quarta-feira, 30 de março de 2016

Hemopa volta a convocar doadores da região metropolitana de Belém

Para aumentar o estoque de sangue, a Fundação Hemopa vem novamente convocar os doadores de sangue para comparecerem na Unidade Castanheira e exercerem o gesto de solidariedade ao próximo. Em especial, os moradores de Ananindeua, Marituba e Icoaraci, na região metropolitana de Belém. Somente na semana passada, entre os dias 21 e 26, foi registrado o comparecimento de 338 voluntários, resultando em 271 coletas, número considerado abaixo da capacidade de atendimento.
De acordo com a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, na sede do Hemocentro são 90 mil doadores cadastrados oriundos de Ananindeua. E mais, na RMB são cerca de 700 mil habitantes. “Não vamos esquecer que na área da RMB há muitos hospitais de média e alta complexidade que dependem do abastecimento do Hemopa para atendimento da demanda transfusional”, destacou a profissional.
Em 2015, a inauguração da Unidade de Coleta Castanheira descentralizou o serviço, que até então era oferecido somente na sede do Hemocentro, no bairro da Batista Campos. De acordo com a assistente social, no primeiro trimestre deste ano, a Unidade Castanheira contabilizou 3.886 coletas, que foi responsável pelo atendimento de aproximadamente 1.600 pacientes. “A expectativa é que no próximo trimestre esses números dupliquem em consequência das campanhas ostensivas direcionadas ao município de Ananindeua e entorno”, observou a técnica.
Uma das beneficiadas por esta ação é a doadora Maria Maiane Magalhães, 19, moradora de Ananindeua. “É importante ter essa unidade próxima a minha casa para contemplar as pessoas que moram mais distantes do centro da capital e querem doar sangue, mas não tem tempo e nem condições de financiar um transporte para ir até a sede”, observou a usuária.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três meses. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, Batista Campos e a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1) e realizam coletas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Alô Hemopa: 0800 280 8118.
(com informações de Melissa Barra)
Pâmela Assunção
Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará

segunda-feira, 28 de março de 2016

Hemopa recebe voluntários da campanha que mobiliza torcedores de times

A Fundação Hemopa segue em parceria com a Cultura Rede de Comunicação (Funtelpa) na campanha Doadores Futebol Clube, que tem como objetivo elevar o estoque estratégico de sangue em Belém e no interior, tendo em vista a queda de 40% no número de doações. Desde o lançamento da ação, no último dia 6, na final do primeiro turno do Campeonato Paraense de Futebol, já foi registrado um significativo comparecimento de voluntários das torcidas de Remo e Paysandu.
Para participar, o candidato à doação deve procurar o hemocentro mais próximo e, no cadastro, confirmar que quer participar da campanha. É então gerado um código que dá o direito de concorrer ao sorteio de camisa autografada do time de coração, todas sexta-feira, até o fim do campeonato. Além de receber o brinde, o voluntário também estará presenteando alguém que esteja precisando de doação.
A campanha se entende para as unidades da hemorrede estadual, composta por três Hemocentros Regionais (Marabá, Santarém e Castanhal, polos que coordenam o serviço de hemoterapia nas respectivas regiões) e cinco Hemonúcleos (Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema). A mobilização engloba todos os times do Pará, unidos em prol do ato solidário que é a doação de sangue.
Em Capanema, nordeste paraense, o servidor público Nelilson Portela Gonçalves, 34, em companhia de amigos que fazem parte do grupo “RexPa dos Amigos”, aderiu à campanha com o intuito ajudar a filha de uma amiga e incentivar o ato solidário entre a população do município. Doador desde 2012, Nelilson disse que a doação de sangue é um gesto de responsabilidade de cada cidadão. “São atos simples, que tomam pouco tempo do nosso dia e podem significar a garantia de uma vida inteira para quem está esperando uma transfusão”, ressaltou.
Em virtude do baixo estoque de sangue e do feriado prolongado da Páscoa, o Hemopa funciona nesta quinta-feira (24) de 7h30 às 17h, mas não abre na sexta (25). No sábado (26), o expediente será normal, no mesmo horário. O serviço de coleta nas unidades do interior funcionou até quarta (23), retornando normalmente no dia 28, porém o atendimento transfusional à rede hospitalar é ininterrupto.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três meses. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Alô Hemopa: 0800-2808118.
Cassandra Gaby
Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará

quarta-feira, 23 de março de 2016

Hemopa aguarda novas doações no feriado prolongado da Páscoa

Com capacidade de atendimento transfusional de apenas 60%, a Fundação Hemopa vai funcionar durante o feriado prolongado da Páscoa. A Unidade de Coleta do Castanheira e a sede do Hemopa abrem de segunda a quarta-feira, das 7h30 às 18h; na quinta-feira (24), das 7h30 às 17h; no sábado (26), das 7h30 às 17h. O serviço de coleta nas unidades do interior será até quarta-feira (23), retornando normalmente na segunda-feira (28). No entanto, o serviço de atendimento transfusional à rede hospitalar é ininterrupto. Somente na sexta-feira (25), o expediente será facultado.
A gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, convoca a população potencialmente doadora para exercitar o voluntariado. “Doe sangue antes de sair da capital ou nas localidades que têm posto de coleta de sangue. Comemore a Páscoa salvando vidas, doando sangue. Isso significa o renascimento de muitas pessoas que dependem desse gesto para sobreviver”, observou. O hemocentro está presente em Castanhal, Marabá, Santarém, Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção e Capanema.
Juciara Farias informa que neste sábado de Páscoa a sede do hemocentro receberá novamente os voluntários do grupo “Juntos Somos Fortes”, de Tomé-Açu/Quatro Bocas (PA), que está promovendo campanha nos sábados de março. “As parcerias são de fundamental importância para o êxito de nossas ações que beneficiam diretamente os usuários do serviço”, ressaltou, contando com o voluntariado da doação de sangue no feriado prolongado da Páscoa.
Quem pode doar: Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três meses. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Trav. Padre Eutíquio, 2.109, Batista Campos e a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1) e realizam coletas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Alô Hemopa: 0800 280 8118.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Hemopa capacita servidores para receber usuários surdos


No período de 14 a 18 deste mês, a Fundação Hemopa, em parceria com a Escola de Governança Pública do Estado (EGPA), ofereceu um curso básico de Língua Brasileira de Sinais (Libras) para 40 funcionários das áreas técnica e administrativa da instituição. O curso de 20h foi ministrado pela professora Ana Rute Braga, com o objetivo de capacitar os servidores que atuam no atendimento direto ou indireto aos usuários surdos.
Segundo a diretora técnica do hemocentro esta capacitação é uma conquista para a Fundação em resposta uma demanda que já existia e graças ao empenho da equipe em parceria com outros órgãos do governo do estado foi possível realizar nesta gestão. A médica ainda acrescenta que “esse é apenas o início, pois a ideia é dar continuidade a esta capacitação para aprofundar os conhecimentos com estes servidores que participaram desta primeira turma e capacitar os demais funcionários para melhor atender ao público surdo”, disse.
A professora da EGPA Ana Rute Braga observa que o curso visa realizar a inclusão do surdo na sociedade. “Este é um momento importante em que o Hemopa pratica com um olhar diferenciado e adquire atributos metodológicos funcionais para trabalhar também por meio dos sinais”, analisa a pedagoga.
A capacitação ainda contou com a participação da professora Ana Cristina que é surda, porém como recebeu atendimento fonoaudiólogo desde criança consegue se comunicar oralmente. “É muito bom poder usar as duas línguas, é importante para mim pessoalmente e para minha profissão. Acredito que durante esta semana conseguimos sensibilizar aos funcionários da instituição para dar acesso e incluir esse público, quebrando todas as barreiras de comunicação”, ressalta.
Ao final do curso os servidores receberam das mãos dos diretores os certificados. “Eu acho que desenvolver esta habilidade é fundamental”, frisou a técnica de enfermagem Sandra Martins, 45.
A servidora do Hemopa Graça Tanisue, 35, explica está feliz em ter participado deste momento e conseguido suprir as expectativas dos servidores. “O curso foi ótimo e vem contribuir para o desenvolvimento do conhecimento voltado para o atendimento dos usuários surdos, pois como sempre precisamos de mais doadores não podemos excluir nenhum tipo de público”, lembrou a psicóloga que sempre quis aprender a Língua e agora pretende se aperfeiçoar para atender esta demanda.
Quem pode doar: Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, bairro de Batista Campos, e conta ainda com a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, que funciona no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1). Em ambos os locais as coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa (0800 280 8118)

