terça-feira, 26 de maio de 2015

Pará apresenta projetos de gestão no VIII Congresso Consad


Começa nesta terça-feira, 26, o VIII Congresso Consad Gestão Pública, maior evento da área no País e principal encontro anual do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad). A programação será realizada até 28 de maio, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.
Servidores do governo do Pará apresentarão 10 trabalhos científicos, sendo cinco da Secretaria de Estado de Administração (Sead), dois da Fundação Centro de Hemoterapia do Pará (Hemopa), um da Secretaria de Planejamento (Seplan), um da Escola de Governança do Pará (EGPA) e um do Banco do Estado do Pará (Banpará). Os projetos foram avaliados pelo Comitê Científico do Consad e trataram de temas como orçamento, contabilidade, finanças, compras e patrimônio; gestão de pessoas na área pública; gestão por resultados, monitoramento e avaliação; novos formatos organizacionais; governança, participação e controle social; governo eletrônico e transparência. A programação contemplará mais 49 painéis com apresentação de 170 cases de sucesso.
Para esta edição do Congresso Consad são esperadas mais de duas mil pessoas – entre autoridades, políticos, gestores, estudantes e servidores públicos das esferas federal, estadual, municipal e distrital. Para a presidente do Consad, Alice Viana, o evento promove “uma rica troca de conhecimentos entre os estados com o intuito de melhorar a gestão pública do Brasil”.
De acordo com a secretária de Administração do Pará, a crise econômica e a conjuntura política vivenciadas pelo País refletem nas administrações públicas que precisam, mais do que nunca, praticar o princípio constitucional da eficiência. “Por isso, essas experiências apresentadas no Congresso sobre as diferentes práticas que estão sendo desenvolvidas nos dias de hoje são tão importantes”, completou. Ainda segundo a titular da Sead, o Conselho tem a tradição de disponibilizar os projetos selecionados no portal Banco do Conhecimento, um acervo documental administrado pela própria entidade. Está previsto ainda o lançamento de livros com as experiências relatadas, além de lugar de destaque na revista Governança & Desenvolvimento.
Qualidade do gasto
Especialista em soluções de melhoria de processos e serviços públicos, a presidente do Institute on Governance Canada, Maryantonett Flumian, fará a conferência magna, que abre esta edição do evento. Ela também irá compor a mesa-redonda sobre as novas estratégias para a conquista da eficiência pública – debate que contará com a participação do especialista em modernização do Estado do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Pedro Faria, e de gestores do governo federal.
Haverá ainda um painel de encerramento com governadores de vários estados para discutir possíveis soluções para a crise fiscal que assola os estados. “Enquanto gestores públicos, precisamos estar preparados para implementar alternativas que viabilizem, de fato, a prestação de serviços de melhor qualidade para a nossa sociedade”, defendeu Alice Viana.
Na ocasião, o Consad e os Correios lançam o selo postal e o carimbo comemorativo em alusão aos 15 anos da entidade, celebrado este ano. Os itens personalizados terão distribuição nacional e tiragem limitada para obliteração de correspondências da instituição.
Outras atividades
As atividades não ficarão restritas ao plenário e às salas do Centro de Convenções. No pavilhão de exposições estarão dezenas de estandes de livros e dos patrocinadores de entidades públicas e privadas do Congresso Consad. Neste ano, o evento tem o apoio do Ministério do Planejamento, do GDF, do BID e dos Tribunais de Contas dos Estados.
Fundação Hemopa
O hemocentro paraense, apresentará dois trabalhos durante VIII Congresso Consad, autoria da titular da Assessoria Técnica de Planejamento, Terezinha Gomes Negrão: “Construindo uma gestão por resultados e a partir de práticas de gestão implementadas: trajetória e desafios”; e da assessora do Núcleo da Qualidade, a socióloga Ligia Garcia: “ Gestão de processos como ferramenta de integração e interrelacionamentos sistêmico da Fundação”, ambos dia 27.
Serviço: VIII Congresso Consad. De 26 a 28 de maio, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF).
Luciana Benicio

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Hemopa realiza campanha de coleta de sangue na Cidade Nova VIII

