sexta-feira, 28 de junho de 2013

Hemopa agradece contribuição.

A Fundação Hemopa agradece a importante contribuição dos funcionários temporários que estão sendo desligado da instituição no dia 30/06. Todos atuaram com profissionalismo e dedicação para manter a qualidade dos produtos e serviços oferecidos pelo hemocentro aos usuários:

Ada Almeida Oliveira Madeira, Aldalene da Silva Pinto, Carina de Andrade Campos, Audeides Nazare de Lima Chaves, Bruno Luiz da Silva de Sena, Emanuela Pinheiro de Almeida, Daniele Galvão Moraes, Deisiane da Silva Mesquita, Denis Cardoso Baima, Dulcileia Martins da Silva, Edna Luzia Ferreira, Emilio Carlos Alexandro Vasconcelos de Mendonça, Emily Michelle Oliveira Lopes, Franklin Wandrigesilo Carvalho do Couto, Jonivaldo Andrade Silva, Maria da Conceição Gomes da Rocha, Messias Albuquerque Castro Neto, Maria de Jesus Aires de Jesus, Maria do Socorro Gomes da Silva, Priscila Lima Ledo, Maruska Mendes de Sousa Prado da Costa, Renan Ribeiro de Souza, Mohamad Hassan Okdi Filho, Nasare do Rosario Garcia Barata, Patricia Ephima de Jesus da Costa, Rodrigo Mendes Bezerra, Sergio Cordovil da Cunha, Sidnei Lima Ferreira, Valeria Ferreira Galetti, Valeria Guilherme Passos, Vania Lucia Tangerino de Souza Henriques, Waldir Jose Goncalves dos Santos, Maria de Nazare Pereira Cardoso, Adriana Miranda Pinheiro, Belchior Rodrigo Barbosa, Claudia Roberta Marques Regis de Melo, Juliely Dias da Silva, Natalia de Oliveira Teixeira, Tatiana Andrea Zaramella, Manoel Alves Parentes, Gilvan Moreira da Silva Batista.

Veraneio com campanhas externas

 A Fundação Hemopa volta a intensificar suas ações externas com campanhas de doação de sangue e cadastramento de doadores de medula óssea,  visando elevar o comparecimento de voluntariado, quando o hemocentro enfrenta dificuldades com a redução de aproximadamente 30% do número de comparecimentos de doadores, em função do período de férias.
Hemopa vai até os doadores de sangue com sua unidade móvel
A programação de campanhas externas deste mês, começa na próxima terça-feira, 2/08, e segue nos dias 3, 16, 17, 23 e 24, de 7h às 16h, em frente ao prédio do Banco do Brasil, na Av. Presidente Vargas. A meta será de 100 doações/dia A ação vai incluir cadastro de doadores de medula óssea.
Dia 06, de 7h às 16h, a campanha será realizada em parceria com a empresa Dinamo Engenharia, localizada na Tv. Haroldo Veloso, nº 202,  no Tapanã. A ação envolverá funcionários e familiares com previsão de 100 voluntários. Também haverá  cadastro de doadores medula óssea.
Nos dias 10, 11, 30 e 31, de 9h às 20h, a ação será promovida em parceria com o Shopping Castanheira, na BR-316, Km 01. A meta será de 100 coletas/dia, além do cadastro de medula óssea.
 Dias 19 e 20, de 7h às 19h, a campanha será em parceria com a Igreja Batista, que vai reunir seus fiéis no Hangar – Centro de Convenções e Feira da Amazônia. A previsão será de 100 voluntários.
As doações reforçarão estoque do banco de sangue
 Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudável e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto
A novidade do Hemopa é que os doadores podem obter o resultado desses exames pela internet, através do site www.hemopa-pa.gov.br, em até 30 dias.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

Campanha junina de Marabá supera meta de doações

Adicionar legenda
 A campanha de doação de sangue junina, realizada pelo Hemocentro Regional de Marabá, no período de 10 a 21 deste mês, superou a meta de 120 doações com um total de 237 coletas, que vai possibilitar o atendimento de aproximadamente 948 pacientes internados na rede hospitalar da região.
Assim como no Hemocentro Coordenador, em Belém, o tema da campanha do Hemocentro Regiolnal foi “13 é Santo Antônio. 24 é São João.29 é São Pedro.E todo dia é do doador.Doe sangue”. Paralelamente, a ação em Marabá  ganhou reforço com a “19ª Campanha de Doação de Sangue do Hospital Regional do Sudeste do Pará/Pró-Saúde ABASH”, que obteve a participação de 113 voluntários e 100 coletas, com a realização do “Arraiá Sangue Bão”, de 17 a 21/06.
Segundo gerente técnico do Hemopa Marabá, dr. Fernando Monteiro, das doações efetivadas, 145 foram de homens e 92 de mulheres. “Agradecemos todos aqueles que aderiram à campanha”, destacou, parabenizando sua equipe de trabalho pelo excelente resultado da campanha, além de destacar a importância da composição de parcerias para o êxito das ações. “Agradecemos imensamente a direção e a equipe do Hospital Regional pelo empenho na captação e coleta de sangue”.

A vasta programação,durante a campanha, homenageou todos os candidatos à doação, com encenação do “Casamento na Roça', distribuição de camisetas e lanche especial com iguarias da época com oferta de “cachorro quente”, mingau de milho, paçoquinha, pé-de-moleque e refrigerante aos doadores.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.