quarta-feira, 16 de março de 2016

Parcerias continuam colaborando com o número de coletas de sangue no Hemopa

Na primeira quinzena de março, a Fundação Hemopa registrou o comparecimento de 3.622 voluntários, o que representou um total de 2.787 coletas. Boa parte desse comparecimento deu-se em função das parcerias com instituições públicas e privadas que elevam o estoque do banco de sangue do Hemopa.
No último final de semana, por exemplo, a Fundação Hemopa recebeu diversos grupos de voluntários, dentre eles o grupo “Juntos Somos Fortes”, de Tomé-Açu/Quatro Bocas (PA), e a caravana de pais, professores e alunos da Escola Estadual Manahim, que superou a meta de 100 coletas com um saldo final de 145 doações.
A titular da Gerência de Captação de Doadores, Juciara Farias, comemora o intenso movimento do último sábado (12) e, ao mesmo tempo, convida novos doadores para comparecerem ao Hemopa. “Queremos estimular essa cultura do voluntariado para que possamos atender com qualidade as demandas transfusionais do Estado”, disse, ressaltando que a necessidade é ininterrupta, principalmente nesta época do ano em que os casos de doenças e as chuvas aumentam consideravelmente.
De acordo com a empresária Claudia Carimã, uma das líderes do grupo “Juntos Somos Fortes”, que mantém parceria com o hemocentro desde 2013, essa mobilização solidária teve início há dois anos para ajudar uma criança da cidade. "São dois anos de engajamento nesse trabalho. Então de três em três meses eu arrecado dinheiro com amigos para contratar transporte e lanche para viagem e, assim, trazer esse grupo de amigos até o Hemopa para doar sangue, doar esperança e salvar vidas”, explica. Em média, 60 pessoas participam da ação. Elas também são orientadas a efetivar o cadastro para doação de medula óssea.
Sem esconder a satisfação de participar da campanha, a coordenadora da Escola Municipal Manahim, Rose Messias fala da emoção de poder salvar vidas com a doação de sangue: “É sempre bom nos colocar no lugar das pessoas, ter consciência  que muitos precisam de nós e plantar a semente da solidariedade em cada aluno, em cada pai de aluno, é algo indescritível”.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três meses. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, Batista Campos e a Estação de Coleta Hemopa-Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1) e realizam coletas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Alô Hemopa: 0800 280 8118.

segunda-feira, 14 de março de 2016

Hospital de Marabá promove campanha de doação de sangue

De 14 a 18 deste mês o Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em parceria com a Fundação Hemopa de Marabá, promoverá a 27ª Campanha de Doação Voluntária de Sangue. As coletas serão feitas nas duas instituições. O sangue é um tecido conjuntivo produzido pela medula óssea essencial ao funcionamento do corpo humano e para o qual ainda não existe nenhum substituto. Uma única doação pode salvar até quatro adultos ou oito crianças. 
Segundo o Ministério da Saúde (MS), cerca de 1,9% da população brasileira doa sangue regularmente, quando o ideal seria entre 3% e 5%, de acordo com o que preconiza a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Pará, o índice é de 2,1%, considerado ainda baixo diante da necessidade transfusional na hemorrede estadual.
O processo da doação é simples, indolor e não traz riscos a quem doa. Para ser um doador é preciso ter entre 16 e 69 anos, estar bem alimentado e em boas condições de saúde, pesar no mínimo 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto, como carteira de identidade ou habilitação de motorista. Doadores com menos de 18 anos precisam da autorização dos pais.
Desde 2010, o colaborador Romerson Oliveira, de 25 anos, participa das campanhas do HRSP pelo menos duas vezes por ano. Ele conta que dessa forma contribui de forma positiva para o bem estar de outras pessoas. “Aos 12 anos eu fraturei o fêmur e perdi muito sangue. Precisei fazer uma cirurgia, mas não fiz de imediato porque não havia bolsa de sangue disponível. Foi então que decidi que seria um doador, mas, naquela época, eu não tinha peso nem idade. Agora participo sempre que posso e estimulo meus amigos a serem doadores também. Vi que muitos deles precisavam apenas da informação correta para se decidir porque há muitos mitos em torno da doação”, comenta. 
Segundo a hemoterapeuta e coordenadora da Agência Transfusional do HRSP, Socorro Leão, os principais mitos são de que doar sangue vicia, emagrece ou engorda, causa anemia e transmite doenças. “Esses mitos têm sido reduzidos ao longo do tempo por meio de campanhas educativas junto à comunidade, promovidas pelos hemocentros e diversos parceiros”, afirma a médica. 
Postos de coleta: 
Hemopa Marabá
Período: de 14 a 18 de março
Horário: 7h30 às 12h30
Endereço: Rod. Transamazônica, quadra 12, s/n
Hospital Regional de Marabá
Dia 15 de março
Hora: 8h às 17h
Endereço: Rodovia PA 150, s/n, próximo à rodoviária do Km 6

