sábado, 31 de janeiro de 2015

Grupos religiosos levam voluntários para doar sangue no Hemopa

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) recebe neste sábado (31) campanhas de estímulo à doação voluntária de sangue do Grupo de Oração Terço dos Homens (Goth), da Igreja Católica, e da Comunidade Internacional da Família, ligada à Igreja do Evangelho Quandrangular. As ações estratégicas visam despertar entre os religiosos a reflexão da importância da doação voluntária, espontânea e habitual de sangue, e têm as metas de 150 e 30 coletas, respectivamente.
Jorge Luiz de Menezes Xavier, 53 anos, participante do Terço dos Homens na Comunidade Menino Deus, da Paróquia Nossa Senhora do Bom Remédio, no bairro Coqueiro, diz que a campanha surgiu da observação da necessidade que o hemocentro tem de coletas no período pré-Carnaval. “Queremos colaborar para alcançar aqueles que não estarão aqui, para que doem sangue antes de viajar. Incentivei meus filhos e alguns amigos, todos calouros de universidades públicas e privadas, a também virem aqui”, diz.
Na manhã deste sábado a Comunidade Internacional da Família fará uma ação social em parceria com seis secretarias e órgãos públicos, para oferecer aos moradores de Icoaraci serviços como retirada de RG, meia-passagem e corte de cabelo. Um grupo vai ao Hemopa para doar sangue. Alex Rodrigues, 37 anos, funcionário público e pastor da comunidade, é doador de sangue desde 2012 e sabe da importância que o gesto solidário tem. “Desde que fiz minha primeira doação, vi a necessidade de conscientizar as pessoas sobre o ato. Daí surgiu a ideia de levar alguns membros da comunidade para doar”, conta.
Segundo a assistente social Nilvete Smith, da Gerência de Captação de Doadores do Hemopa, a fundação não trabalha sozinha. “Estabelecemos uma relação de parceria com a população não só para a doação voluntária, mas também para a formação de multiplicadores de informações sobre o ato de doar”, explica. A ida dos voluntários dos dois grupos ao hemocentro é muito positiva, reforça ela, uma vez que eles exercem liderança nas comunidades onde atuam, o que pode ser usado na manutenção de doadores regulares.
Carnaval – Para suprir o estoque de sangue para atendimento durante a Folia de Momo, o hemocentro promove, de 7 a 13 de fevereiro, a campanha “No Carnaval, use a fantasia de salva-vidas. Doe sangue”. As doações também podem ser feitas nos municípios de Santarém, Marabá, Castanhal, Abaetetuba, Altamira, Redenção e Capanema. Outras ações incluem o Trote Solidário, com os calouros de Medicina da Universidade do Estado Pará (Uepa), no dia 3, e a Campanha Nacional de Doação de Sangue “Doe Sangue, jogue Rugby”, nos dias 6 e 7.
A pessoa ou instituição que quiser estabelecer parceria com o Hemopa deve entrar em contato pelos telefones (91) 3224-5048 e 3242-9100 (ramais 205/ 243) ou pelo e-mail captacao@hemopa.pa.gov.br.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que pesem mais de 50 quilos e tenham entre 16 e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou do responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. É preciso estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses.

A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos. A Estação de Coleta Hemopa Castanheira está localizada no térreo do Pórtico Metrópole, no acesso ao shopping Castanheira, km 1 da Rodovia BR-316. As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800-2808118) ou no site www.hemopa.pa.gov.br

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Hemopa realiza mais um campeonato da doação de sangue com RExPA

O “I RExPA da Doação de Sangue/2015”, já tem data marcada: de 7 a 13/02, juntamente com a  campanha “No carnaval, use a fantasia de salva-vidas.Doe sangue”, que será realizada pela Fundação Hemopa, no mesmo período, para suprir o banco de sangue público do Pará. A ação ganhou apoio das torcidas azulina e bicolor.  A última campanha realizada ano passado, rendeu 624 coletas, que ajudaram a salvar 2.496 vidas.
O alinhamento para a realização de mais um clássico da solidariedade foi decidido na manhã desta quinta-feira, na sede do hemocentro, com reunião entre representantes do Hemopa, do Paysandu, Remo e de duas torcidas. As ações para estimular a participação do maior número de doadores envolverão várias frentes de trabalho, que vai desde a divulgação nas redes sociais dos respectivos clubes, até a articulação dos membros das torcidas.
Durante a reunião, a presidente do Hemopa, Ana Suely Saraiva, recepcionou os presentes, agradecendo a colaboração de todos em participar da primeira grande campanha de doação de sangue deste ano. “Ficamos muito contentes em vocês aceitarem a proposta de mais uma parceria. Aqui, não temos time. Somos todos parceiros da doação de sangue”, ressaltou, sinalizando para a grande influencia positiva que eles têm sobre os torcedores do Remo e Paysandu.
Ela aposta na união das Nações do Leão e do Papão, para mais um jogo onde o gol é a solidariedade de cada doação. “Isso demonstra o gigantismo de nosso futebol e das nossas torcidas”, destacou, apostando em mais um sucesso da ação.
Na ocasião, a assistente social Lilian Bouth, da Captação de Doadores, informou aos presentes sobre estrutura que o hemocentro pode oferecer aos pequenos grupos de doadores com a “Caravana Solidária” , que é a disponibilidade de um microônibus com capacidade para 30 pessoas, , facilitando o acesso até a sede do hemocentro.
Da mesma forma, a gerente da Triagem Clínicas Dra Paula Amarantes, parabenizou por mais uma ação envolvendo os dois clubes de futebol e suas torcidas. “Precisamos muito dessa parceria. Tenho certeza que a campanha terá um grande e importante resultado, onde os maiores vencedores serão aqueles que precisam de uma transfusão para sobreviver”, enfatizou a médica.
A reunião contou com a presença do diretor Jurídico do Paysandu, Alexandre Pires; da representante da “Sou Papão”, Luciane Marques. Pelo time do Remo, estiveram presentes o presidente da “Torcida Remista”, Arinaldo Mendes; e Luciana Trindade, do grupo de Ação Social da Torcida Remista. Todos foram unânimes em demonstrar apoio à campanha do hemocentro para mais um campeonato de amor ao próximo, onde só há vencedores. Ambos os times e torcidas prometeram empenho e superação do número de coletas, que será decisivo para o atendimento transfusional da rede hospitalar paraense. Uma atitude que serve de exemplo para os demais times do Estado e do Brasil.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menor de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h.

Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. . Mais informações pelo fone 0800 280-8118.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Show com artistas locais marca abertura da Campanha de Carnaval do Hemopa

Diversas atrações reunidas em um grande show solidário vão abrir a primeira ação estratégica do ano desenvolvida pela Fundação Hemopa para incentivar a doação de sangue: A campanha “No carnaval, use a fantasia de salva-vidas. Doe sangue”, que será aberta no próximo sábado, 7/02, tem o desafio de buscar a adesão do maior número de pessoas para assegurar o atendimento da demanda transfusional de mais de 200 hospitais paraenses. Até o dia 13, o hemocentro vai manter a meta de 250 coletas diárias. E para garantir agilidade no atendimento aos doadores voluntários o ambulatório receberá mais 14 cadeiras de coleta, o que permitirá até 28 atendimentos simultâneos no espaço.
No mesmo período da campanha de carnaval será realizado o “I Re x Pa da Doação de Sangue 2015”, que marca o retorno do campeonato da solidariedade entre as duas maiores torcidas do Estado. Desde que foi implementada, a iniciativa vem colaborando decisivamente para o reforçar do banco de sangue público paraense. Os detalhes da parceria foram acertados na última quarta-feira, durante reunião entre a direção do Hemopa e representantes do Clube do Remo e Paysandu, na sede do hemocentro.
Segundo a assistente social Lilian Bouth, da Gerência de Captação de Doadores (Gecad), a campanha é de suma importância para o atendimento da demanda da rede hospitalar durante o período carnavalesco, que normalmente registra uma elevação em torno de 30%. “É importante lembrar que a campanha também estará sendo promovida nas unidades do Hemopa em Castanhal, Santarém, Marabá, Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Capanema e Redenção”, ressalta.
O show de abertura da Campanha de Carnaval, no dia 7 de fevereiro, já tem as presenças confirmadas das baterias das Escolas de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná e Grande Família, do cantor Jorginho Gomez e da cantora Gina Lobrista, além do Rei Momo e sua corte. A programação tem o apoio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel) e do Sistema Fiepa/Sesi.
“Estamos muito confiantes no sucesso dessa ação e no cumprimento da meta de 500 doações no dia da abertura. Temos empreendido todos os esforços no sentido de mobilizar a população e conseguir o maior número possível de adesões”, informa, reforçando que a campanha será realizada simultaneamente na Estação de Coleta Hemopa-Castanheira”, o mais novo ponto fixo de doação implantado pelo hemocentro, no térreo da passarela que dá acesso ao Shopping Castanheira, localizado na BR-316. “O horário de funcionamento é o mesmo oferecido na sede do Hemopa”, avisa.
Outra parceria que promete reforçar a campanha foi fechada com o time de Rugby Belém, que levará seus atletas para doar sangue nos dias 6 e 7 de fevereiro. A ação faz parte de uma campanha nacional organizada pelos praticantes do esporte em todo o país intitulada "Doe Sangue, Jogue Rugby”. Mobilizadas por meio das redes sociais, 37 equipes de Rugby aderiram à iniciativa, que acontece simultaneamente em vários hemocentros do Brasil.
Os doadores que comparecerem aos postos de coleta do Hemopa espalhados pelo Estado no período da campanha de carnaval receberão preservativos e material educativo sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), cedidos pela Secretaria de Estado de Saúde (Sespa).
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, a boa alimentação garante ao doador que não apresente mal estar durante a coleta. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, nº 2109, e no acesso ao Pórtico Metrópole pelo Shopping Castanheira (BR-316, KM 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo 0800 280 8118

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Hemopa fortalece parceria com a rede hospitalar para elevar número de doações

A presidente do Hemopa, Ana Suely Saraiva, reuniu com equipe do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna para reforçar as parcerias públicas e privadas de forma a garantir a melhoria do atendimento transfusional, por meio da sensibilização do maior número de candidatos à doação voluntária de sangue, na rede hospitalar. Na ocasião, a presidente do HC, Ana Lydia Cabeça, apresentou as ações desenvolvidas junto aos servidores, familiares e acompanhantes de pacientes, além da comunidade do entorno, para elevar o número de doações de sangue.
Ana Lydia se colocou à disposição para dar continuidade ao trabalho integrado, essencial para o atendimento da demanda interna do hospital, responsável também pela captação de doadores de sangue para o reforço do estoque estratégico do hemocentro paraense, que abastece mais de 220 hospitais no Estado.
Responsável técnica pela Agência Tranfusional do Hospital de Clínicas, a médica hematologista Iê Fernandez, informou que a unidade tem uma média mensal de 400 solicitações transfusionais. Ela ressaltou a necessidade do fortalecimento da parceria entre as duas instituições, alinhando algumas ações que já são desenvolvidas no hospital para estimular esse ato solidário.
Iê Fernandez destacou algumas ações encaminhadas pelo Comitê Transfusional do HC, que atualmente é composto por 12 membros, entre elas a realização de oficinas para formação de agentes multiplicadores junto aos servidores; distribuição de panfletos para familiares e acompanhantes de pacientes e comunidade; a execução dos programas “Residente Sangue Bom”, que envolve o segmento acadêmico que atua no hospital, e “Servidor Solidário”, que incentiva a doação de sangue entre os funcionários da instituição.
Ana Lydia Cabeça destacou ainda os esforços que estão sendo destinados para a perda zero das unidades de hemocomponentes, para otimizar a captação de doadores e o uso racional do sangue. Para Ana Suely, essas práticas são fundamentais para o sucesso das ações desenvolvidas junto à rede hospitalar na promoção da doação de sangue. “Temos que estar juntos para assegurar atendimento de qualidade e em quantidade adequada aos nossos usuários. No entanto, a responsabilidade de abastecer do banco de sangue é de todos os cidadãos”, observou.
Foto: Hemopa fortalece parceria com a rede hospitalar para elevar número de doações de sangue
Fortalecer a parceria para garantir a melhoria constante do atendimento transfusional, por meio da sensibilização do maior número de candidatos à doação voluntária de sangue, na rede hospitalar. Esse é um dos principais objetivos da visita técnica da presidente do Hemopa, Ana Suely Saraiva, ao reunir com equipe do Hospital de Clínicas Gaspar Viana, que apresentou as ações desenvolvidas junto aos servidores, familiares e acompanhantes de pacientes, além da comunidade no em torno, para elevar o número de doações.
Foto: Equipe Hemopa e HC, na Agência Transfusional do hospital.Durante a reunião, a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, assistente social Juciara Farias, detacou o serviço “Caravana Solidária”, que disponibiliza transporte, com a cessão de um microônibus com capacidade para 30 pessoas, para conduzir pequenos grupos de voluntários até os pontos de coleta da capital - sede do Hemocentro e Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, na BR-316.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, a boa alimentação garante ao doador que não apresente mal estar durante a coleta. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.

