo de trabalho não podem exercer o gesto solidário.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118

Lei que entrou em vigor nesta quarta (16) vale para todos os órgãos públicos.



Começou a vigorar nesta quarta-feira (16) a Lei de Acesso à Informação, que obriga órgãos públicos a prestarem informações sobre suas atividades a qualquer cidadão interessado. O projeto é de iniciativa do Executivo e vale para todo o serviço público do país.

Veja abaixo perguntas e respostas sobre a nova lei, de acordo com o texto da legislação e informações da Controladoria-Geral da União (CGU):

O que é a Lei de Acesso à Informação?

A lei 12527/2011, a chamada Lei de Acesso à Informação, obriga órgãos públicos federais, estaduais e municipais (ministérios, estatais, governos estaduais, prefeituras, empresas públicas, autarquias etc.) a oferecer informações relacionadas às suas atividades a qualquer pessoa que solicitar os dados.

Como a lei será implantanda, na prática?

A lei determina que os órgãos públicos criem centros de atendimento dentro de cada órgão chamados de SICs (Serviços de Informação ao Cidadão). Esses centros precisarão ter estrutura para atender e orientar o público quanto ao acesso a informações de interesse coletivo como, por exemplo, tramitação de documentos, processos de licitações e gastos públicos.

O que a lei exige dos órgãos públicos na internet?

A Lei de Acesso à Informação estabelece também que as entidades públicas divulguem na internet, em linguagem clara e de fácil acesso, dados sobre a administração pública. Devem constar, no mínimo, registro das competências e estrutura organizacional, endereços e telefones das respectivas unidades e horários de atendimento ao público. Também devem ser publicados registros de quaisquer repasses ou transferências de recursos financeiros e informações sobre licitações, inclusive os editais e resultados. A lei exige ainda que fiquem expostos na internet dados gerais para o acompanhamento de programas, ações, projetos e obras do governo, além de respostas a perguntas mais frequentes da sociedade. As informações devem ser mantidas sempre atualizadas. Apenas os municípios com menos de 10 mil habitantes estão desobrigados a apresentar em um site na internet os dados sobre as operações municipais. No entanto, os órgãos desses pequenos municípios são obrigados a prestar informações sempre que solicitadas.

Quem poderá solicitar informações?

Qualquer pessoa pode pedir dados a respeito de qualquer órgão da administração pública.

É preciso dar razões para o pedido?

Não é preciso apresentar nenhum tipo de justificativa para a solicitação de informações.

Quais informações poderão ser solicitadas?

Não há limites para as informações a serem solicitadas. Podem ser requisitadas quaisquer informaçôes a respeito de dados relativos aos órgãos públicos. Será possível, por exemplo, perguntar quanto um ministério ou secretaria gastou com salários de servidores, com obras públicas, andamento de processos de licitação, detalhes sobre auditorias, fiscalizações e outras.

E se o órgão público não atender ao pedido?

Se o órgão não puder prestar as informações, terá de apresentar uma justificativa. Se o cidadão não aceitar a justifificativa, pode entrar com recurso no próprio órgão. Se ainda não conseguir, pode apresentar outro recurso à Comissão Mista de Reavalização de Informações, instituída pela lei. A comissão vai avaliar o sigilo de dados públicos e as justificativas apresentadas pelo órgão público para não prestar as informações solicitadas. Se entender que a informação pode ser divulgada, a comissão acionará o órgão para que atenda ao pedido do cidadão.

Há informações que não podem ser fornecidas?

Não serão prestadas aos cidadãos informações consideradas sigilosas, tais como assuntos secretos do Estado, temas que possam colocar em risco a segurança nacional ou que comprometam atividades de investigação policial. Dados de casos que corram em segredo de justiça também não serão divulgados, assim como informações pessoais dos agentes públicos ou privados. Nesses casos, o órgão é obrigado a justificar o motivo para não fornecer o dado.

Por quais meios as informações poderão ser solicitadas?

As informações poderão ser solicitadas nos Serviços de Informações ao Cidadão (SICs), que serão instalados em cada órgão público. A lei também determina que seja concedida ao cidadão a opção de solicitar os dados pela internet. Outros meios, como carta e telefone, vão depender dos sistemas adotados por cada órgão.

As informações vão ser prestadas sempre por meio de documentos impressos?

Depende de como o órgão tiver armazenado os dados. Nos casos de arquivos digitais, o cidadão poderá obter as informações em um CD ou outra mídia digital. Se houver necessidade de impressão de um volume elevado de papéis, o cidadão pagará o custo.

Como tramita, dentro do órgão público, o pedido de informação?