Serviço: O Hemopa Marabá espera por você na Rod. Transamazônica, Quadra 12, S/N.Entre Av. Hiléia e Av. Amazônia. Bairro: Amapá . Funcionamento para coleta de sangue, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 13h. Fone: (94) 3324.1645 / 3324.1810.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Hemopa participa de encontro da ABHH

Dra. Saide Trindade em atendimento médico
A coordenadora de Atendimento Ambulatorial da Fundação Hemopa, dra. Saide Trindade, estará representando o hemocentro  I Encontro do Comitê de Hematologia Pediátrica da Associação Brasileira de Hemoterapia e Hematologia (ABHH), nos dias 28 e 29, em São Paulo. Entre os objetivos do evento, destaca-se padronização de condutas diagnósticas e terapêuticas em temas comuns na especialidade, além do reforço aos protocolos de condutas padronizados pelo Ministério da Saúde.


Bastante abrangente, o encontro traz temas como anemias, discussão de casos clínicos, onco-hematologia, hemostasia, hemoterapia, hemoglobinopatias e coagulação.O evento é uma iniciativa do Comitê de Hematologia e Hemoterapia Pediátrica da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH). 

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Via de duas mãos

Prevenção e promoção da saúde oral de pessoas com hemofilia depende de profissional qualificado e paciente consciente .

A prevenção é a chave do sucesso para a manutenção da saúde bucal, na opinião de Leandro Dorigan de Macedo, cirurgião dentista responsável pelo Serviço de Odontologia da Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto. Para isso, a pessoa com hemofilia deve ser inserida em uma rotina educativo- -preventiva, pois a melhor forma de ela contribuir para a manutenção de sua saúde bucal é estar ciente de sua responsabilidade e ser corresponsável por seu tratamento. O acúmulo de placa bacteriana, resultante de uma higiene oral inadequada, pode gerar sangramento bucal devido à instalação de quadros de inflamação gengival e de outros tecidos de suporte dos dentes. “Muitos pacientes com hemofilia que apresentam sangramento gengival por gengivite, por exemplo, deixam de usar fio dental por receio de agravar o sangramento”, observa Macedo. Maria Elvira Pizzigatti Correa, cirurgiã dentista e coordenadora do Prevenção e promoção da saúde oral de pessoas com hemofilia depende de profissional qualificado e paciente consciente.
O Serviço de Odontologia do Centro de Hematologia e Hemoterapia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), enfatiza que a higiene oral deve ser iniciada ainda na infância, sob os cuidados dos familiares. “O paciente tem que ter consciência de que ele precisa escovar os dentes e usar fio dental. Boca limpa deixa a gengiva sadia e gengiva sadia não sangra.” Para prevenir a doença periodontal (gengivite e periodontite) e agravos, o cirurgião dentista da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), Eduardo Lima Padua, aconselha que a pessoa com coagulopatia siga as instruções repassadas pela equipe odontológica, não falte às consultas agendadas e procure o serviço de odontologia de sua região assim que suspeitar de possíveis problemas bucais. “Pacientes que recebem instruções de higiene oral e que visitam periodicamente o dentista, têm menores chances de apresentarem quadros hemorrágicos.” Segundo Padua, os pacientes do Hemopa são encaminhados pelo hematologista ao consultório odontológico após a conclusão do diagnóstico da coagulopatia e, em seguida, cadastrados em um programa permanente de saúde oral, que atualmente conta com 357 pacientes com hemofilia e 216 com von Willebrand e outras coagulopatias hereditárias. Além das consultas eletivas, Padua ressalta que o serviço atua com abordagens de urgência, ­visando solucionar os casos de sangramentos orais com maior rapidez. O consultório odontológico do Hemopa dispõe de profissionais especializados em ­odontopediatria, cirurgiaetraumatologiabucomaxilo-facial, e mantém parceria com clínicas- escolas (Universidade Federal do Pará, Centro Universitário do Pará e Escola Superior da Amazônia) e Centros de Especialidades Odontológicas (CEO’s), em especial nas especialidades de endodontia (responsável pelo estudo da polpa dentária), periodontia (ciência que trata as doenças do sistema de implantação de dentes) e pacientes com necessidades especiais. As condutas odontológicas voltadas a esses pacientes são embasadas por publicações como o Manual de Atendimento Odontológico a Pacientes Portadores de Coagulopatias Hereditárias, publicado pelo MS, e Protocolos Operacionais Padrão (POP’s), elaborados pelos serviços de odontologia de Centros de Tratamento de Hemofilia (CTHs). Segundo Padua, as experiências adquiridas ao longo dos anos contribuem na elaboração dessas publicações, juntamente com os resultados de pesquisas bem conduzidas. O tratamento adequado de pacientes com hemofilia deve contar com uma equipe que atue em conjunto, envolvendo não só médicos hematologistas e de outras especialidades, mas cirurgiões dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, pedagogos, assistentes sociais, equipe de enfermagem e outros. “A odontologia é parte integrante de uma abordagem multiprofissional e multidisciplinar voltada à pessoa com hemofilia e outras coagulopatias hereditárias”, observa Padua. Segundo ele, o resultado dessa harmonia entre pessoas envolvidas com a ­hemofilia resultará em constantes melhorias e otimização da qualidade de vida. Maria Elvira enfatiza que desmistificar o tratamento dentário do paciente foi a sua maior luta. “Hoje em dia temos profissionais capacitados para atender esse paciente em quase todos os centros de tratamento de hematologia do País.” Ainda de acordo com ela, esses mesmos centros capacitam dentistas interessados em ingressar na área. Além de oferecer orientação sobre atenção odontológica ao paciente com hemofilia e outras coagulopatias hereditárias, o Comitê de Odontologia da FBH pretende dispor um representante em cada região do País para capacitar novos profissionais. “Nosso objetivo é divulgar o tratamento do paciente com hemofilia para facilitar o acesso à atenção odontológica básica”, explica Maria Elvira. Progresso parcial Os centros especializados têm apresentado evolução significativa na prestação de atendimento odontológico, segundo Leandro Dorigan Macedo. No Serviço de Odontologia da Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto, o cirurgião dentista conta que são realizados procedimentos como tratamento periodontal, restauração, prevenção, aplicação de flúor, educação e instrução de higiene oral, cirurgias menores, controle de sangramentos e outros. Procedimentos cirúrgicos mais extensos como extração de terceiros molares inclusos (dentes do Ciso) e correções cirúrgicas de fraturas dos maxilares são realizados no Serviço de Odontologia de Estomatologia do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP). Na opinião de Macedo, esse progresso foi possível graças ao desenvolvimento técnico dos profissionais, o uso de hemostáticos locais (coagulantes) e a utilização de medicamentos como antifibrinolíticos e os derivados de desmopressina (DDAVP). Isso fez com que a necessidade de utilização de fatores de coagulação nos tratamentos dentários, por exemplo, fosse reduzida de forma significativa nos últimos anos. Manobras locais diante de quadros de sangramentos da cavidade oral podem reduzir ou até mesmo evitar o uso de concentrados de fatores de coagulação. “Aplicação de hemostáticos locais de baixo custo relativo, associada à compressão local, podem resolver casos de sangramentos, mes- mo que o paciente não tenha feito infusão prévia de fator”, explica. Entretanto, Macedo observa que ao contrário dos centros especializados, o atendimento odontológico prestado pelos centros não especializados não progrediu. “Salvo raras exceções, a falta de informação dos profissionais gera um estigma.” Frente o impasse, pacientes que poderiam ser atendidos de forma convencional em suas cidades, precisam enfrentar viagens desgastantes para a realização de procedimentos sem risco de sangramentos. “Um exemplo marcante em nosso serviço, é de uma família carente que viaja 10 horas de ônibus para que as crianças recebam atenção odontológica básica”, conta Macedo. Para resolver, o cirurgião dentista conta que o serviço tentou encaminhar esses pacientes de várias formas, inclusive com textos explicativos e os cuidados necessários, mas a falta de informação e a insegurança dos profissionais da região prevaleceram. Aos 23 anos, Breno Jorge de Melo tem hemofilia A moderada e desde a infância é atendido na Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto. Mo- rador de Rifaina – município ­situado no interior de São Paulo, Melo viaja 160 km para receber atendimento. “Sempre fui muito bem atendido em Ribeirão Preto, mas a viagem é cansativa.” Em sua opinião, o cuidado ao paciente deveria ser incluído na gra- de curricular das faculdades de odon- tologia para que o atendimento a esse paciente fosse mais acessível. A expectativa, segundo Macedo, é conseguir sensibilizar as entidades públicas da necessidade de treinamento dos profissionais e conseguir estreitar os laços com os serviços de atenção ­primária e secundária.