Hemopa supera meta de doações em Belém na campanha do Dia da Mulher


Mais de 900 coletas de sangue foram realizadas pela Fundação Hemopa em Belém, durante três dias da campanha “Mulher: Beleza e Força que doa Sangue”, alusiva ao Dia Internacional da Mulher. A campanha está sendo realizada em toda a hemorrede estadual, em datas diferentes. Na capital, a ação foi encerrada na última terça-feira (8) com quase 1.200 candidatos à doação voluntária de sangue. As doações de mulheres representaram 56% do total de bolsas coletadas, o que ajudou a superar em 150% a meta inicial de 200 coletas por dia, estabelecida pelo hemocentro.
As unidades de Capanema (no nordeste do estado), Marabá (no sudeste) e Redenção (no sul) – este último com a coleta até esta sexta-feira (11) – atingiram o objetivo de elevar o número de doações, a fim de restabelecer o estoque estratégico de sangue, que sofreu uma redução de 40% no início de ano devido ao período chuvoso e à incidência de vários tipos de viroses, o que afasta o doador dos hemocentros.
“O Hemopa agradece aos diversos segmentos sociais e às inúmeras iniciativas individuais e coletivas de doadores durante este período de campanha. A participação em mais de 50% das doadoras voluntárias nesta ação repercute o nosso trabalho de captação e sensibilização deste público, que comparado ao segmento masculino ainda é menor. Mas esperamos, muito em breve, seguir o exemplo de outros âmbitos e igualar esse número de doação de sangue”, ressaltou Juciara Farias, gerente de Captação de Doadores da Fundação.
Parcerias - Um dos parceiros das ações promovidas pela Fundação Hemopa é a Marinha do Brasil. Segundo o capitão Jorge Medeiros, que esteve na sede da Fundação, o Comando do IV Distrito Naval “ficou bastante sensibilizado, e assim que fizemos contato a participação foi super espontânea. Nós chegamos a 279 doadores, uma participação expressiva, e a Marinha se sente bastante feliz em participar desse evento”.
A representante da Guarda Municipal de Belém, Katia Regina Santos Teixeira, ressaltou que “em primeiro lugar vêm a solidariedade e o amor ao próximo”. De acordo com Katia Teixeira, integrante de outra instituição parceira da campanha, “a doação de sangue é muito importante, pois estão sempre precisando, e com este gesto simples, e a ajuda de todos, podemos manter o estoque estável”.
Manter vidas - A estudante pernambucana Bruna Mirela de Freitas Rodrigues, 24 anos, que reside em Belém há oito anos, vai à Fundação Hemopa regularmente para receber sangue. Uma das beneficiadas pelas doações, ela ressaltou a necessidade da doação voluntária para manter a vida de milhares de pessoas. “Eu faço transfusão a cada 21 dias. Então, pra mim, a doação é extremamente importante para o tratamento que faço no momento”, reiterou.
Bruna também parabenizou cada doadora de sangue, e desejou “que elas possam sempre ajudar aqueles que precisam muito de sangue”.
Doações - Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três meses. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, Bairro Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, KM-01). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800-2808118.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Campanha do dia da mulher garante mais de 700 coletas de sangue no Hemopa