Se o órgão tiver a informação ao alcance imediato, o pedido poderá ser atendido no momento em que for feito pelo cidadão, nos SICs. Se houver necessidade de pesquisa, o órgão tem 20 dias, prorrogáveis por mais 10, para atender à demanda. O cidadão será avisado por telefone ou pela internet. Depois desse prazo, o agente público tem que justificar o motivo da não prestação das informações.

Qual será a punição para servidores que não atenderem aos pedidos?

Servidores públicos que não prestarem as informações solicitadas e não apresentarem justificativa legal poderão sofrer sanções administrativas e até ser processados por improbidade.

ONGs (Organizações Não-Governamentais) também estão sujeitas à lei?

As entidades privadas sem fins lucrativos que recebam recursos públicos para a realização de ações de interesse público e que tenham parceria ou convênios com o governo devem divulgar informações sobre o dinheiro recebido e sua destinação.

Link para acesso a lei: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm



Vitor Matos Do G1, em Brasília Fonte: http://g1.globo.com/





quarta-feira, 16 de maio de 2012

Está agendado para o período de 16 a 23/06, campanha de doação de sangue referente à quadra junina. “13 é Santo Antônio. 24 é São João. 29 é São Pedro. E todo dia é do doador. Doe sangue”. É o tema da ação estratégica que vai suprir estoque técnico do hemocentro para garantir atendimento satisfatório da demanda transfusional da hemorrede do estado, que normalmente sofre com redução aproximadamente 30% do comparecimento de doadores, em épocas festivas.

Hemopa doa bens inservíveis para escola profissionalizante

A Fundação Hemopa doou 292 itens entre mobiliário, equipamento e material permanente para a Escola Salesiano do Trabalho. O termo de doação de “Bens Inservíveis” foi assinado nesta manhã (16), às 10h30, pela presidente do hemocentro dra. Luciana Maradei e pelo diretor geral da instituição, padre Angel Manuel Martin Nieto. Parte do material doado será utilizado nos cursos de educação profissionalizante que faz parte do Programa de Educação Profissional. Outra parte do material recolhido será restaurado para comercialização no bazar de final de ano, cujos recursos arrecadados serão investidos para a manutenção do estabelecimento de ensino.
Bastante satisfeita, Luciana Maradei ressaltou a sensação de bem estar, enquanto pessoa e gestora pública, ao colaborar com a Escola Salesiano do Trabalho. “Tenho certeza que o material que estava guardado e já em sem uso pelo hemocentro, será muito bem aproveitado no aprendizado de alunos carentes atendidos pela instituição”, destacou.
 O padre Angel Nieto, que esteve acompanhado de sua coordenadora de Projetos e Convênios, Esnaldi Paula dos Santos, agradeceu a parceria que proporcionou a doação. Os microcomputadores, por exemplos, serão usados pelas duas turmas do curso de Manutenção de Microcomputadores, com 46 alunos cada. Ele citou ainda outros cursos promovidos: eletricidade, mecânica automotiva, mecânica diesel, mecânica de motocicleta, mecânica de refrigeração, mecânica de manutenção industrial, marcenaria, música e auxiliar administrativo oferecidos para estudantes do nível médico, com faixa etária entre 16 e 19 anos, em situação de vulnerabilidade social.
Atualmente a “Salesiano do Trabalho” atende 1.061 alunos dos ensinos Fundamental e Médio, que participam do programa de “Educação, arte e trabalho”, fora do horário escolar. A atividade é destinada a crianças e jovens de 10 a 15 anos.
“Enviamos propostas de doações para instituições públicas e privadas. Hoje recebemos retorno do Hemopa. Gostaria que essa iniciativa servisse de exemplo para entidades de todas as esferas e incentivasse a sociedade civil organizada a colaborar com nossa causa”, sugeriu o padre.
De acordo com Esnaldi dos Santos, quem estiver interessado em firmar parceria com a Escola Salesiano do Trabalho, deve entrar em contato pelo fone: 40088200/8229, de segunda sexta-feira, de 8h às 18h. Ou pelo email:esnaldi@isma.org.br.
O ato de assinatura do convênio contou ainda com a presença da diretora Administrativa e Financeira do Hemopa, a advogada Flávia Guerreiro; e a titular da Assessoria de Gestão de Pessoas (Agesp), a assistente social Gisele Miranda.
Serviço: A instituição fica localizada na Av. Pedro Miranda, 2403-Pedreira.
Foto: Esq p/ Dir: Gisele miranda, Flávia Guerreiro, Luciana Maradei, Esnaldi de Paula e Pe. Angel Martin.