POR:Marina Panham - Revista:Fator Vida - Publicação da Federação Brasileira de Hemofilia - Anos 02 - Edição 05 - Janeiro-Fevereiro 2013.

terça-feira, 25 de junho de 2013

“Arraiá sangue bom” reforça banco de sangue de Marabá

No período de 17 a 21/06, foi realizado a “19ª Campanha de Doação de Sangue do Hospital Regional do Sudeste do Pará/Pró-Saúde ABASH”, que obteve a participação de 113 voluntários e 100 coletas. O tema da campanha foi “Arraiá Sangue Bão”, em parceria com o Hemocentro regional de Marabá, que teve o banco de sangue reforçado para atendimento transfusional daquela região do estado.
O gerente técnico do Hemopa Marabá, dr. Fernando Monteiro, agradeceu cada participante da campanha e das parcerias compostas, que foram responsáveis pelo sucesso da ação. Segundo ele, a campanha os candidatos à doação foram encaminhados à sede do hemocentro, de 7h30 às 12h, exceto no dia 18/06, quando as doações  serão feitas, de 8h às 17h, nas instalações do Hospital Regional.
A atividade ganhou fôlego com a atuação do grupo de “Mobilização de Doadores Amigos de Sangue”, que promoveu a sensibilização dentro do Hospital Regional e imediações.  Durante a campanha, no dia 18, contou com muitas surpresas aos candidatos à doação, entre eles, “Casamento na Roça', distribuição de camisetas e lanche especial com iguarias da época com oferta de “cachorro quente”, mingau de milho, paçoquinha, pé-de-moleque e refrigerante aos doadores.
Serviço: O Hemopa Marabá espera por você na Rod. Transamazônica, Quadra 12, S/N.Entre Av. Hiléia e Av. Amazônia. Bairro: Amapá . Funcionamento para coleta de sangue, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 13h. Fone: (94) 3324.1645 / 3324.1810.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.

