segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Hemopa recebeu doações de vários grupos de voluntários neste sábado

A Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Pará (Hemopa) celebra seus 37 anos de fundação completados este mês e o Dia Nacional do Voluntariado, comemorado na última sexta-feira, 28, junto com alguns colaboradores, por meio de ações da campanha “Agosto Vermelho”. Na manhã de sábado, 29, antigos e novos parceiros compareceram ao hemocentro em apoio à mesma, que já contabiliza mais de 5.200 comparecimentos e cerca de 3.800 coletas.
Segundo a gerente de Captação de Doadores, Juciara Farias, o hemocentro recebeu representantes de vários segmentos da sociedade: esportistas, comunidades, empresas e grupos voluntariados que foram exercer o ato solidário, com o único objetivo de ajudar centenas de pacientes da rede hospitalar do Estado que precisam de transfusão. “No Pará temos 60 mil doadores cadastrados, nesse momento aproveitamos para agradecer o gesto individual e/ou coletivo desses voluntários anônimos que doam o seu tempo, sua solidariedade e seu sangue para quem precisa”, observou Juciara Farias, ao agradecer a participação dos voluntariados.
A técnica em saúde e segurança do trabalho Lidice Souto, 29, é doadora desde 2012. Ela coordena o grupo Laboratório Clínico Sabin e ajuda a mobilizar e esclarecer dúvidas dos candidatos. “A importância da conscientização das pessoas em prol da solidariedade para salvar vidas é fundamental para que cada um faça a sua parte”, destaca. A campanha ''Sangue Corinthiano'' registrou 100 comparecimentos de torcedores do Sport Club Corinthians Paulista, que vieram reafirmar a parceria junto ao Hemopa.
O autônomo Ney Furtado, 39, participa do movimento “Juntos Somos Mais Fortes”, que é composto por membros da comunidade de Quatro Bocas, em Tomé Açu, nordeste do Estado. Ele é um dos organizadores da “Campanha em Prol das Crianças com Câncer”, parceiro do Instituto Áster que também marcou presença no hemocentro. O grupo realiza ações de responsabilidade social, e veio em um ônibus que trouxe 45 pessoas até a capital para aderir a campanha “Agosto Vermelho” e fazer suas doações. “Nós ajudamos de coração, a ação é independente e voluntária. Acreditamos que devemos ajudar ao próximo sem esperar nada em troca. É isso que representa a doação pra gente”, explica.
A empregada doméstica Cremilda Pereira da Silva, 41, se juntou à campanha do grupo Juntos Somos Mais Fortes do qual sua irmã faz parte. Ela realizou sua primeira doação neste sábado. “Está sendo muito bom, estou me sentindo feliz em dar este presente a todos que precisam e que vamos conseguir ajudar”, disse.
A coleta externa no Colégio Madre Celeste contou com mais de 100 candidatos a doação. Além disso, integrantes do projeto Vidas Por Vidas da Igreja Adventista do Sétimo Dia também contribuíram. E nos dias 31.08, 1° e 4.09 as ações continuam, com campanha da Marinha do Brasil que até o momento contabiliza quase 300 comparecimentos.
A “Agosto Vermelho” já tem os seguintes parceiros: Projeto Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7° Dia; grupo Atletas Solidários, times do Remo e do Paysandu; grupo de voluntários Trupe Palhaços Curativos; Tribunal de Justiça do Estado do Pará(TJPA) Tribunal de Contas do Estado (TCE); Assembleia Legislativa do Estado do Pará; secretarias de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Planejamento (Seplan) e Comunicação (Secom); Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa); organização social Pará 2000; Banco da Amazônia; Movimento Vem Pará Rua; Polícia Federal; Marinha do Brasil/ 4° Distrito Naval; Comando Aéreo Regional (I Comar)/ Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Belém; Centro de Instrução Comandante Braz de Aguiar (Ciaba); Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; Hospital de Clínicas Gaspar Vianna; shoppings Castanheira, Boulevard e Pátio Belém; time de futebol americano Búfalo Belém; agência de publicidade CA Comunicação; e Xingu Futebol Americano.
Para doar sangue é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos – desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos –, pesar no mínimo 50 quilos, estar alimentado e descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas) e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial. Menores de 18 anos doam apenas com autorização do responsável. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Voluntariado marca presença no Hemopa