A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira funciona no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Shopping Castanheira, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo fone 0800 280 8118.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Igreja evangélica mobiliza comunidade para doar sangue na Estação Castanheira

A Igreja Evangélica Nova Vida, Unidade Sousa, por meio do Ministério Papo de Princesa, se mobilizou para que seus membros e a comunidade de entorno doassem de sangue neste sábado (24), na Estação de Coleta Hemopa Castanheira. A ação, que reuniu quase 30 fiéis da Igreja, faz parte das atividades sociais do Ministério, iniciadas em outubro passado, com pacientes do Hospital Ophir Loyola. Coordenadora do evento e do “Papo de Princesa”, Flávia Rafaela de Souza Fontenele, 32 anos, disse que o grupo propaga a palavra de Deus por meio de atos de solidariedade, como a doação de sangue. “Ele ama a cada um de nós, e essa é uma forma de retribuir. É um grande ato de amor e solidariedade, que iremos repetir mais vezes durante este ano”, assegurou Flávia Rafaela.
Estudante de Medicina, Jéssica Barros da Costa, 25 anos, doou sangue pela primeira vez e aprovou a iniciativa da Igreja. “Doar sangue é doar vida, literalmente. Com esse gesto poderei ajudar a salvar várias pessoas. No mundo corrido de hoje em dia temos que parar e pensar no próximo”, disse Jéssica, moradora do bairro Coqueiro, em Ananindeua. Para ela, a Estação Castanheira “é mais perto e fácil de chegar. Um estímulo a mais para quem deseja doar”.
A doação de é necessária, disse Jeferson de Souza Coelho, 20 anos, que também doou sangue pela primeira vez, para ajudar a madrasta que passará por cirurgia. Ele, que mora no bairro Tapanã, garantiu que se tornará um doador regular, e também aprovou o novo ponto de coleta. “É mais fácil para muita gente, pois facilita e aumenta o acesso aos serviços”, reiterou.
Para a assistente social da Fundação Hemopa, Rosicleide Teodósio, a iniciativa da comunidade evangélica é muito bem vinda. Ela considera importante o envolvimento dos vários setores e instituições da sociedade no incentivo à doação. “É bastante positivo, porque auxilia na manutenção do nosso estoque e sensibiliza a comunidade para a questão da doação de sangue. Especialmente nessa época do ano, quando temos fatores como férias, chuvas e o período pré-carnavalesco, que dificultam a vinda dos voluntários”, ressaltou.
Mais doações - A Fundação Hemopa receberá ainda neste mês as doações do Grupo Terço dos Homens e da Comunidade Internacional da Família, no próximo dia 31. Em fevereiro acontecerá o Trote Solidário, com os calouros de Medicina da Universidade do Estado Pará (Uepa), no dia 3, e a Campanha Nacional de Doação de Sangue, “Doe Sangue, jogue Rugby”, nos dias 06 e 7.
Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e peso acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado. Menores só podem doar com a autorização dos pais ou do responsável legal. Para fazer o cadastro de doador de medula óssea o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos, e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos. A Estação de Coleta Hemopa Castanheira fica no térreo do Pórtico Metrópole, no acesso ao Shopping Castanheira, no KM-01 da BR-316. As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800-2808118) ou no site www.hemopa.pa.gov.br.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Hemopa recebe voluntários para abastecer estoque de sangue

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) fez nesta sexta-feira (23) programação com grupo de voluntários do Instituto Áster, que atua junto a hospitais e comunidades levando informação, ajuda material e solidariedade. A atividade incluiu palestra sobre captação hospitalar, doação de sangue e cadastro de doadores de medula óssea.
Uma das fundadoras do instituto, Evelyn Carolynne Vieira Nascimento, 23 anos, informou que atualmente o grupo é formado por 30 voluntários ativos, a maioria do distrito de Icoaraci. “Nossa intenção é levar ajuda humanitária a quem precisa, principalmente pessoas em tratamento contra câncer de todas as idades. Fazemos ações no Natal e entendemos que a ajuda às vezes pode ser uma palavra de carinho, uma conversa que devolva a autoestima e traga bem estar ao próximo”, disse.
A atividade no Hemopa, para ela, foi de grande utilidade. “Incentivamos a doação de sangue e de medula. O que aprendemos vai nos ajudar a quebrar alguns tabus que ainda existem, e com isso esperamos colaborar para o aumento do número de doadores voluntários”, declarou.
A assistente social Nazaré Veríssimo, do Hemopa, conduziu os integrantes do Áster na programação e proferiu a palestra. “É importante que o hemocentro forme captadores para o trabalho em hospitais e unidades de saúde, pois a doação de sangue é uma responsabilidade partilhada com toda a sociedade. Fico emocionada em ver um grupo tão jovem, com ideias simples de ajuda ao próximo que fazem bem a todos”, afirmou.
O voluntário Arilson da Conceição Rocha, 18 anos, integra o instituto há um mês. Ele doou sangue pela primeira vez. “A doação que fiz e a informação que recebemos vão fortalecer o trabalho que desenvolvemos, pois nosso trabalho é também captar doadores para ajudar a salva vidas como eu fiz agora”, disse.
Na tarde desta sexta-feira (23), a sede do Hemopa também recebeu a solidariedade de mais de 30 funcionários da empresa BB Tecnologia e Serviços, que fez campanha para colaborar com abastecimento do estoque de sangue do hemocentro, tendo em vista a aproximação do período carnavalesco. Assistentes sociais fizeram as palestras de sensibilização prévia e consideram excelente a participação dos voluntários.
A analista de sistemas Taymara Dias, 26 anos, doou sangue pela primeira vez. “Achei a iniciativa da empresa muito boa, pois possibilitou a ida do Hemopa até lá, o que nos deu a oportunidade de tirarmos várias dúvidas e fazer este gesto. É um ato humanitário que ajuda a salvar vidas”, frisou.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que pesem mais de 50 quilos e tenham entre 16 e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou do responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. É preciso estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses.