O Hemopa promoveu nos dias 5, 7 e 8 campanha alusiva ao Dia Internacional da Mulher, com o tema “Mulher: beleza e força que doa sangue”. Até o meio-dia desta terça-feira (8), foram contabilizadas 701 coletas e 1.010 comparecimentos na sede e na unidade do Castanheira. A ação tem como objetivo elevar o estoque técnico de sangue e é destinado, preferencialmente, à população feminina potencialmente doadora no Pará, que atualmente é de 33%, na faixa etária de 16 a 69 anos.
O objetivo é suprir o estoque para atender a demanda transfusional de mais de 200 hospitais do Estado. A campanha segue, até sexta-feira (11), nas unidades de Marabá, Santarém, Castanhal, Altamira, Capanema, Redenção, Abaetetuba e Tucuruí. Entre os parceiros estão: Força Sindical da Mulher; Escola Técnica DNA; projeto Mãos que Ajudam, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias; projeto Vidas por Vidas, da Igreja Adventista; torcedoras do clube do Remo Azulindas; Escola Mais Enfermagem; Faculdade Maurício de Nassau; Associação Lady’s Táxi; Empresa de Correios; Comando de Missões Especiais da Polícia Militar; Corpo de Bombeiros do Pará; Instituto Federal do Pará (IFPA); Marinha do Brasil; Guarda Municipal de Belém; Escola Técnica de Enfermagem Albert Einstein; Fundação Carlos Gomes; Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Instituto Unidos pelo Pará.
Em toda hemorrede foram organizadas atividades voltadas às mulheres, com apresentações musicais, oferta de serviços de beleza, oficina de customização de camisetas, ilustrações de caricaturas, lanche especial, distribuição de preservativos e brindes e palestras educativas. Também foi servido café da manhã para as servidoras.
“Os parceiros atuantes em prol da doação de sangue foram fundamentais para o sucesso da maior campanha destinada ao público feminino já feita neste hemocentro. A ação mobiliza a população, principalmente as mulheres, que quando abraçam uma causa como esta fazem toda a diferença, principalmente em se tratando deste período de chuvas, que reflete prejudicialmente em nossos estoques”, diz a presidente do Hemopa, Ana Suely Leite Saraiva.
O diretor adjunto dos Correios, Edson Coutinho, falou da parceria entre as instituições. “O Hemopa é um grande parceiro dos Correios. Nesta campanha podemos mostrar o segmento feminino. Muitos dos nossos funcionários são mulheres e agentes multiplicadores. Os Correios estão de portas abertas para que possamos participar de muitas outras ações como esta e salvar vidas junto à Fundação Hemopa”, afirmou.
Uma simples atitude muda a rotina das pessoas, diz Maria Elisa Sousa, 44 anos, consultora da Racco, um dos parceiros da campanha do Hemopa Capanema, que fez a primeira doação. “Era um sonho que eu tinha, e hoje graças a elas, mulheres corajosas que me incentivaram, agora eu também posso dizer que sou uma doadora de sangue e vou continuar ajudando a salvar vidas”, ressaltou.
A tenente Flávia Vidal, da Marinha do Brasil, mora em Belém e é doadora há cerca de dois anos. Ela conta que participou da campanha no ano passado, e isso só a motivou ainda mais a voltar este ano. “Quando fiquei grávida de meu filho caçula, a gravidez foi de risco. Ao nascer ele precisou de sangue. Depois dessa experiência procurei o Hemopa para fazer a minha doação, pois eu queria retribuir de alguma forma para outras pessoas que também passam por situações como esta”, explicou.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três meses. Para fazer o cadastro de doadores de medula óssea, o candidato deve estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1). As coletas são de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Alô Hemopa: 0800-2808118.

terça-feira, 8 de março de 2016

Operação garante segurança durante a final do 1º turno do Parazão


Remo e Paysandu se enfrentaram pela 734º vez em sua história e a batalha esportiva, ocorrida neste domingo, 6, no estádio Jornalista Edgar Proença (Mangueirão) para decidir a final do primeiro turno do Parazão e a conquista da taça Cidade de Belém. O campeão da partida foi o Paysandu, que após o empate no tempo normal, conseguiu a vitória nos pênaltis com um placar de 4 a 1. 
Para garantir a segurança desta festa antes, durante e depois da partida, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) garantiu um planejamento envolvendo a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).
Também participam da organização do trânsito e fiscalização nas dependências do estádio a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), Secretaria Municipal de Economia (Secon), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Ministério Público Estadual, Federação Paraense de Futebol, Consórcio BRT e representantes dos clubes.
A partida contou com um público pagante de 15.584 pessoas e uma renda total de R$ 350.265,00. Dentro e fora do Mangueirão, o policiamento contou com cerca de 1100 homens da Polícia Militar para garantir a segurança dos torcedores. A operação também se estendeu para os bairros próximos.
“Nós dividimos o policiamento em três fases. Estivemos desde às 8 horas da manhã em todas as áreas do estádio. A segunda fase do policiamento ocorreu durante o jogo e a terceira após o jogo, com a evacuação e acompanhamento dos torcedores, além do acompanhamento das atribuições de outros órgãos que necessitem do nosso apoio”, explica o major Sidney Profeta.
As tropas foram espalhadas ao longo dos principais trajetos utilizados pelos torcedores, desde São Braz até Icoaraci e também em direção ao município de Ananindeua, com intuito de evitar confronto das torcidas no retorno para casa.
Participaram desta operação o Comando de Policiamento da Capital, Comando de Policiamento da Região Metropolitana, Comando de Policiamento Especializado, Comando de Missões Especiais, Ronda Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam), cavalaria, canil, batalhões de Abaetetuba, Castanhal e Guarda Municipal. O Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) e o Batalhão Rodoviário também deram suporte ao jogo.
O esquema de segurança ainda contou com uma delegacia móvel da Polícia Civil, 25 agentes do Detran, 40 agentes da Secon, além de 100 profissionais do Corpo de Bombeiros Militar.
O clássico paraense também foi marcado por duas campanhas que pregavam a paz e solidariedade entre as torcidas. Antes do início do jogo, líderes de torcida e mascotes de ambos os times deram várias voltas no campo para promover a ideia incentivada pelos clubes, pela Federação Paraense de Futebol e Governo do Estado, para diminuir a violência entre as torcidas durante os jogos.
Ao entrar em campo, jogadores do Paysandu e do Remo também participaram de outra campanha e vestiram a camisa dos “Doadores Futebol Clube”, promovida pelo Hemopa, Governo do Estado e Portal Cultura.