Mais de 2 mil voluntários participaram da campanha junina de doação de sangue


  
A Fundação Hemopa agradece os 2.013 voluntários que aderiram à campanha junina “13 é Santo Antônio. 24 é São João.29 é São Pedro. E todo dia é do doador.Doe sangue”, promovida de 15 a 22 deste mês. Desse total, 1.731 pessoas efetivaram sua doação de sangue, que vai possibilitar o atendimento de aproximadamente de 6.924 pacientes internados na rede hospitalar. A ação serviu de suporte para o estoque estratégico do banco de sangue que tem a responsabilidade de atende a demanda de mais de 200 hospitais paraenses.
Com vasta programação, durante a abertura da campanha houve mobilização artística em favor da doação de sangue com o “Arraiá Solidário”, onde se apresentaram as seguintes atrações: CIA de Teatro Luzes, o humorista Serginho Cunha, Banda Lágrimas de Outubro,  cantor Sandro Aragão, a cantora Camila Tavares, e apresentação de quadrilha junina “Cabanos Mirins”, do bairro do Guamá. Houve ainda o apoio do fã clube da banda “Chiclete com Banana”, que promoveu campanha nacional de doação de sangue no dia 15/06, com o tema “Chicleteiro Sangue Bom”. 
O projeto “Ação pela Vida”, da Tv Liberal foi responsável pelo comparecimento de 671 voluntários que resultou em 533 coletas, somente no dia 15. A parceria acontece peloo segundo ano consecutivo. Ano passado houve o comparecimento recorde, de um único dia, de 997 voluntários e 829 doações efetivadas. O total de coletas nesses dois anos somam 1.362 doações, que possibilitaram o atendimento aproximado de 5.448 pacientes. “Tão importante quanto o saldo de coletas é a divulgação de nossas ações, mostrando à sociedade, através de ações de cidadania com essa, que todos somos responsáveis pela doação de sangue.Agradeço e parabenizo a Tv Liberal pela parceria, que colabora para a melhoria do nosso atendimento transfusional”, destacou a presidente do hemocentro, Luciana Maradei.
Outra importante parceria foi firmada com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater/Pa), que complementou lanche especial aos doadores na abertura e no encerramento da campanha, quando foi servido lanche com produtos 100% natural. A empresa também fez exposição de produtos naturais da agricultura familiar, distribuiu material educativo e orientações técnicas sobre o assunto.
O saldo da campanha agradou a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, a assistente social Juciara Farias, que parabenizou a iniciativa de todos que colaboraram direta e indiretamente para o sucesso da ação. “Agradecemos o significativo saldo de comparecimento do voluntariado paraense”, destacou, ressaltando a importância das parcerias com instituições de todas as esferas.
Além do hemocentro coordenador de Belém, a campanha junina foi realizada nos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá e Santarém; e nos Hemonúcleos de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema.  Em Marabá, o gerente técnico pela unidade, resolveu estender a campanha até o final deste mês.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

Alunos doam sangue e exercitam a cidadania

O Hemopa agradece o significativo saldo de 160 comparecimentos durante a campanha externa de doação de sangue e cadastro de medula óssea realizada em parceria com a  escola “Profª Ana Teles”, no dia 22/06, em  Benevides. A ação faz parte do projeto “Doador de Sangue do Futuro”, desenvolvido pelo Hemopa, visando levar às escolas de ensino fundamental e médio, informações precisas e corretas sobre o ato de doar sangue, contribuindo para a formação de uma nova cultura em relação à doação voluntária de sangue.
Atualmente, os jovens são responsáveis por 50% das doações efetivadas no Pará.
Instituições interessadas em compor parceria com a Fundação Hemopa, deve entrar em contato , através do fone: 32245048.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Hemopa encerra campanha junina neste sábado


 A Fundação Hemopa encerra neste sábado, 22, campanha junina “13 é Santo Antônio. 24 é São João.29 é São Pedro.E todo dia é do doador.Doe sangue”, que começou no último dia 15. Até ontem (20), compareceram ao hemocentro 1.590 voluntários. Desses, 1.283 efetivaram a coleta de sangue. A ação vai reforçar estoque estratégico do hemocentro que tem a responsabilidade de abastecer mais de 200 hospitais no Pará.

Assim como nos demais hemocentros brasileiros, o Hemopa  enfrenta eventuais dificuldades na captação de doadores em períodos festivos, como a Quadra junina, onde a maioria das pessoas não se preocupam em agendar a doação de sangue. “Se todas as pessoas doassem , pelo menos, duas vezes ao ano,  não faltaria sangue na hemorrede brasileira”, destacou a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, que incentiva a parceria de  instituições públicas e privadas no processo da doação de sangue, através do estímulo ao ato solidário em seus colabores.
Durante a semana, o líder do Ministério da Santidade da igreja Quadrangular, Ronaldo Asis, 41 anos , doou sangue para ajudar uma amiga da igreja. Mas, ele aproveitou a campanha junina e convidou outros amigos para doar. “Faz muito bem ajudar outras pessoas que tanto necessitam. Afinal, somos todos irmãos”, comentou, sugerindo o gesto solidário para os demais frequentadores da “Quadrangular”.
(da esq p/ dir) Ronaldo Assis com amigos doadores
Quem doa sangue está sendo brindado com um kit com camiseta, material impresso educativo e preservativos, além de lanche especial com iguarias da época. A campanha junina prossegue até o dia 22. A ação também está sendo realizadas nos municípios de Castanhal, Marabá, Santarém, Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema. 

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Hemopa desperta conscientização sobre doença falciforme