A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos. A Estação de Coleta Hemopa Castanheira fica no térreo do Pórtico Metrópole, no acesso ao shopping Castanheira, km 1 da BR-316. As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800-2808118) ou no site www.hemopa.pa.gov.br.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Campanha do Hemopa para o carnaval ganha apoio de artistas da terra

A Fundação Hemopa está finalizando os preparativos para a primeira campanha estratégica do ano, programada para o período de 7 a 13 de fevereiro, com o tema “No carnaval, use a fantasia de salva-vidas. Doe sangue”. A ação visa suprir a demanda transfusional do hemocentro, que aumenta em quase 20% durante o feriado de carnaval, pela necessidade de abastecimento da rede hospitalar. A mobilização também será realizada nas unidades da hemorrede estadual. Em Belém, a meta será de 250 doações/dia.
A ação estratégica também busca suprir a queda no número de comparecimentos voluntários às unidades de captação, justamente por conta do deslocamento de boa parte da população para balneários e localidades do interior, e também por conta do período chuvoso e da ocorrência de doenças típicas do período, que tornam o doador inapto temporariamente à doação de sangue, como estado gripal e viroses.
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, assistente social Juciara Farias, ressalta que quem quiser colaborar com a campanha por meio da doação voluntária conta, agora, com mais um local de coleta. “Estamos mais perto dos doadores, principalmente aqueles que residem nos bairros mais distantes da sede do hemocentro, como é o caso de quem mora ao longo da Rodovia Augusto Montenegro e nos municípios da Região Metropolitana, que é a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira”. O mais novo ponto fixo de doação fica no térreo da passarela que dá acesso ao shopping de mesmo nome, na BR-313, no mesmo horário de funcionamento do Hemocentro Coordenador.
Juciara Farias aposta no sucesso da ação, especialmente, na abertura da campanha, dia 7, que contará com mobilização de artistas da terra. “Será um dia muito especial e com uma programação variada. Será um show de pura solidariedade, por isso esperamos por um grande público”.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, a boa alimentação garante ao doador que não apresente mal estar durante a coleta. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.

A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira funciona no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Shopping Castanheira, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo fone 0800 280 8118.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Militares ajudam a elevar o número de doações de sangue


                               
No período de 2 a19 deste mês, 4.934 doadores voluntários compareceram à sede da Fundação Hemopa, o que resultou na coleta de 3.813 bolsas de hemocomponentes. Entre os doadores estão militares das Forças Armadas e da Polícia Militar. Durante a semana a PM mobilizou mais de 300 alunos do Centro de Aperfeiçoamento de Praças (Cfap). Juciara Farias, gerente de Captação de Doadores do Hemopa, explicou que o “Trote Solidário” é uma campanha interna do Cfap, definida pelo comando da PM. “Esta ação de responsabilidade social em prol do dever cívico que todos os militares têm estimula a doação voluntária de sangue”, frisou.
A cabo Cátia Regina, 46 anos, moradora do município de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, fez sua primeira vez. “Acredito que essa excelente iniciativa tem grande importância social, pois me incentivou a superar o medo para doar sangue e salvar vidas”, disse Cátia, aluna do curso de Formação de Sargento.
O comandante do I Comando Aéreo Regional, major brigadeiro do ar Paulo Borba, foi ao hemocentro participar da campanha. Doador do tipo sanguíneo O Positivo, ele fez sua primeira doação de sangue para ajudar uma cunhada, que faria uma cirurgia. “Daí em diante não parei mais. Influenciei meus dois filhos, que hoje também são doadores. Doação de sangue é um ato de respeito ao próximo, um gesto de humanidade”, afirmou.
Juciara Farias reiterou que as iniciativas da PM e demais corporações militares contribuem para a manutenção do estoque técnico de sangue, necessário principalmente neste início de ano, quando o período chuvoso, as férias escolares e a preparação para o carnaval dificultam a doação voluntária.
Para suprir o estoque de sangue para atendimento durante o Carnaval, o hemocentro promoverá de 7 a 13 de fevereiro a campanha “No Carnaval, use a fantasia de salva-vidas. Doe sangue”. As doações também podem ser feitas nos municípios de Santarém, Marabá, Castanhal, Abaetetuba, Altamira, Redenção e Capanema.
Doação – Estão aptas a doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 quilos e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou do responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. É preciso estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses.