Nesta sexta-feira, 28, comemora-se o Dia Nacional do Voluntariado. Um levantamento feito pelo Instituto Datafolha com 2.024 brasileiros de 135 municípios, no ano passado, revelou que apenas 11% da população desenvolvem algum trabalho voluntário. Por outro lado, a maioria dos entrevistados (58%) se disse um pouco ou muito disposta a realizar atividades voluntárias, entre elas a doação de sangue, que foi a resposta de 22% dos pesquisados.
“Captar voluntários para doação de sangue é uma responsabilidade que deve ser compartilhada com toda a sociedade e o caminho se dá através da educação em saúde”, comenta Juciara Farias, titular da Gerência de Captação de Doadores da Fundação Hemopa. Para ela, o paraense de forma geral é bastante solidário, e um bom conhecedor do real movimento de compartilhar com o próximo ao fazer uma doação de sangue.
É nesse perfil que se enquadra a jovem Isadora Lourenço, 21. Estudante e professora de Teatro, há quatro meses ela fundou e coordena a Trupe dos Palhaços Curativos, grupo que reúne 19 voluntários com diversas formações. “Visitamos as crianças do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna duas vezes por semana, levando jogos, brincadeira e mensagens de otimismo. Isso é muito recompensador, pois de alguma forma o tempo que passamos lá nos engrandece e eu acredito que transforme a vida dos pequenos”, afirma.
Além do tempo que dedica ao hospital, Isadora ainda incluiu outra atividade voluntária aos seus afazeres, a doação de sangue. “Envolvida com pacientes do hospital, via a necessidade deles por doações. Resolvi vir à sede do hemocentro e realizar a minha primeira. Gosto de pensar que com este pequeno gesto vou ajudar as crianças e outras pessoas que precisem”, declara a jovem.
No Brasil, seis em cada dez doadores (59,52%) são voluntários (ou espontâneos, aqueles que doam com frequência sem se importar com quem vai receber o sangue), proporção inferior à de Cuba (100% são voluntários), Nicarágua (100%), Colômbia (84,38%) e Costa Rica (65,74%), de acordo com estudo da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), órgão da OMS (Organização Mundial de Saúde) no continente americano.
Ainda assim, em termos gerais, somente 1,8% da população brasileira entre 16 e 69 anos doam sangue - a ONU considera "ideal" uma taxa entre 3% a 5%, caso do Japão, dos Estados Unidos e de outras nações desenvolvidas.
Juciara Farias faz questão de destacar que a educação é a base de sustentação do trabalho de captação de doadores voluntários. “O envolvimento responsável de todos acontece a partir da comunicação, promoção e mobilização de diversos segmentos. Torná-los fidelizados e de repetição depende de ações estratégicas de valorização desse anônimo, que vão desde o envio de um simples cartão de aniversário até o bom acolhimento por parte dos nossos servidores. As estratégias devem oferecer o conhecimento para o doador de qual o seu real papel e sua contribuição no contexto da saúde”, assegura.
Quem pratica trabalhos voluntários, apontou a sensação de bem estar e utilidade (51%) como gratificação, então anote as dicas abaixo e transforme a realidade ao seu redor:
Convoque. Pessoas que atuam ou já atuaram podem convidar amigos, parentes e colegas de trabalho a conhecer as atividades voluntárias e se engajar nelas.
Forme redes. Igrejas e templos, segundo pesquisas, são hoje a principal fonte de informações sobre a atuação voluntária.
Publique. Depois das instituições religiosas, a internet é o meio mais procurado para obter informações sobre ações voluntárias. Utilize as redes sociais para postar suas atividades e chamar os amigos para participar.
Propague a cultura da solidariedade. Se a sensação de ajudar o próximo é a principal motivação do brasileiro para se voluntariar, uma forma de estimular o engajamento é mostrar como pequenos gestos podem ajudar grandes causas.
Quem pode doar sangue - Candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos, e peso acima de 50 kg. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsáveis legais. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, recomenda-se uma boa alimentação antes da doação. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, e funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Hemopa recebe militares da Marinha e funcionários da Assembleia Legislativa