A Fundação Hemopa promove neste sábado, 23, das 8h30 às 15h, uma campanha externa de coleta de sangue em parceria com a Escola Madre Celeste, no Conjunto Cidade Nova VIII, em Ananindeua. A ação integra as atividades do Projeto Doador de Sangue do Futuro, coordenado pela Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do hemocentro junto às escolas da Região Metropolitana de Belém, e tem como meta a coleta de 100 bolsas de sangue. O evento inicia uma extensa programação com escolas do município de Ananindeua ao longo deste ano.
Lilian Bouth, assistente social da Gecad, informa que durante três dias foram feitas palestras de sensibilização sobre a doação voluntária de sangue com 167 alunos. “Procuramos envolver os jovens para que sejam multiplicadores da doação entre familiares e amigos. A escola já é uma antiga parceira da fundação e sempre nos dá um excelente retorno não só de comparecimentos, como de coletas”, observa.
Em 2014, o programa encaminhou 2700 candidatos à doação voluntária de sangue e envolveu 1775 alunos, de 60 escolas da RMB, em atividades diversas como palestras, campanhas internas e externas, estandes em eventos, orientações individuais e hemotur. Docentes, familiares e comunidades do entorno dos centros educacionais também foram beneficiados com as informações repassadas pelas assistentes sociais da Gecad.
O programa é um trabalho educativo que o Hemopa desenvolve desde 2004 e que visa levar às escolas de Ensino Fundamental e Médio, públicas e particulares, informações precisas e corretas sobre o ato de doar sangue, contribuindo para a formação de uma nova cultura em relação à doação voluntária.
Como preparação para futuras campanhas, as técnicas da Gecad realizaram, na última quinta-feira, 21, duas palestras com mais de 200 alunos do Colégio Adventista da Cidade Nova. Já nos próximos dias 28 e 29, a partir das 9h, será a vez dos estudantes da Escola João II também em Ananindeua.
A instituição educacional que tiver interesse em participar do Programa Doador de Sangue do Futuro pode entrar em contato com a Gecad pelos telefones: (91) 3224-5048 / 32429100 - R-205/243 ou pelo e-mail captacao@hemopa.pa.gov.br.
Campanhas
Dando continuidade aos trabalhos da Captação, no próximo dia 30 será realizada campanha externa no município de Santa Isabel, em parceria com a Secretária Municipal do Trabalho e Promoção Social (Semteps), localizada à Travessa José Amâncio, s/n, esquina com a Rua Francisco Amâncio, das 8h às 15h, com meta de 100 coletas.
Na sede do hemocentro, em Batista Campos, acontecerão as campanhas internas com mais de 100 participantes do projeto Agentes da Comunidade, da Igreja Universal do Reino de Deus, e integrantes da Nação Ivete de Belém, fã-clube da cantora Ivete Sangalo, que organizaram a campanha “Ivete, amor que salva vidas”, para estimular a doação de sangue. As duas ações acontecerão a partir das 9h.
Quem pode doar sangue - Candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos, e peso acima de 50 kg. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum ao contrário, recomenda-se uma boa alimentação antes da doação. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, e funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.

Marinha do Brasil envia quase 1.800 militares para doação de sangue no Hemopa

A campanha de doação de sangue realizada nos dias 13, 14, 15 e 18 deste mês, em parceria com a Marinha do Brasil, através do comando do IV Distrito Naval, foi a maior ação interna registrada na sede da Fundação Hemopa com surpreendente saldo de 1.795 voluntários, superando a meta de 1.500 comparecimentos. A campanha fez parte da programação em celebração aos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo.
Muito satisfeita com a adesão dos militares, a presidente do Hemopa, Ana Suely Saraiva, parabenizou pela superação da meta. “Quero agradecer ao vice Almirante, comandante do 4° Distrito Naval (COM4°DN), Edlander Santos, por ter abraçado a causa da doação de sangue. A meta da campanha já era ousada e eles conseguiram superar mais esse desafio. Estamos muito felizes e temos a certeza que milhares de vidas serão salvas por essa iniciativa louvável da Marinha do Brasil, em eleger a doação de sangue como parte comemorativa de sua data Magna”, ressaltou, afirmando que já está contando com a próxima edição da campanha, prevista para agosto deste ano.
A assistente social Lilian Bouth, que atua na Gerência de Captação de Doadores (Gecad), informou que a computação total dos dados da campanha só foi finalizada na manhã desta quinta-feira, 21, em função da identificação de código da campanha. “Foi uma mobilização emocionante. É gratificante ver a união dos militares na campanha que tomou conta da sede do hemocentro nos quatro dias. Nunca vimos tantos voluntários de uma só vez. A vida agradece”, destacou a técnica.
A tenente Isabela Caetano, 31, carioca transferida há pouco tempo para Belém, tipo sanguíneo O positivo, foi um das militares que aderiram à campanha. “É uma alegria muito grande poder ajudar, sou doadora desde 2010 e sempre que posso venho e faço a minha parte”, disse.
Outro voluntário da campanha da Marinha do Brasil foi Wander Antônio Pereira Palmeira Filho, 21 anos, aluno do 3° ano do curso de Engenharia de Máquinas do Centro de Instrução Almirante Brás de Aguiar (Ciaba). O jovem realizou sua primeira doação de sangue. “É muito satisfatório saber que vou ajudar alguém. E o melhor, essa ação vai incentivar muitos que ainda não conhecem a doação de sangue”, comentou.
A mobilização da Marinha do Brasil também foi realizada na cidade de Santarém, onde a Fundação Hemopa possui um Hemocentro Regional. Lá, foram contabilizados 42 coletas.
Critérios - Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, nº 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados até as 17h.

