segunda-feira, 27 de março de 2017

Azulinos, bicolores e evangélicos se unem para ajudar o Hemopa


Torcedores de Remo e Paysandu deixam a rivalidade de lado, neste sábado (25), véspera do Re-Pa, para vestir juntos a camisa dos Doadores Futebol Clube, com o objetivo de restaurar o estoque de sangue da Fundação Hemopa. A campanha é promovida pela Cultura Rede de Comunicação, estimulando a prática da doação de sangue entre azulinos e bicolores. Também neste sábado, estará no hemocentro outro grupo de voluntários, os jovens da Comunidade Evangélica Integrada da Amazônia (CEIA), ligada à Rede Teen, contribuindo para ampliar a rede de doadores.

A ação dos torcedores ocorrerá das 8h às 21h. Jogadores do Papão e do Leão prometem participar da iniciativa, para a qual foram escaladas as Bicolindas e as Musas Azulinas, numa programação que inclui a distribuição de brindes. "Nós sempre realizamos essas ações de doação de sangue em parceria com os apoiadores do clube. É uma forma de ajudar o Hemopa, que sempre enfrenta problemas de estoque baixo de sangue", diz Ieda Almeida, diretora de Responsabilidade Social do Paysandu.

O evento deste sábado é uma prévia do Dia D da Campanha Doadores Futebol Clube, marcado para 7 de abril. Nessa data, para elevar ainda mais o número de doações de sangue, a TV, a Rádio e o Portal Cultura marcarão presença, com flashes ao vivo da programação.
Encontro - Estas ações estratégicas de instituições parceiras ajudam o Hemopa a dar conta da grande demanda para transfusões de sangue, oriunda da rede hospitalar. São mais de 200 hospitais e milhares de pacientes atendidos pela instituição. A expectativa da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) é de que o final de semana seja de movimento significativo. “Nosso objetivo é passar a mensagem de encontro de amigos na sede do Hemopa para aumentar o número de coletas. Queremos que as pessoas passem a encarar a doação de sangue como um programa de final de semana”, destacou a assistente social Lilian Bouth.

Antonio Rosa da Silva, 53, não lembra exatamente há quantos anos doa sangue, mas assegura que já foram muitas doações. Torcedor do Paysandu, ele atendeu o apelo da campanha e pretende marcar um gol solidário para seu time do coração. Com tipo sanguíneo O Positivo, Antônio convoca os demais colegas. “Quem não for doador, venha e faça sua primeira doação. Independentemente de o seu time ser Remo ou Paysandu, venha doar. Muitas pessoas precisam desse sangue”, convida.

Podem doar sangue: pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações: 08002808118 / 31106500.
Com a colaboração de Bruno Magno - Ascom Cultura Rede de Comunicação

sexta-feira, 17 de março de 2017

Hemopa convoca doadores de todos os tipos sanguíneos


A Fundação Hemopa convoca com urgência doadores de todos os tipos sanguíneos para suprir estoque de sangue do hemocentro, que tem a responsabilidade atender integralmente a demanda transfusional de mais de 200 hospitais espalhados pelo Pará. As doenças ocasionais do período chuvoso, que inabilitam temporariamente a doação de sangue, associadas às intensas chuvas, que dificultam acesso ao serviço, são alguns dos fatores que estão provocando a queda de mais de 30% no número de coletas.

“Peço para que as pessoas que ainda não doaram sangue que venham ao Hemopa e salvem vidas, porque sem sangue meu filho e outros pacientes não sobrevivem”, diz a auxiliar Rosilda da Paixão, 39, mãe de Reinaldo Dean Paixão Souza, 15, que há dois anos recebe tratamento no hemocentro para anemia aplástica (insuficiência da medula óssea que reduz a produção de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). Ele já está há dois anos na fila para transplante de medula.
Israel Santiago da Silva, 22, também é portador da doença e está em busca de doador compatível de medula óssea. Enquanto ambos aguardam, eles precisam de sangue para sobreviver. Segundo a mãe, Regina Celia Santiago da Silva, 44, o rapaz faz tratamento no Hemopa desde dezembro do ano passado, quando foi diagnosticado com anemia aplásica, e desde então recebe sangue. “Foram feitos os exames de compatibilidade entre a família, e meu filho mais novo, Gabriel, de 14 anos, é compatível com o irmão. Estamos aguardando os resultados finais e torcendo para que ele consiga o transplante de medula”, contou.