Dra.Saide Trindade repassa informações aos presentes
 A Fundação Hemopa, através da Coordenadoria de Atendimento Ambulatorial (Coamb), comemorou na manhã desta quarta-feira, 19, o Dia Mundial da Conscientização da Doença Falciforme. O evento foi realizado de 8h às 12h, no auditório do hemocentro e reuniu cerca de 80 pessoas entre pacientes e familiares.
Durante a programação, os presentes assistiram ciclo de palestras que abordaram os seguintes temas: “Avanços no tratamento da doença falciforme”, ministrado pela titular da Coamb, drª Saide Trindade; “Atenção Pedagógica junto às pessoas com doença falciforme”, pela pedagoga Joyce Kellen; “ Terapia Ocupacional na doença falciforme”, pela terapeuta ocupacional Ingrid Galvão; “ Novos Medicamentos e Melhorias na qualidade de vida das Pessoas com doença Falciforme”,  Laboratório Novartes - (20min). O evento científico foi encerrado com sorteio de “Kits de Higiene”, doados pela NOVARTES.
 Para o Ministério da Saúde (MS) essa é a doença hereditária com maior prevalência no Brasil. No Pará, o Hemopa presta atendimento ativo para 573 pacientes portadores de doença falciforme que se manifesta na maioria das vezes após os seis meses de vida do bebê, sendo o “Teste do Pezinho” a melhor forma de identificá-la. Atualmente, dos 27 Estados brasileiros, apenas 17 realizam este tipo de exame, entre eles, o Pará que está habilitado a fazer o diagnóstico precoce para a doença desde abril do ano passado, por meio da triagem neonatal.
A doença falciforme é hereditária, transmitida da mãe para o bebê durante a gravidez. A criança com anemia falciforme apresenta má-formação das hemácias, que se assemelham a foices. Esse tipo de anemia é predominante na população negra. Porém, como no Brasil há miscigenação de raças, é comum também encontrar pessoas de pele branca acometidas pelo problema.
Pacientes e familiares prestigiaram o evento
Segundo a hematologista Saide Trindade, quanto mais precoce o diagnóstico, mais chances de evitar as manifestações graves da doença. “Com isso, aumenta a qualidade de vida e a possibilidade de acesso a todas as opções terapêuticas”, comentou a médica, explicando que o primeiro passo é ir a uma unidade de saúde e solicitar o teste do pezinho nos primeiros sete dias de vida do bebê. Ela destaca que a Coordenadoria de Atendimento Ambulatorial da Fundação Hemopa é referência no Estado para o tratamento da doença falciforme, com disponibilidade de equipe multidisciplinar com médicos, enfermeiros, assistentes sociais, pedagogas, odontólogos, fisiatras,fisioterapeutas e psicólogas.
A médica aposta que com os novos protocolos estabelecidos (como tratamentos com hidroxiureia e quelação de ferro por via subcutânea e oral) seja aprovada a portaria ministerial para o Transplante de Medula Óssea desses pacientes. A doença já é um problema de saúde pública mundial, sendo o transplante o único que oferece possibilidade de cura quando o tratamento tradicional já não surte efeito.
Sônia Dias, 38 anos, é um exemplo de êxito do TMO. Paciente do Hemopa desde 1986, após passar por todos os procedimentos, recebeu indicação para transplante que foi realizado, em nível experimental, em março de 2010, em Ribeirão Preto, tendo sua irmã como doadora. “Estou com excelente qualidade de vida.Torço para que o MS aprove o protocolo para a realização do TMO o mais rápido possível”, ressaltou.
Representes do Laboratóorio da NAVARTES
Por sua vez, Fábio Henrique, que tem 31 anos, convive com a doença. Ele tem uma vida normal devido ao diagnóstico precoce da doença.
As medicações, oferecidas gratuitamente, a transfusão de sangue e a alimentação equilibrada foram essenciais para ele tenha qualidade de vida e condições para estudar e trabalhar. Fábio é formado em Administração, com habilitação em Marketing, e exerce a profissão, além de ser um importante captador de doadores nas redes sociais de relacionamento.
Aos interessados, no Pará, após a constatação da doença, a criança é encaminhada ao Hemopa para realização de novos exames. Em caso positivo, a criança é cadastrada na Fundação para iniciar o tratamento. As consultas ocorrem às quartas-feiras, às 13h, e às sextas-feiras, às 11h.

Dados divulgados pelo Programa Nacional de Triagem Neonatal do Ministério da Saúde, no Brasil nascem por ano aproximadamente 3.500 crianças com a doença falciforme. No mundo, estima-se que um total de 300 mil crianças/ano nasça com a doença (OMS).

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Padre Eutíquio, 2109, Batista Campos. Mais informações (91) 3242-9100 e 0800-280-8118 ou e-mail: hemopa@hemopa.pa.gov.br.

Hemopa convoca doadores para campanha junina

Hemopa tem o compromisso de abastecer a rede hospitalar
 A campanha junina de doação de sangue que a Fundação Hemopa está realizando desde o dia 15 deste mês, ainda não atingiu a meta de 300 bolsas por dia, para atender satisfatoriamente a demanda transfusional da rede hospitalar, neste período festivo da quadra junina. No dia 17, foram coletadas apenas 197 bolsas, e no dia 18, 157 doações foram efetivadas. O índice está bem abaixo do esperado e pode interferir no atendimento transfusional de milhares de pacientes, especialmente, nos finais de semana quando as intercorrências hospitalares aumentam em torno de 20%.
Apesar da intensa divulgação para convocação de doadores, o comparecimento vem caindo a cada dia desta semana. Para gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, a época festiva normalmente provoca a evasão do voluntariado. “Alguns pessoas associam a doação de sangue ao eventual impedimento da diversão. Isso é mito. Quem doar, por exemplo, pela manhã, pode se divertir a noite, sem problema nenhum. Obviamente que recomendamos: sem excessos”, observou , recomendando, porém, não ingerir bebida no dia anterior à doação.
Amália Bastos é exemplo de solidariedade jovem
A estudante Amália Bastos, 17 anos, veio fazer sua primeira doação, nesta quarta-feira, 19, acompanhada da mãe, que assinou termo de autorização para a coleta de sangue da filha, por ser menor de 18 anos. “Sempre tive vontade de doar sangue, aproveitei  esse período de campanha em que o Hemopa  precisa abastecer o estoque de sangue. Estou fazendo minha parte em quanto cidadã”, comentou a jovem que faz parte do segmento que é responsável por mais de 40% das coletas efetivadas no Estado.
Estoque de sangue precisa de reforço 
Durante todo o período da campanha está sendo distribuído kit com camiseta, material impresso educativo e preservativos, além de lanche especial com iguarias da época.
A campanha junina prossegue até o dia 22. A ação também está sendo realizadas nos municípios de Castanhal, Marabá, Santarém, Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema. 

