terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Movimento de doadores na campanha do carnaval ainda é tímido


A Fundação Hemopa prossegue com a campanha “O carnaval está no sangue do paraense. A solidariedade também. Doe vida”, que visa suprir o estoque estratégico do hemocentro coordenador em Belém e das unidades da hemorrede estadual em Castanhal, Marabá, Santarém, Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Capanema e Redenção. Na sede do Hemopa, a ação teve início dia 22 e se estenderá até o dia 1º de março. Nesta segunda-feira, 24, houve o saldo de 202 comparecimentos e 177 coletas, ficando bem abaixo da meta de 300 doações/dia.


Segundo a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, ano passado a campanha do carnaval resultou em 2.298 candidatos e 1.826 coletas efetivadas. “Entendemos que alguns fatores interferem no comparecimento de voluntários, como esse período chuvoso. Por isso, apelamos para que as pessoas superem essas dificuldades em prol da saúde de milhares de pacientes“, ressaltou, sugerindo que os voluntários efetivem a doação de sangue antes de cair na folia.


Preocupada com o tímido movimento de doadores neste início de semana, a assistente social informa que o hemocentro funcionará para coleta de sangue de 7h30 às  13h, no sábado (1º/03). Na segunda-feira (3) e na terça-feira (4), não haverá coleta de sangue. Na quarta-feira, 5, o expediente será de 13h às 18h.

Acostumada a doar sangue nas campanhas de junho e dezembro, a jornalista Ana Ferreira Moreira, 52, decidiu atender o apelo da campanha do carnaval e colaborar para restabelecer o banco de sangue do hemocentro. “É maravilhoso e muito importante participar dessas campanhas. Isso tem que estar sempre na consciência das pessoas. Não se sabe quando podemos precisar”, comentou a doadora, que tem sangue B Positivo e que há quatro anos doa frequentemente.

Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização por escrito dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado. Para cadastro de doação de medula óssea: estar bem de saúde e ter entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.

Serviço:
O Hemopa funciona na travessa Pe. Eutíquio, 2109. Horário para coleta: de segunda à sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 3214-1811/08002808118.

Policiais federais doam sangue em Belém


Um grupo de 15 policiais federais doaram sangue na sede da Fundação Hemopa, na manhã desta terça-feira, 25, em protesto por melhores salários e condições de trabalho. Agentes, escrivães e papilocopistas da PF do Pará aderiram à paralisação nacional de 24 horas. Em Belém, eles decidiram doar sangue.

Segundo a agente Cristina Correa Faraon, a reivindicação principal não é a salarial. “O centro de nossas reivindicações são adequações de nossas atribuições. Estamos fazendo o trabalho de nível superior e ganhando como nível médio. Isso é injusto. Queremos o reconhecimento”, afirmou, explicando as atividades complexas desempenhadas pelos profissionais. “Por conta disso, hoje, a polícia federal está diminuído seu ritmo de ação. As questões salariais serão uma conseqüência de nossas manifestações”, pontuou a agente.


O agente Luciano de Oliveira, 41, foi um dos manifestantes que doou sangue. “A nossa intenção é solidária e com foco de divulgação na crise pela qual a polícia federal está passando. Estamos programando mais um protesto em defesa dos  colegas que atuam nas fronteiras”, concluiu.

Hospital Regional de Marabá e Hemopa incentivam doação de sangue

Começou segunda (24) e prossegue até sexta-feira (28) mais uma campanha de doação de sangue no Hemopa de Marabá. O objetivo é melhorar o estoque de sangue no hemocentro, que atende 37 municípios do sul e sudeste do Pará, para o período de Carnaval, quando a demanda por transfusões é sempre grande. 

A ação, este ano, é em parceria com o Hospital Regional Público do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso.
O objetivo é incentivar os próprios colaboradores do hospital e também os parentes de pacientes internados no Hospital Regional de Marabá a comparecerem ao Hemopa para fazer a doação voluntária de sangue, como explica a assistente social Roberta Duarte. “Desenvolvemos dentro do hospital essa conscientização dos familiares para que também participem do processo e cumpram seu papel de cidadão porque não temos como fabricar sangue”, explica.

As irmãs Elaine Silva Sousa Pereira e Ediane Silva Sousa, moradoras da cidade de Jacundá, estão com a mãe internada na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Regional de Marabá. Ela passa por exames para saber se será ou não submetida a uma cirurgia. Elas foram ao Hemopa doar sangue. Ediane lamenta que a maioria das pessoas só pratica esse gesto de solidariedade quando sente o problema na pele, como é o caso delas.

O Hemopa de Marabá atende com 700 bolsas de sangue por mês a rede hospitalar dos hospitais públicos e privados dos 37 municípios do sul e sudeste do Pará. É necessário, portanto, manter no estoque ao menos 600 bolsas, mas em dezembro de 2013, o número de doações caiu para 300 por mês, em janeiro subiu para 500 e agora em fevereiro está em 460. Graças à iniciativa do Hospital Regional, dez pessoas são mobilizadas por dia, em média, para doar sangue na sede do hemocentro da cidade.