A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, bairro Batista Campos. A Estação de Coleta Hemopa Castanheira fica no térreo do Pórtico Metrópole, no acesso ao Shopping Castanheira, KM-01 da BR-316. As coletas são feitas de segunda até sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo Alô Hemopa, 0800 280 8118, ou no site www.hemopa.pa.gov.br.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Hospital Regional do Sudeste e Hemopa fortalecem parceria

Somente no ano de 2014, foram feitas mais de duas mil transfusões de sangue no Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso, em Marabá. Mais da metade desses procedimentos ocorreu nas duas unidades de terapia intensiva (UTIs) da unidade. Isso dá praticamente uma transfusão de sangue a cada quatro horas e meia.
Não é fácil para o Hemocentro Regional de Marabá, portanto, manter um estoque de sangue para dar conta de toda essa demanda, por isso algumas medidas têm sido tomadas. Uma delas é a campanha que busca incentivar as pessoas que vão usar o HRSP a levarem outras pessoas para fazer doação de sangue, seja na sede do Hemopa, seja no próprio hospital, que tem uma agência transfusional.
Quem informa é a médica Socorro Leão, que integra a equipe de Apoio Técnico do Hemopa e preside a Agência Transfusional do Hospital Regional. Ela integrou reunião sobre o assunto nesta segunda-feira (19), que definiu estratégias de mais essa campanha. Socorro lembra que a parceria entre as duas instituições de saúde existe desde 2007. Trata-se do Grupo Amigos de Sangue, que também incentiva a doação voluntária e promove três campanhas de doação por ano.
Está, contudo, na hora de avançar mais, diz a médica. Daí a importância dessa campanha, que será feita por meio da Central de Regulação, que ao encaminhar pacientes para internação, cirurgias eletivas, exames ou consultas, já vai orientar os pacientes a levar um acompanhante (ou até dois) para doar sangue. Além disso, nas reuniões semanais com acompanhantes de pacientes, o serviço social e o serviço de acolhimento do hospital também vão fazer a mesma orientação.
Socorro Leão deixa claro que a internação ou qualquer outro tipo de atendimento não estão condicionados à doação de sangue. Trata-se de uma campanha de conscientização e incentivo para a comunidade e nunca uma imposição. Além disso, continua ela, os pacientes que derem entrada no hospital em casos de emergência não passarão pela campanha. Serão atendidos de imediato, como sempre foi feito. Somente depois de restabelecidos é que receberão orientações sobre a importância da doação voluntária de sangue para salvar vidas.


Chagas Filho
Hospital Regional do Sudeste do Pará (Marabá)

Projeto leva música ao Hemopa e muda rotina de pacientes e doadores

Doadores e servidores da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) ouviram nesta segunda-feira (19) clássicos da MPB, chorinho e música instrumental, executados pelos músicos voluntários do projeto “A música vem aos hospitais”, que tem a proposta de usar o poder da música no tratamento de pacientes, além proporcionar bem estar e melhora na autoestima.
Criado há doze anos pela psicóloga hospitalar Maria do Carmo dos Santos, o projeto visita regularmente as unidades de saúde públicas e privadas de Belém. “Ao trazermos a música para o ambiente hospitalar, trabalhamos a humanização do atendimento. É comprovado cientificamente que a música é um agente de relaxamento, alegria e fortalecimento do sistema imunológico, de internos e equipe médica”, explica. “A música tem a característica de agregar pacientes, familiares e os profissionais da saúde”, continua.
Um dos voluntários é o doutor em Musicologia pela Universidade Federal da Bahia e professor da Universidade Federal do Pará (UFPA) Yuri Guedelha, que faz parte do projeto há dez anos. “Os acordes musicais têm propriedade terapêutica, e muitas vezes nos remetem a bons momentos. Conversando com as pessoas depois das apresentações, muitas nos falam que ficam emocionadas e felizes. Isso para nós é muito bom”, afirma o profissional, que tem mais de 30 anos de formação.
“Eu me lembrei da minha avó”, disse a paciente Arcilena Santiago, 41 anos, que faz tratamento de doença falciforme no Hemopa há mais de 30 anos, onde recebe mensalmente sangue fenotipado A Positivo. “Adorei a visita dos músicos. Fiquei emocionada e alegre ao mesmo tempo. Por mim eles poderiam estar aqui toda semana. A música transmite paz e felicidade, e esse é um gesto muito nobre da parte dos músicos”, frisou.
Segundo as psicólogas do ambulatório do Hemopa, Carolina Monteiro e Gecila Rubin, é a primeira vez que o projeto vai à fundação. “Conhecemos a proposta quando ainda estagiávamos no Hospital Beneficente Portuguesa, e hoje surgiu a oportunidade de trazermos para cá. Cientificamente, já é comprovado que o som das melodias mexe com o corpo todo e libera substâncias responsáveis pela sensação de bem estar”, informa Carolina. “Nossa proposta é trazer os músicos mais vezes e inserir o projeto na agenda de nossas atividades”, complementou Gecila.
O ambulatório de pacientes funciona na sede da Fundação Hemopa, na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800-2808118) ou no site www.hemopa.pa.gov.br.


quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Hemopa reforça importância das parcerias para suprir estoque de sangue