A sede da Fundação Hemopa recebeu nesta segunda-feira (24) doadores de sangue do 4° Distrito Naval, da Marinha do Brasil, que enviou ao hemocentro 116 militares da Escola de Formação dos Fuzileiros Navais de Belém. Outros 68 voluntários devem doar sangue nesta tarde, em campanha que prossegue nos dias 25, 27, 28 e 31 de agosto e 1º e 4 de setembro, contando, diariamente, com cerca de 150 voluntários de várias unidades da Marinha.
A ação faz parte ao apoio à campanha Agosto Vermelho, promovida pelo Hemopa, desde o início deste mês, em comemoração alusiva aos 37 anos do hemocentro, visando restaurar o estoque estratégico para atender satisfatoriamente a demanda transfusional da rede hospitalar. A mobilização vem ganhando adesões de órgãos públicos e privados e aumentando as bolsas coletadas.
O soldado da Marinha Leonan Franklin Martins, 20, começou doar há cerca de um ano, quando um familiar precisou de sangue. “Eu me sinto ótimo em ajudar, até porque meu pai é hemofílico e paciente do Hemopa, por isso minha família toda doa, sabemos o quanto é importante”, disse. O militar João Vitor Santos, 19, fez a quinta doação. Nesta segunda, além da doação voluntária de sangue, o soldado também fez o cadastro para doação de medula óssea. “A campanha é uma excelente iniciativa, pois ajuda a aumentar o estoque e salvar vidas”, frisou.
Lançada no início deste mês, a campanha Agosto Vermelho já tem os seguintes parceiros: Projeto Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7° Dia; grupo Atletas Solidários, times do Remo e do Paysandu; grupo de voluntários Trupe Palhaços Curativos; Tribunal de Contas do Estado (TCE); Assembleia Legislativa; secretarias de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Planejamento (Seplan) e Comunicação (Secom); Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa); organização social Pará 2000; Banco da Amazônia; Movimento Vem Pará Rua; Polícia Federal; Marinha do Brasil/ 4° Distrito Naval; Comando Aéreo Regional (I Comar)/ Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Belém; Centro de Instrução Comandante Braz de Aguiar (Ciaba); Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; Hospital de Clínicas Gaspar Vianna; shoppings Castanheira, Boulevard e Pátio Belém; time de futebol americano Búfalo Belém; agência de publicidade  CA Comunicação; e comunidade do município de Tomé-Açu.
Para doar sangue é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos – desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos –, pesar no mínimo 50 quilos, estar alimentado e descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas) e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial. Menores de 18 anos doam apenas com autorização do responsável. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três.
A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118.
Mobilização – No dia nacional do voluntário, celebrado na sexta-feira (28), os assessores da Assembleia Legislativa do Estado fazem o lançamento oficial da campanha “Assessores Sangue Bom”, que pretende incentivar a doação de sangue e medula óssea no Estado a partir da união de diversos setores. A coleta será nos dias 27 e 28, no horário de 7h30 às 18h, na sede do Hemopa.
“A questão da doação de sangue precisa ser valorizada e principalmente difundida entre todas as camadas da sociedade. Nós, enquanto cidadãos de bem, precisamos exercer esse tipo de solidariedade e sensibilizar aos outros que pratiquem também. Essas ações são válidas para a construção de um mundo melhor e para exercê-las basta ter boa vontade”, comentou Silvio Garrido, um dos assessores envolvidos com a mobilização da campanha.
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, destaca a importância da campanha Agosto Vermelho e da mobilização do grupo da Assembleia Legislativa. “A Fundação Hemopa, prioritariamente, vive das parcerias e tem como missão a disponibilidade de sangue com qualidade e quantidade para atender as demandas que recebe”, diz, explicando que o banco de sangue se mantém a partir de iniciativas como a dos assessores da Alepa. “Desejamos que essa campanha sirva como uma formadora de opinião para que outras instituições tenham a mesma iniciativa”. A bolsa de sangue de cada voluntário apresentado pode atender até quatro pessoas.
Uma das doadoras da campanha de assessores, Débora Mariane Fernandes, 33 anos, chefa de Gabinete do deputado Sidney Rosa, é doadora desde os 18. “Sou doadora há mais de 15 anos, de sangue e de medula. Sei bem da importância da doação, que pode proporcionar esperança a uma família. O sangue humano também é insubstituível”, afirma.
Qualquer voluntário que comparecer ao Hemopa pode também fazer o cadastro para a doação de medula óssea. Basta ter entre 18 e 55 anos e se cadastrar no hemocentro. “A pessoa doa a intenção”, ressalta Juciara Farias. “Se um dia aquela pessoa que tem a intenção for compatível com um paciente, o Instituto Nacional do Câncer entra em contato para, então, fazer a doação da medula óssea”, explica. (Colaborou Silvia Leão, da Ascom Casa Civil).