Texto: Chagas Filho
Hospital Regional do Sudeste do Pará (Marabá)

Maior RE X PA da história da doação de sangue

Torcedoras doadoras provando que a rivalidade fica em campo
 A Fundação Hemopa agradece e parabeniza os, integrantes das torcidas dos clubes do Remo e Paysandu que deram um colorido especial na sede do hemocentro durante o período de 17 a 21 deste mês, ao participarem da campanha “O maior REXPA da história da doação de sangue”, que resultou no significativo  placar foi de  372 coletas de remistas 254 doações de bicolores, que vão salvar a vida de aproximadamente 2.504 pacientes. O saldo final desse campeonato da solidariedade O placar solidário foi  comemorado por toda a equipe da Fundação Hemopa. “É emocionante ver integrantes das duas maiores torcidas de nosso estado deixando a rivalidade de lado para salvar vid
as”, comentou Juciara Farias, que já faz planos para o próximo “campeonato”.
Antes do resultado da campanha entre as torcidas, o presidente do Paysandu, o ex jogador Wandick esteve na sede do hemocentro na manhã deste sábado, acompanhado do amigo Arthur Oliveira, o “Rei Arthur”, ex jogador do Remo, para prestigiar a adesão da torcidas. Wandick agradeceu a todos que participaram da ação. “Nessa hora não existe rivalidade. É tempo de união. O Hemopa está passando por uma situação de grande necessidade de sangue. Juntos as torcidas do Remo e Paysandu vão salvar muitas vidas. Façam isso sempre que tiverem oportunidade”, incentivou o ex jogador bicolor.
Wandick e "Rei Arthur" unidos pela doação
Ao falar, “Rei Arthur” declarou seu carinho ao Pará. “Me sinto muito honrado e participar dessa campanha. Ao ser convidado pelo Hemopa, tirei foto, postei no Face com mensagem de incentivo à doação de sangue”, comentou, afirmando que ficou muito feliz em ver as duas grandes torcidas unidas por uma bela causa. “Quero enaltecer a todos. Estarei sempre a dispor do Hemopa”.

Serviço: O Hemopa espe
ra por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 3214-1811/08002808118.

Abertura da campanha do carnaval superou meta com quase 800 voluntários

Sandro do Pará promete incentivar a doação em seus shows
Pátio do hemocentro lotado de doadores que prestigiaram o evento
Um movimento surpreendente de candidatos à doação de sangue tomou conta da sede da Fundação Hemopa, durante este sábado, 22, que marcou a abertura da campanha “O carnaval está no sangue do paraense. A solidariedade também.Doe sangue”, em parceria com a Tv Liberal, afiliada da Rede Globo, através do projero social “Ação pela Vida”. A ação se estenderá até o dia três de março, com a finalidade de suprir o banco de sangue para atender integralmente as solicitações de transfusão dos hospitais paraenses, sobretudo, no feriadão de momo. Até às 15h30, o movimento contabiliza a participação de 769 comparecimentos, que resultou em 630 coletas, superando a meta prevista de 700 voluntários.
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, assistente social Juciara Farias, classificou de excelente o saldo de participação de candidatos à doação deste sábado. “Foi uma festa de solidariedade e demonstração de amor ao próximo, demonstrando o valor e a força das parcerias”, destacou, agradecendo e parabenizando todos os voluntários que se uniram para restaurar o estoque de sangue do Hemopa. “Quem ganha é a população usuária”, ressaltou a assistente social.
Jorginho Gomez um importante parceiro da doação de sangue 
Durante todo o dia de hoje, doadores que estiveram na sede do hemocentro foram brindados com festiva programação da quarta edição do  “Ação pela Vida”, que contou com mobilização de artistas paraenses, entre elas, Banda Fruta Quente, Ângela Carlos, Banda Pop Show, Jorginho Gomez, Humorista Sandro do Pará, Forró do Bacana, Ayla Santos e Banda Tipiti.
Participando pela primeira do evento, o humorista Sandro do Pará, 40,  ressaltou a importância da doação de sangue para a saúde pública do Estado. “Antes de cair na folia.Faça sua parte e doe sangue”, deu seu recado no palco montado na área frontal do Hemopa, para logo em seguida fazer sua apresentação imitando vários artistas e personalidades do cenário político, esportivo, entre outros.
Higor deu sua colaboração
Por sua vez, o servidor da Fundação e cantor Jorginho Gomez, expressou seu agradecimento a todos os colegas que participaram voluntariamente da mobilização artística, que teve a sua coordenação. “É muito bom saber que podemos contar com colegas para estimular os fãs e a população em geral para o exercício da doação de sangue, através da cultura, de nossas músicas e os mais variados ritmos. Isso não tem preço”.
Ao saber da abertura da campanha do carnaval pela televisão, o doador Higor Almeida da Silva, 27 anos, foi um dos voluntários deste sábado. “É um ato de cidadania e solidariedade e que não custa nada”, enfatizou o engenheiro florestal  que tem sangue tipo A positivo e há cinco anos doa rigorosamente a cada dois.



 Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 3214-1811/08002808118.

Hemopa e Tv Liberal esperam cerca de 700 doadores neste sábado

Neste sábado, 22, a Fundação Hemopa e a TV Liberal, afiliada da Rede Globo, esperam estarão mais uma vez juntas, através do projeto social “Ação pela Vida”, idealizado pela emissora paraense. O projeto visa impulsionar a divulgação da campanha de doação de sangue para o carnaval, que será deslanchada no período de 22/02 a 01/03, com o objetivo de reforçar o estoque do banco de sangue, que tem a responsabilidade de atender mais de 200 hospitais espalhados pelo Pará. A meta será de 700 comparecimentos.
Campanha de carnaval do Hemopa  até o dia 01/03.
 “O carnaval está no sangue do paraense. A solidariedade também. Doe sangue”. É o tema da ação que dará suporte ao atendimento transfusional da rede hospitalar do Pará, no feriadão momesco, quando a oferta reduz e a demanda aumenta. Para assegurar o atendimento das solicitações de sangue em 100%, o hemocentro conta com a parceria de instituições públicas e privadas.
 Em novembro do ano passado, por ocasião da abertura da semana do doador voluntário de sangue, que contou com a “Ação pela Vida”, houve o recorde de 913 comparecimentos e 767 coletas num único dia, que assegurou o atendimento de 3.068 pacientes. Nas três edições anteriores, foi registrado o comparecimento de aproximadamente 7.200 voluntários. Das doações efetivadas no dia da parceria, somaram um total de 2.200 bolsas de sangue que salvaram aproximadamente 8.800 pacientes internados na rede hospitalar pública do Estado.
Antes de cair na folia, passe no Hemopa e salve vidas.
 “O projeto ‘Ação Pela Vida’, idealizado pela TV Liberal, está em sua quarta edição. Em 2014 a expectativa da emissora é superar a marca obtida nos anos anteriores, estimulando a população a cada vez mais exercer seu ato de solidariedade. O papel da TV Liberal, além de oferecer uma programação de qualidade e um conteúdo informativo, é exercer também a Responsabilidade social”. Afirma Cíntia Luna Coordenadora do projeto pela TV Liberal.
 Segundo a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara, este ano, novamente, o atendimento aos voluntários da campanha será agilizado com a ampliação do espaço para doação. O ambulatório será totalmente transformado em uma grande e confortável sala de coleta. “Temos que oferecer o melhor atendimento possível aos nossos voluntários, que deverão atender o apelo da campanha”.
 Na abertura da campanha, 22, o expediente será a partir das 7h30, e até às 15h, o evento contará com mobilização de artistas da terra, que vão participar voluntariamente da ação em favor da vida. Estão confirmados: Banda Fruta Quente, Ângela Carlos, Banda Pop Show, Jorginho Gomez, Humorista Sandro do Pará, Forró do Bacana, Ayla Santos e Banda Tipiti.
Juciara Farias conta com a superação de meta de coletas
Para a presidente do Hemopa, dra. Luciana Maradei. Socorro Ferreira, essa parceria sela o compromisso da Tv Liberal, afiliada da Rede Globo, com a melhoria da qualidade de vida dos que precisam da doação de sangue. “Tão importante quanto firmar novas parcerias é mantê-las”, enfatizou, parabenizando e agradecendo a iniciativa de responsabilidade social da Tv Liberal.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado. Para cadastro de doação de medula óssea: Está bem de saúde e ter entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.
 Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 3214-1811/08002808118.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Sindicato dos jornalistas incrementa doação de sangue