A gerente de Captação do Hemopa, Juciara Farias, convoca voluntários para salvar vidas com esse gesto simples e nobre. “Doador de sangue não é um profissional. Qualquer pessoa que atenda os critérios básicos da doação de sangue pode doar e vidas”, frisa. O equilíbrio entre a demanda e a oferta de sangue seria alcançado com a média diária de 350 coletas de bolsas de sangue, que fracionada em hemocomponentes, corresponde ao atendimento médio de 1,4 mil pacientes. Sem crises, na sede do hemocentro, em Belém, as doações de sangue variam entre 250 a 200 coletas.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações: 0800-2808118.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Hemopa recebe esta semana doadores da Igreja Adventista



Com atuação em oito países da América do Sul, o projeto “Vida por Vidas”, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, promove campanha de doação na hemorrede estadual, nas unidades de Castanhal, Capanema e Abaetetuba, a partir desta terça-feira (14), e na sede do Hemopa, no sábado (18). Até hoje, as campanhas dos jovens adventistas já reuniram mais de 300 mil doadores voluntários de sangue.
A campanha ocorre anualmente, em alusão à Páscoa. Por isso, ao longo deste mês, haverá ações para suprir os estoques de sangue para atendimento satisfatório da demanda transfusional da rede hospitalar do Pará. Doador de sangue há 20 anos, o funcionário público Paulo Almeida de Souza, 50, participou da abertura da campanha em Capanema, nordeste do Pará. “Para mim, doar sangue é um gesto de carinho, de amor ao próximo”, disse.
“O projeto incentiva não apenas a doação de sangue entre jovens, mas na sociedade em geral. A campanha desperta a responsabilidade social de todos na causa da doação voluntária de sangue”, diz a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, Juciara Farias, revelando de metade das coletas feitas no Pará é de jovens (16 a 29 anos).
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Programação do Hemopa mobiliza mulheres doadoras de sangue

A Fundação Hemopa comemorou o Dia Internacional da Mulher, nesta quarta-feira (8), com ações de educação em saúde, direitos, cultura e lazer para servidoras, doadoras, pacientes e acompanhantes que estavam na área de atendimento ambulatorial. O contato com o público ressaltou a importância do combate à violência feminina e faz parte das ações da campanha "Respeito às mulheres em sua diversidade", lançada pelo Governo do Estado na terça-feira, 7, que integra todos os órgãos da administração pública estadual.

A homenagem que se estenderá até a próxima sexta-feira (10), ressaltará ainda a importância da participação feminina no processo da doação de sangue, tendo em vista que 36% da coletas realizadas na hemorrede estadual são do segmento feminino.

A abertura do evento foi realizada no auditório do hemocentro com a participação da presidente do Hemopa, Ana Suely Leite Saraiva. “É com muita alegria que parabenizo toda a equipe do hemocentro pela programação que homenageia todas as mulheres”, reforçou Ana Suely.
Logo em seguida, houve apresentação do coral do Hemopa, composto somente por servidores. A programação comemorativa, organizada pelo Serviço de Atendimento à Saúde do Servidor (SASS), também disponibilizou aula de relaxamento que foi ministrada pela professora Mara Gurjão. “Apesar da rotina conturbada que a mulher moderna vive, todas somos capazes de dedicarmos alguns minutos do nosso dia em busca do controle e equilíbrio de nossas emoções”, afirmou a servidora Selvina Leite.

Nesta quinta-feira, 9, quem for ao Hemopa contará com serviços de beleza com limpeza facial, além de oficina sobre hidratação facial e maquiagem.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, no bairro de Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.