sábado, 22 de agosto de 2015

Parceria com a Marinha do Brasil reforça Agosto Vermelho do Hemopa

Dentro da programação da campanha Agosto Vermelho, a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) realizou neste sábado, 22, coleta externa de sangue em parceria com a Marinha do Brasil. A ação com os militares, envolveu mais de 120 alunos do Centro de Instrução Comandante Braz de Aguiar (Ciaba) e segue nos dias 24, 25, 27, 28 e 31/8 e 1º e 4/9, quando diariamente, 150 voluntários de várias unidades da Marinha virão à sede do hemocentro.
A atividade estratégica faz parte da segunda etapa de doações em comemoração pelos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo, comemorados dia 13 de maio. Com a participação de quase 1800 voluntários, a campanha organizada em quatro dias do mês de maio, tornou-se a maior ação interna já registrada na sede da Fundação Hemopa.
Juciara Farias, gerente de Captação de Doadores do Hemopa, diz que a associação com a Marinha do Brasil e com outras instituições militares é de fundamental importância para o restabelecimento do estoque do banco de sangue. “A campanha de hoje com o Ciaba, mais uma vez superou a meta e tenho certeza que na próxima semana termos aqui um grande número de comparecimentos. A Marinha sempre está conosco em nossos eventos e com o Agosto Vermelho não poderia ser diferente. È sempre bom poder contar com essa iniciativa e a responsabilidade social deles”, destaca.
Recifense, morando há mais de um ano em Belém, a estudante do primeiro ano do curso de formação do Ciaba, Ana Cecília Félix Barbosa, 19, realizou sua quinta doação de sangue. “Comecei a doar em Recife, quando um amigo da minha mãe precisou, desde lá não parei mais. Considero o gesto muito importante, pois um dia posso precisar. Se mais pessoas doassem, não teríamos tantos problemas com a baixa de estoque”, afirmou.
O também aluno do primeiro ano, Ian Felipe Lisboa da Costa, 21, sempre doou em ações do Ciaba. “Essa é minha segunda doação. Nada melhor do que ajudar a salvar a vida do próximo, ainda mais quando a instituição a qual você pertence, estimula e apóia”, assegurou.
Este sábado também registrou a presença na sede da Fundação, dos integrantes do Projeto Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7° Dia; do grupo Atletas Solidários que comemorou um ano de ações, de colaboradores da companhia aérea Gol; dos componentes da torcida bicolor Alma Celeste e do grupo de voluntários Trupe Palhaços Curativos.
Para este mês, estão agendadas ainda campanhas internas na sede do hemocentro, com servidores do Tribunal de Contas do Estado (TCE), na quarta-feira, 26; e integrantes da torcida Sangue Corinthiano, no próximo dia 29.
O “Agosto Vermelho” conta com o apoio das secretarias de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Planejamento (Seplan) e Comunicação (Secom); Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa); organização social Pará 2000; Movimento Vem Pará Rua; Polícia Federal; I Comando Aéreo Regional (I Comar)/ Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Belém (Binfae-BE); Projeto Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7° Dia; Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; Hospital de Clínicas Gaspar Vianna; dos shoppings Castanheira, Boulevard e Pátio Belém; do time de futebol americano Búfalo Belém, além agência de publicidade  CA Comunicação.
Para doar sangue é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos – desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos –, pesar no mínimo 50 quilos, estar alimentado e descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas) e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial. Menores de idade doam apenas com autorização do responsável. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Remo e Paysandu entram campo com camisas vermelhas em apoio ao Agosto Vermelho