Em entrevista coletiva à imprensa, a presidente da Fundação Hemopa, Ana Suely Leite Saraiva, que substituiu Luciana Maradei, enfatizou a necessidade da população estar ao lado do hemocentro, doando sangue regularmente, para suprir o estoque estratégico, que precisa acompanhar o crescimento do número de leitos, abertura de clínicas de hemodiálise, elevação do número de transplantes e assistência às vitimas de acidentes de trânsito, que demandam a necessidade transfusional. Atualmente o hemocentro precisa de uma média diária de 300 coletas, para fazer frente ao avanço na área da saúde.
Ana Suely destacou as premiações e reconhecimentos pela excelência de gestão do hemocentro paraense, inclusive a mais recente delas. ‘’Realmente é uma instituição muito premiada. Temos diversas certificações, e na gestão anterior, com Luciana Maradei à frente do Hemopa, conseguimos obter a certificação da Associação Americana de Bancos de Sangue e da Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, colocando o Hemopa como um dos melhores serviços do Brasil e do mundo. São certificações que nos dão bastante orgulho para que possamos dar continuidade nas nossas atividades à população paraense’’, disse.
A atuação em parceria será uma prioridade da nova gestão. A presidente do Hemopa ressaltou o apoio da imprensa local, que potencializa a divulgação das ações institucionais na promoção da doação voluntária e todos os serviços e produtos oferecidos. O mais novo deles é a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, inaugurada em dezembro passado, com a finalidade de descentralizar a coleta e facilitar o acesso para mais de 700 mil pessoas residentes naquela área da Região Metropolitana de Belém. O mais novo posto de coleta fixo oferece o mesmo funcionamento da sede do Hemopa.
“Esse novo posto de coleta fixo atendeu o clamor de parte de nossos usuários. Estamos mais próximos de outra parcela da população”, comentou Ana Suley, informando que, em pouco mais de um mês, a Estação de Coleta recebe uma média diária de 80 doações. “Estamos bastante felizes com esse resultado inicial”, assegurou, reafirmando que a descentralização avançará para o município de Ananindeua e distrito de Icoaraci. Os projetos estão prontos, e agora a equipe vai buscar recursos necessários para a execução.
Ana Suley também convidou a sociedade em geral para aderir à campanha de doação de sangue do Carnaval, com o tema “No carnaval, use a fantasia de salva-vidas. Doe sangue”, que ocorre de 7 a 13 de fevereiro. “A vida de outras pessoas depende também da nossa. Sempre há alguém aguardando a nossa doação de sangue”, sugeriu, apostando no sucesso da mobilização, que terá o apoio de instituições parceiras.
Farmacêutica com habilitação em bioquímica, pela Universidade Federal do Pará (UFPA), a nova presidente do Hemopa destaca ainda a necessidade imperativa em garantir segurança à comunidade com a oferta de serviços de qualidade ao garantir sangue em tempo hábil e quantidade adequada aos pacientes e, ainda, preservar a saúde do doador. Tudo isso com equipe mutiprofissional capacitada e tecnologias de ponta na área da hemoterapia e hematologia.

Em 29 anos no serviço público, atuando sempre na Fundação Hemopa, Ana Suely já desempenhou diversas funções técnicas e gerenciais. Em 2008, foi colaboradora no Programa de Coagulopatias Hereditárias do Ministério da Saúde, na Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados, em Brasília. Ela tem no currículo, ainda, especialização em Gestão de Hemocentros, pelo Programa Integrado de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Picpasc), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE/ Ministério da Saúde), e especialização em Epidemiologia, pelo Núcleo de Medicina Tropical da UFPA.

Estação de Coleta Hemopa Castanheira tem comparecimento crescente de voluntários


Inaugurada há pouco mais de um mês, a Estação de Coleta Hemopa Castanheira, localizada no térreo do Pórtico Metrópole, no acesso ao shopping Castanheira, km 1 da Rodovia BR-316, foi responsável, no mês de dezembro passado, por mais de 17% do comparecimento total de voluntários à doação de sangue na Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). Dos 5.678 candidatos registrados, 1.010 compareceram à Estação Castanheira; desses, 50% eram homens e 50% mulheres, e 65% estão na faixa etária de 18 a 25 anos.
Segundo a assistente social Olinda Campos, da Gerência de Captação de Doadores do Hemopa, o perfil do voluntariado que foi até a unidade da BR-316 se completa com a presença igualitária de doadores de primeira vez, esporádicos, de repetição e os que repõem sangue para um parente ou amigo. “Percebemos certa tendência de retorno dos esporádicos, aqueles que doavam na sede de vez em quando, com predominância de moradores da Região Metropolitana de Belém (RMB)”, afirma a técnica.
A servidora ressalta ainda que o movimento de doadores tem sido crescente. “A descentralização da coleta era um anseio de grande parte dos doadores. Eles se sentem contemplados em ter um local que facilite o acesso ao hemocentro. Muitos se dizem satisfeitos de vir ao shopping e poder fazer a doação na mesma viagem”, diz.
Dentro do perfil informado pela assistente social, está a enfermeira Sara Amorim Costa Soares, 36 anos, moradora do bairro Castanheira. Ela é doadora voluntária de sangue há mais de dez anos, mas quando ficou grávida decidiu parar por dois anos e retomou o gesto solidário nesta terça-feira (13). “Para mim ficou mais fácil doar por ser próximo de casa. Esse é um ato muito importante, e como profissional da área da saúde, sei da necessidade que as pessoas têm”, conta.
Solidariedade – Doador regular há mais de dois anos, o trabalhador da construção civil Jailson Fumeiro Pereira, 20 anos, doou a primeira vez numa campanha externa feita em parceria com a Escola Estadual Professora Isabel Amazonas, no Distrito Industrial, bairro onde mora, em Ananindeua. “Já estava no tempo de retornar para a próxima doação, e como passo em frente todos os dias, resolvi parar. Aqui é mais perto de casa e mais viável”. O voluntário chama a atenção para o crescente número de acidentes de trânsito e disse que “não adianta vir doar só para parentes, todos precisam. Temos que fazer nossa parte”.
Pela primeira vez fazendo uma doação de sangue, o estudante Kenedy Anderson Carvalho da Silva, 18 anos, imaginava que o procedimento fosse mais dolorido e demorado. “O que senti foi muito leve perto do que imaginava. Sempre pensei em doar, acho que por ter parentes que já são doadores há bastante tempo. Sei da importância que uma doação de sangue tem, pois tenho um irmão com doença falciforme que faz acompanhamento no Hemopa. Essa vai ser a primeira de muitas outras”, assegurou.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, com peso acima de 50 quilos e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, a boa alimentação garante ao doador que não tenha mal estar durante a coleta. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três.
A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos. A Estação Castanheira fica no acesso ao Pórtico Metrópole, pelo shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa, 0800 280 8118, ou no site www.hemopa.pa.gov.br.