Abelardo Santos reforça parceria com o Hemopa para coleta de sangue de cordão umbilical

Já está funcionando na maternidade do Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS) a nova unidade coletora de sangue de cordão umbilical, implantada por meio de uma parceria com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). Com seis bolsas de sangue já coletadas, a unidade, que é a segunda implantada no Estado - a primeira funciona na maternidade do Hospital da Santa Casa de Misericórdia do Pará - vai abastecer o Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Pará (BSCUP).
Todo o material genético coletado é encaminhado para o BSCUP, que funciona na sede do Hemopa, em Belém, para processamento e armazenamento. Até o momento, o Banco de Sangue possui 691 bolsas armazenadas, 410 delas liberadas para transplante de medula óssea.
Para o diretor clínico do Hospital Abelardo Santos, Dr. Walter Amoras, esse é um serviço essencial e vai ajudar a salvar vidas não apenas no Pará, mas em todo o território nacional. “Hoje, o hospital vem passando por uma política de avanço científico e tecnológico, e essa parceria com o Hemopa ajuda a renovar diariamente as esperanças de vida para muitas pessoas”, aponta.
Sensibilização - No último dia 15, como parte da programação da 5ª Jornada de Enfermagem do HRAS, a médica hematologista Ana Luiza Meireles, diretora técnica da Fundação Hemopa e responsável técnica pelo BSCUP, ministrou uma palestra aos profissionais envolvidos no processo de captação, destacando a importância de sensibilizar as gestantes sobre o serviço de coleta de sangue de cordão umbilical. “É importante que a sensibilização da gestante seja feita ainda no período do pré-natal, para que ela entenda que existe a possibilidade da doação e que isso é vital quem precisa de um transplante de medula”, explica a médica.
“Há uma necessidade de aumentar o mapeamento genético da população de Belém, e pelo fato da maternidade do Hospital Abelardo Santos apresentar um intenso fluxo de gestantes encaixadas no perfil que precisamos para ter um material de boa qualidade, isso poderá dobrar nossa capacidade de coleta. Até o fim do ano esperamos ter no mínimo mais de 600 unidades congeladas somente do hospital Abelardo Santos”, concluiu.
A enfermeira do Hemopa, Elen Elmescany, explicou que, apesar do material ser um resíduo descartável que é coletado somente no fim do parto, ele tem potencial de salvar vidas, e o alto fluxo de gestantes de baixo risco na maternidade possibilita o aumento do acervo do BSCUP, e também as chances de tratamento às pessoas com anemia grave, leucemia e outras doenças cuja solução depende do transplante da medicina celular.
Com o pré-natal completo e todas as sorologias negativas, Jessica Daiane Lobo do Nascimento, 21 anos, teve um parto normal e sem complicações no último dia 11 de maio, tornando-se a primeira doadora de sangue de cordão umbilical e placentário da maternidade do HRAS. “Estava muito nervosa porque esse é o meu primeiro bebê, mas fui muito bem atendida pela equipe de enfermagem, que me explicou como é feita a coleta. Autorizei o procedimento e fico muito feliz de ter oportunidade de ajudar a salvar a vida de outras pessoas”, disse.
Quem pode participar do programa: gestantes com idade acima de 18 anos e que tenham, no mínimo, duas consultas pré-natais documentadas; idade gestacional igual ou superior a 35 semanas; bolsa rota (rompida) há menos de 18 horas; trabalho de parto sem anormalidades; e ausência de processo infeccioso e/ou doença durante a gestação que possa interferir na vitalidade placentária.
Normalmente, o transplante de medula óssea é indicado para pacientes com leucemias, aplasia de medular e alguns casos de doença falciforme, entre outros. De acordo com pesquisa realizada pelo Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), a chance de um brasileiro localizar doador em território nacional é 30 vezes maior em relação à possibilidade de encontrá-lo no exterior, por conta das características genéticas.
Serviço: O Hospital “Abelardo Santos” está funcionando provisoriamente na Trav. Itaboraí, 110, entre rua Siqueira Mendes e Manoel Barata, em Icoaraci. Telefone: 3204-2800. O Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, Batista Campos. Mais informações pelo serviço Alô Hemopa (0800 280 8118). O serviço funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 19h. A coleta é feita de segunda a quinta-feira, das 7h às 17h, e às sextas-feiras, das 7h às 12h.