quarta-feira, 8 de março de 2017

Pará está acima da média nacional do número de doadoras de sangue


“Espero que a minha força de vontade em doar sangue seja um incentivo para outras mulheres, e que elas possam vir sem medo. Não custa nada, é rápido  é tão bom ajudar a quem precisa”. A declaração é da cabeleireira Taíse da Silva Costa, 34, que ao doar sangue pela primeira hoje (07), na sede da Fundação Hemopa, ingressou no seleto grupo feminino que atualmente é responsável por 36% das doações efetivadas no Pará, ficando acima da média nacional que é de 30%.
Em fevereiro deste ano, a hemorrede estadual, que inclui o Hemocentro Coordenador e a Unidade de Coleta Castanheira; os Hemocentros Regionais em Marabá, Santarém e Castanhal; e os Hemonúcleos de Altamira, Tucuruí, Redenção, Capanema e Abaetetuba, foram registrados  10.175 voluntários e 7.971 doadores, que vão ajudar a salvar a vida de mais de 30 mil pacientes internados na rede hospitalar. Desse total, cerca de 30% de coletas são de mulheres.
A participação do público feminino no processo da doação voluntária de sangue no estado vem aumentando e atendeu a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS), que determina que 30% da população do Brasil seja doadora de sangue.
No entanto, a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, acha que as estatísticas podem melhorar ainda mais. “Temos plenas condições de doar sangue que os homens”, destacou, observando apenas alguns impedimentos naturais e temporários, entre eles, a amamentação que inabilita por 12 meses e no período da gravidez. “O período menstrual não é fator de impedimento. A candidata tem que passar pela triagem clínica onde o profissional especializado vai dizer se ela é apta ou não para doação de sangue”, observou a técnica da captação de doadores.
Doadora de sangue há três anos, Karla Nadja, 28, sua primeira experiência solidária foi uma iniciativa espontânea. Desde então ela não parou mais. A manicure doa sangue de três em três meses na sede do Hemopa. “Somos mulheres independentes e temos, sim, que ser doadoras de sangue, pois hoje estamos doando, mas  amanhã podemos precisar. Eu me sinto muito bem em salvar vidas, doando sangue”, disse sem esconder o orgulho.
Segundo Juciara Farias, ao longo do mês de março, em homenagem à m ulher, palestras de 10 a 15 minutos serão realizadas nas recepções de doador e de pacientes, abordando temas de interesse do universo feminino, entre eles, a violência contra a mulher. “Vamos dar suporte à campanha do Governo do Estado, com repasse de informações sobre a violência feminina e as medidas legais que as mulheres devem tomar para sua proteção”, disse.
Podem doar sangue: pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Aplicativo ajuda a divulgar campanhas da Fundação Hemopa


Um aplicativo vai estimular a doação voluntária de sangue e de medula óssea, além de divulgar campanhas estratégicas da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). O anúncio foi feito nesta sexta-feira (3), e visa elevar o número de coletas no Pará, ao contribuir para o atendimento transfusional da rede hospitalar.

A gerente de Captação de Doadores do hemocentro, a assistente social Juciara Farias, destacou a importância de repassar a mensagem do voluntariado para toda a sociedade. “Todo apoio para potencializar a divulgação de nossas ações e muito bem-vindo”, ressaltou.
Ao Hemopa caberá a responsabilidade de repassar o conteúdo para divulgação no aplicativo, que é atualizado diariamente pelos criadores do “Vamo lá”, o casal Thiago e Walquíria Moraes.

As primeiras notificações estarão relacionadas com a campanha de coleta de sangue voltada ao público feminino, já que março é o mês que celebra o Dia Internacional da Mulher.
Doação de sangue - Na manhã deste sábado (4), a sede da Fundação Hemopa, na travessa Padre Eutiquio, em Belém, receberá a campanha da Igreja Adventista, por meio do projeto “Vida por Vidas”. A meta é alcançar 100 doações de sangue.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Campanha do Hemopa registra quase duas mil coletas de sangue


A campanha “No carnaval use fantasia de salva vidas. Doe sangue” terminou no sábado (25) com um significativo saldo de 2.635 voluntários e 1.954 doações de sangue. Com a solidariedade foi possível armazenar sangue para cerca de 7.900 pacientes que precisam de transfusão para sobreviver ou para atendimento da demanda do carnaval.

A mobilização em Belém ganhou força com as 52 parcerias de instituições públicas e privadas. “Estamos muito satisfeitos com os resultados da campanha na capital e interior do estado onde temos unidades de coleta de sangue”, comentou a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, que agradeceu cada voluntário e instituições que participaram da campanha.
É o caso da engenheira de Segurança no Trabalho Nhandejara Aguiar, 40, que doou sangue pela primeira vez. “Sempre tive medo de doar, mas fiz uma campanha na escola junto com os alunos de segurança do trabalho e abraçamos a campanha do carnaval”, frisou.

Cerca de 30 alunos da Faculdade Paraense de Ensino (Fapen) também aderiram à campanha. Eles estiveram na sede do hemocentro conduzidos pela professora Silvia de Paula Pereira. “Nosso incentivo é que esse trote seja sempre solidário. A parceria com o Hemopa é muito importante”, destacou a docente.
De acordo com Juciara Farias, a campanha nos municípios de Marabá, Castanhal, Santarém, Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema, foi muito produtiva. Ela revelou dados preliminares de algumas unidades: Hemonúcleos de Altamira com 57 voluntários; Capanema com 150 doações; Hemocentros Regionais de Castanhal com 250 coletas e de Santarém com 212 comparecimentos.

Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, bairro de Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h.