Os jogadores de duas expressões do futebol paraense, Clube do Remo e Paysandu Sport Clube, entrarão em campo neste sábado, 22 e domingo, 23, em Paragominas e Rio de Janeiro, respectivamente, em jogos válidos pelas séries D e B do Campeonato Brasileiro de Futebol, com camisas vermelhas em apoio à doação voluntária de sangue. Trata-se de mais uma iniciativa dos times dentro da programação da campanha Agosto Vermelho, organizada pela Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) para comemorar seus 37 anos e aumentar o número de doações, equilibrando o estoque de sangue do hemocentro. 
O RexPA solidário, que incentiva a doção entre torcedores, já teve outras edições sempre com expressiva participação de voluntários. Até o momento, foi registrado um total aproximado de 230 comparecimentos de azulinos e bicolores. A adesão ao Agosto Vermelho teve início nas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), onde os avatares do perfil de cada time ganhou a tonalidade avermelhada e mensagens com as hashtags #AgostoVermelho, AgostoVermelhoAzulino e #AgostoVermelhoBicolor, para incentivar torcedores a vestirem a camisa e doar sangue.
“Sabemos da grande necessidade que as pessoas tem. Por isso, abraçamos a causa a ponto de mudar a cor do nosso escudo pela primeira vez”, afirma Fábio Bentes, diretor de Marketing do Remo. Ele diz ainda que o grande alcance que as duas equipes tem junto a seus torcedores, dá maior visibilidade à iniciativa e incentiva mais pessoas. “São clubes de massa com muitos torcedores. È importantíssimo que todos os clubes tenham essa consciência e colaborem”.
Atendendo ao apelo do clube, a torcedora do Leão de Antônio Baena, a estudante Geisa Nayane de Oliveira Vilhena, 24, fez sua quarta doação. “Meu pai e um irmão são doadores e sempre tive vontade de doar. Quando completei 18 anos, foi a primeira coisa que fiz”. Ao ver a campanha no jornal, a azulina resolveu dar sua contribuição. “Acho lindo esse apoio que os times dão a um gesto tão importante”, comemora.
O auxiliar administrativo Lucas Ferreira da Silva, 22, torce pelo Papão da Curuzu e estimulado pelo time do coração, realizou sua primeira doação. “Tenho algum amigos que doam e sempre tive vontade. Hoje, uni o útil ao agradável, pois doei para ajudar o filho de uma amiga. Foi muito tranqüilo e rápido. Vou voltar outras vezes. Ações com essa, devem ser constantes”, opina.
A gerente de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, ressalta que a estratégia dos times é válida, pois sensibiliza e estimula potenciais doadores. “Ao entrar de camisa vermelha em campo, os clubes paraenses, formam opinião e fazem com que a sociedade reflita sobre a doação de sangue”. Ela destaca que a ação voluntária de responsabilidade social, repercute de forma favorável e é determinante para a manutenção do suprimento seguro do estoque de sangue. “Aqui a rivalidade ganha outro tom e se transforma em solidariedade. Esperamos que mais torcedores compareçam e colaborem como das outras vezes”, conclui.
Desde o início do mês até o dia 19, 3105 voluntários compareceram na sede, em Batista Campos e na unidade de coleta Hemopa Castanheira, na BR-316, que resultaram em 2395 coletas. O hemocentro também tem feito campanhas externas, em que as instituições dispõem de espaço adequado para o procedimento, garantindo segurança e condições favoráveis para o doador. Neste sábado, 22, haverá coleta no Centro de Formação Comandante Braz de Aguiar (Ciaba) com 100 estudantes, já no Hemopa, 20 integrantes do Projeto Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7° Dia, deverão doar sangue a partir das 8h.
As campanhas internas na sede do hemocentro seguem com as ações do Tribunal de Contas do Estado (TCE), na quarta-feira, 26; do IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, nos dias 24, 25, 27, 28 e 31/8 e 1º e 4/9; e da torcida Sangue Corinthiano, no dia 29 de agosto.
O “Agosto Vermelho” conta com o apoio das secretarias de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Planejamento (Seplan) e Comunicação (Secom); Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa); organização social Pará 2000; Movimento Vem Pará Rua; Polícia Federal; I Comando Aéreo Regional (I Comar)/ Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Belém (Binfae-BE); Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; Hospital de Clínicas Gaspar Vianna; dos shoppings Castanheira, Boulevard e Pátio Belém; do time de futebol americano Búfalo Belém, além agência de publicidade  CA Comunicação.
Para doar sangue é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos – desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos –, pesar no mínimo 50 quilos, estar alimentado e descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas) e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial. Menores de idade doam apenas com autorização do responsável. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Campanhas incentivam doações de sangue no Hemopa