Sérgio Moraes incentiva doações entre as tocidas
Nesta quarta-feira, 19, a sede da Fundação Hemopa receberá os torcedores do time do Remo, denominados “Camisa 33”, que vão impulsionar a campanha “Maior RE X PA da História da Doação de Sangue”, que está sendo realizada desde o dia 17 e vai até o dia 21, e que congrega todas as torcidas dos respectivos times. Até às 16 horas desta terça-feira, 18, havia sido registrado o comparecimento de 228 voluntários, incluindo os doadores que aderiram a  ação do Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor/Pa), que também se uniu ao movimento solidário para restaurar o estoque de sangue do Hemopa, com a campanha “Jornalista não quer sangue derramado.Quer sangue doado”.
A mobilização de instituições parceiras públicas e privadas tem o objetivo de aumentar o número de coletas de bolsas de sangue na sede do hemocentro que, semana passada, chegou a ficar com apenas 40% da capacidade de atendimento transfusional da rede hospitalar da capital, que é formada por cerca de 85 casas de saúde. A queda no quantitativo de voluntariado deu-se em função das fortes e sucessivas chuvas que assolam nosso Estado, provocando a evasão de doadores também na hemorrede estadual, que é composta pelos Hemocentros Regional de Marabá, Santarém e Castanhal; e os Hemonúcleos de Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção e Capanema.
Roberta Vilanova idealizou a ação entre os jornalistas
Solidária à causa da doação de sangue, a diretora do Sinjor/Pa e idealizadora da campanha, jornalista Roberta Vilanova, foi uma das primeiras profissionais da categoria a contribuir com sua doação, na manhã de hoje. Com tipo de sangue O Positivo, ela doou pela primeira vez, espontaneamente, em 2009, durante campanha do Hemopa.
Ela conta que ficou sensibilizada com a drástica redução do estoque de sangue do hemocentro, vastamente publicada nas redes sociais e imprensa local, e propôs a campanha ao sindicato, que coincidiu com o acidente que matou o jornalista carioca, da Rede Bandeirantes, Santiago Andrade, semana passada, vitima de um rojão durante manifestação nas ruas do Rio de Janeiro. Daí o nome da campanha “Jornalista não quer sangue derramado. Quer sangue Doado”. Para Roberta Vilanova, a mobilização da classe é uma questão de sensibilização contínua. “Doar não dói e a sensação de ajudar alguém é muito boa”. A jornalista também é doadora de medula óssea.
Pela parte da tarde, a jornalista e apresentadora do programa “Etc e Tal”, do SBT Pará, Úrsula Vidal, também contribuiu com o estoque de sangue do hemocentro, contabilizando sua doação ao Sinjor/Pa, durante gravação de seu programa que será exibido no próximo sábado. Sobre a mobilização, ela afirmou que todos estão de algum modo inseridos no processo de incentivo à doação de sangue. “Faz parte do  nosso cotidiano abraçarmos várias causas. Nem sempre somos personagens de matéria. É uma oportunidade muito bonita de inverter papéis. A campanha do sindicato é uma lição de vida, pois transforma a dor em amor”.
Úrsula Vidal doou sangue pelo Sinjor/Pa
O estudante de jornalismo pela Faculdade de Estudos Avançados do Pará (FEAPA) e servidor da Fundação Hemopa, lotado na Assessoria de Imprensa, Sérgio Moraes, marcou um gol com sua doação de sangue pelo seu time do coração, o “Leão Azul”, mas não ele não deixou de parabenizar o sindicato dos jornalistas pela iniciativa de responsabilidade social. “Estou doando sangue por vários motivos: sou servidor da fundação e vivencio o dia-a-dia para captação de doadores; sou remista de paixão e futuro jornalista que apóia todos os tipos de eventos sociais em favor do bem estar da sociedade”, ressaltou, enfatizando ser fundamental que as torcidas de Remo e Paysandu unam-se em torno da doação de sangue. Ao final todos ganham. “Não existe perdedor , quando o objetivo de todos é nobre”, disse, afirmando que a partir de hoje , ele será um doador habitual.
O calendário de campanhas externas prossegue nesta quinta-feira, 20, em parceria com a Companhia Vale do Rio Doce, de 8h às 15h, na Av. Dr. Moraes, 78, Nazaré. Todas as ações têm como meta 100 coletas/dia.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudável e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Maiores informações pelo 08002808118

Redes sociais incentivam doação de sangue

Rosivaldo também foi captados pelas redes sociais
Uma campanha que surgiu espontaneamente nas redes sociais, na semana passada, está ganhando força e ajudando a aumentar o número de doadores de sangue da Fundação Hemopa, em um período que tradicionalmente é marcado pela baixa nos estoques da instituição. Embora a necessidade ainda seja muito grande, a mobilização já ganhou a adesão de dezenas de anônimos e famosos, como os atores gêmeos paraenses Diego e Tiago Homci, no ar na novela global “Além do Horizonte”; o ex-jogador de futebol “Rei” Arthur, ídolo remista na década de 90, e a modelo fitness Rebeca Ferrari. Mesmo quem não atende os critérios de doação está fazendo questão de ajudar, através da simples postagem de mensagens de incentivo nas redes sociais com a hashtag #doesangue.
É este, por exemplo, o caso da esteticista Aline Souza, de 24 anos. Consciente da importância do tema – hoje, a Fundação Hemopa atende a 218 hospitais no Estado, 85 apenas na capital paraense –, a jovem, que não pode fazer a doação por não se encaixar em uma das exigências (peso acima de 50 kg), convocou todos os amigos a abraçarem a causa. Assim, ficou insistindo por meio das redes sociais até a maioria deles ir até a Fundação Hemopa. “Quando posso, faço questão de acompanhar os amigos para ver se eles realmente estão doando. Mas, quando não dá, exijo que eles me enviem uma foto comprovando a doação”, conta, acrescentando que em breve vai montar um mural com as fotos de todos os amigos doadores.