Hemopa prepara campanha de doação para o carnaval


A Fundação Hemopa já está preparando a campanha que busca incentivar a doação de sangue no período do carnaval. Programada para ser veiculada de 7 a 13 de fevereiro, com o tema “No carnaval, use a fantasia de salva vidas. Doe sangue”, a mobilização visa abastecer o estoque estratégico do hemocentro de Belém e também das unidades em Castanhal, Marabá, Santarém, Altamira, Abaetetuba, Tucuruí e Redenção, de forma a atender a demanda transfusional durante o feriadão momesco. A meta para a sede do Hemopa, em Belém, é de 250 coletas/dia.
Inaugurada em dezembro do ano passado, a Estação Coleta Hemopa Castanheira, que mantém o mesmo horário de funcionamento do hemocentro coordenador, é mais uma opção para os doadores voluntários, especialmente aqueles que residem nos municípios da Região Metropolitana de Belém, como Ananindeua, Marituba, Santa Bárbara, Santa Izabel e Benevides. A unidade oferece o mesmo conforto, segurança e qualidade de atendimento.
Para a presidente do hemocentro, Ana Suely Saraiva, a colaboração de todos os parceiros é imprescindível para a manutenção do abastecimento da hemorrede. “O Hemopa procura fazer a sua parte garantindo um carnaval seguro à população com o abastecimento do estoque técnico de sangue em quantidade adequada à demanda do período. Mas, para isso, é necessário que todos colaborem, doando sangue antes de viajar para curtir o carnaval ou procurando o hemocentro mais próximo enquanto estiver fora da cidade”, comentou.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, a boa alimentação garante ao doador que não apresente mal estar durante a coleta. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, nº 2109, e no acesso ao Pórtico Metrópole pelo Shopping Castanheira (BR-316, KM 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo 0800 280 8118.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Nova titular do Hemopa assume com proposta de gestão integrada

Uma gestão integrada, pautada em ações voltadas ao aumento da reserva técnica de sangue, maior desafio enfrentado pelo Hemocentro do Pará ultimamente, e maior integração da hemorrede estadual. São as principais metas definidas para o quadriênio 2015/2019, e compromissos assumidos pela nova titular da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).
“Vamos realinhar o Planejamento Estratégico do Hemopa para que possamos atender tanto às demandas impostas atualmente à hemorrede nacional como às nossas prospecções para o futuro, que vão muito além desses quatro anos previstos", ressaltou a nova presidente, destacando nesse contexto a creditação obtida junto à American Association of Blood Banks e Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular, e ainda à descentralização da coleta de sangue, com a inauguração da Estação Castanheira, em dezembro passado.
Servidora desde 1985, a nova presidente já desempenhou diversas funções em inúmeros departamentos da Fundação. Em 2008, foi colaboradora no Programa de Coagulopatias Hereditárias do Ministério da Saúde, na Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados, em Brasilia.
Graduada em Farmácia, com habilitação em Bioquímica, pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Ana Saraiva traz no currículo, ainda, especialização em Gestão de Hemocentros, pelo Programa Integrado de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PICPASC), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE/Ministério da Saúde) e especialização em Epidemiologia, pelo Núcleo de Medicina Tropical da UFPA.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Hemopa recebe o apoio do voluntariado para reabastecer estoques


"Saúde e esporte tem tudo a ver. Queremos conscientizar a população, outros atletas e equipes de que as doações de sangue são importantes. Incentivei o time e nós viemos ajudar". A declaração é do administrador e atleta do Belém Futebol Americano Vingadores, Luan Tinoco, 26, doador há seis anos, que junto com outros 20 atletas compareceram ao Hemopa na manhã deste sábado, 10, para colaborar com a campanha que busca restabelecer o estoque do banco de sangue no Estado.
Somente neste começo de ano o Hemopa já registrou uma queda de 30% na reserva técnica. Além do deslocamento de um grande número de pessoas em decorrência do recesso escolar e das comemorações de fim de ano, contribuíram para essa redução a ampliação do número de leitos hospitalares, realização de cirurgias, transplantes e abertura de clínicas de hemodiálise, além do início do período das chuvas, que dificultam o acesso do doador às unidades de coleta.
O atleta e assessor de comunicação dos Vingadores, Júnior Sardo, 29, explica que esta é a primeira campanha de doação de sangue do time, mas, que junto da Federação Paraense de Futebol Americano (FEPAFA), eles promovem a entrega de alimentos e brinquedos junto a instituições de caridade desde que a equipe foi criada. "A equipe surgiu há um ano e conta com 50 atletas. Desde sempre procuramos incentivá-los a participar de ações e eventos solidários e assim que soubemos da convocação do Hemopa fizemos questão de colaborar. Essa foi a nossa primeira campanha de doação de sangue", conta.
Representante comercial e integrante dos Vingadores, Carlos Rodrigues Júnior, 42, doou sangue pela primeira vez. Ele conta que já tinha essa vontade, mas faltava um incentivo. "A campanha me impulsionou. Penso no bem que fazemos ao sair da nossa z
ona de conforto e ajudar o próximo. Doar sangue faz toda a diferença, acreditem", diz ele.
"Somos gratos a todas as mobilizações em favor da vida. A mobilização e colaboradores - sejam equipes esportivas, grupos de amigos, segmentos religiosos, associações, etc - é exemplar e fundamental para o reabastecimento do estoque de sangue e atendimento eficiente da demanda transfusional", reforça a assistente social Juciara Farias, titular da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa.
Hemopa recebe caravana solidária de Tomé-Açu
A cada três meses a caravana Juntos Somos Fortes vem do município de Tomé-Açu, no nordeste paraense, para doar sangue na sede do Hemopa, em Belém. Na tarde deste sábado, 10, o grupo repetiu o gesto solidário e também veio dar a sua colaboração para o reabastecimento do estoque de sangue do hemocentro.
Criado há um ano, o Juntos Somos Fortes promove campanhas de doações de alimentos e brinquedos paracrianças carentes. A última delas foi realizada no Reveillon, quando foram distribuídos 1.200 lanches em cinco bairros de Tomé-Açu.
A coordenadora do grupo Cláudia Maria Galiman, 49, diz que já estão previstas novas ações. ‘’Estamos planejando a campanha de Páscoa, com doações de brinquedos e alimentos em Tomé-Açu. Também vamos ajudar o hospital Ophir Loyola, em Belém, com doações de materiais de higiene pessoal e alimentos’’, diz.
"Hoje sou eu quem está doando, mas amanhã posso precisar de uma doação. O bom de ser doador voluntário é que isso te deixa feliz pelo simples fato de saber que está ajudando alguém com um gesto tão simples", afirma o auxiliar administrativo Eduardo Baião, 53, que doou sangue pela segunda vez.
Juciara Farias, gerente de Captação de Doadores do Hemopa, explica que a construção de parcerias é fundamental para a manutenção do atendimento transfusional eficiente. "Sem os parceiros não seria possível atendermos a demanda. Somos gratos à Prefeitura de Tomé-Açu e aos diversos patrocinadores que auxiliam o grupo com transporte, material promocional e alimentação’’.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, a boa alimentação garante ao doador que não apresente mal estar durante a coleta. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, nº 2109, e no acesso ao Pórtico Metrópole pelo Shopping Castanheira (BR-316, KM 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo 0800 280 8118.