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Segundo dia de campanha junina não atinge meta de coletas de sangue

Sua doação pode salvar muitas vidas.venha e traga um amigo
O segundo dia da campanha junina da Fundação Hemopa não atingiu a meta de 300 doações. Ontem, 17, houve registro de 247 comparecimentos e apenas 197 coletas de bolsas de sangue. A campanha que começou no sábado passado, 15, vai até o dia 22, com a desafiadora missão de abastecer o banco de sangue para assegurar atendimento de centenas de solicitações transfusionais da rede hospitalar do Pará, que é composta por mais de 200 casas de saúde e com milhares de pacientes internados.
Raimundo da Costa doa sempre que pode
O técnico de enfermagem Raimundo Fernando Pinheiro da Costa, 52 anos, atendeu o apelo da campanha junina. Ele repete esse gesto solidário desde que era militar, no final da década de 70. Para o ele,  doar é muito simples  e fácil. “Importante, mesmo, é para quem recebe. Temos que ter solidariedade e ter ciência de que muitas pessoas precisam disso. Ser doador faz bem ao coração”.
 Para a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias,a população precisa se despertada para o ato solidária da doação de sangue com realização de estratégias de mídia. “Estamos com a campanha junina e programação bem atrativa para voluntariado da doação de sangue que vai receber kit com camiseta, material impresso educativo e preservativos.Tudo isso para agradecer essas pessoas solidárias”, destacou, afirmando que a coleta de sangue não impede a diversão.
Todo doador preenche cadastro e deve atualizar sempre
A assistente social explica que o processo da doação de sangue é simples, indolor e não transmite doenças. O candidato deve preencher os requisitos básicos para a doação: estar bem de saúde; ter entre 16 e 67 anos e peso acima de 50 kg. Logo após, na pré-triagem, o voluntário passa por um teste para saber se tem sangue suficiente para doar sem causar problemas à saúde. O peso e a pressão arterial também são avaliados. Na fase seguinte, durante a entrevista feita na Triagem Clínica, o profissional da saúde precisa saber sobre o estilo de vida da pessoa. Nesse ponto que antecede a coleta de sangue, Juciara Farias explica a importância da sinceridade do candidato para definir se é possível ou não ele se tornar doador. “Isso tudo para proteger a saúde dos pacientes”, observou. Se aprovado, o candidato efetiva sua doação, que vai salvar muitas vidas.
A campanha junina também está realizada nos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá e Santarém; e nos Hemonúcleos de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema.  No entanto, as datas serão distintas e de acordo com a realidade de unidade. Mas todas serão neste mês.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com aut
orização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Nepes exibe vídeo conferência

O Núcleo e Ensino e Pesquisa (Nepes) da Fundação Hemopa programou uma série de eventos científicos. Nos dias 18 e 19/06. Na terça-feira, 18, de 14h às 15h, vídeo aula sobre: “Treinamento para uso adequado de equipamento”. Na quarta-feira, 19, de 9h às 10h30, vídeo aula sobre: ”Como construir indicadores de desempenho na gestão por processo”.  

Mais informações: nepeshemopa@hemopa.pa.gov.br.

Hemopa Marabá com campanha “Arraiá sangue bão”

Voluntários pela doação de sangue do Hsopital
No período de 17 a 21 deste mês, será realizado a 19ª Campanha de Doação de Sangue do Hospital Regional do Sudeste do Pará / Pró-Saúde ABASH”, que terá como tema “Arraiá Sangue Bão”, em parceria com o Hemocentro regional de Marabá.  Os doadores serão encaminhados para coleta de sangue na sede do hemocentro, de 7h30 às 12h, exceto no dia 18/06, quando as doações  serão feitas, de 8h às 17h, nas instalações do Hospital Regional.
O grupo de “Mobilização de Doadores Amigos de Sangue” e a Fundação Hemopa convidam a população em geral para aderir ao movimento social em favor da vida, com a finalidade de abastecer o banco de sangue do hemocentro e garantir atendimento transfiusional com qualidade e quantidade necessária, tendo em vista que em períodos festivos, a demanda costuma elevar em torno de 20%.
Todos juntos para salvar vidas com a doação de sangue
Segundo a comissão organizadora da campanha no Hospital Regional, no dia 18, contará com muitas surpresas aos candidatos à doação, entre eles, “Casamento na Roça', distribuição de camisetas e lanche especial com iguarias da época com oferta de “cachorro quente”, mingau de milho, paçoquinha, pé-de-moleque e refrigerante aos doadores.
Serviço: O Hemopa Marabá espera por você na Rod. Transamazônica, Quadra 12, S/N.Entre Av. Hiléia e Av. Amazônia. Bairro: Amapá . Funcionamento para coleta de sangue, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 13h. Fone: (94) 3324.1645 / 3324.1810.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.