Helder Ribeiro
Hospital Regional Abelardo Santos

terça-feira, 19 de maio de 2015

Hemopa recebe apoio de candidata à miss na doação de sangue

A doação de sangue é um ato voluntário, anônimo e altruísta. O candidato deve agir estimulado pela vontade de ajudar, buscando a satisfação pessoal. Instituições, empresas, grupos da sociedade civil e pessoas físicas, têm a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) como alvo de ações sociais com apoio à causa da doação. É o caso de Soraia Abreu, 25, mestranda em Geologia e Geoquímica, que escolheu levantar a bandeira da doação de sangue ao participar do Miss Mundo Pará, concurso que alia beleza e reponsabilidade social.
Como parte de sua participação no evento, a concorrente criou a campanha “Ame o Próximo Como a Si Mesmo”, para incentivar a doação sangue e o cadastro de doadores de medula óssea. Ela esteve na sede da fundação, com cartazes da campanha, onde fez fotos com outros voluntários presentes e pediu apoio à candidatura, que se estende à sua rede social (Facebook/Soraia Abreu).
Representante do município de Capanema, nordeste do Estado, a jovem realizou sua primeira doação em 2010, no Hemocentro Regional de Marabá. “Sempre via campanhas na TV pedindo a nossa colaboração. Então um dia resolvi ajudar. Pra mim é natural apoiar esse gesto solidário. A doação tem o valor de muitas vidas. É tão grandioso poder dar saúde para outras pessoas, principalmente porque não existe outra forma de se obter o sangue, se não for pela nossa consciência em doar e ajudar o próximo”, comenta.
Para a Gerente de Captação de Doadores do hemocentro, Juciara Farias, a iniciativa da candidata é muito bem vinda e vem ao encontro do trabalho da instituição. “A doação sangue é uma responsabilidade de todos. Em nossas ações diárias, buscamos formar parcerias e criar nas novas gerações essa mentalidade. Quanto mais pessoas inseridas no processo, multiplicando nossa missão, mais chances temos de ganhar voluntários para causa e salvar muitas vidas”.
Com o slogan “Beleza com propósito”, o concurso Miss Mundo Pará incentiva 20 candidatas de clubes e agremiações de Belém e do interior do Pará, a abraçarem uma causa social. O certame será realizado no próximo dia 21 de maio, na sede campestre da Assembleia Paraense, em Belém, e tem o apoio das Organizações Rômulo Maiorana.
Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, nº 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados até as 17h.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Parceria com a Marinha do Brasil e a sociedade eleva doações de sangue


Somente em dois dias de campanha de doação de sangue em parceria com a Marinha do Brasil, através do Comando do 4° Distrito Naval (C4°DN), foram encaminhados à sede da Fundação Hemopa, em Belém, 746 militares, em celebração aos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo. A ação prossegue até hoje, segunda-feira, 18, com a meta de 1.500 coletas.
A campanha está colaborando decisivamente para o restabelecimento do estoque estratégico da instituição, que somando ao comparecimento de civis, nos dias 13 e 14, resultou em 1.303 voluntários que apresentaram-se para doar sangue. Até às 15h dessa sexta-feira, 15, foram registrados 247 candidatos à doação.
Para a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, as parcerias configuram um ponto muito positivo para a Fundação Hemopa, a partir do momento que repercute em vidas. “Hoje comemoramos com a Marinha do Brasil esta ação voluntária, a doação de sangue. Temos aqui, a participação de centenas de militares que vieram prestar colaboração inserida num contexto de responsabilidade social, não somente servindo a pátria, mas com o dever cívico que todos nós devemos ter com esta causa”, observou.
A parceria entre as duas instituições já acontece há alguns anos. Por isso, Juciara Farias agradece e parabeniza pela sensibilidade e, acima de tudo, pela responsabilidade do comando do 4°DN, representado pelo Vice Almirante Edlander Santos pela iniciativa como forma de colaboração com a saúde da população do Estado do Pará.
Doando sangue pela primeira vez em Belém, o comandante Julio Cezar de Andrade Rocha, 52, do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), mostrou-se satisfeito com a campanha. ‘’Ver o empenho de todos na Marinha e no Hemopa é gratificante. Esta é a ação mais significativa para o povo paraense dentro dos eventos que fazem parte das comemorações dos 150 anos da Batalha do Riachuelo’’, comenta, revelando que começou a doar ainda muito jovem, quando servia em sua cidade, no Rio de Janeiro. “Agora vou ser doador de carteirinha em Belém’’, garante.
Para o III sargento da Marinha, Augusto da Costa Amaral, 32, todo cidadão deveria ter a consciência de ajudar ao próximo. “Nós como doadores, sentimos uma satisfação imensa em ajudar esta causa. Este é um ato de cidadania”, disse o militar que atua no Hospital Naval.
Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.