Juciara Farias ressalta a importância das redes sociais


Nesta segunda-feira, 17, Aline levou a amiga, a fotógrafa Joyce Ferreira, de 25 anos, até à Fundação para que a jovem pudesse fazer a sua parte na campanha. “Sempre tive vontade de ajudar também, mas talvez faltasse um empurrãozinho, que veio com o incentivo da Aline”, conta Joyce, que pretende, a partir de agora, tornar-se uma doadora contumaz de sangue, como já é o servente Rosivaldo Santos, de 31 anos. Ele também aproveitou esta segunda-feira para, mais uma vez, ajudar ao próximo através da doação de sangue. “É muito bom saber que você pode ajudar a salvar vidas por meio de um gesto tão simples”, avalia.
A mesma ideia tem o almoxarife Otoniel Trindade, de 25 anos. O jovem acredita que a doação de sangue deveria ser um hábito de todo cidadão, já que todos podem, um dia, vir a precisar de uma transfusão, por exemplo. “Hoje, estou aqui doando, amanhã, quem sabe se alguém não estará aqui fazendo isso para ajudar a mim ou a algum parente meu”, pontua.
Joyce só precisava de um empurrãozinho para doar
De acordo com a gerente de captação de doadores do Hemopa, Juciara Farias, as redes sociais têm sido importantes parceiras na mobilização de novos doadores para a Fundação, principalmente entre o público jovem, o que é muito salutar, já que a entidade passa por um período de redução no número de voluntários. “Através do apelo nas redes sociais, os jovens se sentem estimulados não só a fazer doação, como também a contaminar outros a terem o mesmo gesto. É uma verdadeira corrente pela vida, que é de fundamental importância nesse período de inverno amazônico, quando cai em torno de 50% o número de doadores e, em contrapartida, a necessidade aumenta, já que muita gente adoece em decorrência das chuvas”, enfatiza.
Para fazer a doação, o candidato precisa apenas se dirigir à Fundação Hemopa, localizada, em Belém, na travessa Padre Eutíquio, 2109 (Batista Campos), fazer uma ficha cadastro e passar na triagem clínica. Se for considerado apto, aí sim faz a doação. Os critérios exigidos são: ter entre 16 e 65 anos (para candidatos com idade entre 16 e 17 anos é preciso comparecer com responsável); ter peso a partir de 50 kg, estar bem de saúde e alimentado. Não pode fazer doação em jejum e é preciso apresentar um documento de identificação.
Se quiser saber quem já está fazendo parte dessa campanha, você pode acompanhar o Hemopa através das redes sociais Facebook (www.facebook.com/fundacao.hemopa) e Instagram (@fundacaohemopa).
Neste sábado 'Ação pela vida' une Tv Liberal e Hemopa
Cíntia Luna enfatiza o papel de responsabilidade social 
 A Fundação Hemopa e a TV Liberal, afiliada da Rede Globo, estarão mais uma vez juntas, através do projeto social “Ação pela Vida”, idealizado pela emissora paraense. O projeto visa impulsionar a divulgação da campanha de doação de sangue para o carnaval, que será deslanchada no período de 22/02 a 01/03, com o objetivo de reforçar o estoque do banco de sangue, que tem a responsabilidade de atender mais de 200 hospitais espalhados pelo Pará. A meta será de 700 comparecimentos.

Jorginho Gomez sempre apoiando nossas ações
 

 “O carnaval está no sangue do paraense. A solidariedade também. Doe sangue”. É o tema da ação que dará suporte ao atendimento transfusional da rede hospitalar do Pará, no feriadão momesco, quando a oferta reduz e a demanda aumenta. Para assegurar o atendimento das solicitações de sangue em 100%, o hemocentro conta com a parceria de instituições públicas e privadas.
 Em novembro do ano passado, por ocasião da abertura da semana do doador voluntário de sangue, que contou com a “Ação pela Vida”, houve o recorde de 913 comparecimentos e 767 coletas num único dia, que assegurou o atendimento de 3.068 pacientes.
 “O projeto ‘Ação Pela Vida’, idealizado pela TV Liberal, está em sua quarta edição. Em 2014 a expectativa da emissora é superar a marca obtida nos anos anteriores, estimulando a população a cada vez mais exercer seu ato de solidariedade. O papel da TV Liberal, além de oferecer uma programação de qualidade e um conteúdo informativo, é exercer também a Responsabilidade social”. Afirma Cíntia Luna Coordenadora do projeto pela TV Liberal.
Ano passado, muita diversão em homenagem ao doador
 Segundo a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara, este ano, novamente, o atendimento aos voluntários da campanha será agilizado com a ampliação do espaço para doação. O ambulatório será totalmente transformado em uma grande e confortável sala de coleta. “Temos que oferecer o melhor atendimento possível aos nossos voluntários, que deverão atender o apelo da campanha”.
 Na abertura da campanha, 22, o expediente será a partir das 7h30, e até às 15h, o evento contará com mobilização de artistas da terra, que vão participar voluntariamente da ação em favor da vida. Estão confirmados: Banda Fruta Quente, Ângela Carlos, Banda Pop Show, Jorginho Gomez, Humorista Sandro do Pará, Forró do Bacana, Ayla Santos e Banda Tipiti.
Para a presidente do Hemopa, dra. Luciana Maradei. Socorro Ferreira, essa parceria sela o compromisso da Tv Liberal, afiliada da Rede Globo, com a melhoria da qualidade de vida dos que precisam da doação de sangue. “Tão importante quanto firmar novas parcerias é mantê-las”, enfatizou, parabenizando e agradecendo a iniciativa de responsabilidade social da Tv Liberal.
Luciana Maradei agradece  iniciativa da Tv Liberal
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado. O resultado dos exames dos doadores podem ser obtidos on line, através do site: WWW.hemopa.pa.gov.br, em 30 dias após a coleta do sangue.
 Para cadastro de doação de medula óssea: Está bem de saúde e ter entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.

 Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 3214-1811/08002808118.

Ações sociais apoiam campanhas do Hemopa

Com o objetivo de reforçar o banco de sangue no período de Carnaval, a Fundação Hemopa está contando com a parceria da sociedade paraense, representada por diversos segmentos. Desde o início do mês de fevereiro, o hemocentro coordenador em Belém, vinha enfrentando problemas com a insuficiência do número de doadores, em função das intensas chuvas que assolam a região, dificultando o acesso de voluntários ao prédio do hemocentro e mesmo na unidade móvel, em vários pontos da capital paraense.
A doadora Miriam  gostou da ideia da coleta externa
A solidariedade, porém, está revertendo a situação. O estoque estratégico do banco de sangue da Fundação Hemopa começa a dar sinais de restauração. No último sábado, 15, por exemplo, a sede do hemocentro recebeu 274 voluntários, que somaram 215 coletas. As doações significaram o dobro do movimento naquele dia, que teve a parceria com torcedores dos clubes de futebol paraenses Remo e Paysandu, e do grupo “Força Jovem”, da Igreja Universal, entre outros voluntários.
Nesta segunda-feira,, 17, teve início à campanha “Maior RE X PA da História da Doação de Sangue”, que se estenderá até o dia 22, com as torcidas do Remo e Paysandu, que até ganharam código para doação: 798 e 799, respectivamente. A última ação, ano passado, resultou em 482 bolsas de sangue. A meta deste ano será de 600 coletas.
O movimento solidário para restaurar o estoque de sangue do Hemopa, continua nesta terça-feira, 18, com campanha interna de doação de sangue em parceria com o Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor/Pa), com o tema : “Jornalista não quer sangue derramado. Quer sangue doado”. A meta será de 50 doações.
Na quarta-feira, 19, será a vez da “Torcida Barra Brava Camisa 33”, do Clube do Remo”, doar sangue. Paralelamente a essas ações, o hemocentro desenvolve calendário de campanhas externas, com as doações realizadas na Unidade Móvel do Hemopa: Dia 18, na Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra), das 15h às 20h, na Av. Gentil Bittencourt, 1144, Nazaré. No dia 20, na Companhia Vale do Rio Doce, de 8h às 15h, na Av. Dr. Moraes, 78, Nazaré. Todas as ações com a meta de 100 coletas/dia.
A utilização da Unidade Móvel é elogiada pela dona de casa, Miriam Alves da Costa, 50, que é doadora de sangue há oito anos e afirmou que repete esse ato solidário, mesmo nos períodos chuvosos. “Eu enfrento qualquer dificuldade para salvar vidas com a minha doação”, afirmou, estimulando o voluntariado. Residente no município de Ananindeua, Miriam Alves fez sua mais recente doação de sangue na unidade móvel do Hemopa, durante a campanha externa no Shopping Castanheira, que resultou em 232 comparecimentos. “Acho muito importante o Hemopa vir até o doador”, elogiou a doadora que tem sangue tipo O Positivo.
   Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg . Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado. O resultado dos exames dos doadores podem ser obtidos on line, através do site: WWW.hemopa.pa.gov.br, em 30 dias após a coleta do sangue.