Hemopa espera apoio da sociedade para aumentar estoque de sangue

A ampliação do número de leitos hospitalares, cirurgias e transplantes, além da abertura de clínicas de hemodiálise, são alguns dos fatores que geram a necessidade de aumentar em pelo menos 30% as doações voluntárias de sangue no Estado, para atender a demanda transfusional. Outro fator importante é o intenso consumo de sangue nos hospitais de grande porte, que não repõem 30% do produto oferecido pelo hemocentro. Daí a necessidade do fortalecimento da parceria entre a rede hospitalar, familiares de pacientes e a comunidade atendida, por meio de encaminhamento de doadores para os hemocentros.
A Fundação Hemopa atua na captação, coleta, processamento, armazenamento e distribuição de sangue, com uma equipe multiprofissional especializada e adoção de A assistente social Juciara Farias, gerente de Captação de Doadores, disse que “enquanto não houver uma consciência coletiva de que todos são responsáveis pelo abastecimento do banco de sangue, a situação pode se agravar”. Nesta sexta-feira (09) a maior necessidade de atendimento é para os tipos de sangue A Positivo e O Negativo.

Antônio Martins dos Santos, 46 anos, está entre as centenas de pacientes atendidos pelo Hemopa, por isso conhece bem a necessidade de transfusão de sangue. Antônio tem doença falciforme e se trata no hemocentro há dois anos. Morador do município de Viseu, no nordeste do Estado, ele utiliza mensalmente duas bolsas de sangue do tipo A Positivo. Nesta sexta-feira, depois de cinco dias de espera na casa de parentes, no município de Marituba (Região Metropolitana de Belém), ele conseguiu finalizar a transfusão no hemocentro, em Belém. “Para mim sangue é necessário. Quando recebo, melhoro bastante. Infelizmente, eu não posso ser um doador, mas peço às pessoas com boa saúde que doem sangue e ajudem a quem, como eu, precisa”, disse ele.
Responsabilidade - O agente administrativo José Lima Filho, 59 anos, voltou a ser um doador regular, após ser obrigado a parar por motivo de doença. Com sangue tipo O Positivo, ele ajuda a salvar vidas há 13 anos, de amigos e desconhecidos. “Ser doador é uma grande responsabilidade, pois sabemos que muitas pessoas precisam. Quem está num leito de hospital precisa de todo tipo de apoio”, observou.
As doações também podem ser feitas na Estação de Coleta Hemopa Castanheira, um ponto de coleta fixa no térreo do Pórtico Metrópole, na BR-316, KM-01, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábado até 17 h. “É mais uma forma de proporcionar maior acessibilidade aos serviços para os potenciais doadores daquela área da Região Metropolitana de Belém”, ressaltou Juciara Farias.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menor de 18 anos precisa da autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três meses.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo 0800 280-8118.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Doação de sangue espontânea melhora o estoque do Hemopa

O comparecimento de candidatos à doação de sangue está começando a melhorar no início deste ano. Na segunda-feira (5) foram registrados 227 voluntários na sede da Fundação Hemopa e 91 na Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, que funciona desde dezembro do ano passado no andar térreo do Pórtico Metrópole, que dá acesso ao shopping localizado na BR-316, KM-01. O bom movimento resultou em 257 doações, que atenderão 1.028 pacientes internados na rede hospitalar. Com a retomada da rotina após as festas de final de ano, que provocou redução significativa no número de doações, a gerência de Captação de Doadores (Gecad) do hemocentro vem convocando antigos e novos doadores para restaurar o estoque estratégico, tendo em vista a crescente demanda transfusional.
Segundo a assistente social Juciara Farias, titular da Gecad, os tipos mais comuns de doação são as espontâneas, com 72%. As doações hospitalares atingem 28%. “Precisamos exercitar o hábito da doação voluntária, e não esperar que uma situação próxima aconteça para efetuar a coleta de sangue. São milhares de pessoas que diariamente precisam de transfusão para sobreviver”, disse Juciara, informando que a doação direcionada para um parente ou amigo também pode ajudar outras pessoas, tendo em vista que nem sempre o tipo de sangue é compatível para quem o ato é destinado. “Ao final, todos acabam sendo beneficiados com a solidariedade”, ressaltou.
A vontade de ajudar a salvar a vida da filha de uma amiga levou a servidora pública Thayana Araújo Guimarães, 27 anos, moradora do bairro Batista Campos, em Belém, a realizar sua primeira doação de sangue nesta terça-feira (06), na sede do Hemopa. “Soube ontem à noite que a filha de uma colega de trabalho, de apenas um mês de vida, vai passar por uma cirurgia delicada e precisará de sangue. Imediatamente pensei em ajudar vindo aqui. É uma importância muito grande, ainda mais quando a vida de uma criança está envolvida”, disse a voluntária, que se tornará uma doadora regular, e ainda convenceu o enteado de seu pai a também praticar o gesto solidário.
Atendendo a um pedido, Victor Ricardo Santos Puga, 18 anos, tem o mesmo tipo sanguíneo da menina que será operada, O Positivo. Estudante do curso de Direito, ele atendeu à solicitação de Thayana e também fez sua primeira doação. “Já pensava em doar, mas não tinha o peso necessário. Por isso, quando ela me ligou, não pensei duas vezes. Ajudar seja quem for é o principal e o mais importante”, afirmou o morador do bairro São Braz.
Doador: candidatos com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menor de 18 anos somente pode doar com autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto e não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três meses.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo fone 0800 280-8118.