Serviço: A Fundação Hemopa fica na Trav. Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280-8118.

domingo, 17 de maio de 2015

Hemopa recebe colaboração de campanhas internas de doação de sangue

A Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Pará (Hemopa) recebeu neste sábado, 16, três campanha internas e um grupo da Igreja de Jesus Cristo do Últimos Dias que procurou o hemocentro para planejar uma ação para o mês de julho. As três campanhas internas foram promovidas pelo Projeto Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7° Dia, Igreja Presbiteriana de Belém em comemoração pelos seus 79 anos no Brasil e pelos acadêmicos do curso de Direito da UFPA. As ações ocorreram paralelamente à campanha da Marinha do Brasil em comemoração aos 150 anos da batalha do Riachuelo, que se encerra na próximq segunda-feira, 18.

‘’O projeto Vida por Vidas promove a doação de sangue durante todo o ano. Cada distrito tem seu período específico de doação. Jesus Cristo deu seu sangue por nós e nós, inspirados Nele, doamos vida ao próximo’’, explica o diácono da Igreja Adventista do 7° dia no bairro do Bengui e doador de sangue desde 1978, José Cristo Garcia dos Santos, 56. José conta que a primeira doação que fez foi destinada ao pai, que passaria por uma cirurgia. ‘’Me pai precisou e eu não pensei duas vezes. Na época eu era militar no exército e desde o dia que doei não parei mais. Todo ano doo pelo menos duas vezes’’, conta.

Luize Cristina de Oliveira Alves, 18, acadêmica do 3° período de Direito e diretora de Direitos Humanos e Movimentos Sociais no Centro Acadêmico de Direito Edson Luiz, da UFPA, explica que a diretoria aborda propostas de defesa social e comunitária e que a promoção da doação de sangue é um dos assuntos inseridos na agenda do centro.  ‘’Por ser um ponto essencial da manutenção da saúde pública, nos mobilizamos para captar alunos e professores da universidade e conscientizá-los sobre a importância das doações de sangue. Esta é a primeira campanha do ano. Temos a intenção de promover mais uma entre setembro e outubro‘’, explica.


A universitária Laís Guimarães Lameira, 20, da Igreja Presbiteriana de Belém, doou sangue pela primeira vez e aproveitou para se cadastrar como doadora de medula óssea. A acadêmica conta que sempre teve vontade de tornar-se doadora, mas que era impedida pelos critérios básicos de peso e idade. ‘’Como estudante de medicina, conheço o cenário da necessidade das doações de sangue e a importância deste gesto. Antes da doação eu estava nervosa, mas agora vejo que não há o que temer. Tudo é muito tranquilo, explica.

Para dar auxilio ao estoque de sangue do Hemopa durante o mês de julho, que historicamente sofre queda pela evasão de doadores devido as férias escolares, representantes de cinco ‘’estacas’’ do grupo Mãos que Ajudam, da Igreja de Jesus Cristo dos últimos Dias, vieram ao hemocentro planejar uma campanha para o período junto a Gerência de Captação de Doadores (GECAD). ‘’Escolhemos o mês de julho porque as doações de sangue costumam diminuir e a demanda aumentar. Podemos ajudar e viemos buscar informações de como fazer isso da melhor forma possível.’’, explica John Jorge Sousa Góes, 28, representante da estaca do bairro da Cabanagem.


As campanhas internas feitas por parceiros do Hemopa são fundamentais. É o que explica Nazaré Veríssimo, assistente social da GECAD. ‘’As ações estratégicas junto aos nossos parceiros nos dão resultados positivos. Elas nos ajudam a sustentar o estoque de sangue que atende a sociedade. Somos muito gratos por isso’’, agradece.

Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados até as 17h.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Bolsas coletadas no primeiro dia de campanha da Marinha vão atender mais de 1.800 pacientes