Instituições públicas e a sociedade em geral se mobilizam para promover campanhas internas de doação na sede do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Pará (Hemopa) a partir desta sexta-feira, 21. Servidores da Polícia Federal promoverão a campanha “I Operação Salve Vidas”, que contará também com a colaboração de familiares e amigos. Paralela a campanha dos policiais, ocorrerá ainda a ação da equipe de futebol americano “Belém Búfalos”. Essas iniciativas visam incentivar a população a tornar-se doadora de sangue e dar suporte ao estoque do hemocentro durante a campanha Agosto Vermelho.
O agente administrativo lotado no setor de recursos humanos da Polícia Federal, Dênis Aragão, explica que a campanha tem o intuito de formar uma aliança entre o órgão e a sociedade em benefício do atendimento da demanda transfusional do banco de sangue paraense.
Com a expectativa da participação de mais de 20 doadores, o “Belém Búfalos” inseriu em seu cronograma de ações de responsabilidade social, a mobilização de atletas, familiares e amigos a aderir à campanha e colaborar com a atualização do banco de sangue. Tiago Sousa, membro da equipe, destaca que o time não é apenas uma equipe de futebol, mas, também, um grupo de apoio às causas sociais.
A gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias agradece e parabeniza o apoio ao “Agosto Vermelho” para elevar não apenas o número de coletas no Estado, como também, estimular a fidelização desse ato solidário. “A Fundação Hemopa é grata a todos os parceiros que aderiram à campanha, através de iniciativas que nos apoiam com doações de sangue e conscientização da população em geral”, ressaltou.
Cronograma de campanhas internas
Dando prosseguimento ao cronograma de campanhas internas na sede do hemocentro, serão realizadas as seguintes ações: Vida por Vidas, da Igreja Adventista do 7° Dia, neste sábado, 22; Tribunal de Contas do Estado (TCE), na próxima quarta-feira, 26; IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, nos dias 24, 25, 27, 28 e 31/8 e 1º e 4/9; e Sangue Corinthiano, no dia 29 de agosto.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos. Unidade de Coleta Hemopa Castanheira: Passarela Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Hemopa participa de jornada Pan Amazônica de hemoterapia e hematologia


Com sintomas de anemia, alteração renal, circulação sanguínea mais lenta e aumento do cálcio no sangue, facilidade de desenvolver infecções  de repetição, além do comprometimento ósseo, o mieloma múltiplo é um tipo de câncer que  tem sua maior incidência em grupos de pessoas idosas, do sexo masculino e da cor negra, sendo classificada, atualmente, como a segunda neoplasia hematológica mais comum. Esse e outros temas das áreas da hemoterapia e hematologia serão tratados durante a Jornada Pan-Amazônica, que será promovida pela Associação Brasileira de Hemoterapia e Hematologia (ABHH), dias 21 e 22, no Crowne Plaza, em Belém, que reunirá profissionais, acadêmicos e especialistas do Brasil.
Parte integrante de palestrantes, a hematologista e hematerapêuta, Ana Virgina Van Den Berg, que também faz parte do conselho da ABHH, o mieloma múltiplo é um câncer caracterizado pela proliferação de plasmócitos anômalos (células B) na medula óssea ou tecidos, que produzem proteínas anormais, lesões ósseas e anemia.  Essa doença corresponde a 1% das doenças malignas e 10% das neoplasias hematológicas.
Segundo ela, o mieloma tornou-se doença crônica com expectativa de evolução para controle no futuro. “Nos últimos 10 anos houve melhora de 50% na sobrevida global destes pacientes, devido ao tratamento com novas drogas, que foram associadas as que já eram utilizadas”, explicou, informando que a anemia pode ser controlada ainda com possibilidade de transplante de medula óssea para alguns pacientes, associado ao suporte de medicações.
Atualmente, os pacientes são encaminhados ao hematologista e a outros especialistas, incluindo ortopedistas, reumatologistas, neurologistas e nefrologistas e com acompanhamento em conjunto, ainda com colaboração de outras áreas como a fisioterapia, psicologia e enfermagem; embora incurável, o mieloma tornou-se doença crônica com expectativa de evolução para controle no futuro.
A Fundação é referência no Estado para avaliação hematológica de casos suspeitos da doença, para o diagnóstico preciso da patologia, através de equipe multiprofissional capacitada e disposição de tecnologia de alta precisão.
O hemocentro paraense está apoiando a jornada Pan Amazônica, inclusive com atuação de profissionais palestrantes. As pré-inscrições para o evento foram encerradas. No entanto, as inscrições podem ser feitas nesta sexta-feira, 21, no local do evento, a partir das 8h. Durante os dois dias do encontro, os participantes debaterão sobre os vários aspectos, entre eles, destacamos, anemias, doenças hemorrágicas, como hemofilia e trombopatias, são os destaques da programação de hematologia. Além de mesa-redonda sobre LLA e uma mini-conferência sobre a doença de Gaucher.  Na programação de hemoterapia, serão abordados aspectos gerais da hemorrede nacional, transfusão baseada em evidências, leucorredução, reações transfusionais, zika vírus e chikungunya, atual situação e perspectivas futuras do NAT, terapia celular e outros temas relevantes para revisão e atualização dos especialistas da região norte do País. Mais informações: www.panamazonico.com.br