Mais de 500 doações de sangue na abertura da campanha junina

Equipes do Hemopa e da Tv Liberal no comando da campanha
A Fundação Hemopa agradece os 671 comparecimentos no primeiro dia da campanha junina, sábado passado, que resultou no significativo saldo de 533 doações de sangue, que vai possibilitar o atendimento de aproximadamente 2.132 pacientes internados na rede hospitalar. A ação contou com a parceria com a Tv Liberal. A campanha prossegue até o dia 22, com a meta de 300 coletas/dia.
“13 é Santo Antônio. 24 é São João.29 é São Pedro.E todo dia é do doador.Doe sangue”. É o tema da mobilização que está sendo realizada em toda a hemorrede estadual, com o objetivo de reforçar estoque estratégico do hemocentro para assegurar atendimento transfusional da rede hospitalar que, em períodos festivos, costuma elevar a  necessidade em mais de 20%.  
Maelma sabe muito bem a importância das doações de sangue
Durante todo o período, os doadores estão sendo brindados  com camiseta e distribuição de material impresso educativo, além de lanche especial com iguarias da época. Em parceria com a Emater, o lanche do sábado (15) foi implementado com sucos e frutas naturais. Técnicos da também repassaram informações sobre os benefícios da agricultura familiar aos candidatos à doação, presentes na sede do hemocentro. O reforço no lanche se dará novamente no encerramento da capanha.
 Com muitas atrações e surpresas aos voluntários da doação de sangue, o primeiro dia da campanha lotou de voluntários. “Sempre tive vontade de doar sangue, mas nunca tive tempo. Estou doando para ajudar uma amiga. Mas essa foi a primeira de muitas doação”, relatou o músico Neyvicton Trindade de Lima, que efetuou a sua primeira doação no dia seu aniversário de 24 anos, na manhã de hoje.
Benedito Lima com seu Kit doador
Vivenciando a necessidade constante de receber transfusão de sangue, a paciente  Maelma Furtado Teixeira, 22 anos, portadora de anemia falciforme, recebe tratamento no Hemopa desde os três anos de idade, fala da importância das doações de sangue: “ Se todas as pessoas soubessem o quanto é importante a doação, tenho certeza que muito mais pessoas doariam. Sem os doadores de sangue não tenho como sobreviver”.
Doador desde a década de 90, o vigilante Benedito Lima Dias, 52 anos, foi outro que atendeu o apelo da campanha junina. “Gosto de ajudar hoje porque amanhã eu ou alguém da minha  família pode precisar. Parabenizo o Hemopa e a Tv Liberal pela iniciativa”, ressaltou afirmando que continuará doando enquanto tiver saúde para isso.
Apesar do grande número de comparecimento de candidatos à doação, o atendimento no hemocentro foi agilizado com a expansão do espaço para doação de sangue, ao oferecer o  dobro da quantidade de cadeiras para col
etas de 14 para 28. Da mesma forma, foi dobrado o número de consultórios para triagem de quatro para oito.
“Isso tudo para evitar maior espera e eventual tumultuo no atendimento”, observou a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, que ficou bastante satisfeita com a parcial do saldo do primeiro de campanha. Na oportunidade, ela parabenizou a iniciativa de responsabilidade social da direção de Programação da Tv Liberal, através do projeto “Ação pela Vida”. “Agradecemos toda a equipe da Tv Liberal pelo sucesso do segundo ano de parceria”, enfatizou, estendendo os agradecimentos aos voluntários da mobilização.
Mais espaço e conforto aos doadords
Durante a programação, participaram do “Arraiá Solidario”: CIA de Teatro Luzes, o humorista Serginho Cunha, Banda Lágrimas de Outubro,  cantor Sandro Aragão, a cantora Camila Tavares, e apresentação de quadrilha junina “Cabanos Mirins”, do bairro do Guamá.
A ação contou ainda com apoio do fã clube da banda “Chiclete com Banana”, que esteve com campanha nacional “Chicleteiro Sangue Bom”, neste sábado.  Outra importante parceria com a Emater brindou o lanche doa doadores que ganhou complemento com produtos da agricultura familiar 100% natural. A parceria será repetida no encerado na campanha, no próximo sábado, 22. Técnicos da empresa distribuíram material educativo e repassaram informações sobre os benefícios da agricultura familiar.

Serginho Cunha doando sangue e na campanha por 4 vidas
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Hemopa parabeniza doadores de todo o mundo

Milhares de bolsas coletadas no Brasil. Mas, demanda é maior
Nesta sexta-feira, 14, comemora-se o Dia Mundial do Doador de Sangue, para agradecer e homenagear essas pessoas voluntárias e altruístas, que salvam vidas diariamente e de forma anônima. Apesar das constantes campanhas de mobilização do Ministério da Saúde (MS) e dos Hemocentros, em alguns períodos do ano como dezembro, janeiro e julho, falta sangue nos bancos. E é, infelizmente, nesse período que os hospitais mais precisam, devido ao grande número de acidentes que ocorrem nas estradas movimentadas.
Segundo o Ministério da Saúde (MS) cerca  de 1.9% da população brasileira doa sangue regularmente, quando o ideal seria entre 3% e 5%.No Pará, o índice é de 2.1%. Entre janeiro a outubro de 2012, foram c
oletadas quase dois milhões de bolsas em Brasil. O número até pode parecer alto, mas se torna baixo se for comparado à necessidade transfusional na hemorrede nacional, diariamente.
Segundo a assistente Juciara Farias, que gerencia o serviço de Captação de Doadores, infelizmente não basta querer doar. O candidato deve preencher os requisitos básicos para a doação: estar bem de saúde; ter entre 16 e 67 anos e peso acima de 50 kg. Logo após, na pré-triagem, o voluntário passa por um teste para saber se tem sangue suficiente para doar sem causar problemas à saúde. O peso e a pressão arterial também são avaliados.
Elas são responsáveis por 30% das coletas no Pará
Na fase seguinte, durante a entrevista feita na Triagem Clínica, o profissional da saúde precisa saber sobre o estilo de vida da pessoa. Nesse ponto que antecede a coleta de sangue, Juciara Farias explica a importância da sinceridade do candidato para definir se é possível ou não ele se tornar doador. “Isso tudo para proteger a saúde dos pacientes”, observou.
Sendo aprovado, o candidato segue para doação, enquanto suas amostras de sangue são coletadas para exames de diversas doenças. Na Fundação Hemopa, uma inovação nos testes sorológicos é a implantação do teste dos ácidos nucleicos – NAT para HIV e Hepatite C. Os exames seguem em paralelo ao processamento do sangue doado. Após a análise e a apresentação dos testes sorológicos como negativos, o sangue é liberado para atendimento transfusional da rede hospitalar, que no Pará, corresponde a aproximadamente 218 casas de saúde.
No Dia Mundial do Doador, festejado hoje em todo Brasil, e no Dia Nacional do Doador de Sangue, que é comemorado dia 25 de novembro, são os dias que mais são feitas doações no país. Para aumentar cada vez mais o número de doadores regulares, o MS criou um aplicativo “Banco de Doadores” virtual, através da Fan Page Doe sangue, que tem o objetivo de agregar e cadastrar doadores de sangue no território nacional. Faça seu cadastro e salve muitas vidas.
Triagem rigorosa para proteção do receptor
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, encerra parabenizando todos os voluntários da doação de sangue do Brasil e do Pará. Ela aproveita a oportunidade para convidar toda a população para aderir à campanha junina de doação de sangue que começa neste sábado, 7h30 às 16h, na sede do hemocentro, em Belém, onde vai oferecer muitas atrações e surpresas aos voluntários. A ação prossegue até o dia 22/06. A meta é de 300 coletas/dia.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudável e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto. A novidade do Hemopa é que os doadores podem obter o resultado desses exames pela internet, através do site www.hemopa-pa.gov.br, em até 30 dias.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.
  