O segundo dia da campanha de doação de sangue em parceria com a Marinha do Brasil, em comemoração pelos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo, na sede do hemocentro em Belém, registrou o comparecimento de 524 doadores e de 373 coletas efetivadas. A ação prossegue nos dias 15 e 18, com o propósito de alcançar a marca de 1.360 doações voluntárias de sangue.
Somados aos 111 comparecimentos e 88 coletas efetivadas na unidade de coleta Hemopa Castanheira, localizada no térreo da passarela Pórtico Metrópole, a Fundação Hemopa comemora o total de 635 adesões voluntárias e 461 bolsas de sangue coletadas, superando tanto a média de comparecimento (em 114%) como de coletas efetivadas (em 103%), respectivamente, da semana passada. O resultado deve-se sobretudo à campanha dos militares e à colaboração de doadores civis. O total de coletas pode atender até 1.844 pacientes.
O fuzileiro naval Nazareno de Jesus Ferreira de Almeida, 42, foi um dos militares que atendeu à mobilização da Marinha e veio doar sangue nesta quarta-feira, 14. Ele ressaltou a importância e a dimensão da campanha. “Fazia algum tempo que não doava sangue por falta de tempo, mas agora estou de volta e pretendo vir mais vezes para exercitar a cidadania e a solidariedade, afinal, se podemos, porque não colaborar com quem precisa?”
Olivar Gomes Lisboa Júnior, 33, também atendeu a convocação e ajudou a reforçar o estoque do hemocentro. “É uma atividade diferente. Faz com que a gente saia um pouco da rotina militar e ainda ajude a salvar vidas”, comenta, sugerindo a continuidade da campanha. “Todos deveriam fazer isso sempre que possível”.
Bastante entusiasmado com a movimentação da campanha, o capitão tenente Luciano Ferreira dos Santos, 34, do grupamento de Fuzileiros Navais de Belé, classificou a iniciativa como uma excelente oportunidade de aproximar as forças militares da sociedade. “Estamos unindo nosso passado e celebrando o futuro com a doação de sangue, cumprindo a missão de salvar vidas, que é um das nossas prerrogativas”, comparou.
O médico diretor do Hospital da Marinha e capitão-de-mar-e-guerra Vicente Garcia Ramos, 52, há 26 anos na Marinha, conta que a meta mínima da campanha foi estipulada em 700 doações, mas que até sexta-feira a expectativa é de alcançar aproximadamente 1.500 doações. ‘’Todos os envolvidos estão motivados com a ação. E com o sucesso desta campanha, certamente outras virão’’, disse.
No Baixo Amazonas, o Hemocentro Regional de Santarém também recebe a campanha, e somente na última quarta-feira recebeu 42 doações de militares da Marinha lotados na cidade.
Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados até as 17h.

quinta-feira, 14 de maio de 2015


Bolsas coletadas no primeiro dia de campanha da Marinha vão atender mais de 1.800 pacientes

O segundo dia da campanha de doação de sangue em parceria com a Marinha do Brasil, em comemoração pelos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo, na sede do hemocentro em Belém, registrou o comparecimento de 524 doadores e de 373 coletas efetivadas. A ação prossegue nos dias 15 e 18, com o propósito de alcançar a marca de 1.360 doações voluntárias de sangue.

Somados aos 111 comparecimentos e 88 coletas efetivadas na unidade de coleta Hemopa Castanheira, localizada no térreo da passarela Pórtico Metrópole, a Fundação Hemopa comemora o total de 635 adesões voluntárias e 461 bolsas de sangue coletadas, superando tanto a média de comparecimento (em 114%) como de coletas efetivadas (em 103%), respectivamente, da semana passada. O resultado deve-se sobretudo à campanha dos militares e à colaboração de doadores civis. O total de coletas pode atender até 1.844 pacientes.

O fuzileiro naval Nazareno de Jesus Ferreira de Almeida, 42, foi um dos militares que atendeu à mobilização da Marinha e veio doar sangue nesta quarta-feira, 14. Ele ressaltou a importância e a dimensão da campanha. “Fazia algum tempo que não doava sangue por falta de tempo, mas agora estou de volta e pretendo vir mais vezes para exercitar a cidadania e a solidariedade, afinal, se podemos, porque não colaborar com quem precisa?”

Olivar Gomes Lisboa Júnior, 33, também atendeu a convocação e ajudou a reforçar o estoque do hemocentro. “É uma atividade diferente. Faz com que a gente saia um pouco da rotina militar e ainda ajude a salvar vidas”, comenta, sugerindo a continuidade da campanha. “Todos deveriam fazer isso sempre que possível”.

Bastante entusiasmado com a movimentação da campanha, o capitão tenente Luciano Ferreira dos Santos, 34, do grupamento de Fuzileiros Navais de Belé, classificou a iniciativa como uma excelente oportunidade de aproximar as forças militares da sociedade. “Estamos unindo nosso passado e celebrando o futuro com a doação de sangue, cumprindo a missão de salvar vidas, que é um das nossas prerrogativas”, comparou.

O médico diretor do Hospital da Marinha e capitão-de-mar-e-guerra Vicente Garcia Ramos, 52, há 26 anos na Marinha, conta que a meta mínima da campanha foi estipulada em 700 doações, mas que até sexta-feira a expectativa é de alcançar aproximadamente 1.500 doações. ‘’Todos os envolvidos estão motivados com a ação. E com o sucesso desta campanha, certamente outras virão’’, disse.

No Baixo Amazonas, o Hemocentro Regional de Santarém também recebe a campanha, e somente na última quarta-feira recebeu 42 doações de militares da Marinha lotados na cidade.

Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados até as 17h.