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Hemopa funciona normalmente para coleta de sangue no feriado deste sábado

A Fundação Hemopa funcionará normalmente para coleta de sangue neste sábado (15), feriado da Adesão do Pará à Independência do Brasil. Em Belém, as doações podem ser feitas na sede do hemocentro, em Batista Campos, e na Unidade Hemopa Castanheira, na BR 316, km 1. A manutenção do horário do serviço deu-se em função da necessidade de reforçar o estoque estratégico, cuja necessidade maior é com os tipos O e A Positivos.
Com a campanha “Agosto vermelho”, desde o início deste mês, o Hemopa convoca a população potencialmente doadora e instituições parceiras para incrementar as coletas de sangue encaminhando voluntários. “A mobilização envolve o apoio de todas as esferas e a sociedade civil organizada. Também ressaltamos a importância da colaboração das doações de familiares e parentes de pacientes internados na rede hospitalar. A responsabilidade é de cada um”, diz a gerente de captação de doadores, Juciara Farias.
Desde o dia 1º até o dia 12, foram registrados 2.599 comparecimentos na sede e na unidade de coleta na BR-316, que resultaram em 2.020 coletas. O hemocentro também tem feito campanhas externas, em que as instituições dispõem de espaço adequado para o procedimento, garantindo segurança e condições favoráveis para o doador.
Até o momento, firmaram parceria com o “Agosto Vermelho” as secretarias de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Planejamento (Seplan) e Comunicação (Secom); Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa); organização social Pará 2000; Movimento Vem Pará Rua; Polícia Federal; torcedores do Corinthians; I Comando Aéreo Regional (I Comar)/ Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Belém (Binfae-BE); Marinha do Brasil/ 4° Distrito Naval; e Centro de Formação Almirante Braz de Aguiar. Sinalizaram interesse ainda a Santa Casa de Misericórdia e o Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, os shoppings Castanheira, Boulevard e Pátio Belém, além da agência CA Comunicação.
Com a parceria de mais um campeonato da doação de sangue entre os times do Remo e do Paysandu, que mobilizam as torcidas pelas redes sociais, a ação estratégica ganhou mais um fôlego e a expectativa de elevar o número de coletas, até o fim do mês.
Leonardo Augusto Trindade Miranda, 21, é doador há mais de três anos. Ele começou a doar quando viu uma matéria na TV falando da queda no estoque de sangue. “Hoje vim aqui porque vi nas redes sociais um pedido da diretoria do Paysandu, que aderiu à campanha Agosto Vermelho e solicitou que viéssemos. É uma ação importante, pois além de mostrar a força do time no Estado, ajuda a quem precisa do sangue para viver”, afirma o torcedor. Na próxima segunda-feira (17), o Hemopa vai divulgar a primeira parcial de comparecimentos dos torcedores de ambos os times.
Para doar sangue é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos – desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos –, pesar no mínimo 50 quilos, estar alimentado e descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas) e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial. Menores de idade doam apenas com autorização do responsável. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Hemopa mobiliza grupos para doação de sangue pela campanha Agosto Vermelho

Lançada no início do mês, para comemorar os 37 anos da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) e ajudar a equilibrar o estoque estratégico do hemocentro, a campanha Agosto Vermelho vem mobilizando vários grupos para a doação voluntária de sangue. As ações ocorrem desde o último dia 5 e prosseguem até o dia 31, num total de dez campanhas internas, na sede do Hemopa, no bairro Batista Campos, em Belém.
A secretarias de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) e do Planejamento (Seplan) se comprometeram a enviar grupos de servidores voluntários o mês inteiro, bem como a Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), cujo setor de serviço social cadastra voluntários e estimula os funcionários a usarem vermelho em apoio à campanha.
No próximo sábado (8), 20 candidatos do Movimento Vem Pará Rua farão doações; já no dia 18, será a vez de 20 funcionários da organização social Pará 2000; e dia 19, dos integrantes da Guarda de Nossa Senhora de Nazaré. A Polícia Federal comparecerá dia 21, com 20 servidores, e 50 torcedores do Corinthians participarão da campanha Sangue Corinthiano, no dia 29.
Nesta quinta-feira (6), numa parceria com o I Comando Aéreo Regional (I Comar), o Hemopa recebeu um grupo de 30 militares do Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Belém (Binfae-BE). Geovane Silva Ferreira, 18, fez a quarta doação. Ele contou que foi estimulado nas forças armadas e se tornou doador frequente. “Doo sangue a cada dois meses. É um gesto importante para que possamos coletar cada vez mais bolsas. Hoje muitas pessoas precisam, e um dia posso precisar. Então se tenho boa saúde, devo doar para que não falte”, disse.
Doando sangue pela primeira vez, Lottar Matheus Assunção Queiroz, 20, afirmou que a iniciativa do quartel beneficia quem precisa de sangue para viver. “Vir aqui para salvar vidas é muito bom. A partir dessa doação vou me tornar um doador frequente e ajudar mais pessoas”, assegurou.
Para a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, a adesão dos grupos ao Agosto Vermelho é de suma importância. “Isso mostra o quanto a sociedade está engajada na causa e interessada em ajudar o próximo. Entendemos que a doação voluntária de sangue é uma responsabilidade compartilhada e deve ser tratada com uma questão de saúde pública”, enfatizou.
Para doar sangue é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos – desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos –, pesar no mínimo 50 quilos, estar alimentado e descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas) e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial. Menores de idade doam apenas com autorização do responsável. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118.



segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Campanha Agosto Vermelho comemora os 37 anos do Hemopa

A iluminação de cor vermelha lançada sobre a fachada da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) marca, de forma simbólica, os 37 anos do hemocentro, comemorados neste domingo, 2, e sinaliza o início da campanha Agosto Vermelho. A ação estratégica se estenderá por todo o mês, com o objetivo de estimular a doação voluntária de sangue no Pará por meio da adesão de instituições públicas, privadas e da sociedade em geral, com o intuito de restaurar o estoque do banco de sangue, que enfrentou queda no número de coletas por todo o veraneio.
Parte de um movimento nacional, onde cada hemocentro integrante da hemorrede brasileira desenvolve ações de acordo com suas peculiaridades regionais, o Agosto Vermelho partilha o enfrentamento do mesmo problema: a preocupação com a manutenção de suprimento seguro de sangue para atendimento integral da demanda transfusional do País, em quantidade e qualidade, tendo em vista o crescimento de alguns serviços como a realização de transplantes, cirurgias de alta complexidade e expansão da rede hospitalar, que aumentam a demanda por bolsas de sangue coletadas e distribuídas.
A presidente da Fundação Hemopa, Ana Suely Saraiva, informa que o hemocentro paraense é um das referências na área hematológica no Brasil. “Fazer parte de um grupo tão seleto como este revela a excelência dos serviços oferecidos aos usuários, além de mostrar o esforço coletivo e o talento de profissionais comprometidos com a qualidade e segurança da saúde pública. Buscamos sempre envolver a sociedade e instituições em nossas atividades para levarmos os nossos avanços ao maior número de pessoas possível, compartilhando a responsabilidade com a doação de sangue”, afirma.
A ação já conta com a parceria do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (HCGV), Tribunal de Justiça do Estado (TJE-PA), Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, Castanheira Shopping Center, Shopping Pátio Belém, Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), Organização Social Pará 2000 - administradora da Estação das Docas, Mangal das Garças e Hangar Convenções e Feiras da Amazônia -, Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), responsável pela produção do spot e VT da campanha, e diversos veículos de comunicação da capital. O evento tem ainda o suporte nas redes sociais do Hemopa nos seguintes endereços: fundacaohemopa1/facebook, @HEMOPA_PA, @fundacaohemopa.
Para aderir à campanha “Agosto Vermelho”, as instituições parceiras comprometem-se com o engajamento à causa iluminando também a fachada de seus prédios-sede e de monumentos públicos na cor vermelha, além de outras iniciativas pertinentes, entre elas o encaminhamento de servidores à doação voluntária de sangue.
Em Belém, o candidato à doação pode se dirigir à sede da Fundação Hemopa, na Travessa Padre Eutíquio, nº 2.109, em Batista Campos, ou à Unidade de Coleta Hemopa Castanheira, no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao shopping Castanheira, no Km 1 da BR-316. Para doar basta fazer um cadastro e passar na triagem clínica. Os critérios exigidos são: ter entre 16 e 69 anos (para candidatos com idade entre 16 e 17 anos é preciso comparecer com os pais ou responsável legal), pesar a partir de 50 quilos e estar bem de saúde e alimentado. Não é possível fazer doação em jejum e é impreterível apresentar documento de identificação original e com foto.

Serviço: O Hemopa funciona para coleta de sangue de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118 ou pelo e-mail: captacao@hemopa.pa.gov.br.