Para cadastro de doação de medula óssea: Está bem de saúde e ter entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Torcidas dos clubes do Remo e Paysandu unidas pela doação de sangue

Os atacantes Dênis e Leandrão, convocando as torcidas
 O estoque de sangue da Fundação Hemopa ganhará importante reforço com a campanha interna de doação de sangue que reunirá torcidas dos clubes do Remo e do Paysandu, no período de 17 a 21 deste mês, na sede do hemocentro. “O maior RE X PA da história da doação de sangue”. É o tema da segunda edição da campanha, que ano passado somou um total geral de 482 coletas, que ajudaram a salvar cerca de 1.928 pacientes.
Coordenando a ação, André Anaisse está mobilizando as torcidas dos dois maiores times de futebol do Pará para que o “placar” deste ano seja bem maior que o ano anterior. “Vamos repetir o sucesso e da adesão de torcedores e ajudar a restaurar o estoque de sangue do Hemopa, que precisa da colaboração de todos os paraenses, sobretudo, daqueles que amam o futebol”, comentou.
Dênis recebendo o carinho de torcedores
A gerente de Captação de Doadores do hemocentro, a assistente social Juciara Farias, agradece a participação de todos os segmentos sociais nesse momento de dificuldades que a hemorrede estadual enfrenta com a insuficiência do número de doadores. “São várias as instituições que estão se mobilizando em favor da doação de sangue. Isso é reconfortante. Somente dessa forma vamos reabilitar o banco de sangue”, ressaltou.
Outras campanhas internas estão sendo organizadas para acontecer na sede do hemocentro: hoje (13), campanha em parceria com a Juventude do PT. Dia 15, será com a “Força Jovem”, da Igreja Universal. Dia 19, em parceria com a “Torcida Barra Brava Camisa 33”, do Clube do Remo. Dia 18, a ação será realizada em parceria com o Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor/Pa).
Leandrão parabenizando torcedor do Leão
Paralelamente, o hemocentro desenvolve calendário de campanhas externas: Dia 18, na Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra), das 15h às 20h, na Av. Gentil Bittencourt, 1144, Nazaré. No dia 20, na Companhia Vale do Rio Doce, de 8h às 15h, na Av. Dr. Moraes, 78, Nazaré. Todas as ações com a meta de 100 coletas/dia.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
 Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudável e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Maiores informações pelo 08002808118.

Solidariedade e mobilização social para restaurar estoque de sangue do Hemopa

Raimundo Doval atravessa a baia do Guajará para salvar vidas
 Ao longo desses 13 dias de fevereiro, a Fundação Hemopa coletou apenas 1.800 bolsas de sangue de doadores que compareceram na sede do Hemocentro, em Belém. Isso representa uma média diária de apenas 138 doações, quando o ideal seriam 300 bolsas de sangue, para garantir atendimento de 100% das solicitações transfusionais da rede hospitalar na capital, que é formada por cerca de 85 estabelecimentos de saúde. Alguns fatores estão contribuindo para a evasão de doadores, entre eles, o período chuvoso, quando as pessoas ficam mais expostas a doenças e impossibilitadas realizar a doação de sangue.
Mas, apesar de todas as dificuldades impostas pela natureza, muitos pacientes que necessitam de transfusão de sangue para sobreviver, podem contar com a solidariedade e persistência do mecânico Raimundo Doval Silveira de Moraes, 55 anos, residente no município de Ponta de Pedras, na região do Marajó, que enfrenta oito horas de viagem de barco para vir doar sangue em Belém, a cada três meses, que é o intervalo de doações para os homens. Doador há 37 anos, somente no Hemopa ele já doou 30 vezes, que ajudou a salvar cerca de 120 pacientes adultos. Mas, certamente, ele já salvou muito mais vidas.
Mãe e filho torcendo por mais doações
‘’Eu doaria sangue todo dia, se fosse possível’’, afirmou, relembrando que já enfrentou muitas tempestades durante as viagens do Marajó  à Belém. “Houve vezes que a chuva era tão forte que ninguém via um palmo na frente do barco. Balançava muito. Senti medo. Mas tudo isso sempre valeu à pena‘’, ressaltou, enfatizando que um dos dias mais felizes que viveu na sua jornada de doador, quando, por coincidência, conheceu uma pessoa que recebeu seu sangue. “Isso faz mais de 20 anos, mas não esqueço da gratidão dela por eu ter feito a doação que salvou a sua vida. Aquilo me comoveu’’.
Vivenciando diariamente as necessidades de quem depende de transfusão de sangue para sobreviver, está a cuidadora de idosos, Ana Luiza, 30, residente no Barreiro, em Belém, que é mãe de Carlos Vinícus, 12, portador de Anemia Falciforme, e desde os oitos meses de vida, recebe tratamento no hemocentro. Com o tipo de sangue O Positivo, ele a mãe, estiveram no Hemopa, devido a forte crise enfrentada pelo menor que sentia dores nas pernas e na cabeça, necessitando urgentemente fazer uma transfusão. Mesmo com o tipo sanguíneo mais comum, O Positivo estava em falta e Vinícius teve que esperar um pouco mais para ser atendido.
Campanhas externas prosseguem até final do mês
Segundo a mãe do jovem, em 12 anos de tratamento isso nunca tinha acontecido. Ainda assim ela mostrava fé que não voltaria para casa, sem que o filho tomasse sangue, o que aconteceu somente ao final da manhã. Ciente do momento difícil pelo qual a fundação passa com a insuficiência do comparecimento de doadores, Ana Luiza se engaja e pede que as pessoas venham doar, além disso, ela também convida amigos e parentes para fazerem o mesmo. “Eu quero sempre participar e apoiar, porque o sangue é importante para o meu filho, por isso ele leva uma vida normal, brinca, joga futebol, viaja e estuda”.
Entre os fatores que garantem ao Vinícius uma boa qualidade de vida, a cuidadora destaca o excelente trabalho desenvolvido pelo Hemopa e diz não ter do que reclamar. “Do porteiro a psicóloga, do tratamento aos medicamentos, tudo é muito bom. Levanto as mãos para os céus pelo meu filho”, finaliza agradecida, a mãe.
Para restaurar o estoque de sangue, o Hemocentro segue com realização de campanhas interna e externa. Nesta quinta-feira, 13, houve ação com a “Força Jovem”, da Igreja Universal. De 17 a 21, com as torcidas dos clubes do Remo e Paysandu. Dia 19, em parceria com a “Torcida Barra Brava Camisa 33”, do Clube do Remo. Dia 18, a ação será realizada em parceria com o Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor/Pa).
Milhares de pacientes aguardam por doações em toda a rede
Paralelamente, o hemocentro desenvolve calendário de campanhas externas: Dia 18, na Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra), das 15h às 20h, na Av. Gentil Bittencourt, 1144, Nazaré. No dia 20, na Companhia Vale do Rio Doce, de 8h às 15h, na Av. Dr. Moraes, 78, Nazaré. Todas as ações com a meta de 100 coletas/dia.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
 Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudável e com faixa etária de 18 a 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.

Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Maiores informações pelo 08002808118.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Parcerias incrementam doações de sangue para restaurar estoque do hemocentro

Campanha vai até amanha, 13, no "Castanheira".Participem!
 A Fundação Hemopa prossegue com calendário de campanhas externas com a unidade móvel de coleta de sangue, nesta quinta-feira, 13, de 10h às 19h, na área frontal do Shopping Castanheira. Ação teve início hoje (12) e, até às 15h30, havia registro de mais de 50 comparecimentos. A meta é de 100 coletas/dia. A ação tem o objetivo de reforçar estoque estratégico do hemocentro, que enfrenta significativa redução de 60% das doações efetuadas na sede em Belém.
Desde o dia primeiro deste mês até o dia 08, houve oi comparecimento de 423 voluntários da doação de sangue e 95 novos cadastros de doadores de medula óssea. As campanhas foram realizadas em parceria com o Centro de Formação de Aperfeiçoamento de Praças (CEFAP) e no ponto fixo de coleta de sangue na Av. Presidente Vargas, em frente ao prédio do Banco do Brasil.
Ele doa sangue frequentemente e incentiva familiares e amigos
O doador de sangue Hamilton Souza da Costa, 34 anos, residente no bairro do Barreiro, não efetuou sua doação na unidade móvel, mas contribui para salvar vidas, na sede do hemocentro, onde repete as doações desde 1999. Ele também já fez seu cadastro de doação da medula óssea. Sua primeira experiência foi assim que entrou para o Exército Brasileiro.  “A partir daquele momento me tornei um doador habitual. Faço minha doação a cada quatro meses”, informou, afirmando que incentiva o ato entre familiares e amigos.
O calendário segue com ação no dia 18, na Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra), de 15h às 20h, Av. Gentil Bittencourt, 1144, Nazaré. Dia 19, na Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ), de 15h às 20h, Rua Municipalidade, 530, Reduto.
Havrá ainda campanhas interna na sede do Hemopa, em Belém, que vão reforçar o estoque estratégico. Amanhã, 13, em parceria com o grupo “Juventude do PT”, de 8h às 18h. No dia, com o grupo “Força Jovem”, da Igreja Universal, de 8h às 17h. Dia 19, com a “Torcida Barra Brava Camisa 33”, do Clube do Remo.
Torcidas unidas em favor da vida e da doação de sangue
De 17 a 21, será promovida segunda edição da campanha “Maior Re X Pa da História”, que vai reunir os torcedores dos clubes do Remo e Paysandu. A ação tem a coordenação de André Anaisse. Para a contagem dos pontos de cada doação, a Gerência de Captação de Doadores (GECAD) criou código para ambas as torcidas: 798 para o Paysandu e 799 para o Remo. A titular da Gecad, a assistente social Juciara Farias, agradece e parabeniza todas as parcerias em favor da doação de sangue. “Muitas vidas serão salvar por essas iniciativas de amor ao próximo. Muito obrigada”.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Doação de medula óssea: Estar bem de saúde e ter entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo fone 0800 280-8118.