Alunos de curso do Evandro Chagas visitam o Hemopa

27 alunos do curso técnico em Análises Clínicas e Laboratoriais, do Instituto Evandro Chagas (IEC), fizeram visita técnica à Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), nesta quinta-feira (14). A ação está inserida nas aulas práticas do segundo módulo do curso, voltado ao estudo da Hematologia e objetiva trazer para os estudantes a atuação do profissional de patologia em um hemocentro.
O grupo foi recebido pelo coordenador de Laboratório, Maurício Koury, que repassou aos alunos, informações sobre ciclo do sangue, atendimento ambulatorial prestado pelo Hemopa, doação voluntária de sangue e cadastro de doadores de medula óssea. “A atividade serve como extensão. Um complemento para o conteúdo visto em sala de aula, tanto nos cursos técnicos como nos superiores”, comenta. A visita incluiu também hemotur aos laboratórios da fundação.
Segundo Andrea Silvestre Lobão Costa, analista de Gestão em Pesquisa e Investigação Genética do IEC e professora da turma, o curso visa a formação de profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS) e do público em geral. “O conteúdo ministrado no módulo de Hematologia, é uma das áreas onde o Hemopa é referência no Estado. Trazer os alunos aqui é uma grande oportunidade para aumentar a visão deles com relação ao futuro quando já estiverem na área”, afirma.
“Essa visita aumentou minha identificação com a Hematologia. Vou fazer um curso superior na área de saúde e continuar em pesquisa”, declarou a aluna Fabrícia Maria Rosário Silva, 21. Ela disse ainda que desconhecia alguns assuntos abordados e ficou interessada em fazer o cadastro de doadores de medula óssea. “Gostaria de poder doar sangue também, mas no momento não tenho o peso necessário”, lamenta.
O curso tem duração de um ano e ainda pretende agendar vistas técnicas à Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará e Hospital Ophir Loyola.
Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto e estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.

A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e faz coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao shopping Castanheira, na BR-316, e funciona no mesmo horário. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118. 

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Marinha do Brasil mobiliza militares voluntários para a doação de sangue


O primeiro dia de campanha de doação de sangue em parceria com a Marinha do Brasil, nesta quarta-feira, 13, mexeu com a rotina da sede da Fundação Hemopa, em Belém, que recebeu cerca de 400 voluntários militares, em comemoração pelos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo. Realizada em âmbito nacional, no Pará a mobilização está sendo conduzida pelo Comando do IV Distrito Naval e a meta é de 1.360 doações, nos dias 14, 15 e 18. Até o início da tarde de hoje já haviam sido registrados 428 comparecimentos.
Na área frontal do prédio do hemocentro foram armadas tendas para acolher parte dos voluntários, para recepção de doadores, sala de espera da coleta, sala de coleta e lanche. A mobilização da Marinha do Brasil busca restaurar o estoque de sangue do hemocentro, que em março sofreu uma queda de 50% no número de comparecimentos, em função do intenso período chuvoso. A redução chegou a interferir no atendimento transfusional.
A presidente do Hemopa, Ana Suely Leite Saraiva, agradeceu a iniciativa dos militares, por intermédio do comando do IV Distrito Naval. “Em nome de todos os servidores do Hemopa quero parabenizar a Marinha do Brasil não apenas por essa data, que é significativa para a força, mas principalmente por eleger a doação de sangue para celebrar os 150 anos da Batalha do Riachuelo. Desde a sua formação, a Marinha cumpre a missão de salvar vidas".
Para o vice-almirante Edlander Santos, comandante do 4° Distrito Naval, a escolha da campanha para marcar a data magna foi muito apropriada. “Nada melhor que doar sangue para comemorar essa que foi a passagem mais importante para a Marinha do Brasil. Para nós a doação, mais do que um gesto de solidariedade, é motivo de muito orgulho e um exemplo para a sociedade”.
O estudante do 3º ano do curso de Engenharia Náutica, do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (Ciaba), Arthur Cândido Apollaro Rêgo, 21, destacou a importância da doação voluntária pela solidariedade que o ato em si comporta. Esse é um tipo de ação que encoraja aqueles que ainda não sabem como funciona a doação de sangue, estimulando essa prática”.
“Pretendo voltar para fazer outras doações”, prometeu Cristian Vitor Azevedo da Silva, 21, aluno do 1º ano do curso de formação do Ciaba, que doou sangue pela primeira vez nesta quarta-feira. “É muito gratificante. Me sinto muito feliz em poder ajudar”, afirma.
Batalha Naval do Riachuelo
A Marinha do Brasil (MB) comemora anualmente, no dia 11 de junho, o Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo – Data Magna da Força, marco na história do Brasil no contexto da Guerra da Tríplice Aliança. Em 11 de junho de 1865, o Brasil obteve uma vitória decisiva, quando centenas de marinheiros deram suas vidas para garantir a soberania brasileira.
O 150º Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo será comemorado em Belém com uma vasta programação aberta ao público. Haverá exposição de trabalhos e maquetes navais na Estação das Docas, desfile e visitas a navios, corrida rústica, regata, mostra de artes, ações cívico-sociais, apresentações da Banda de Música dos Fuzileiros Navais e muito mais.
Critérios – Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto, e deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Trav. Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Campanha de doação do Hemopa pelo dia Das Mães supera meta