Tv Liberal abre campanha junina de doação de sangue

No período de 15 a 22 deste mês, a Fundação Hemopa realizará campanha de doação de sangue referente à Quadra junina com o tema: “13 é Santo Antônio. 24 é São João.29 é São Pedro.E todo dia é do doador.Doe sangue”, com o objetivo de reforçar estoque estratégico do hemocentro para assegurar atendimento transfusional da rede hospitalar que, em períodos festivos, costuma elevar a  necessidade em mais de 20%. A meta será de 300 coletas/dia.
Hemopa preparado para receber os doadores da campanha
A abertura da ação estratégica, dia 15, contará com a parceria da Tv Liberal, através do projeto “Ação pela Vida”, pelo segundo ano consecutivo. Ano passado houve o comparecimento recorde, de um único dia, de 997 voluntários e 829 doações efetivadas que possibilitaram o atendimento aproximado de 3.316 pacientes.Com vasta programação, a ação vai brindar doadores com muitas atrações e atividades educativas. Durante toda a campanha haverá distribuição de camisetas.
As doações vão reforçar estoque do banco de sangue
 No dia 15, de 7h30 às 14h, será realizada mobilização artística em favor da doação de sangue com as seguintes participações voluntárias: CIA de Teatro Luzes, o humorista Serginho Cunha, Banda Lágrimas de Outubro,  cantor Sandro Aragão, a cantora Camila Tavares, e apresentação da quadrilha junina “Cabanos mirins”,do bairro do Guamá.
Segundo a gerente de Captação de Doadores, Juciara Farias, ano passado, a campanha obteve o significativo saldo de 2.760 comparecimentos, que proporcionou o atendimento de milhares de pacientes.
“Temos certeza que atingiremos nossa meta de campanha com a colaboração da população potencialmente doadora e das instituições parceiras”, afirmou a assistente social, destacando que durante a campanha haverá distribuição de camisetas e material educativo e de prevenção à saúde, além de lanche especial com comidas típicas da época.
Segundo a Coordenadora do Projeto pela Tv Liberal, Cíntia Luna, “a parceria da TV Liberal e o Hemopa são de total relevância para cada vez mais conscientizar e informar de um modo abrangente a importância da doação de sangue e de medula óssea, que significa salvar vidas. ’’
Milhares de pacientes dependem de sua doação de sangue
 para oferecer mais agilidade e maior conforto no atendimento aos doadores, á exemplo do ano passado, a direção do hemocentro disponibilizará mais dois de coletas de sangue, dobrando o número de cadeiras para coletas de sangue de 14 para 28. Da mesma forma, será dobrado o número de consultórios para triagem de quatro para oito.
Outra importante parceria foi firmada com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater/Pa), que disponibilizará lanche especial aos doadores na abertura e no encerramento da campanha. Será servido lanche com produtos 100% natural. A empresa também vai fazer exposição de produtos naturais da agricultura familiar, distribuição de material educativo e orientações técnicas sobre o assunto.
 A campanha junina também será realizada nos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá e Santarém; e nos Hemonúcleos de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema.  
No entanto, as datas serão distintas e de acordo com a realidade de unidade. Mas todas serão neste mês.
Tv Liberal na abertura da campanha junina
 Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudável e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto. A novidade do Hemopa é que os doadores podem obter o resultado desses exames pela internet, através do site www.hemopa-pa.gov.br, em até 30 dias.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Estudante da Ufopa doam sangue em Santarém

Iniciativa cidadã que salva vidas.
A Fundação Hemopa, agradece e parabeniza pela inciativa dos
estudantes do Programa de Ciências Econômica e Desenvolvimento Regional, da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), que participaram do trote solidário, em parceria com o Hemocentro Regional de Santarém, na manhã desta quinta-feira, 13.
Eles foram recebidos por técnicos da captação de Doadores. “Ficamos felizes em recebê-los e torcendo para que novas parcerias possam ser implementadas, junto a essa instituição de ensino”, disse gerente da unidade, dr. Waldir Mesquita.
De acordo com informações da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) da Fundação Hemopa, das coletas efetivadas no Estado, mais de 50% são do segmento jovem (18/28anos). Para a assistente social Lilian Bouth, os jovens estão bastante receptivos com as ações sociais. “Eles estão bem mais consciente da força de sua atuação para uma transformação social positiva  e à favor do bem estar da população”, observou.
Os jovens estão mais solidários para causas sociais
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudável e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto
A novidade do Hemopa é que os doadores podem obter o resultado desses exames pela internet, através do site www.hemopa-pa.gov.br, em até 30 dias.

Serviço: O Hemopa Santarém espera por você na Av. Frei Vicente, 696. Entre Alameda 30 e Alameda 31. Bairro: Aeroporto Velho CEP: 68.040-040.Fone: (93) 3522.7763 / 3522.1448 / 3522.1143, ou ainda: 08002808118, de 2ª a 6ª, de 8h às 18h, e aos sábados até ás 17h.