Diego Andrade
Secretaria de Estado de Comunicação


segunda-feira, 7 de março de 2016

Hemopa inicia campanha alusiva ao Dia Internacional da Mulher



Neste sábado, 5, a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) lançou a campanha “Mulher: Beleza e Força que doa Sangue”, destinada ao voluntariado feminino, que representa 30% do número total de doações. A ação se estenderá até o dia 8, quando é comemorado o Dia Internacional da Mulher, e conta com o apoio de diversos parceiros que aderiram à causa. Mais de 430 candidatos a doação compareceram à sede e à Unidade de Coleta Hemopa - Castanheira, o que resultou em cerca 350 doações.

Para a presidente da Fundação Hemopa, Ana Suely Leite Saraiva, a campanha neste período é de suma importância para suprir o estoque estratégico, que sofre redução durante o inverno amazônico, devido a incidência de chuvas e doenças. Ela aproveitou para agradecer a mobilização de parceiros e voluntários que atenderam ao chamado do Hemopa. “Iniciativas como as desses grupos fazem toda diferença, porque a mulher é ativa, participativa e comprometida com as causas que apoia”, declarou.
“Já são dez anos de parceria. Pra gente é muito gratificante, pois na instituição trabalhamos essa questão da humanização com nossos alunos de todos os cursos. Neste sentido, realizamos várias ações no decorrer do ano, mas essa é a principal. É uma satisfação você ajudar o próximo, você salvar uma vida. Esse é o nosso propósito principal”, explicou a coordenadora do Centro de Educação Profissional – DNA, Sandra Sousa.
Os torcedores do Paysandu Sport Clube que participam do grupo Papãoléguas, Darla Maciel, Valéria Silva e João Pedro, realizaram suas doações para ajudar a campanha e incentivar os demais torcedores do time do coração. “Nós praticamos atividades físicas, principalmente a corrida, além disso, queremos aderir à causa da doação de sangue, algo que é benéfico não só para as outras pessoas, mas para nós também”, frisou a doadora.
A vendedora Tatiana Pompeu, 35, é doadora há cinco anos. Ela, que é moradora do bairro da Cidade Velha, começou a doar quando sua mãe foi diagnosticada com leucemia e precisou de sangue. Depois disso, continuou doando espontaneamente e neste sábado foi ao Hemopa participar da campanha alusiva ao Dia da Mulher. “A gente só dá valor quando sentimos na pele. Quando minha mãe precisou eu senti isso. Agora, mesmo sem conhecer as pessoas que precisam eu continuo doando, pois quem doa sangue, doa amor e doa vida!”, destacou.
A estudante Maria Alicia Vianna, 19, da Faculdade Mauricio de Nassau, mora em Ananindeua e já está em sua terceira doação. Tomou conhecimento do assunto em sua escola, quando ainda estava no Ensino Médio e participou de palestras ministradas pelos técnicos do Hemopa. Dali em diante, mesmo sem idade para doar, se tornou agente multiplicador e ajudava a captar doadores. “Eu sempre quis doar desde criança, aprendi na escola e hoje reproduzo esses ensinos, me sinto realizada por isso”, disse.
A programação da Campanha da Mulher segue até dia 8, com ações voltadas para parabenizar e agradecer às mulheres, com lanche especial, distribuição de brindes e palestras educativas.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menor de 18 anos pode doar somente com autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses.
Serviço:
O Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e a Estação de Coleta Hemopa Castanheira, no térreo do Pórtico Metrópole (BR-316, km 1). As coletas são realizadas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações no Alô Hemopa: 0800 280 8118.