A campanha “Mãe Coruja Doa Sangue”, organizada nos dias 8 e 9 pela Fundação Hemopa em comemoração pelo Dia das Mães, conseguiu a adesão de 772 doadores voluntários. Somando os atendimentos feitos na sede do hemocentro e na Estação de Coleta Hemopa Castanheira, foram coletadas 629 bolsas de sangue, com a expressiva participação de mulheres, muitas delas pela primeira vez. O resultado superou em mais de 200%a meta estipulada, que era de 100 doações por dia.
Lilian Bouth, assistente social da Gerência de Captação de Doadores, destaca a participação das parcerias, com a formação de grandes grupos de voluntários que foram decisivos para o êxito da campanha. “Não podemos deixar de mencioná-los. São vínculos antigos que contribuem em muito para a causa da doação voluntária de sangue. As mulheres também atenderam ao nosso chamado, o que aumenta a porcentagem de participação do segmento feminino na doação”, comenta.
Membro do grupo social Força Jovem, da Igreja Universal do Reino de Deus, que compareceu com aproximadamente 80 voluntários, o autônomo Ruan Welliston Ribeiro de Souza, 25, doou sangue pela terceira vez. Ele lembra até hoje as doações de sangue que amigos da congregação destinaram a sua irmã quando ela teve complicações no parto. ‘’Minha irmã perdeu muito sangue. Prontamente meus amigos da Força Jovem vieram ao Hemopa para doar a quantidade que ela precisava. Foram essas doações que salvaram a vida dela".
Doadora de sangue há oito anos, Danievelyn de Paula Tavares Vianna Oliveira faz parte do grupo de voluntários Instituto Áster, que em parceria com o Grupo de Ouro Nacional, Doe Um Brinquedo, Solidariedade e Alegria e Doadores de Sorriso, promoveram uma mobilização pelas redes sociais com objetivo de conseguir o máximo de adesões para a campanha ‘’Mãe coruja doa sangue’’.
Danievelyn recorda que a primeira doação de sangue foi feita um mês antes de engravidar, em uma campanha externa na faculdade Estácio/FAP. ‘’A unidade móvel do Hemopa estava na frente da faculdade onde eu estudava, então aproveitei para doar. Neste dia, Belém passava por uma greve dos rodoviários, e me lembro que após a doação tive que voltar andando para casa. O detalhe é que eu moro a vários quarteirões de lá. Não senti a distância, tamanha era a minha felicidade por saber que eu ajudaria alguém’’, recorda.
Cleideleia Teixeira dos Santos, 32, fez a sua quarta doação de sangue na estação de Coleta Hemopa Castanheira. Acompanhada do filho de cinco anos, a técnica em Enfermagem relembrou a primeira doação que fez. “Sempre tive curiosidade, mas tinha medo. Depois que venci, não parei mais. Sei que existem muitas pessoas precisando e faço o que posso para ajudar o próximo”, afirmou.
No shopping Castanheira, o Hemopa montou um estande com dois técnicos da Gecad, que prestaram orientação aos freqüentadores, sobre a doação voluntária de sangue e o cadastro de doadores de medula óssea.
As doadoras também entregaram vidros com tampas rosqueadas para o Banco de Leite Materno da Santa Casa e tiveram peças de roupas customizadas por alunos do curso de Design de Moda, da Faculdade Estácio de Sá. Por conta do Dia das Mães, as colaboradoras participaram de um café da manhã especial ofertado com o apoio das Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa) e de um sorteio de brindes doados por instituições parceiras. A programação contou, ainda, com orientação em saúde da mulher, serviços de beleza (podologia, massagem, maquiagem, chapinha, escova e sobrancelha) e apresentação do Coral do Hemopa e de alunos da Fundação Carlos Gomes.
A campanha teve o apoio da Escola Técnica de Enfermagem DNA, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Associação Agentes da Comunidade, Grupo de Mulheres Luluzinhas, Igreja Adventista - Projeto Vidas por vidas, A Partilha, Casa da Mulher Municipal, Mary Kay, Carinho do Pé, Ceasa, Projeto Mãos que Ajudam, Santa Casa de Misericórdia do Pará, Nawt-Life, Estácio/FAP, Fundação Carlos Gomes, Doceria Abelhuda e Tramontina.
Quem pode doar sangue
Qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 quilos. É necessário portar documento de identidade original e com foto e estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.

A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e faz coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao shopping Castanheira, na BR-316, e funciona no mesmo horário. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.