Mães atendem apelo da campanha de doação de sangue

A campanha de doação de sangue “Mãe um exemplo de doação. Doe sangue!”, resultou em 465 comparecimentos, superando a meta prevista de 200 voluntários, distribuídos nos dias 11 e 12/05. A ação teve o objetivo de reforçar estoque estratégico do hemocentro e homenagear as mães doadoras.
A campanha teve início dia 11, às 10h30, com a apresentação do Coral do Hemopa. No dia 12, foram oferecidos serviços de beleza com a consultoria da empresa Mary Kay; serviços de massoterapia, oferecido pela empresa Mãos que Curam. A gerente de Captação de doadores, a assistente social Juciara Farias, agradeceu a adesão do segmento feminino à campanha. “Todos somos responsáveis por aqueles que dependem de um simples gesto para sobreviver. Doe sangue”, destacou, incentivando as mulheres do Estado do Pará a colaborar com o hemopa para atingir a meta de 30% de doações como sugere o Ministério da saúde para a hemorrede brasileira. Atualmente, 29% das coletas efetivadas no Pará são de mulheres. “Estamos quase alcançando a média nacional. Aposto na superação dessa meta”, afirmou, enfatizando que a mulher tem as mesmas condições de doar que o homem. Os únicos fatores de impedimento temporário são a gravidez e amamentação.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118


População de Abaetetuba supera meta de doações

O Hemonúcleo de Abaetetuba realizou no período de 07 a 11/05, a campanha de doação de sangue em comemoração ao Dia das Mães com o tema “Mãe Exemplo de Doação. Doe vida”, que resultou em 107 coletas, superando a meta de 50 doações. Durante a mobilização, houve distribuição de camisetas alusiva à data às doadoras.
O evento contou com a parceria do Conselho da Mulher, empresários e da mídia local.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.

Serviço: O Hemopa Abaetetuba espera por você Av. Santos Dumont, S/N.

Fone: (91) 37511394/4031Hemonúcleo de Abaetetuba, Fone: 3751-4458.

Funcionários fazem curso de primeiros socorros

Saber agir num momento de inesperado acidente exige conhecimento de primeiros socorros que vai garantir a condução correta do atendimento que exige providências imediatas. É um dos objetivos do curso que a Fundação Hemopa, em parceria com o SAMU, está realizando. A primeira turma com 18 participantes recebeu a capacitação no período de 7 a 11 deste mês. A segunda turma, com 37 participantes, começou as aulas nesta segunda-feira (14) e se estenderá até o dia 18, 8h às 12h, no auditório da instituição. A atividade faz parte do Programa de Valorização do Servidor- Educação continuada.

Segundo Joubert Leite, 39, condutor de ambulâncias e membro do Núcleo de Educação Permanente de Instrutores do SAMU, a grande maioria dos acidentes poderia ser evitada com alguns conhecimentos simples que podem diminuir o sofrimento, evitar complicações futuras e até mesmo salvar vidas. “Antes ter o conhecimento e não usar, do que não ter e precisar.” , orientou, enfatizando que em situações de emergência, deve- se manter a calma e ter em mente que a prestação de primeiros socorros não exclui a importância de um médico.

Funcionária do Hemopa, a biomedica Roberta Sodré, 30 anos, sempre desejou fazer esse tipo de curso e aproveito a oportunidade para participar. “É um conhecimento muito importante que estou adquirindo. Usarei esse aprendizado no campo profissional e na minha vida pessoal” comemorou, parabenizando a direção do hemocentro pela realização do curso

Jouberte Leite ainda alertou para o fato de que quando não estivermos sozinhos, devemos pedir e aceitar a colaboração de outras pessoas, sempre se deixando liderar pela pessoa que apresentar maior conhecimento e experiência. “Se essa pessoa de maior experiência e conhecimento for você, solicite a ajuda das demais pessoas, com calma e firmeza, demonstrando a cada uma o que deve ser feito, de forma rápida e precisa”, explicou, ensinando que apesar da gravidade da situação devemos agir com calma, evitando o pânico.

É de fundamental importância a transmissão de confiança, tranqüilidade, alívio e segurança aos acidentados que estiverem conscientes, informando que o auxílio já está a caminho.

Serviço:Telefones úteis:SAMU 192 /Atendimento à Mulher 180 / Disque denúncia 181 / Disk Limpeza 0800-726-1036 / Fale com a Guarda 153 / Iluminação Pública 0800 726 1037 / Ouvidoria Geral 0800 91 3622 / Zoonoses (91) 3227-2088 .